1. Spirit Fanfics >
  2. O Que Duas Garotas Fazem No Banheiro >
  3. O meu dia

História O Que Duas Garotas Fazem No Banheiro - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Olá!!!
Gente, eu queria mesmo preparar algo de especial para hoje, visto que é o aniversário de nossa pinguim (HAPPY MINA DAY😍😍😍🐧❤️❤️❤️❤️❤️❤️💘), mas o bloqueio criativo não deixou... Por isso o capítulo saiu bem curto. Melhorarei no próximo, prometo•~•

Enfim, tenham uma boa leitura e leiam as notas finais•£•♥💘

Capítulo 19 - O meu dia


 Eu havia concordado em passear com minhas duas amigas, pensava que assim eu poderia esquecer um pouquinho do assunto que ainda assim mexia comigo. Me despedi de meu pai, o único na casa, dizendo o suficiente enquanto abria a porta. Diferente de minha mãe, meu pai me liberava com uma certa facilidade para sair com as meninas, porém era hesitante quanto ao horário e com quem estaria junto a nós.

Não tinha muita gente, não sendo muito difícil para elas me acharem e acenarem ligeiramente ao me avistar na entreda. Me sentei junto a elas em uma mesa discreta e aconchegante próxima às janelas, o sol batia em nossos rostos, porém não nos incomodava. Era um lugar perfeito para nós três conversarmos sem se importar.

Ambas me olhavam indagativas, esperando a oportunidade certa para começar a falatório.

- Acabei me atrasando. - Disse assim que me aconcheguei no sofá - O que houve? Por que estão com essas caras?

- Desembucha, logo. - Disse Nayeon rapidamente.

- De novo não, eu já falei uma vez ao telefone, não quero repetir.

- Acontece que pelo telefone não dá a mesma emoção de ser dito pessoalmente. E também queremos realmente saber como você está, nós vamos te ajudar a superar, queria ou não. - Cutucou meu meu ombro.

- Boa tarde, meninas, escolheram o que vão pedir? - O garçom apareceu à mesa. E eu nunca agradeci tanto por ele ter brotado do nada em meio a nossa conversa, assim poderia me preparar mais uma vez.

O homem foi embora com nossos pedidos em seguida, sobrando somente eu e aquelas feras novamente. Disse-lhes com as mesmas palavras, sem alterar uma sequer. O olhar de confusão de Jihyo não superava o olhar de incredulidade de Nayeon, que com a boca aberta era incapaz de algum som.

- Vou repetir... Isso é estranho. Mas bem que cabe a você. - Debochou, me mostrando a língua.

- Meu Deus, Nayeon, será que nunca vai crescer. Parece uma criança...

- Mina tem razão. Cresce aí, idosa. - Jihyo rebateu com um tom bricalhando, provocando risos inevitáveis em mim.

- Ih... De novo essa piada com a minha idade. Eu venho toda amigável chamar minhas amigas para sair, tanto por que amo tanto também por que uma de nós está sofrendo...

Nem tanto assim...  Na verdade, a dor não foi maior porque meu sentimento  também não era maior. Sei que o que eu sentia por ela era verdadeiro, acredito nisso, mas não chegava a ser tão forte... Pensar assim me faz parecer uma idiota.

- Desejava ao menos um pingo de respeito.

- Certo, certo. Eu te agradeço, você é um anjo, Nayeon, muito obrigada. - Acariciei suas mãos.

Quando levei a última colher de bolo à boca, a conversa também havia chegado ao fim. Jihyo se apressou a sair para se encontrar com Dahyun, que a esperava por sua ajuda, Nayeon, se contentou em me dar um tchau caloroso e seguiu seu caminho enquanto conversava com Jeongyeon ao telefone.

Nesta confusão toda acabei deixando Jeongyeon de fora das últimas notícias, seria mancada demais ela descobrir por Nayeon e não por mim... Entretanto tenho certeza de que ela vai entender, foi tudo muito rápido.

Tão rápido como o choque que tive com alguém na calçada, do chão encarei seu rosto  com feição dolorosa e aflita ao mesmo tempo, algumas partes sangrava e estavam vermelhas, denunciando uma briga.

- Meu Deus, Chaeyoung! O que aconteceu? - Lhe perguntei recebendo o silêncio de sua boca e suas mãos rápidas a me levantarem.

- Venha comigo, depressa! - E me puxou.

Sem direito a fala, já sabendo que não obteria resposta alguma, me restou segui-la. Não quiz olhar para trás, porém não deixava de escutar passos também apressados a nós seguir. Entramos em um beco de início, se deparando com outro e mais outros, parecia um buraco fundo de minhocas, onde quanto mais se aprofundava mais confuso e pedido você ficava. Desviámos de pessoas passando e coisas ao nosso caminho. Neste zigue-zague acabamos por se esconder ao lado de uma lixeira em um beco qualquer. Encarei seu semblante preocupado, estava arfante, sua respiraçã desregulada assim como a minha,  olhei para nossas mãos juntas seguradas por ela com uma certa força sem fazer menção de atá-la. Ficamos por mais um tempo assim até não ser visto mais ninguém além de pessoas comuns seguindo suas vidas, só então pude escutá-la suspirar e se levantar calmamente.

- Ufa... - Bufou.

- Ufa? O que acabou de acontecer aqui, Chaeyoung?

- Nada demais. Foi mal, acabei te trazendo junto nessa.

- Nada demais... Você já viu seu estado? Isso tá horrível. - Segurei seu rosto nas mãos, separado seus cabelos que o cobriam seus ferimentos.

- Eu caí. - Desviou-se de meu contatos, ajeitando seus fios pretos de cabelo.

- Se existisse um prêmio para a melhor mentirosa do mundo, com toda certeza ele seria dado a você. Porque você mente muito mal... 

- O que está fazendo? - Ela perguntou assim que a puxei do beco.

- Não fale, apenas venha.

Sim, eu ia fazer aquilo.




[...]




Subi com um kit de primeiros socorros nas mãos para o meu quarto, Chaeyoung me aguardava lá encima, era engraçado pensar no que eu estava preste fazer, não era muita coisa, mas...

Seu olhar se perdia em meu aparelhos eletrônicos extasiada com o que via. Chamei por seu nome e ela atendeu, se sentando prontamente em minha cama.

Comecei limpando os locais, vendo ela se repelir e soltar alguns gemidos de dor. O quer que tenha acontecido, nem ferrando que se assemelhava com uma queda qualquer, eu não era boba.

- Me conte. - Soltei no silêncio. Seus olhos fechados me encararam profundamente enquanto aplicava um remédio ardente - Sei que não caiu, não sou trouxa.

- Tudo bem, não sei como correr de você mesmo... - Suspirou - Foi uma briga, juntaram para me dar uma lição de merda porque eu fiquei com uma menina, anteriormente, que namorava. Eu não sabia dessa informação, então não tinha muito o que fazer, eles me pegaram desprevenida e deu nisso. - Deu de ombros.

- Será que não percebe a gravidade da situação? E se você continuasse lá apanhando, não faço ideia de quantos caras juntaram pra fazer isso com você, mas imagina se eles não parassem, Chaeyoung? - Fitei séria.

- Talvez no hospital respirando com a ajuda de aparelhos?

- Não é hora para brincar, estou falando sério com você. Tome mais cuidado da próxima ao sair. Meu deus, olha o seu rosto... Onde mais tem? 

- Lugar algum... - Ela sorriu na tentativa de me fazer cair naquela enganação.

- Mostre-me sua barriga.

- Mina...

- Só me mostre logo. - Disse ríspida.

Aos poucos, meio receosa, ela retirou o casaco e ergueu a camiseta, além dos hematomas havia um sangramento ao lado na barriga.

- Desta vez eu realmente caí... - Disse baixo como um resmungo.

Não a respondi, talvez meu olhar falasse por mim. Terminei de fazer os curativos e me sentei a sua frente, podendo encará-la melhor. Estava cabisbaixa entrertida em brincar com os próprios dedos.

- Tome mais cuidado de agora em diante... Isso é sério e poderia ter sido pior. Entende o que eu falo?

- Ok, sem lição de moral, Myoui. - Ela sorriu suavizado o ambiente.

- E em brincadeira, Son... - Sorri também.


E esse havia sido meu dia... À noite, mal preguei os olhos novamente, Tendo mil e uma coisas na cabeça, girando de um lado para o outro na cama, não aguentando e indo parar nos jogos.

Não sei exatamente quando tudo escureceu e ficou silencioso, com somente minha respiração de fundo.


Notas Finais


Parece que não, mas eu tô com um bloqueio criativo...
Caso eu não poste quinta, vocês já sabem o motivo.
Passando só pra avisar isso mesmo•£•♥💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...