1. Spirit Fanfics >
  2. O Que Está Por Vir >
  3. Capítulo 2

História O Que Está Por Vir - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Sono.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction O Que Está Por Vir - Capítulo 2 - Capítulo 2

-- Blondie!

Mal teve tempo de racicionar ao ouvir o apelido familiar e já foi agarrada fortemente por seu primo Sting.

-- Sting! Hahaha, será que não podia me cumprimentar como uma pessoa normal e simplesmente me abraçar em vez de um ataque estrategicamente montado?

-- Você sabe que não, aí não teria graça.

Ela sabia, nada pro loiro era simples, desde mais novo ele sempre foi assim, elétrico, montava planos infalíveis que sempre eram falíveis com o objetivo de roubar o lanche da tarde em vez de apenas pedir para come-lo mais cedo, certa vez, aos 8 anos, teve uma ideia de conseguir dinheiro para comprar balas de caramelo com o intuito de se disfarçar de menino de rua e mendigar por trocados, não deu certo óbvio, quando a mãe de Lucy chegou em casa e viu a filha e o sobrinho rasgando e sujando as roupas do primo ficou pocessa e deu uma bela bronca nos dois, mas seu avô que amava mimar os netos os livrou das cintadas  e ainda ganharam as balas.

-- Como você vai, tudo bem?

-- Eu vou indo, as vezes não me sinto completamente em 100% mas acho que 95 aguenta bem.

-- Que bom. Tenho uma notícia pra você, eu também vou para a Fairy Tail High School!

-- O que?  Ai meu Deus que incrível, faremos o ensino médio juntos, ai que emoção confeso  que estava nervosa ao menos com você lá me sentirei mais segura.

-- Exatamente, comigo ao seu lado você estará sempre em 100%, e não importa o que aconteça, você pode contar comigo, eu jamais deixaria a minha Blondie num lugar desconhecido e ainda mais sozinha! Se você for vou com você. 

Ao ouvir aquelas palavras foi impossível  para seu olhos não se incherem de lágrimas, ele tinha dito as mesmas palavras com o mesmo entusiasmo quando ela estava indo morar com o pai, a nostálgica bateu forte junto com a emoção, imediatamente prendeu o primo em um abraço.

-- Obrigada, por sempre cuidar de mim.

-- Se eu não fizer quem fará? Ele não está mais aqui, não posso substitui-lo mas farei o possível para conforta-la.

Já não deu pra segurar as lágrimas e uma pequena  manchinha molhada apareceu na camisa azul do loiro. Se soltou do abraço agradável e passou as mãos nos olhos limpando as lágrimas teimosas que escorriam sem permissão, quando terminou abriu um sorriso vendo o primo lhe devolver um também.

-- Obrigada, nem tenho palavras para agradecer o que você faz por mim.

-- Não se preocupe com isso, eu vou te dar um dicionário e aí saberá o que dizer.

Riu. O incrível senso de humor que Sting possuía sempre lhe faz rir nas piores situações.

-- Bobo. Eu estava organizando meu quarto, pode me ajudar? 

-- Tem que me levar pra jantar primeiro.

-- Hahaha, não é nada disso ontem eu e a minha mãe fomos comprar umas coisas pra decoração pode me ajudar a arrumar?

-- Ok, vamos lá.

-- Tá. Mãe! O Sting vai me ajudar a organizar o quarto!

-- Certo, divirtam-se!

-- Quem é que se diverte arrumando o quarto?

-- Não sei. Ela é de um tempo diferente do nosso, vamos Sting.

-- Podemo colocar umas músicas pra animar?

-- Claro

Subiram as escadas e chegaram no quarto com várias caixas e plásticos-bolhas esperando para serem estourados, o quarto era grande e permitia sua imaginação para decorar voar solta, ao fundo encostado na parede o guarda-roupas, na parede da direita uma comôda branca, acima da comôda uma grade envolta de luzes LED unidas por um fio, montaria um mural de fotos, ao lado da comôda a cama box com lençois brancos com detalhes em salmão, dois grandes e macios travesseiros mais uma almofada em forma de coração com a carinha de urso, tinha desde de criança, afastado da cama uma mesa com formato de L invertido onde estava seu computador e uma cadeira com rodinhas, na parede em frente a cama a grande janela com as cortinas e um sofá vermelho colado entre a parede e a janela, na parede ao lado da janela penduraria quadros decorativos com frases e no chão um enorme tapete azul bebê felpudo gostoso de andar dascalso (N/A: meu quarto do sonhos).

-- É tá ficando bonito. Fizeram um bom trabalho, no que exatamente você quer ajuda?

-- Não tem muita coisa pra fazer, mais já que você está aqui pode ajudar, pendure esses quadros ali.

-- Ok.

O primeiro quadro pendurado  era inteiramente branco com apenas as letras pretas assim como todos os outros, estava escrito com uma linda letra cursiva, "Dont's forget to smile" e assim como ele haviam várias outas lindas frases. Foi até a comôda pegando as fotos admirando cada uma com afeto, até que na terceira foto parou, eram seu avô, ela e Sting sentados em casa perna do velhinho, sua garganta travou, o coração disparou, suas mãos começaram a tremer, seus olhos incheram imediatamente, largou a foto na comôda e se jogou no chão encostando na lateral da cama se abraçando e chorando baixo. Sting ouviu e correu pra ver o que tinha acontecido, não entendia o que deixou a prima naquela situação até que olhou a foto encima da comôda, agora faz sentido, pensou se ajoelhando em frente a prima.

-- A Lucy, se continuar assim nunca vai superar, você tem que seguir em frente, ele odiaria te ver assim.

-- E-Eu não c-consigo é mais forte do que eu.

-- Você precisa se esforçar, está tudo bem. Eu sei que dói, mas parece que você fica reabrindo a ferida em vez de deixa-la cicatrizar, não se machuque mais, seu psicológico vai acabar ficando todo ferrado por causa disso.

-- E-Eu sei, eu tento, eu juro que tento

-- E você consegue, você vai superar eu acredito nisso.

-- Sting... Obrigada.

-- Disponha, agora levanta o bumbum daí e pega a minha mão temos muito o que fazer.

Se ergueu estendendo a mão para a loira encolhida no chão que aceitou rindo.



                           ●○●


-- Vamos ali comprar uma pipoca já voltamos, vamos Wendy.

-- Tá, a gente já volta irmã!

-- Ok estarei esperando.

Sting, Lucy e Wendy haviam ido  ao parque, um lugar bonito, calmo, muitas árvores e um imenso lago em que os peixes faziam a festa, jovens iam até lá com amigos, atletas davam um corrida, idosos iam alimentar os pombos, casais iam se encontrar e crianças iam brincar, Lucy estava sentada em um banco de madeira separada do lago por um  caminho de concreto e uma grande parte de grama. Estava tomando um sorvete enquanto pensava sobre o que Sting lhe dissera, ele estava certo, precisava superar, precisava lembrar do avô e não entrar em pânico, eu preciso melhorar, pensou.



Notas Finais


Levou o dia todo da uma moralzinha aí


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...