História O que (não) fazer quando estiver com tédio. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baeksoo, Exo Ot12, Kaihun, Suchen, Xiuhan
Visualizações 94
Palavras 1.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaa, voltei com mais um capítulo dessa coisinha.
Bem, provavelmente a fanfic conterá capítulos mais curtinhos que o comum, e uma linguagem pouco rebuscada; o intuito dessa estória é ser leve, enton creio que isso vai ajudar na ambientação da fanfic.
É isso.

Capítulo 2 - Invenções do diabo


A conversa no refeitório começou soft depois virou uma grande merda, bom, pelo menos para mim, porque depois que vi o maldito do Baekhyun minha mente voou para um lugar bem longe, um lugar em que ele está tão na minha quanto eu estou na dele, e a gente se deita em uma cama quentinha, se beija e faz um amor gostoso em seguida, depois começamos a falar em séries e animes ele diz que a Shiemi* é chata para um cacete e eu me apaixono mais por ele e a gente se beija de novo e.....

Ahhhhh Baekhyun eu preciso te esquecer na mesma medida em que preciso te ter.

Contudo, depois que eu o vi e lembrei que ele cagava para mim, caí em uma bad profunda que não largou do meu pé pelo resto do dia. Eu assisti o restante das aulas triste, peguei o meu camelo* e fui para casa triste, almocei triste, peguei no sono triste, acordei seis horas da tarde sem saber em que dimensão do universo eu estava, triste; peguei meu notebook e comecei a escrever esse monte de baboseiras extremamente tristes com a mesma sensação de tristeza de antes.

A paixão, meus caros filhotinhos de satanás, é uma invenção de Lúcifer que me faz querer morrer a cada dez segundos. M E R D A!

 

555555555555

 

    Existe alguma coisa mais trash* do que aula de educação física? Bixo, às vezes chego a pensar que, assim como a paixão, esta foi mais uma invenção preparada especialmente no berço de satanás para destruir a vida de magricelas sedentários como eu. Acordar de manhã com minha mãe me dando um tapa na orelha por estar atrasado para o colégio já é um merda, acordar de manhã com minha mãe me açoitando e ainda lembrar da maldita aula de educação física é uma merda de proporções astronômicas, pai amado.

Mas é a vida né? Vida maldita que hoje me obriga a sentar a bunda nessa arquibancada enquanto observo Jongin se aquecer para a aula junto com os meus outros amigos igualmente dispostos, igualmente atléticos, igualmente ~lindos~ enquanto eu fico aqui, jogado no banco feito um saco de batatas podre, mais morto do que vivo, pedindo à Zeus que jogue um raio bem na cabeça de Chanyeol que acabou de entrar na quadra com o mesmo sorriso convencido de sempre, argg, poste maldito que beija a boca do meu Byun, eu te abomino!

Eu estava tão entretido fuzilando Chanyeol com meus olhos enquanto mentalmente eu quebrava seus ossos e em seguida o empalava que nem percebi a aproximação de Sehun, o garoto provavelmente estava sentado ao meu lado a mais tempo do que era considerado seguro para as coisinhas bobas e inofensivas que eu estava escrevendo em meu notebook, rs.

– Se você continuar encarando o Chanyeol desse jeito tenho medo que você acabe desintegrando o meu amigo babacão em pedacinhos bem pequenos. – Ditou Sehun, com uma voz grave e baixa que fez-me parar de desejar a morte de Chanyeol e concentrar-me na figura ao meu lado.

– Tsc, seria muito bom se eu conseguisse desintegrar as pessoas com os olhos, assim eu já teria varrido a existência de metade das pessoas do planeta terra, inclusive a de Chanyeol.

Sehun sorriu pelas merdas que eu proferi e então finalmente fixou seus olhos em mim possibilitando que eu fitasse seu rosto. O branquelo é bonito pra caramba, no entanto é sério demais, eu podia jurar que nunca o tinha visto sorrir até dado momento. Contudo, toda aquela seriedade dava à Sehun um charme único que unido a sua beleza deixava geral babando por ele.

– Então eu estava certo ao estudar as expressões do teu rosto, você realmente não gosta de Chanyeol. Por que isso, Kyungsoo?

– Olha só, um dos caras mais populares da escola sabe o meu nome, já posso fazer um post no facebook me vangloriando? – Desdenhei com o intuito de desviar o foco do assunto, falar sobre Chanyeol não era seguro, eu amava Baekhyun em segredo e queria continuar assim pelo resto dos meus dias.

– É claro que eu sei o seu nome, Kyungsoo, primeiro porque estudamos juntos desde, desde sempre, eu acho, mas você não deve nem lembrar... – eu posso estar bem louco, mas a face de Sehun adotou um semblante triste de repente, fiquei assustado, afinal era uma descoberta e tanto ver Sehun com uma expressão diferente da de.... da de sempre. – Segundo porque você é bem bonito e caras bonitos nunca fogem ao meu olhar.  

Vi as bochechas de Sehun enrubescerem antes do mesmo abaixar o rosto e o cobrir com as mãos, Sehun parecia um veado tímido e apaixonado e aquilo me deixou meio que, sei lá, com o cu na mão? Que diabos estava acontecendo afinal? O cara nunca tinha nem olhado para mim (pelo menos não que eu saiba) e simplesmente do nada senta aqui e fala que sou bonito? O QUÊ?  

– Certo, é oficial, essa conversa está estranha para um cacete. – Disse eu, meio incerto do que fazer dali pra frente.

– Kyungsoo quando a gente ouve um elogio a gente agradece, A G R A D E C E, entendeu?

– Eu sei, palerma, é que eu não estou acostumado a receber elogios, ainda mais de você que eu nem sabia que tinha conhecimento da minha pobre existência nessa caixa de idiotas, quer dizer, colégio.

Sehun soltou uma risadinha frouxa me deixando completamente desconcertado; não fode, Sehun! Por que seu sorriso tem que ser tão bonito? Seria Sehun outra invenção do diabo? Grr, já sofro demais gostando do Baekhyun, stoppppppp satanás.

– Você é realmente muito engraçado, Kyungsoo, como eu sempre imaginei que fosse.

Imaginou? Como assim?

Antes que eu pudesse perguntar pro Sehun “que história é essa de como eu sempre imaginei” o irritante apito do treinador igualmente irritante soou na quadra indicando que todos deveriam se reunir ao redor dele para que o mesmo pudesse dar as instruções da aula de hoje.

Sehun se despediu rapidamente com um baixinho “tchau hyung” e a última coisa que eu vi antes de me levantar e me arrastar para perto do treinador fora um Baekhyun com um olhar indecifrável me observando das arquibancadas que ficavam do outro lado da quadra.

Bem, ele finalmente me notou, mas o olhar lançado para mim não me deixara nem um tiquinho feliz, mas sim, apreensivo pra caralho.

Deus! Eu sabia que não devia ter vindo para a escola hoje. Mil vezes merda, grrrrrr.  


Notas Finais


Então é isso, desculpem os errinhos.
Obrigada por ler e até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...