1. Spirit Fanfics >
  2. O que (Não) fazer quando se engravida do seu chefe-Jungkook >
  3. Brasil.

História O que (Não) fazer quando se engravida do seu chefe-Jungkook - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Por favor se cuidem!

É sério gente, lavem suas mãos com água e sabão ou álcool em gel, entre outras medidas q podem ser feitas para prevenir o corona e tbm outras doenças!!

•Não usem máscaras caso não for preciso!!! Caso vc esteja doente e não puder ficar em casa, ok aí sim vc pode usar, mas caso vc não trabalhe em hospitais e nem tá doente por favor NÃO use máscaras!!!

Cuidado galera, isso é sério! Aqui no estado que moro ainda não teve nenhum caso, mas tivemos casos de H1N1 q tbm é horrível

E sim, eu estou em casa tendo q estudar pq minha escola já mandou algumas coisas q devemos fazer nesses 15 dias.

Se cuidem eu não quero q vcs fiquem doentes.

E vou tentar adiantar alguns capítulos ;))

Capítulo 13 - Brasil.


Fanfic / Fanfiction O que (Não) fazer quando se engravida do seu chefe-Jungkook - Capítulo 13 - Brasil.

— GRAÇAS A DEUS CHEGAMOS NO BRASIL! — Jully cai de joelhos no chão levando seus braços aos céus.

— Levanta daí! Tá todo mundo olhando. — Puxo ela para cima. — As turbulências nem foram essas coisas...

— Não foram!? Eu pensei que a gente fosse morrer, já tava até passando um filme na minha cabeça da minha vida! 

Como sempre Jully ama engrandecer algo que não precisa.

— Vamos para o hotel. — Saio na frente de minha amiga tentando me guiar pelas placas que ainda bem que estão em inglês.

— Nós vamos passar dois dias aqui no Rio e o resto em Salvador, né?

— Metade do penúltimo e o último dia a gente vai passar em São Paulo, lerda! Eu te falei isso a viagem inteira. — Bufo tentando me controlar pra não dar nenhuma resposta grossa para Jully.

Ela não calou a boca nem por um segundo! Não sei como não está morrendo de sono...

— Bota as malas ali dentro e entra no carro. — Aponto para o porta malas e  então  entro no carro do taxista.

Tenho um leve pressentimento que essa viagem nunca será esquecida...

•••

— Puta merda, olha o tamanho desse quarto! — Jully rodopia pelo quarto se jogando na cama ao lado da janela.

— Ei pode sair! Essa cama é minha a gente já conversou sobre isso! — Ela revira os olhos e se levanta da cama resmungando baixo. — Agora me deixa dormir, preciso recarregar as energias.

— Dormi pra que!? Eu vou é conhecer essa praia que fica de frente para nosso hotel.

— Juízo. — Olho para minha amiga e a vejo já vestida de biquíni, essa daí não perde tempo...

— Quando eu chegar aqui quero ver você arrumada. Nós vamos sair para comer. — Assinto deitando minha cabeça e rapidamente caindo em um sono profundo.

Acordo com o meu celular tocando, o pego e leio o nome do contato.

Jungkook.

A Margarida está diferente hoje... 

— Oi Jungkook. 

— Você só me avisou agora que ia viajar!? ______ você não pode deixar a empresa sem ninguém! Eu confiei em você.

— Eu estou fazendo um favor e não uma obrigação, Jungkook. Tchau que eu tenho mais coisa pra fazer.

Desligo o telefone sem deixá-lo falar, uma das minhas metas dessa viagem é:

- Não me irritar com Jungkook;

- Ter o menor contato possível com a praguinha vulgo Jeon Jungkook;

- Não pensar na praga;

‐ Não tocar no nome do **.

Esse último já não conta... Já quebrei essa meta.

Já que o senhor Jeon Jungkook interrompeu meu sono, levanto da cama e vou em direção a minha mala escolhendo uma roupa fresquinha e indo ao banheiro tomar um banho demorado. 

Aproveito pra mandar uma mensagem para minha amiga perguntando onde ela está, não estou muito a fim de me perder aqui no Rio...

Já arrumada, pego meu celular checando se Jully respondeu minha mensagem e graças aos céus ela respondeu.

" Estou te esperando no outro lado da rua" 

Desço de elevador, percorro todo o saguão do hotel ate na saida, onde passo por ela dando de cara com uma avenida.

Checo para ver esta vindo algum carro e então atravesso quando percebo que está seguro. Fito a minha frente e vejo minha amiga que já está a minha espera com um sorriso gigantesco.

Ela aprontou.

— O que você fez. — Fico de frente para ela, cruzando meus braços.

— Sou tão previsível assim?

— Sim, você é. Desembucha logo.

— Amiga, eu acho que me apaixonei! — Lascou, vou ter que aturar uma Jully apaixonada. — Fiquei com um garoto aqui, que pelo que eu me lembre se chama Davi e simplesmente ele é perfeito. — É, ela está mesmo apaixonada. — Amiga, ele é ainda por cima burguês safado! Vamos ser rica juntas! — Ela da alguns pulinhos batendo suas mãos uma na outra. — Vem, nós vamos no restaurante dele que por sinal é um dos mais caros e famosos daqui.

Jully segura minha mão e me puxa para segui-la, enquanto andamos até chegar nesse "tal restaurante" ela fala o quanto esse Davi é um amor e perfeito.

Ninguém é perfeito, mas o amor cega.

Chegando no restaurante, entro atrás de Jully que já vai em direção ao balcão.

Uma moça vem em nossa direção e nos conduz para uma mesa mais reservada. Pelo traje das outras pessoas que estão comendo aqui, nós estamos muito, mais muito simples.
Bateu até uma vergonha.

Sento de frente para Jully, um garçom vem em nossa direção e nos entrega o cardápio que para a nossa surpresa também está em inglês.

Digo para minha amiga escolher enquanto vou ao banheiro.

Pergunto para um dos funcionários onde fica e então vou na direção dele. Chegando perto noto uma feição muito parecida com a da foto que Jully me mostrou do indivíduo.

Davi...

Ele passa reto por mim, pegando um caminho contrário e para fora do estabelecimento.

Volto a caminhar em direção ao banheiro e depois voltar a mesa que Jully está.

Chegando nela, noto um garoto sentando ao seu lado, mais precisamente Davi.

Não sou vela, não vou sentar na mesa, repito em minha mente.

Olho para fora do restaurante e noto um garoto entrando e olhando fixamente para a mesa que minha amiga está.

Ele parece está nem um pouco contente.

Fito ele com um pouco mais de precisão e percebo que ele é igual ao garoto que está sentado ao lado de Jully.

Meu Deus...

Eles dois são gêmeos...

Jully não está conversando com quem ela pensa que está vulgo, Davi.

Lascou.

— JULLY! — Gritou de onde estou, fazendo todos me olharem e minha amiga me observar assustada.

Pelo menos posso escrever no meu diário de viagem que já passei vergonha no Brasil... 

No primeiro dia que chegamos.


Notas Finais


Espero q vcs tenham gostado do capítulo^^
Essas duas só se metem em loucura puts kkk

Bjs e se cuidem!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...