1. Spirit Fanfics >
  2. O que o amor faz com a gente >
  3. Capítulo 1

História O que o amor faz com a gente - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bom diaaaaa, meus leitores!
Como vão vocês?
Avisando que eu tenho alguns problemas com histórias, então se essa não der certo, eu apago e finjo que nada aconteceu...
Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo 1


Acordei com meu gato subindo em cima de mim, miando e passando a pata no meu rosto. Fiz carinho nele e segui em direção ao banheiro, fazendo minhas higienes com meu gato me seguindo. 

Fui para a cozinha e coloquei ração em seu potinho, logo servindo meu café da manhã com frutas picadas na noite anterior e torradas, com um copo de café com leite. Pego meu celular e entro no YouTube, logo vendo o rosto do meu mais novo crush: Felipe Mendes Castanhari. Me julguem, mas não consigo parar de pensar nesse cara.

Bom, você deve estar se perguntando: mas afinal, quem é você? Bom, meus queridos, eu sou a Luna, uma youtuber, muito trouxa e iludida.

E falando em youtuber, eu tenho um evento hoje para ir aqui São Paulo. Eu sou de BH, mas moro aqui em SP tem um tempo - para facilitar a vida. Estou num hotel, e é claro que não deixaria meu amorzinho - meu gato - para trás. O evento seria daqui a duas horas, por isso fui logo tomar banho, já sabendo como eu enrolaria. Não sabia quem estaria lá, mas estava ansiosa. Faz um ano e meio que comecei a gravar vídeos sobre diversos assuntos, e já alcancei um milhão de inscritos. Coloco minha playlist no Spotify pra tocar e ligo a caixinha de som, logo entrando debaixo do chaveiro ao som de ON - BTS.

Lavo meus lindos cabelos castanhos escuros - o meu orgulho, já que minha autoestima é uma merda. Logo ensaboando meu corpo e enxaguando. Nesse ponto já tinham se passado quatro músicas, e foi até que bem rápido. Saio me enrolando na toalha e me seco, logo secando meu cabelo e começando a pentear. Meu gato, Anúbis, sobe na pia e deita, apenas me observando. 

Sigo em direção ao armário, logo pegando minha calça favorita jeans preta com alguns rasgos - Felipe Neto que me julgue -, uma blusa dos Marotos e meu All Star. Me visto e me olho no espelho, aprovando o resultado. Pego minha mochila com estampa militar e coloco meu celular, fone, carregador - caso necessário, nunca se sabe -, carteira, chaves e um livro. Coloco Anúbis em cima da cama e fecho a porta do banheiro, logo saindo do "apartamento" e pedindo um Uber enquanto estou no elevador. Quando saio do prédio, já havia chegado - estou no décimo segundo andar - e entro. O evento é um pouco longe daqui, e logo coloco meus fones e coloco minha playlist novamente. Fazer o que, música é vida.


****


Quando entro no prédio, meu coração estava quase saindo do peito de tanta ansiedade e nervosismo. E se não gostarem de mim?, passava pela minha cabeça que tudo poderia ser apenas mais um desastre. Mas qualquer devaneio meu foi interrompido por uma mão no meu ombro, me fazendo dar um pulinho de susto. Vejo que era Cocielo, e ele começa a rir de mim.

- Filho de uma rapariga - xingo ele, não me contendo e começando a rir também.

- Tu não xinga minha mãe, não!

Rio dele e ele me pega pela mão me levando à uma mesa onde estavam seus amigos, e agora sim eu ia morrer. É claro que ele iria estar aqui, ele também é um youtuber...

Sento na mesa ao lado de Cocielo, completamente desconfortável com olhares sobre mim. Todos foram simpáticos, me cumprimentaram e se apresentaram, apesar de eu já saber o nome deles. Estavam ali, Julio Cocielo, Christian Figueiredo, Lucas Olioti, Mauro Nakada e ele.

Felipe Mendes Castanhari.

Quando toco sua mão para cumprimentá-lo, um arrepio gostoso percorre meu corpo, e meu sorriso saí mais alegre involuntariamente. Parece que ele também se arrepiou, e seu sorriso quase me fez derreter. Depois todos se sentaram e começamos a conversar. Eu acho que bebi muito vinho, pois de vez em quando o pegava olhando de lado para mim, e provavelmente era apenas loucura minha, mas me aquecia o peito. Depois de jantarmos e as apresentações de alguns dos youtubers acontecerem, todos já estavam indo embora, incluindo eu, mas novamente sinto uma mão no meu ombro, e vejo o Castanhari sorrindo para mim. Pensei que estava alucinando, mas quando ele falou meu nome percebi que era real.

- Ei, Luna, não é? Apenas queria saber se você quer carona, pois percebi que você está esperando há uns cinco minutos aí... - ele diz meio envergonhado, e eu apenas assinto e abaixo a cabeça envergonhada. Ele sorri para mim e caminhamos até seu carro e passo as coordenadas para ele. Quando entramos, ele liga o rádio num tom mais baixo, o suficiente para conversarmos - Quantos anos você tem?

- Vinte. E você? 

- Fiz trinta ano passado - ele responde e me olha de canto, com um sorriso de lado. Confesso que isso me fez sentir um calor...

- Você é bonito, deve ser por isso que parece mais jovem - penso em voz alta, e só percebo o que disse quando ele dá uma gargalhada e retribuí o elogio. Fico ainda mais envergonhada e coloco meu cabelo atrás da orelha. Quando chegamos, eu fico triste. Realmente o tempo passa mais rápido quando estamos com quem gostamos.

Saio e ele também. Felipe encosta no carro e coloca as mãos nos bolsos, me olhando. Eu abaixo a cabeça.

- Obrigada - digo num murmuro, apertando a alça da minha mochila. 

- De nada - ele me puxa para um abraço rápido e eu fico surpresa. Me deu um beijo na bochecha e eu não sei se tenho a capacidade de ficar vermelha, mas ele deu uma risadinha de mim. 

- Toma, meu número - me entrega um papelzinho e passa a mão no cabelo. Nos despedimos novamente, e quando chego na porta olho para trás e vejo o moreno me observando enquanto entrava no carro e dava partida.

Subo para o "apartamento" e penso que já passou da hora de comprar uma casa aqui em SP. Deito na cama e fecho os olhos.

Espero que essa noite tenha sido real... 




Notas Finais


Espero que tenham gostado! Irei postar outro ainda hoje. Não prometo capítulos grandes...
Beijos, meus leitores!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...