História O que os olhos não vêem - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Tags Camren
Visualizações 48
Palavras 2.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem!!

Capítulo 32 - Pegando Fogo


Fanfic / Fanfiction O que os olhos não vêem - Capítulo 32 - Pegando Fogo

Já faz uma semana que estamos aqui e os dias estão passando muito rápido.

Consegui visitar todos da minha família que moram em Miami.

Faz dois dias que não vejo a Lauren, ela foi com os pais visitar uns tios que moram numa cidade aqui perto, ela volta hoje e eu não vejo a hora de encontrar com ela, to morrendo de saudade, meus sogros vão ficar até o final de semana.

Amanhã é sábado e combinamos de fazer uma social na casa da Lo, já que os pais dela não estão, agora com todas as amigas dela e as minhas.

 

Estou deitada no meu quarto, subi pra descansar e acabei dormindo, faz uns 5 min. que acordei, estava viajando em meus pensamentos de olhos fechados, com os fones no ouvido, até que me assusto quando sinto alguém se jogando em cima de mim, abro os olhos rápido e então vejo a imensidão verde que tanto amo e senti saudades.

Camila- Amooor, que susto.

Lauren- Só assim né pra ti me notar aqui, bati na porta, chamei e nada.

Camila- Tava com os fones, não ouvi mesmo, mas poderia ter entrado como uma pessoa normal e me chamado calmamente, e não assim, olha só (peguei a mão dela) sente meu coração.

Lauren- Desculpa meu anjo, não quis não te assustar (ela se matava rindo)

Camila- Engraçadinha ela. Mas então, chegou a tempo? Veio direto aqui?

Lauren- Sim, peguei um uber na rodo e vim pra cá, tava morrendo de saudades da minha gatinha.

Ela dava leves beijinhos em todo meu rosto.

Camila- Também tava morrendo de saudades, não sabia que eu era tão dependente de ti assim.

Lauren- Acho que isso é bom né?

Camila- Espero que sim, se não for, to ferrada.

Lauren- Somos duas então meu amor, porque eu também sou muito dependente de ti.

Agora ela selou nossos lábios com mais paixão, nossas línguas na dança perfeita do nosso beijo, sua mão passeando por todas as partes do meu corpo.

Camila- Amor, vamos com calma, meus pais estão lá em baixo, minha irmã pode entrar aqui a qualquer momento, tu sabe como ela é.

Lauren- Fica tranquila meu amor, quando cheguei eles mandaram avisar que iriam ao mercado e ao shopping comprar um presente pra uma colega da Sofi, ou seja, não voltam tão cedo.

Nada mais foi preciso ser dito.

Me virei ficando por cima dela, sentada em sua cintura, tirei o fone que estava no meus pescoço, largando em cima do criado mudo.

Me abaixei um pouco, ficando de quatro em cima dela, minha blusa tinha um decote que nessa posição, dava a ela a visão dos meus seios, que estavam sem sutiã.

Ela levantou as mãos na intensão de tocá-los, mas eu fui mais rápida e impedi seu movimento.

Ele me olhou com uma cara de confusa e com um sorriso lindo.

Camila- Fica quietinha.

Lauren- Aff, não fode Camila, sabe que não consigo.

Camila- Não quer foder? Tá bem então (disse dando a intender que estava saindo do colo dela)

Lauren- Não, não, não.. (disse abraçando minha cintura) não é não fode nesse sentido, tu sabe o que quis dizer.

 Camila- Tu vai ficar quieta, sem se mexer ou não?

Lauren- Amor, tu sabe que eu não consigo (a carinha dela de cão sem dono foi até engraçada).

Camila- Mas eu preciso que tu fique  quietinha, acho que vale o esforço.

Lauren- Amoooor, eu não me responsabilizo, tu é muito gostosa pra ficar só olhando.

Camila- Tive uma ideia, fica aí, já volto.

Lauren- Onde você vai? Camz? Camila?

Sai da cama e não dei ouvidos pra ela, foi até o meu guarda roupa e peguei uma venda para os olhos e um lenço, voltei até a cama.

Camila- Sobe mais na cama amor.

Lauren- O que tu vai aprontar Camila.

Camila- Lauren, só sobe.

Ela me olhou com uma cara que me fez rir.

Subiu conforme pedi.

Camila- Coloca os braços pra trás.

Ela colocou e quando viu o lenço logo arregalou os olhos.

Lauren- Amor, assim é covardia.

Camila- Se não quiser tudo bem, paramos por aqui.

Ela respirou fundo e colocou os braços acima da cabeça.

Camila- Boa menina.

Amarrei os braços dela na cabeceira da cama e coloquei a venda em seus olhos.

Lauren- Puta que pariu Camila.

Sai do quarto rindo, avisando que logo voltava.

Fui até a cozinha e peguei uma garrafa de espumante na adega do meu pai, peguei um copo com gelo e um leite condensado.

Voltei pro quarto e coloquei tudo no criado mudo ao lado da cama.

Subi novamente em cima dela, sentando na sua cintura, me abaixei e beijei seus lábios.

Ela tentava puxar as mãos mas sem sucesso, prendi muito bem os braços dela para ter livre acesso.

Quando o ar nos faltou, dei alguns selinhos e depois beijei todo o seu rosto.

Lauren- Se eu morrer, fique sabendo que a culpa é toda sua.

Camila- Quero te ver morrendo sim, mas de tesão minha gostosa.

Lauren- Porra Camila (ela disse forçando uma perna na outra, o que me fez perceber que ela já deve estar toda molhadinha)

Sem mais delongas, desci um pouco no corpo dela, sentando em suas pernas.

Abri o botão e o zíper da calça dela e coloquei minha mão na sua intimidade, e como suspeitava, ela já estava prontinha pra mim.

Camila- Isso só com palavras meu amor?

Lauren- É só tu tá perto que eu fico assim meu amor.

Sorri ao ouvir isso, e me afastei de suas pernas, para conseguir tirar a calça e calcinha dela.

Voltei a sentar na sua cintura e levantei a blusa dela, deixando na altura do olhos, já que não vou conseguir tirar por ela estar presa.

Camila- Facilitou meu trabalho colocando esse sutiã, boa menina.

O sutiã dela tinha o fecho na frente, o que facilitou pra mim, abri deixando cada parte cair ao lado do corpo.

Estendi meu braço e peguei a garrafa de espumante, abri lá na cozinha, pra ela não ouvir o que era.

Camila- Abre a boca meu amor. (ela ficou sem se mexer, desconfiada) Confia em mim Lo.

Não foi preciso dizer mais nada, aos poucos ela foi abrindo a boca.

Coloquei um pouco da bebida na minha boca e beijei a dela, largando um pouco do liquido pra ela que se assustou no inicio, mas depois bebeu, escorreu um pouco no rosto dela, ao lado da boca, então eu aproveitei e lambi para limpar.

Lauren- Jesus, me de forças.

Camila- Se quiser que eu pare, é só falar.

Lauren- Tudo o que menos quero é que pare.

Coloquei mais um pouco da bebida na minha boca e beijei a dela novamente, só que dessa vez nada escorreu, ela bebeu tudo.

Trocamos alguns beijos e então levantei pegando o leite condensado.

Coloquei um pouco na minha língua e voltei a beija-la, assim que ela sentiu o gosto, gemeu; ela ama leite condensado! Eu não gosto muito, peguei pensando no depois, tenho certeza que vai querer usar em mim.

Lauren- Caralho Camila, se tua intensão era me deixar louca, conseguiu!

Camila- Calminha meu amor, ainda tem mais.

Lauren- MAIS?

Camila- Muito mais.

Ela se ajeitou na cama e colocou a cabeça pra trás, o que me fez aproveitar e pegar o gelo.

Coloquei na minha boca, deixando uma pontinha dele pra fora e encostei no seu pescoço, ela se contorceu e gemeu.

Lauren- Caralho Camila (esse foi um dos tanto palavrões que ela falou).

Fui descendo o gelo pelo pescoço até chegar em seus seios, passei ele pelo vão entre os dois e então subi até um de seus mamilos, coloquei todo o gelo dentro da minha boca e chupei e mordisquei um, depois fiz o mesmo com o outro, ela subia e descia o corpo na cama, estava toda arrepiada e gemendo abafado.

Depois de me deliciar um tempo em seus seios, desci com o gelo até sua barriga, dei beijos com o gelo por toda parte e então fui descendo mais, conforme descia, ela ia se contorcendo e arqueando mais as costas, quando cheguei perto de sua virilha, ela gemou alto.

Lauren- C A R A L H O.

Sem demora, abocanhei o clitóris dela com o gelo dentro da boca.

Passava ele levemente no nervo pulsante dela e ela não conseguia mais ficar parada, tive que usar da minha força pra segurar as pernas dela, fique lambendo o chupando ela até o gelo derreter, ela gemia alto e falava tudo que era palavrão, a Lauren com tesão vira uma boca suja, mas eu amo ouvir isso.

Assim que o gelo derreteu, introduzi minha língua na sua abertura, ela me xingou mais um pouco, pois a minha língua estava gelada, acredito que deve ser uma sensação diferente.

Fiquei enfiando minha língua nela até ela gozar na minha boca.

Sua respiração estava alteradíssima, levante e tirei a venda dos olhos dela, ela ficou um tempo ainda com os olhos fechados, até a respiração normalizar, quando estava mais calma, ela abriu os olhos e me encarou.

Ficamos nos olhando por um tempo, vi que ela estava com o olhar muito intenso, um misto de prazer e paixão.

Sorrimos uma pra outra e então desamarrei os braços dela.

Ela se livrou das peças de roupa que ainda estavam nos braços e sentou na cama, me fazendo sentar no colo dela.

Lauren- É incrível como tu me surpreende a cada dia.

Camila- Gostou?

Lauren- Porra, e como, tu me deixou louca e pegando fogo.

Camila- Que bom, era essa a intensão.

Lauren- Mas não pensa que foi só isso, agora é a minha vez.

Ela me fez girar e deitou por cima de mim, pegou a caixinha de leite condensado e espalhou por todo meu corpo.

Lambeu cada parte, limpando o meu corpo, repetiu, só que dessa vez colocou só no meu seio, primeiro em um, depois no outro.

Ficou um tempo lambendo e chupando os meus mamilos.

Lauren- Ainda mais gostosa, preciso lembrar de comprar um estoque disso (falou levantando a caixinha)

Desceu fazendo com que eu abrisse as pernas e então derramou o doce na minha intimidade.

Lambeu e chupou, repetindo o processo até acabar com o leite condensado.

Eu não aguentava mais e logo gozei.

Lauren- Teu gosto com leite condensado é meu novo sabor preferido.

Ela se encaixou nas minhas pernas, colocando uma por cima da minha barriga e outra ao lado da minha bunda e então nossas intimidades se chocaram.

Rebolávamos uma contra a outra, aumentando o ritmo cada vez mais.

Gozamos juntas novamente.

Ela saiu dessa posição e se deitou por cima de mim.

Lauren- Obrigada.

Camila- Tá me agradecendo porque?

Lauren- Por existir e ter feito eu experimentar o melhor jeito de fazer amor.

Camila- Então eu também preciso te agradecer.

Lauren- Eu te amo tanto, nunca esqueça isso tá?

Camila- Não vou esquecer, também te amo muito.

Trocamos mais alguns beijos e então fomos tomar banho, ainda estávamos meladas, por causa do leite condensado.

Saímos e banho e fomos pra cozinha pegar alguma coisa pra comer, fizemos um sanduíche e um copo de suco cada uma e fomos pra sala olhar TV.

Foi só tempo de sentar e ligar a TV que a porta da frente é aberta e uma Sofia alegre veio correndo se sentar com a gente.

Lauren- Tudo esquematicamente calculado.

Rimos e então a Sofi começou a contar sobre o passeio.

Logo meus pais entraram com um monte de sacolas de comprar e fecharam a porta.

Sinuh- Eu disse que elas eram rápidas. (falou olhando pro meu pai e os dois riam)

Camila- Mãããe.

A Lauren estava mais vermelha que um pimentão.

Alejandro- Fica tranquila norinha, vamos fingir que não sabemos o que estavam fazendo.

Acabamos rindo da situação.

Colocamos num canal de desenho enquanto meus pais aprontavam o jantar.

Jatamos e conversamos muito.

A Lo contou como foi a visita aos tios e disse o que planejou para a social na casa dela amanhã.

Ficamos mais um tempo na sala depois do jantar e então subimos pro meu quarto, e como era de se esperar, a Sofi veio junto, só que dessa vez ela dormiu na ponta e não no meio como das outras vezes, assim posso ficar abraçada com a Lo e a Lo abraçada na Sofi.

 

 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...