História O que os olhos não vêem - Capítulo 48


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Tags Camren
Visualizações 71
Palavras 2.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello babys..
Demorei eu sei, e prometo não prometer não sumir =/
Hahaha

É complicado, quando a gente não tem ideia do que escrever.
Mas enfim.. hoje veio inspiração.
Espero que gostem.

Capítulo 48 - Compaixão


Fanfic / Fanfiction O que os olhos não vêem - Capítulo 48 - Compaixão

Eu ainda não acredito que finalmente vou ter um pouco de sossego. 

Desde que cheguei em casa não parei, entrevistas e mais entrevistas, fotos e mais fotos, mas não estou reclamando, ou estou, mas é que é bom poder fazer nada, meus planos para esses dias de folga aqui com meus pais é dormir, sim, não perdi esse meu costume, amo dormir, sempre que posso, o que não está acontecendo a um bom tempo, durmo até não aguentar mais ficar na cama.

Agora por exemplo, acordei pela manhã, tomei café com meus pais e minha irmã e voltei pra cama, dormi novamente, acordei com minha mãe na porta, dizendo que o almoço já estava pronto, to vendo que além de recuperar o sono, vou voltar pra L.A. com uns kg a mais, pois a partir de hoje decidi que só vou levantar da cama pra comer. Ok, estou exagerando, mas que meu sono vai ficar em dia, ele vai.

Sinuh- Acorda meu amor, almoço ta na mesa.

Camila- To descendo mama.

Levantei, fui ao meu banheiro passar uma água na cara e fui de encontro a minha família.

Camila- Cadê a Sofi? (pedi procurando por minha irmã)

Alejandro- Foi na casa de uma colega passar o dia com ela.

Camila- Traíra, foi e me deixou aqui, bom saber que não tenho importância na vida da minha irmã.

Sinuh- Deixa de drama menina, tu passa o dia dormindo, acha mesmo que a Sofi tem paciência pra ficar em casa te vendo dormir?

Camila- Mas ela tinha que ficar em casa comigo (fiz cara de drama) ela não me ama mais.

Alejandro- Deve ser isso mesmo.

Meus pais se rasgaram rindo, tentei ficar séria, o que foi em vão.

Sinuh- Filha, hoje a tarde vamos receber visita, uma antiga amiga minha, ela quer te ver, vai estar em casa?

Camila- Eu conheço ela?

Sinuh- Acho que viu ela mas faz muito tempo, não sei se deve lembrar.

Camila- Então porque eu tenho que ficar? Vou ficar no meu quarto, quietinha, colocando meu sono em dia.

Alejandro- Ainda não tá em dia? Caramba, tu não paga imposto pra dormir né?

Camila- Não papa, não pago e dormir é vida.

Alejandro- Dormir é perda de vida, isso sim.

Mostrei a língua pro meu pai.

Camila- Preciso mesmo ficar mãe?

Sinuh- Acho que ela pediu pra ti ficar pois a filha dela gosta muito de ti, mas se não quiser, não posso te forçar.

Minha mãe falou isso muito séria, algo de estranho está acontecendo, mas resolvi participar dessa tarde delas.

Camila- Tá bem, tá bem, eu participo.

 

Estava a algum tempo no meu quarto, conversando com alguns amigos daqui de Miami, combinando nossos encontros, aproveitei e conversei com meu produtor, combinamos o dia certo da minha volta pra L.A., por algum milagre, ele me deixou ficar mais 5 dias aqui, eram pra ser 10 no total, esses 5 a mais vão me fazer bem.

Estava quase pegando no sono quando minha mãe bateu na porta.

Sinuh- Filha, a visita chegou.

Camila- Logo vou lá mãe, vou me trocar.

Sinuh- Tá bem.

 

Fiquei ainda uns 10 min. deitada na cama, e então levantei e me troquei.

Espero não ficar muito tempo lá com elas, vou lá, falo com a mulher, se quiser até tiro foto e dou um autografo pra filha, isso se a menina não veio junto, não que eu não goste dos meus fãs e do carinho deles, mas em casa eu só queria ser a Camila filha e irmã, não a Camila cantora, mas enfim, vou parar de enrolar e vou descer.

Estava me aproximando das escadas quando escutei uma voz conhecida, porem não quis acreditar que era aquela voz.

Em passos lentos fui descendo as escadas e quando cheguei no andar de baixo tudo parou.

Eu não podia estar vendo direito, só posso estar delirando.

Elas pararam de conversar e ficaram me olhando.

Perdi a noção do tempo, fiquei ali parada sem reação nenhuma, até que volto a realidade.

Camila- O que ela tá fazendo aqui?

Sinuh- Filha, ela precisa conversar contigo.

Camila- Eu não tenho nada pra conversar (olhei pra Clara com um misto de sentimento, posso estar descontando minha raiva na pessoa errada, mas eu não quero mais nenhum contato com ninguém daquela família, ela baixou a cabeça, vi que estava com um ar de tristeza, olhos fundos, ela não estava bem).

Sinuh- Escuta o que ela tem pra falar Kaki, depois tu toma a decisão que quiser.

Clara- Por favor Camila, eu sei que não tenho direito de te pedir nada, eu só preciso que tu me escute.

Camila- É sobre ela que tu veio falar?

Ela só concordou com a cabeça.

Camila- Não tenho nada pra ouvir então, com licença.

Virei minhas costas e voltei pra escada, quando ouço o meu pai.

Alejandro- Não foi assim que te educamos Camila, e sei que tu mesma não é assim. Sabemos o quanto sofreu e está sofrendo, mas tenho certeza que a Clara está sofrendo muito mais que tu. Escuta o que ela tem pra falar, depois tu sobe ou faz o que quiser.

Até então só estava pesando em mim, mas isso que meu pai falou é verdade, a mãe da Lauren nunca aprovou as atitudes da filha, ninguém da família aprovava, porem ela é mãe, não entendia isso até ouvir meu pai falar.

Lentamente me virei, olhei pra ela que tinha lágrimas nos olhos e fui em direção ao sofá, me sentando e colocando a cabeça apoiada nas mãos. Não olhei pra eles e não falei mais nada.

Sinuh- Pode falar Clara.

Silêncio, ninguém pronunciou nenhuma palavra por um bom tempo.

Um misto de sentimentos estava rodando dentro de mim, a última pessoa que eu esperava ver aqui era a Clara.

Clara- Camila, eu peço desculpas por vir assim, sem você aprovar, mas eu precisava falar contigo e essa foi a forma que sua mãe achou disso acontecer. (levantei a cabeça e olhei pra minha mãe, eu agora também estava com lágrimas nos olhos, ela sussurrou: escuta o que ela tem pra falar) Sei o quanto está machucada, pode acreditar que todos nós estamos. Não é nada fácil ver a que ponto a minha filha chegou, já me culpei por tudo isso, me pergunto onde errei como mãe o tempo todo, mas eu preciso que tu me entenda, que como mãe, eu ainda preciso fazer alguma coisa pra tentar ajudar a minha filha.

Não falei nada, só escutava o que ela dizia.

Clara- Não sei se soube, a Lauren está internada numa SPA a alguns dias, lá tem uma clinica de recuperação, ela está se tratando contra o vício das drogas e bebida, é muito difícil pra mim ver minha filha lá, saber que ela chegou a esse ponto, graças a Deus ela foi por vontade própria, mas ela passou por alguns dias muito complicados, teve crises muito forte, isso me machuca de mais, minha vontade era de ir lá correndo e tirar ela de lá, mas eu não posso, eu preciso deixar ela passar por isso.

Eu não sabia que ela estava internada, tá certo que a tempo que não quero mais saber de nada sobre ela, mas fiquei surpresa e chateada, chateada sim, eu posso estar morrendo de raiva dela, mas nunca desejei que ela chegasse a esse ponto.

Clara- Semana passada a gente pode ir pela primeira vez visitar ela, e eu vi que ela está melhor, isso aliviou muito meu coração, mas a parte mais difícil pra ela está sendo lidar com o coração, ela te ama muito Camila (não pude controlar a minha risada irônica) eu sei que é difícil de acreditar, eu mesma não acreditava que ela te amava de verdade até chegar lá. Ela te ama é isso é fato, ela me disse que foi obrigada a fazer o que fez, pois não conseguiria ficar tranquila sabendo que arruinou sua vida.

Camila- Ela só não se deu conta que fazer o que ela fez, arruinou ainda mais do que se tivesse ficado do meu lado.

Clara- Eu sei disso, mas sei também que infelizmente minha filha não tem a maturidade que tu tem, ou ao menos não tinha, ela não soube ver os dois lados da situação, ela ouviu que tu perderia tudo e foi só nisso que ela pensou, ela não foi capaz de pensar que estando ao teu lado, ela poderia de alguma forma tentar te ajudar, Camila a Lauren tem depressão e a gente só descobriu isso agora enquanto ela está na clinica, conversei com o médico dela, ele me disse que o que a Lauren fez foi o que chamam de culpa, ela se culpou por tudo, numa sessão de terapia ela até disse que nunca iria se perdoar por tudo, ela falou que se não tivesse nascido nada disso teria acontecido, ela falou em se matar Camila, tu tem noção de como isso é difícil pra mim? Minha filha, com tantos problemas e a gente achando que era só marra, e não, era a forma dela tentar pedir ajuda e a gente nunca reparou.

Ouvir isso agora me abalou muito, eu mesma sofri com um pouco de depressão depois do que tudo aconteceu e foi horrível, saber que a Lauren sofre com isso a vida toda e não sabia, me fez ver que sim, talvez tudo o que tenha feito tenha sido motivado pela doença.

Camila- Como ela tá? (eu já não segura mais minhas lágrimas, minha mãe chorava, meu pai chorava, a Clara chorava).

Clara- Agora graças a Deus ela aceitou a doença, antes dizia que não era depressão e sim ela, ela está se recuperando, aos poucos, ela ainda tem algumas crises de abstinência, mas está seguindo o tratamento certinho, agora eu consigo ver que ela pode sim sair dessa, mas falta alguma coisa, e essa coisa é você, por isso que vim aqui Camila, eu não vim te pedir pra voltar com ela, eu só vim te pedir pra tentar entender, sei que vou te pedir demais, mas eu vim te pedir para que vá lá na clinica, eu vou junto, se tu não quiser falar com ela tudo bem, eu só preciso que ela veja que tu ao menos entende o que ela está passando, não quero que tu perdoe ela, pois ela fez o que fez e tem que arcar com as consequências, eu sei que ela não te merece (mais um choque ao ouvir isso, como assim não me merece?) mas eu preciso mostrar pra ela que nós sabemos que parte do que ela fez, foi motivado pela depressão, eu preciso que ela veja isso pra seguir firme no tratamento, isso não tem cura, mas tem acompanhamento e é isso que eu preciso que ela faça.

 

Se alguém tivesse me dito que um dia eu iria ver tudo o que aconteceu com outros olhos, eu diria que essa pessoa estava louca. Agora, depois de ouvir tudo o que a Clara falou, eu consigo ver que tem um outro lado nessa história toda.

Eu estou sim muito machucada, viver o que vivi, sofrer o que sofri não foi nada fácil, mas eu não posso ser hipócrita ao ponto de colocar a culpa só nela, eu acredito muito que tudo na vida tem um porque, se nada disso tivesse acontecido, eu estaria fazendo o que faço hoje? Eu estaria vivendo tudo de bom que estou vivendo? Acredito que não.

Eu amo a Lauren, tentei negar isso pra mim mesma até agora, mas ouvir tudo o que ela está passando me doeu o coração e isso me fez ver que o amor, ele é mais forte que toda dor, todo rancor, todo sentimento ruim que sinto sobre tudo isso.

Camila- Quando eu posso ir na clinica?

Vi a Clara levantar a cabeça lentamente e mais lágrimas escorrerem por seu rosto, pude ver que era um choro de gratidão, poxa que mãe que não ficaria bem ao ouvir isso.

Clara- Daqui dois dias ela pode receber visita novamente.

Camila- Me passa o endereço, vou até lá, eu só não posso te prometer nada Clara. Não sei se minha presença lá vai fazer alguma diferença, mas eu vou.

Clara- Pode ter certeza que vai fazer toda a diferença Camila. Vou deixar aqui o endereço, se quiser que eu vá junto, sua mãe tem meu telefone, me avisa.

Camila- Ok. Com licença, vou subir.

Estava subindo as escadas quanto escuto a Clara me chamar.

Clara- Camila (parei e virei) Obrigada, eu realmente precisei fazer isso pela minha filha, sei que a única pessoa que vai fazer com que ela entenda que não teve toda culpa, é você.

Não respondi nada, virei novamente  e voltei pro meu quarto.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro.
Beijos no coração de vocês.

Comentem o que estão achando.
Se quiserem me mandar a merda, fiquem a vontade *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...