História O que se podia fazer de errado quando ela era ele? - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Personagens Originais, Sehun, Taeyeon, Xiumin
Tags Baeksoo, Chanmin, Chansoo, Exo, Xiuhun
Visualizações 109
Palavras 554
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 46 - Anunciado


Fanfic / Fanfiction O que se podia fazer de errado quando ela era ele? - Capítulo 46 - Anunciado

O campo de futebol era enorme, amortecido por uma camada de grama verde e úmida, as traves ficavam bem distantes a olhares distraídos e parecia que a chuva mudara sua direção para o frio intenso. Os times eram selecionados pelos treinadores e pelos professores de educação física, haviam três subgrupos para os exercícios daquela tarde, baseados em turmas do ensino médio pelas suas notas e pelo seu destaque em competições. Chanyeol foi escalado para um subgrupo diferente de seu comum, com mais veteranos do que calouros e com mais rigidez do que paradas para descansar, por causa das faltas frequentes.

Ele sorria mais e corria disposto, parecia que a alegria estava enraizada em cada parte do corpo. Jongdae era o capitão daquele subgrupo, em especial, o preferido dos técnicos e dos professores. Então, ambos faziam aquilo que todos esperavam que fizessem, estardalhaços, risadas e brincadeiras abobalhadas que enchiam os ares de divertimento para disfarçar a seriedade dos compromissos e missões tão ríspidas.

Jongdae e Chanyeol não eram, exatamente, amigos. Mas, dividiam do envolvimento engraçado e juvenil que os garotos como eles apresentavam para qualquer pessoa que demonstrasse interesse. Rolavam pela grama, imitavam os superiores e faziam piadas sem sentido. A tardinha veio tranquila com mais e mais rajadas de ventos frios e com mais e mais puxadas de treino. Eles foram enxotados do campo e enfiados no vestiário para tomarem banho e serem dispensados para casa.

Jongdae era o “outro gay” da escola que todo mundo conhecia, mas ninguém falava no assunto de maneira pejorativa, porque ele era o exemplo perfeito de ser humano para ser seguido ou para ser copiado. Uma criança feita para vencer na vida. E se vencer significava ignorar o fato de que ele era gay, e de que tinha uma queda irritante por Minseok, os professores aceitavam o papel no teatro de faz-de-conta e o incentivavam com políticas atléticas para a faculdade em menos de um ano.

Chanyeol estava com uma toalha nos ombros, sem camisa e com os cabelos molhados. Jongdae passava colônia pelo pescoço, sendo cheirado por um colega de classe, dando socos de mentirinha em seu abdômen e correndo entre os armários. “Nossa, alguém vai ter um encontro com o crush hoje”, “Que inveja você tem dessa minha vida maravilhosa”, Jongdae respondeu e o time riu em conjunto. Não era esquisito os jogadores comentarem sobre suas namoradas, como não era anormal Jongdae também se vangloriar quanto tinha um encontro com um garoto.

“Quem é o sortudo da vez?”, um dos veteranos perguntou ao terminar de se vestir, Jongdae afirmou que sim ainda sorrindo, “O cara mais bonito da escola vai ao cinema comigo”. Eles uivaram, riram e até mesmo Chanyeol que evitava o assunto ou costumava sair do vestiário quando começavam a falar sobre os romances homossexuais do capitão, estava lá prestando atenção de camarote ao vestir a camiseta, pôr o seu casaco e retrucar, “Duvido que seja o cara mais bonito, porque eu não disse que ia ao cinema com você, hyung”. Jongdae virou-se para Chanyeol, subiu no banco do vestiário e ficara ainda mais alto do que ele. O silêncio cresceu, eles se encaravam demoradamente de forma hostil, logo que Jongdae pulara sobre Chanyeol, gargalhando e fazendo luta-livre. “Repete isso, seu orelhudo dos infernos”, “Ahhh... hyung... você vai bagunçar meu cabelo assim, sai daqui!”.


Notas Finais


Notas Finais:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...