História O que você quiser... - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Nalu
Visualizações 497
Palavras 1.542
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 36 - O medo em seus olhos...


Se algum dia você precisar acordar a maior entidade divina para salvar tudo o que existe da destruição, saiba que o universo inteiro vai conspirar pra te matar. Sério, eu estou começando a achar isso.

Juvia começou a sacudir Levy, enquanto aquelas manchas estranhas subiam por meu corpo.

"Pequena Lucy..." -Ouvi uma voz, mas, aparentemente Juvia não. Tenho certeza que não é Alexandre- "Você está fazendo algo perigoso, sabia?"

-Quem é você...? -Sussurrei, para que Juvia não ouvisse. Não queria que achasse que sou louca. 

"Sou o Lorde das Trevas, o Senhor da morte"-Sua voz era grave, mas, não parecia raivosa.

-Você... por acaso me odeia ou algo assim?

Ouvi uma risada. É estranho ouvir alguém rir quando você está sentindo dor e as únicas pessoas perto de você estão em desespero.

"Não pirralha. Graças a você eu ainda existo. É como se fosse um vaso que protege um pouco de água das terras sedentas de um deserto. Um receptáculo." -Falava calmamente, como se estivesse acostumado a invadir a mente das pessoas que não podem falar no momento! Boa noite, eu estou morrendo aqui, tudo bom? Vai me oferecer a Hinode ou eu já posso procurar ajuda?

-Você está causando isso no meu braço?

"Sim... e Não. Infelizmente para mim, você também tem o sangue daquele Arcanjo. Nossos poderes são como água e óleo. É um milagre você ainda estar viva com uma combinação tão perigosa."-Já me falaram isso-"Como você ativou os poderes do Arcanjo, os meus estão se rebelando".

-Como eu faço isso parar? -Já estava agoniada.

"Controle-se. Nem eu, nem o Arcanjo que tenho certeza que vive em você agora, temos mais controle dos poderes que um dia foi nosso. Está em suas mãos. Não posso mais falar agora... Cuidado pirralha. Não quero perder um receptáculo tão bom"

Não sei se receber um elogio de um demônio é coisa boa ou não, mas, vou deixar pra me preocupar depois.

-Espere... Como eu controlo algo das Trevas? Ei!

-Bolinhos!!-Gritou Levy.

-Não! Acorde! -Juvia chacoalhou a irmã e desferiu um tapa violento em seu rosto.

-Aí!!

-Finalmente! Rápido! Ajude a Lucy! 

-O que está acontecendo? -Levy olhou para mim e achou a resposta para sua pergunta- Puta que pariu! 

Levantou deixando cair o lençol que cobria seu corpo. Pude ouvir algumas explosões lá fora. Levy se aproximou, tocou minha mão, mas, urrou de dor, como se tivesse se queimado. Começou a falar em uma língua estranha e um pequeno círculo de símbolos envolveu meu braço. A dor parou.

- Caramba... Selo de nove pontas... O que está acontecendo com você? -Me olhou preocupada -Não sabia que os procedimentos teriam consequências tão graves.

-Ninguém sabia, Levy. -Confortei ela.

-O que está acontecendo lá fora? -Parecia confusa.

-Algo com a Lucy atraiu a atenção de todos aqueles demônios. Todos de classe inferior, mas, muitos. Estão lutando lá fora.

Vesti uma roupa e desci com as meninas até o jardim da mansão. A luta havia acabado, mas, ainda tinha uma pequena confusão.

-Está dizendo que matou mais que eu, cabeça de ameba?-Gray falou exaltado.

-Claro que estou! Você ficou moscando durante a luta!-Natsu parecia indignado.

Por algum motivo, Gray estava apenas de cueca. Juvia corou forte, mas, tentou disfarçar... hmmm, Lucy aprova! Nos aproximamos e Erza riu.

-Acabou o show de gemidos lá em cima? -piscou pra mim, que tive vontade de puxar aqueles cabelos ruivos.

O campo estava explodido, congelado, pegando fogo... O que são essas pessoas? Ah, é! Demônios. Gostaria de ter visto como fizeram isso. 

-Gray! Vai vestir uma roupa! Minha mulher está aqui! -Natsu deu um tapa em seu ombro.

-Com medo que eu te passe a perna, amigo? -Ele piscou pra mim e Natsu riu.

-Como se ela fosse trocar o Brutos por essa coisinha mole e fria que você tem ai!

Natsu estava sujo de foligem e suas roupas estavas chamuscadas, mas, seu sorriso era o mesmo. Estranho ele não ter socado o Gray por ter tentado provocar ciúmes. Erza tinha um olhar demoníaco-literalmente- no rosto... Isso vai dar merda...

-Ah! -Disse ela inocente- Isso me lembra que o Gajeel deve desculpas a Lucy!- Imediatamente, o brutamontes foi de moreno à pálido- Sabe? Por ter visto a Lucy sem roupa.

Houve um silêncio tenso por uns dez segundos, enquanto o sorriso de "quero ver é sangue" de Erza crescia. Dois pares de olhos, masculino e feminino, encararam Gajeel com uma áurea tão assassina que até mesmo eu tive medo. Levy cruzou os braços furiosa e Natsu começou a se aproximar dele lentamente, enquanto o mesmo dava passos para trás.

-Olha... Foi acidental! Eu ia chamar a Erza pra ajudar... tinha esquecido daquele detalhe e abri sem bater! -Ele falou rápido.

-"Detalhe"?- A voz de Natsu saiu lenta, grave, baixa, como se estivesse prestes a cometer um homicídio.

Voz essa que me lembrou o ocorrido no banheiro, quando ele gritou comigo. Minhas pernas começaram a tremer e minha respiração ficou ofegante. Eu estava... com medo. Mesmo que Natsu estivesse furioso com Gajeel e não comigo, seus olhos me paralisaram. 

-Lucy, está tudo bem? -Juvia falou baixinho.

Natsu tinha os cabelos mais espetados que o de costume, posso estar delirando, mas, parecia ter chifres e suas unhas lembravam garras escamosas. Ele fechou seu punho, que ardeu em chamas. Até mesmo Gray e Erza se afastaram.

-Você vai desejar não ser imortal...-Natsu continuou com aquela voz, que me fez tremer e começar a lacrimejar -Pois vai ansiar por algo confortável e doce como a morte.

Meu esposo preparou um soco, até mesmo a terra tremeu, meu peito foi sufocado e gritei antes que atingisse o brutamontes.

-NATSU! -Sua não parou a centímetros do nariz de Gajeel, mas, uma descarga quente de energia foi lançada em forma de uma explosão de chamas.-Para com isso...

 Ele ficou parado, seus cabelos voltando ao normal e se virou pra mim, vendo minhas lágrimas. Instantaneamente seu rosto foi de furioso para preocupado. Quando se aproximou, foi... como um reflexo do dia no banheiro... eu dei alguns passos para trás e acabei tropessando, caindo no chão. Ele parou por alguns segundos, percebendo meu medo e voltou a andar. Se aproximou de mim e tocou a mão em minha bochecha.

-Está tudo bem, loira... Sou eu.-Sua voz era calma, não me assustava mais, porém meu coração ainda estava acelerado, como se corresse aos tropeços.

Ele me deu um abraço e me encolhi. Era como se meu corpo temesse que ele me machucasse, mesmo eu tendo total certeza que nunca faria isso.

-Você assustou ela, idiota. -Gray resmugou.

-Quente pra caralho...-Ouvi a voz de Gajeel, meio trêmula, pois, mesmo Natsu tendo desistido de fazê-lo sofrer, ainda havia uma baixinha azulada furiosa, que provavelmente gostaria de ter visto ele levar uma surra.

Natsu me pegou no colo, pois eu não tinha mais forças para me levantar. Ele não falou nada, mas, eu senti que estava com algo pesado na consciência.

~*~

O pessoal decidiu dormir aqui, pois não sabíamos se mais demônios apareceriam, e Natsu provavelmente não lutaria mais. Vi isso em seu olhar. Quando nós dois nos deitamos, ele me abraçou com cuidado, como se eu fosse uma taça de cristal prestes a quebrar  e fez carinho até dormir, mas, agora são três e meia da manhã e não vejo ele ao meu lado. Eu estava sozinha na cama.

Decidi que procuraria por ele. Saí do quarto e ao chegar nas escadas ouvi sua voz. Controle minha presença, pois por ser meio Arcanjo me notaria facilmente. Queria ouvir.

Natsu: Você viu como ela me olhou... Tem medo de mim...

Gray: Da forma como você estava, até eu teria medo, amigo. Dê esse desconto a você mesmo.

Gray tentava consola-lo.

Erza: Tenho que pedir desculpas... Eu "causei" isso.

Natsu: Eu descobriria de qualquer jeito, ficaria puto de qualquer jeito... se fosse mais tarde, poderia ser pior.

Ouve um tempo de silêncio.

Natsu: as vezes que esqueço que Lucy não é somente "A minha mulher"... Sou tão possessivo que... esqueço que ela é a pessoa mais importante do mundo... não somente pra mim.

A voz dele era triste.

Natsu: As vezes... Eu queria mandar todo mundo se foder e colocar ela em meus braços, protegê-la de tudo... Mas... Eu não posso defender nem eu mesmo se o mundo se destruir...

A voz dele era tão... "depressiva" que fez meu peito doer.

Gray: Todo homem tem esse sentimento protetor com quem ama, Natsu.

Natsu: Mas, viu como ela se assustou comigo?... Eu que a fiz mau... Como defendo a mulher que amo de mim mesmo?... Se aquele medo fizesse algo com meu filho... Eu não me perdoaria.

Erza: Não fique se culpando por algo que não aconteceu!

Não quis mais ouvir. Partia o coração.

Natsu: Desde que a vi pela primeira vez... estabanada no chão do meu escritório... Deus! Como ela abalou minhas estruturas... É não falo somente da Tentação de Arcanjo. Eu sequer consegui me conter na entrevista de emprego... 

...Agora me interessa... saber como ele pensa...

Erza: hm... Tentação de Arcanjo... Ela está acordando.

Gray: Vá lá. Ela não vai gostar de acordar sozinha na cama.

Foi aí que saí e voltei as pressas para o quarto. Deitei na cama e fingi estar dormindo. Ouvi a porta se abrir e ele se deitar ao meu lado. 

-Natsu... -Sussurrei sonolenta, como se acabasse de acordar ali. Ele me deu um sorriso e abracei seu corpo, deitando em seu peito. É muito bom... Ele beijou o topo da minha cabeça e peguei no sono de novo.

Natsu deve ter achado que eu estava dormindo, ouvi ele sussurrar:

-...Não quero ter que ver aquele medo em seu rosto... nunca mais.


Notas Finais


OIEEEE
Eu morrendo de cólica e ainda escrevo pra vcs... me amem.

Comentem o que acharam, deu medinho do Natsu? Coitado do Gajeel...

Esse lado sentimental do Natsu pegou vocês de surpresa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...