1. Spirit Fanfics >
  2. O ramalhete carmesim >
  3. Capítulo 3

História O ramalhete carmesim - Capítulo 3


Escrita por: _dory

Capítulo 3 - Capítulo 3


LEO ON
Termino meu banho e visto uma roupa simples já que não pretendia sair mais hoje, saio do meu quarto em direção a sala, talvez arrependimento não mate, mas nesse momento é a única coisa que sinto e uma enorme amargura.

Ver rosa causa daquele jeito no chão da sala me deixou completamente estático, tanto sangue e tantos hematomas que me pergunto como não escutei nada durante meu banho, após alguns segundos sem reação vejo um bilhete ai lado de rosa e leio seu conteúdo, "você tirou meu brilho e agora tirarei sua paz", não tive outra reação a não ser pegar Rosa e colocar no banco de trás do meu carro e dirigir até o hospital, no caminho me deparo tentando descobrir de quem seria aquele bilhete, não tenho muitos inimigos e poucos amigos sabem sobre meu trabalho, além de não ter amizade com artistas por garantia para que não descubram de mais.

Em quando me deparo perdido em pensamentos avisto o hospital e resolvo tirar isso de minha cabeça por agora, estaciono o carro, pego rosa em meus braços e entro no hospital me dirigindo a recepcionista.

Recepcionista -informe sua emergência e preencha esses papéis que a colocaremos em uma maca-sem muita reação apenas inclino minha cabeça em sinal de afirmação quando a vejo pegar um telefone  solicitar uma maca que logo em seguida vejo chegar e levar rosa para dentro, quando enfim com as mãos vazias a recepcionista me entregar uma prancheta com alguns documentos e uma caneta.

Apos preencher os documentos me levanto para entregar os documentos a recepcionista e a vejo abrir um sorriso que aparentava dizer "tudo ficará bem", claramente por pena mas acabo retribuindo por educação e agradecendo.

Longas 2 horas depois vejo um médico vir em minha direção e começar a falar algo

Médico - a paciente está bem, algumas fraturas nas costelas em um de seus braços e um corte considerável em seu abdômen, por sorte nada grave e está dopada então não acordará hoje, como o senhor não deu informações sobre os familiares da garota ter a que ficar responsável por ela até que ela acorde mas por hora pode ir esperar em seu quarto-escuto tudo atentamente enquanto comemoro mentalmente por não ser nada grave.

Leo -qual quarto dela?

Médico -quarto 305.

Apenas o agradeço e vou em direção ao elevador colocando o terceiro andar, vejo em meu relógio e marcam 23:57, é, um dia bem longo, finalmente o elevador para revelando o terceiro andar, me dirigo ao quarto 305 e a vejo apagada, em outra ocasião essa seria uma vista maravilhosa, mas em tais circunstâncias não me vejo tão feliz por a ver dormir pouco depois pegando no sono.

ROSA ON

Acordo completamente dolorida e tento me acostumar com a luz, quando finalmente consigo me adaptar ao ambiente vejo um local completamente desconhecido começo a olhar todo o ambiente até que vejo Leo e começo a deduzir que estou em um hospital tendo flash de alguém entrar na casa de Leo e me bater até que ficasse inconsciente, vejo Leo abaixar uma prancheta e um lápis e me olhar sorridente.

Leo -bom dia Rosa.

Rosa -bom dia-respondo meio aérea- por que estou em um hospital?

Leo -o vejo bufar- alguém entrou em minha casa e acabou desacordado você, segundo ao médico você tem algumas fraturas nas costelas em um de seus braços e um corte em seu abdômen, você deverá ficar em observação por cerca de 3 horas e será liberada.

Se passam alguns minutos com um silêncio constrangedor e resolvo puxar um papo descontraído.

Rosa -estava desenhando?

Leo -sim.

Rosa -posso ver?-o vejo entregar a mim a prancheta e me deparo com um desenho meu dormindo, a diferença é que no lugar de uma maca de hospital eu pareço estar em algo que simula uma rede em uma lugar com algumas árvores e pétalas espalhadas pela suposta rede, o desenho e ridiculamente incrível e me vejo corada por ele ter feito esse desenho meu enquanto dormia-é lindo e se pudesse adivinhar diria que você trabalha desenhando.

Leo -o vejo ficar desconfortável e bufar logo após começar a me responder-quase isso faço desenhos para artistas falsos e acho que por isso você acabou sendo ferida, desculpa.

Novamente fica um silêncio desconfortável e o vejo sair falando que iria buscar comida pra gente, fico perdida em pensamentos e comemos em silêncio até que finalmente eu fui liberada depois de assinar alguns papéis e resolvi novamente quebro o silêncio na estrada.

Rosa -tenho que falar com minha irmã e deve ter ficado em seu apartamento é-o vejo me interromper.

Leo -não sei quem nem por qual motivo tentou invadir meu apartamento e feriu você tenho medo que você nao possa ir pra casa comprarei um celular descartável para que ligue para sua irmão avisando é ficaremos escondidos em uma casa no interior de minha família chegando lá acionarei a polícia sobre o caso.

Rosa -vos cabisbaixa concordando com o que ele falou e mexo minha cabeça em sinal de afirmação, será um longo dia.


Notas Finais


Bem, eu tô em surto de criatividade então estou postando rápido mas não garanto que será constante assim, desculpem qualquer erro de digitação bj na bunda de vcs😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...