1. Spirit Fanfics >
  2. O ramalhete carmesim >
  3. Capítulo 5

História O ramalhete carmesim - Capítulo 5


Escrita por: _dory

Notas do Autor


Alerta de conteúdo sexual.

Capítulo 5 - Capítulo 5


ROSA ON

Me acordo aos prantos e não tenho outra reação a não ser correr até o quarto de Leo quando chego em frente ao quarto dou uma breve pausa pra respirar e me preparar para o que posso me deparar, segundos depois abro a porta ainda chorando e vejo Leo sair de seu banheiro surpreso com uma toalha na cintura e um barbeador na mão, pouco me importava que ele estava pelado só precisava abraça-lo, de início ele estranha minha ação mas logo retribui fazendo cafuné em minhas costas em quanto minhas lágrima molham seu peitoral despido e soluço brevemente.

LEO ON

Tem alguns minutos que rosa chegou a meu quarto e reparo que ela está brevemente mais calma então resolvi perguntar o que ouve.

Leo -o que ouve rosa?-a vejo levantar brevemente o rosto que estava colado em meu peitoral em sinal que começaria a falar algo.

Rosa -sonhei que vinham atrás da gente e você era morto-começava a soluçar novamente enquanto eu acaricia suas costas.

Leo -foi só um sonho, eu estou bem e continuarei assim do mesmo jeito que você-é continuamos alguns segundos assim até que vejo que ela se acalma o suficiente para que desfaça o abraço conversamos um pouco até que ela desceu para preparar um café para a gente É eu volto ao banheiro para terminar de me barbear.

Após terminar de me barbear chego a conclusão que era melhor ter um policial com a gente para manter a Rosa mais calma e também para prevenir qualquer mal que venha a ocorrer, sem muita demora faço uma ligação é recebo a notícia que chegará amanhã o policial encarregado de nós proteger, o bom dessa casa e que ela é enorme, normalmente era usada nas férias por minha família por isso É grande o suficiente para comportar nos 3 sem ficar desconfortável, quando termino minhas ligações desço para ajudar Rosa com o café, posso não saber fazer um café mas pelo menos sei fazer um ovo frito, desço as escadas e a escuto cantarolar algo que parecia ser uma música antiga é fique parado admirando a cena.

Rosa -Pra você guardei o amor que nunca soube dar o amor que tive e vi sem me deixar sentir sem conseguir provar sem entregar e repartir-a vejo cantarolar feliz-pra você guardei o amor que sempre quis mostrar o amor que vive em mim vem visitar sorrir, vem colorir solar vem esquentar e permitir quem acolher o que ele têm e traz quem entender o que ele diz no giz do gesto-a atrapalho com um tosse falsa para que ela perceba minha presença, assim que ela me percebe ela cora brevemente e gesticula como se fosse falar algo.

Rosa -bom dia-dizia ela enquanto fazia um café.

Leo -bom dia, olha eu n posso fazer um café mas posso fritar um ovo-a vejo sorrir novamente, estou certo que esse sorriso e contagiante pois retribuo feliz.

Rosa -ta então vou te deixar com o ovo e vou fazer umas torradas já que estou quase terminando o café-começamos assim um silêncio confortável até que me vem à mente o beijo que a dei ontem, não foi muito significativo na hora, mas agora tenho uma imensa vontade de repetir é assim faço é logo a vejo retribuir na mesma intensidade que eu com um beijo calmo aproveito a oportunidade para a colocar em cima da bancada, damos um fim ao ato é ficamos apenas nos observando é acabo percebendo mais ainda como ela é bela com seus cabelos cor de carmesim da qual poderia me inspirar para pintar inúmeros quadro só para ver novamente seus olhos brilhando por ver um desenho seu.

permanecemos trocando carícias o resto do dia e lembro-me de algo que não havia a dito.

Leo -teremos um policial com a gente a partir de amanhã para nós proteger e espero eu que ajudar com seus pesadelos.

Rosa -sério? Que ótimo, me sinto mais segura com um policial mas tinha algo que queria fazer também para me sentir segura-vejo inflar suas bochechas coradas.

Leo -diga.

Rosa -queria dormir no teu quarto-a vejo corar mais que antes.

Leo -ok pegarei um colcha pra colocar pra mim mais tar-Rosa corta o que eu iria falar.

Rosa -não precisa eu poderia dormir no colchão no chão ou com você, não vejo problema.

Leo -ta né, você que sabe-por motivo nenhum beijo novamente aquela boca tão viciante e continuamos assim até algo ficar complicado pro meu lado, não demora muito até que Rosa perceba, mas diferente do que achei que ela faria ela susura em meu ouvido a palavra "quarto" nesse exato momento ela tirou qualquer grão de racionalidade que eu tinha é me faz a pegar no colo e levar ao meu quarto a colocando delicadamente em minha cama, encerro o beijo é a vejo bem corada, boa até minha gaveta e pego um pacote de camisinha, por qual motivo? Eu não sei, até virgem eu sou, insegurança nesse momento está a mil mas coloco o pacote de camisinha na cama ao nosso lado, agora nem ligo mais já tô na metade do caminho desistir seria tão ruim quanto manda mal, a começo a beijar novamente e noto que ela também está insegura, então tomo iniciativa a perguntar.

Leo -ja fez isso?

Rosa -não

Leo -então estamos no mesmo barco, serei cuidadoso-a vejo afirmar com a cabeça então volto a beija-la novamente, noto que ela está um pouco tensa então tomo uma iniciativa é passo minha mão em seus seios por baixo da camisa levando minha boca ao seu pescoço e ela coloca a mão em minha camisa como sinal de que queria tira-la então dou liberdade a ela é ela tira minha camisa e logo em seguida faço o mesmo, reparo agora que ela tem seios bem avantajados e retiro seu sutiã passando minha língua em um de seus seios enquanto massageio o outro, depois de um tempo repetindo isso começo a tirar o short dela é a vejo ficar um pouco tensa novamente então resolvi perguntar antes é remove-lo

Leo -posso tirar?

Rosa -sim-diz ela me dando passagem após tirar o short tiro coragem não sei de onde para começar a massagear sua intimidade com meu dedo por fora da calcinha, ao ver a expressar dela de prazer começo a massagear por dentro e coloco meu dedo em sua intimidade a vejo se arquear um pouco é pergunto.

Leo -doi?

Rosa -um pouco-a vejo sorrir brevemente e voltar a expressão de prazer quando volto a massagear sua intimidade quando vejo que ela parecia mais confortável começo a penetrar ela com meu dedo novamente é escuto gemidos baixos, depois de um tempo me vejo com liberdade o suficiente pra colocar um segundo dedo, inicialmente a vejo se remoer um pouco mas logo ela volta ao normal e começo a ir mais rápido até que a vejo gozar em meus dedos a expressão dela foi simplimente impagável não me aguentava mais de tanto tesão é só escuto ela falar.

Rosa -tira a calça-como mero homem que sou não pude fazer nada a não ser o que ela mandou tiro minha calça junto da box logo depois pegando o pacote de camisinha me perguntado como colocaria aquilo.

Depois de alguns segundos tentando finalmente consigo é tiro a única barreira entre meu membro é a intimidade dela apoiando meu peso sobre meus braços e posicionando meu membro o colocando devagar escutando ela soltar pequenos gemidos até que percebo que ela está confortável o suficiente para eu colocar o tudo é assim faço, começo a me mexer devagar até que decido aumentar o ritmo gradativamente é assim faço até chegar o momento em que finalmente sinto que iria gozar então começo a dar estocadas mais profundas até finalmente gozar rezei a qualquer tipo de deus existente para não cair em cima dela e por sorte alguém atendeu minhas orações, como ela ainda não tinha chegado em seu limite resolvo usar meus dedos para terminar meu serviço e assim é feito, após isso deitamos cansados e me viro pra ela.

Leo -como é a vida de não virgem agora?

Rosa -a vejo se virar pra mim com um sorriso-ate agora não sinto nada de diferente-começamos a rir até que eu acabe em fim dormindo.

ROSA ON

O observo dormir por alguns minutos até que tomo coragem e vou tomar um banho pensando em coisas distintas e em como vão ficar as coisa entre a gente, e meio estranho perder a virgindade com alguém que se conhece a cerca de 6 dias e "mora" a 5 as circunstâncias de tudo são estranhas mas gosto da companhia dele mesmo em um momento tão estranho, perdida em meus pensamentos deixo de notar que alguém me observava.


Notas Finais


Vou falar novamente que não sei se postarei tão brevemente mas provavelmente postarei algo a noite, triste😔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...