História O recinto do amor - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama
Visualizações 6
Palavras 2.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que tenham uma boa leitura.

Capítulo 2 - Você de novo


De repente, a Sasha estava em um lugar muito diferente onde morava. Um campo totalmente vasto e sem limite com flores de diversos tipos ao seu redor. Um vento fresco passou por ela fazendo seus cabelos balançarem. Ela estava se sentindo calma nesse ambiente, mas não sabia explicar muito bem.

Sasha se perguntava onde estava em sua cabeça. Era um sonho? É um outro universo? Fui sequestrada e me colocaram aqui?

Era um perguntas que não tinha resposta. Mas também, ela se perguntava em como estava se sentindo calma, pois nesse tipo de momento deveria surgir um desespero para voltar para casa, no entanto, algo dentro dela diz que é melhor ficar aqui.

O sol estava quase se pondo, clareava o ambiente com seu tom alaranjado, mudando as cores das flores parcialmente.

Sasha estava de vestido preto e descalça. O solo que ela pisava estava um pouco quente, mas ela sabia o motivo.

Sasha cansou de ficar parada, então começou a andar bem devagar em passos curtos para analisar todo o ambiente ou qualquer perigo que possa aparecer escondido entre as flores que iam até o seu joelho.

Sasha não conhecia nem 20% das flores ao seu redor. O seu corpo estava relaxado e as preocupações que ela estava sentindo foram embora temporariamente.

Depois que ela andou um pouco em busca de achar alguém ou uma casa ou até mesmo qualquer coisa além de flores.

Quando a Sasha olhou para trás notou que tinha uma pessoa virada de costa. Um rapaz de cabelo preto vestindo uma camisa preta e uma calça jeans marrom.

Sasha se alegrou ao ver que tinha alguém e tentou se aproximar, mas a distância não diminuía  entre eles. Ela achou estranho em como não estava conseguindo alcançar ele, o seu corpo estava começando a ficar pesado e os seus movimentos estavam ficando lento, parecia que a gravidade estava aumentando. Ela criou força e tentou correr, no entanto sem resultado, pois o seu corpo quase não estava mais respondendo.

O sol sumiu deixando só a escuridão, logo vindo um vento frio, mas parecia que a escuridão estava se intensificando, diminuindo o seu campo de percepção, até que não enxergasse mais nada.

***

Sasha abriu os olhos assustada e suspira de alívio. Ela se ajeitou na cama para se sentar e estava tentando lembrar do que sonhou, mas ela só lembrava da escuridão que engoliu ela.

Sasha logo pulou da cama ao lembrar que tinha um compromisso com os seus amigos de noite. Ela pegou o seu celular que estava em cima do criado-mudo e viu que ainda faltava uma hora até o compromisso. Ela se sentou na cama, ajeitou o seu cabelo para trás e passou a costa de sua mão direita em sua testa e nota que estava oleosa a sua pele.

Ela decidiu se arrumar agora, pois tinha que tomar banho e ainda escolher uma roupa.

Ela levantou da cama andando bem devagar à procura de sua toalha pelo quarto. Quando ela achou a sua toalha e pegou, foi até o banheiro que fica em uma parte do seu quarto.

Antes que ela tomasse o seu banho, arrumou seu cabelo em um coque, tirou as suas roupas e tomou seu banho calmamente.

Sasha saiu com a toalha enrolada em seu corpo e por enquanto ela preferia só vestir uma calcinha e um sutiã. Os seus pais não estavam em casa para te dar carona até a praça, então ela ia de trem e por isso mesmo ela tinha que se antecipar para chegar no local no horário marcado.

Ela pegou o seu celular que estava em cima da cama para ver as mensagens e o grupo já estava conversando.

O grupo é chamado de Covil das Santas, uma ironia sobre quem eles são.

Ela se sentou na cama e se encostou no encosto da cama para ler as mensagens.

Maria: Alguém vivo no grupo?

Haru: De vivo só tem eu “emoji com carinha de confiante”.

Haru: Vou me atrasar, mas não chorem, ok? “ Emoji de carinha piscando com um lado do olho”.

Maria: Affs…

Kevin: Preciso de carona…

Maria: chama o Uber.

Haru: Verdade.

Kevin: Eu nem preciso de inimigo se tenho vocês “emoji do coração partido”.

Maria: Mano eu vou de moto com o meu pai.

Maria:Pedi do Haru a carona.

Kevin:por favor, Haru…

Haru: Como você implorou, eu passo aí…

Kevin: Obrigado “ emoji de coração”

Sasha lia cada conversa e ainda tinha muita mensagem pela frente. Ela só deslizava o dedo pela tela do celular até a última mensagem que todos afirmavam que iriam esperar perto da quadra de vôlei.

Ela estava com preguiça de ir, mas como ela já tinha marcado e confirmado, não tinha volta e seus amigos ao mesmo tempo ficariam todos irritado por ser uma furona.

Sasha mandou mensagem para o grupo falando que esperaria naquele local marcado.

Ela ficou um tempo procurando uma roupa certa para ir à praça. Logo escolheu um par de botas pretas, meia calça preta, um short curto azul marinho, uma blusa branca escrita “reputation” que mostrava o seu ombro de lado e uma jaqueta fina preta. Ela se maquiou um pouco, fez os cílios, passou uma pequena porção de pó em seu rosto e passou um batom rosa em seus lábios.

Ela se olhou no espelho e percebeu que ela estava muito arrumada. Mas ela queria mostrar confiança, pois de manhã ela estava muito estranha na escola.

Ela pegou o celular só para ver as horas e são 17:47.

Ela pegou sua bolsinha marrom e colocou o seu celular, dinheiro, maquiagem, a chave da casa e mais algumas coisas necessárias para caso de emergência.

Antes que a Sasha saísse da casa recebeu uma ligação da Maria.

-Oii linda.

Maria estava com seu tom alegre falando ao telefone.

-Oi Maria, eu já estou saindo para pegar o trem.

-Porque não avisou antes?

-Sei lá rsrs…

-Já vou me arrumar o mais rápido possível para não te deixar sozinho.

-Tá bom então vou estar te esperando lá.

-Beijo miga.

- Beijo.

A Sasha desligou a ligação. Ela guardou o seu celular dentro da bolsinha e saiu de sua casa. Ela andou até a estação de metrô e percebeu que não tinha muita gente.

Ela pegou o primeiro trem que ia ajudar a chegar mais rápido no local e já que não tinha muita gente, então tinha alguns lugares sobrando para sentar.

Ela se sentou perto da porta e cruzou as pernas. Distraída olhando para outro lugar, enquanto o trem andava, alguém se sentou ao seu lado.

Quando ela virou o seu rosto para ver quem estava ao seu lado, logo sentiu o perfume forte. Sasha ficou um tempo paralisada analisando o menino e tinha quase certeza que era aquele que passou por ela pelo portão.

O rapaz tem a pele branca, 1,72 de altura, olhos pretos, cabelos pretos e um pouco ondulado penteado para trás, o seu corpo demonstrava um físico, o seu rosto era um pouco oval, os seus lábios eram finos e rosados. Ele estava uma usando uma calça jeans marrom, um par de sapatos da Nike preto e vestia uma camisa cinza, mas também estava com o seu skate colocado em seu colo.

O rapaz percebeu que ela estava analisando ele e fala:

-Tem problema garota? -Falou o rapaz sendo ignorante.

-Ah- Sasha se espantou quando acordou do seu transe- Desculpa...

-Fica na sua- Falou rapaz avisando ela.

Sasha antes de virar seu rosto para o lado, ela balançou a cabeça concordando com as palavras do rapaz. Ela estava enlouquecendo com o cheiro dele. A presença dele ao lado dela fazia o seu coração agitarem e suas mãos ficarem inquietas

Quando ela chegou ao seu destino e as portas do trem abriram, ela saiu do trem, mas ela percebeu que o menino estava seguindo o mesmo rumo que ela. Ela saiu da estação e seguiu para a praça.

Sasha estava achando estranho que ele estava seguindo o mesmo caminho que ela, mas a rua é pública e ela não tinha o que reclamar.

Quando ela chegou na praça já eram 6:47 da noite. Por coincidência o menino tinha vindo para mesma praça que ela tinha vindo.

Logo, ele se afastou dela e seguiu para o outro local da praça.

Ela se sentou em um banco que fica em frente à quadra de vôlei e ficou olhando alguns rapazes jogando.

Não demorou nem cinco minutos e Maria logo chegou.

-Esses dois estão demorando-Falou Maria impaciente.

-É verdade-Falou Sasha concordando e abraçou a amiga dela, logo se separando.

Maria estava vestindo uma blusinha branca sem manga que destaca os seus peitos, um short curto azul, calçava um par de tênis branco e os seus cachos estavam bem arrumado.

As duas ficaram jogando conversa fora até que os meninos chegaram.

Os dois se aproximavam das meninas brigando.

Kevin estava vestindo uma camisa grande preta escrito “supreme”, uma bermuda branca e calçava um par de tênis da Nike preto.

Haru vestia uma camisa vermelha escrita “thrasher”, uma bermuda moletom preta e calçava um par de sapatos branco.

Todos eles se cumprimentaram rapidamente.

-Vamos jogar vôlei?- Falou Kevin empolgado.

-Vamos! - Concordou Maria.

-Eu sou péssima nos esporte- Choramingou Sasha.

-Só vamos jogar rapidinho- Falou Kevin para Sasha- não se preocupa.

-Só vocês para gostarem disso- Falou Haru cruzando os braços.

-Tá com medo de perder, Haru- Falou Kevin encrencando com Haru.

-Então, eu topo, vamos, vou mostrar o gosto do fracasso para todo o seu time- Falou Haru disfarçando a raiva.

Sasha é a única do grupo que é péssima em esporte e estava se sentindo desconfortável por está sendo excluída do momento.

-Ah não gente, eu vou ficar olhando vocês- falou Sasha emburrada.

-Ok- todos concordaram.

-Eu vou comprar algo pra mim- Falou Sasha se virando emburrada.

-Eu vou contigo, miga- Falou Maria se aproximando da outra.

-Traz para gente também-Falou Kevin entregando o seu dinheiro, logo Haru fez o mesmo.

As duas procuraram alguma barraquinha que vendesse comida, até que acharam uma barraca de cachorro-quente que fica perto da praça de skate.

Quando pediram 4 cachorro-quente, embalaram dois cachorro-quente para viagem e os outros dois elas estavam comendo no caminho.

Algum menino se esbarrou na Sasha fazendo ela cair de bunda no chão. O rapaz saltou do skate e enrolou um pouco na queda.

-Idiota, olha por onde anda- Gritou Maria com o menino e ajudou a sua amiga a levantar.

Sasha por sorte não se ralou e levantou com ajuda de sua amiga.

O cachorro-quente da Sasha havia caído no chão.

O rapaz levantou-se brabo.

-Você de novo- falou o rapaz enquanto pegava o seu skate- qual é o seu problema garota? me esquece.

Sasha de novo havia visto o garoto, mas agora ele estava com mais raiva ainda dela. O menino causava nela um sentimento estranho.

-Fala direito com a amiga- Falou Maria irritada.

-Maria! Tá bom, deixa- Falou Sasha tentando acalmar a sua amiga.

O rapaz se virou de costa, colocou o skate no chão e começou a andar. Ele havia ignorado totalmente as duas.

Maria ficou irritada e voltou gritando com Sasha, e elas foram comprar outro cachorro-quente para Sasha.

Quando retornaram para quadra de vôlei. Maria já foi falando para os meninos sobre o rapaz que havia se esbarrado e derrubado Sasha.

Kevin ficou irritado e falou o que espancaria o menino se visse. Haru disfarçou o ranço.

Enquanto, eles comiam o assunto era sobre como eles iriam acabar com o rapaz. Sasha estava assustada com cada coisa que ouvir e fazia com que ela sorrisse de nervosa.

Kevin havia vencido a primeira partida contra Haru, mas agora Haru queria revanche e Maria estava pronta para jogar também.

Sasha passou o seu tempo pensativa e não prestou muita atenção no jogo dos seus amigos.

A imagem do garoto não sabia de sua cabeça. Ela havia defendido ele naquela hora você aquele garoto, mas agora estava sabendo que os seus amigos estava com muito ranço dele. Os amigos dela nem imaginava que o rapaz estudava na mesma escola que eles.

Ela não sabia se teria briga, mas a probabilidade é de 50%. Sasha queria demonstrar uma boa imagem para o rapaz, mas toda hora ela fazia o contrário.

Sasha por dentro queria falar com seus amigos sobre esse rapaz que estava fazendo com que os seus sentimentos ficasse confuso. Ela queria ajuda dos seus amigos e a falta de coragem é grande.

Quando eles terminaram a partida, kevin estava bem suado, Haru estava ofegante e a Maria estava agitada.

Houve um empate entre o time do Haru e do Kevin.

Maria decidiu ficar ao lado de sua amiga vendo os meninos jogar de novo.

-Você anda bem distante da gente esse dias, o que houve?- Perguntou Maria se escorando na grade de metal ao redor da quadra.

-Eu não sei… tudo está passando tão rápido-falou Sasha um tom parcial.

-Eu sei, mas não fiquei se corroendo sozinho, a gente está aqui e eu me preocupo muito com você- Maria se ajeitou para que se aproximasse mais de sua amiga.

-Hunrum….

Sasha concordou, mas sentia insegura ao tocar no assunto, então decidiu mudar de assunto.

-Me conta sobre aquele menino que você pegou- Sasha abriu um sorriso para disfarçar.

As duas ficaram conversando até que todos perceberam que já estava ficando muito tarde e cada um decidiu voltar para casa.

Haru deu carona para todo mundo e não admite a sua derrota. Maria não parava de falar sobre como tinha sido suas férias para Sasha.

Sasha disfarçava as suas preocupações e se focada em seus amigos.

Ela chegou em casa por volta das 11 horas da noite. Os seus pais encheram ela te pergunta por onde ela estava, pois ela tinha esquecido de avisá-los.

Ela tirou sua maquiagem e a sua roupa em seu quarto e vestiu uma camisola branca. Ela ligou a central do seu quarto, jogou-se na cama e se enrolou no edredom.

A noite havia sido cansativa para ela e quando ela menos percebeu, dormiu.


Notas Finais


Se gostaram do capítulo, comentem e até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...