História O reino Stars e alguns finais nem tão felizes - Brawl Stars - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Brawl Stars
Tags Brawl Stars
Visualizações 25
Palavras 2.283
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EU NÃO SEI EXPLICAR O TRABALHO QUE DEU ESCREVER ISSO MANO

Eu to com vergonha de mim mesma por ter demorado pra postar ;-;

SE TIVER ERROS IGNORA MANO PF ;-

Deu trabalho e eu li umas 3 vezes, provavelmente ainda vai ter algum errinho... BÓ PRO CAP MANOLO

Capítulo 5 - Romances dando certo


Fanfic / Fanfiction O reino Stars e alguns finais nem tão felizes - Brawl Stars - Capítulo 5 - Romances dando certo




°Jessie°




- Penny, você acha que vai realmente conseguir pegar essa flor ? - Jessie perguntou para a garota que subia em uma árvore para pegar uma flor rosa.

- Lógico que vou! Eu vou ser uma grande pirata! Uma simples árvore não vai me parar - Penny falava determinada.

Darryl estava sentado ao lado de algumas pedras olhando Penny subindo na árvore e Jessie com medo da amiga cair.


- Viu? Eu consegui - Penny falou orgulhosa em cima de um galho e pegando algumas flores e logo pulando do galho e quase dando de cara no chão.


- Cuidado Penny! - A ruivinha falou meio assustada, nunca foi boa em pegar coisas em lugares altos, tinha medo de se machucar.


- Eu estou bem Jessie - A outra respondeu, começando a tímidamente colocar as flores nos cabelos da amiga, que ficou um pouco vermelha, mas sorriu em seguida.


- Obrigada Penny! Eu me sinto mais bonita assim - A princesinha falava enquanto a futura pirata continuava arrumando as flores.


- Você sempre foi bonita, com ou sem flores - A piratinha falou segurando o rosto delicado de Jessie e dando beijinhos na testa da garota.


Jessie começou a rir e abraçando a amiga.


- Eu te amo Penny - A ruiva disse fazendo a amiga corar.


- Nem vem, eu te amo muito mais - A de cabelos rosas respondeu, mas dessa vez fazendo a outra corar.


Darryl continuava a olhar e se levantou, abraçando as garotinhas, amava ver Penny e Jessie felizes, a piratinha logo tirou o chapeu que o robô tinha, por sorte o pai da garota não achar ruim, achava que era apenas uma brincadeira que o robô e a sua filha tinham, mal ele sabia que Penny já tinha feito a bandeira de seu navio pirata.


- Eu vou ser a maior pirata do mundo, e você Jessie, vai ser a minha rainha, a única que vou realmente amar e respeitar - Penny colocou o chapeu que caiu em seu rosto, mas logo o arrumou e deu um sorriso para Jessie, que só sorriu e ficou um pouco vermelha.


- Está ficando de noite, vamos para a praça? O Poco vai começar a tocar logo logo - A ruivinha falou com estrelinhas em seus olhos, Penny apenas concordou colocando o chapeu em Darryl.





°Shelly°

Algumas horas depois*





Shelly e Mortis estavam em um pequeno campo aberto no meio da floresta encostados na pedra que tinha no centro, Bo tinha o costume de meditar ali.


- É sério isso? Colt realmente te atacou quando vocês eram menores? - Shelly perguntou novamente, achava impossível Colt ser doido o bastante para atacar o próprio irmão.


- Eu juro, quando ele soube que eu iria ser o próximo rei ele ficou doido, ele pulou em mim com um olhar de puro ódio, meu pai segurou ele e ajudou ele a se recuperar - O mais alto respondeu um pouco desanimado.


A morena apenas lhe olhou com compaixão e deu um sorriso, outro apenas sorriu de volta.


- Quando eu falei que o seu sorriso era lindo, eu estava falando sério - Após a pequena declaração a garota colocou as suas mãos em seu rosto, querendo esconder suas bochechas vermelhas.


- Olha e-eu vou falar a verdade, você é o homem mais bonito que eu já vi - A garota falava olhando para o outro lado, não queria olhar para Mortis, que apenas ficou vermelho.


- Ok, tá ficando um clima um pouco anormal entre nós dois... - O albino falou tímido.


- isso é mentira - Shelly falou se sentando na pedra, fazendo Mortis olhar para a morena em seguida.


- Quando foi um sentimento normal? - O homem perguntou desencostando da pedra e apoiando os seus braços nela.


- A-Ah... Foi n-normal quando a-a gente se beijou pela pri-primeira vez - A morena respondeu com o seu rosto "pegando fogo" ela se sentia tímida de mais.



- A-Ah aquele dia... É uma boa lembrança, tirando a parte que a minha mãe apareceu e começou a rir - Mortis falou tirando risadas de Shelly que voltou a olhar para o homem.



- É verdade, eu lembro que ela surtou na hora, começou a falar que éramos fofos - A morena falou rindo.


Mortis também riu, colocando uma de suas mãos em seu rosto, apesar de toda a vergonha daquele acontecimento, era bom se lembrar do ar cômico que foi quando foram pegos "no pulo" por Pam.


Estava meio escuro, a lua já estava no céu e algumas estrelas brilhavam, apenas um lampião que Bo deixava ali fazia luz, que por sorte estava aceso, agora após as risadas o clima era mais leve.


Shelly olhava para o céu admirando as estrelas, mas logo olhando para Mortis e lhe fazendo uma pergunta.


- Você acha que eles olham para nós lá de cima? Se orgulham de nós? - A garota perguntou meio triste.


- Hum?


- Nossos pais, sabe minha mãe morreu depois do parto, mas você acha que os nossos pais se orgulham de nós e... sei lá, ficam olhando a gente - A garota perguntou olhando para o homem, era triste saber daquilo, a mãe de Shelly apenas teve tempo de segurar a filha durante alguns minutos em seus braços e dizer o seu nome, logo após isso ela foi perdendo a força e morreu alguns minutos depois.


- Eu acho que sim, eles devem se orgulhar de nós... - Mortis respondeu sorrindo, Shelly também sorriu, mas em seguida o vento soprou, um ar gelado que fez a mulher se encolher um pouco e se abraçar para tentar se aquecer, mesmo sabendo que não iria adiantar.


Mortis apesar de ter vergonha de se aproximar muito, tirou a sua capa e cobriu a garota.


- Não pergunte nada ok - O homem falou terminando de fazer o laço na capa.


Shelly apenas lhe lançou um sorriso tímido e o puxou para perto, abraçando forte Mortis que sem muitas opções abraçou a garota de volta, era um ato simples, mas que fazia o coração de ambos palpitarem forte.


- Obrigada - Shelly disse, continuando abraçada a Mortis que apenas lhe respondeu com um simples e curto "de nada" apertando ainda mais o abraço.


- Sabe, eu não me importaria de recriar alguns momentos... - A caçadora falou sem quebrar o abraço.


- P-Pera como assim? - O albino perguntou um pouco confuso.


- Ah, tipo aquela vez em que a gente tentou pegar laranjas na árvore e não deu certo - Mortis riu com a lembrança, os dois eram loucos por algumas frutas e passavam horas tentando pegar laranjas, nunca foram bons em subir em árvores, muitas vezes tinham que jogar pedras nas frutas com a esperança de alguma laranja cair com o ato.


- Era legal, mas dessa vez eu acho que iriamos conseguir pegar ao menos uma - O príncipe falou rindo.


- É o mínimo não é? - A morena fez a pergunta rindo um pouco, e quebrando o abraço, mas Mortis permanecia perto.


- Tá, vamos recriar algum momento mais simples para começar... Tipo aquela vez que a gente ficou desenhando com alguns galhos no chão? - O homem falou simples, Shelly apenas olhou para o lado.


- Eu tive uma ideia melhor... - Ela tinha falado apenas para si mesma, mas o homem tinha escutado, talvez por estar próximo da garota.


- Que ideia? - Mortis perguntou, Shelly deu um pequeno pulinho pelo susto e olhou vermelha para o amigo de infância.


- A-Ah, é... N-Nada...


- Para de tentar me engan-- Espera... - Mortis tentava raciocinar, não era possível que ela queria recriar justo AQUILO.


- O-Olha é viajado s-sabe? - Aquele clima tinha voltado, os dois evitavam contato visual.


- Se você quiser... Acho que p-pode dar certo - O príncipe falou coçando a sua bochecha direita.


- Q-QU-QUE?!? - A caçadora entrou em "desespero" olhando para o homem, seu rosto estava super vermelho, se sentia quente e com uma vergonha que nunca tinha sentido na vida.


- E-EU SÓ JOGUEI A IDEIA NO AR, C-CALMA - O albino estava do mesmo jeito, nunca tinha sentido tanta vergonha na vida.


- A-Ah... Vo-Você quer tentar? - Shelly perguntou, estava anciosa e estava começando a sentir calor.


- P-Pera sério?? - A mente do maior estava uma bagunça, aquilo realmente iria acontecer ?


- S-Sim, eu acho... I-Isso se você qu-quiser claro... - A caçadora não estava conseguindo manter a calma, lógico o seu amor de infância estava ali, confuso se deveria ou não seguir aquele assunto a diante, por mais que aquela coisa de "quer tentar" estivesse ficando repetitivo, era estranho estar falando sobre aquele assunto.


- Ah... Então você quer tentar? - Mortis ainda estava confuso, realmente deveria fazer aquilo?



A garota somente olhou nos olhos do outro e balançou a cabeça afirmando, sim, ela queria tentar seguir com aquela ideia a diante.



- Eu não sei exatamente o q-que fazer, mas ok - O homem falou decidido, respirou fundo e olhou para a garota que tentava se acalmar.


Após Shelly se acalmar um pouco, se arrumou melhor em cima da pedra, e puxou os ombros de Mortis, que agora estava entre as pernas da garota que ainda estava um pouco tensa.


- Eu não acredito que estamos realmente fazendo isso - A mulher falou, colocando a sua cabeça em um dos ombros de Mortis que soltou uma pequena risada.


- Você ainda tem tempo de desistir - O mais velho disse, mas Shelly apenas olhou em seus olhos falando um simples "não, eu quero tentar"


Shelly suspirou, e colocou os seus braços nos ombros de Mortis, que colocou suas mãos na cintura da garota que lhe lançou um sorriso... Mais um suspiro, agora estavam se aproximando cada vez mais, Shelly foi a primeira a fechar os seus olhos, estavam muito proximos, sentiam os seus corpos se chocarem lentamente, sentiam o calor um do outro, e lentamente formando um pequeno selar de lábios tímido, que aos poucos foi evoluindo realmente para o tão esperado beijo.


Era uma sensação boa, Shelly se sentia acolhida, Mortis se sentia amado, os corações batiam forte, mas como sempre o beijo foi quebrado bela BENDITA falta de ar.


Os rostos vermelhos, respirações desajeitadas e as testas encostadas, ainda estavam próximos, era um calor agrádavel, o sentimento de estar amando crescia ali.


- Conseguimos - Shelly falou dando uma pequena risada, olhando para Mortis que tinha um sorriso e que riu em seguida, uma risada rouca e agradável.


- Acho que podemos recriar esse momento mais vezes, assim, só jogando a ideia no ar novamente - O homem falou.


- Acho que a gente poderia recriar na minha cama, quem sabe? - Shelly falou malíciosa, que fez o homem arregalar os olhos, mas logo rindo.


- Desde quando você é assim? Quem é você e o que fez com a Shelly tímida que conheço? - Mortis brincou, dando um selinho na garota e olhando novamente para ela.


- Você não viu nem metade meu bem - A garota tinha descobrido algo novo: Adorava provocar Mortis.


- Agora estou curioso, se não vi nem metade, quero ver os seus cem por cento - Mortis falou voltando a beijar a garota.




°Poco°





A praça estava deveras movimentada, Poco estava sentado na fonte central, que ficava na frente da guilhotina, apesar da praça ser agrádavel, Poco odiava lembrar das cabeças que foram cortadas ali e das pessoas que foram enforcadas injustamente.


- Ah, a falta empatia nesse mundo, quando as guerras vão acabar? - O esqueleto se perguntava, o reino Stars era bem diferente, ninguém era morto por "bruxaria" ou algo que fosse parecido com esse termo, era um lugar bom, mas que tinha o seu lado ruim.


Poco apenas jogou esses pensamentos para longe, deveria aproveitar a noite tocando, e não ficar lembrando de coisas ruins do passado.


Jessie e Penny estavam brincando de alguma coisa, provavelmente de pega-pega, apesar de ter muitas pessoas passando pelo local elas não se importavam, o chapeu de Poco estava no chão para tentar juntar algumas moedas e gemas, não era fácil ter que viver apenas da música.


Bo logo apareceu se sentando ao lado do esqueleto, e lhe comprimentando, fazendo Poco sorrir mais ainda.


- Olá Bo, como vai meu amigo? - O esqueleto perguntou.

- Vou bem Poco - O homem de longos cabelos respondeu sorrindo, Bo era uma ótima "pessoa", estar ao lado dele acalmava os seus pensamentos ruins.


Conversaram bastante, até chegar em um assunto até que delicado, o antigo rei, em todo o reino tinha apenas um quadro do homem em um dos corredores do castelo, se perguntavam o que tinha acontecido com os outros, até Jessie escutar e começar a falar.


- Minha mãe mandou retirar a grande maioria, alguns ainda estão por ai, mas quando ela ve algum quadro do papai ela fica bem triste, ela está tentando superar aos poucos a morte dele - A garotinha falou simples, Poco entendia o lado da rainha, deveria ser difícil ter que superar a morte do homem que amou verdadeiramente, o pai de seus três filhos.



- Obrigado pela explicação Jessie - Bo respondeu a garota que apenas sorriu e voltou a falar com Penny.



- Eu sinto muito por Pam, ela ainda deve sofrer bastante com isso - Poco falou, apesar de estar meio triste continuava a tocar o seu violão.


- Eu entendo o lado dela, espero que ela supere e fique bem - Bo comentou, e suspirando, Pam tinha forças para continuar, isso já era uma conquista.


- Ela vai ficar, sabemos disso Bo - Poco como sempre falou otimísta.


Notas Finais


EU JURO QUE TO COM VERGONHA DE TER ESCRITO UM BEIJO MANO SOCORRO A

Eu vou tentar postar mais rápido ;-;

EU TO COM VERGONHA DE MAIS, QUANDO VIR OS COMENTÁRIOS EU VOU TER QUE TOMAR CORAGEM MEU DEUS DO CÉU ;-


Mas o cap tá grande :D
(eu acho ;-;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...