História O Resgate de Lula - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 1
Palavras 1.026
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Ficção Científica
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa história tem como foco entreter e divertir os leitores, então peço-lhes que esqueçam extremos políticos e políticos de estimação por alguns momentos e se divirtam.

Capítulo 1 - O Golpe


O ano é 2020, um ano após a tomada de posse de Jair Messias Bolsonaro como presidente da república. Haddad e Manuela d'Ávila sumiram depois das eleições e ninguém teve mais notícias.

 O país está “dividido” e com tão pouco tempo de mandato, o atual presidente conseguiu sancionar a lei que permite executar presos políticos, o seu “exército” de quase 60 milhões o ovaciona a cada comunicado, a cada aparição. A lista de espera para a execução já continha nomes tais como: Eduardo Cunha, Paulo Maluf, Antonio Palocci, Sérgio Cabral, Geddel Vieira Lima, João Vaccari Neto e o mais esperado de todos: Luiz Inácio Lula da Silva. Conforme os meses iam passando, a lista de execução diminuía e o “povo” estava ansioso para o dia em que Lula seria executado em rede nacional. Após a tomada de posse, fortes candidatos para as próximas eleições foram deportados do país a mando do presidente. Com o país fora da ONU, as barbáries se iniciaram também, pessoas sendo espancadas, mortas e torturadas. Um partido único foi criado no Brasil com o seguinte nome: “TQSFD”(TEM QUE SE FUDÊ E ACABOU). Negros, pobres, e comunidade LGBT+352 eram alvos diários de uma onda de violência incessante por todo o país. Mas longe de todo o caos no Brasil, um plano estava sendo montado por “grandes” nomes da política, eles mesmos, os exilados: Cable Daciolo e toda a sua glória a DEUX, o Sugar Daddy Ciro Games e Marina Silva a única pessoa no mundo que hiberna por quatro anos e reaparece com seus clones das sombras. Cable Daciolo após o exílio estabeleceu uma base secreta em Jerusalém, onde tinha contato com todos os exilados. Ciro Games montou uma base secreta em Paris, onde ele poderia comer croissants em paz enquanto planejava, Marina Silva e seus clones conseguiram se esconder no próprio Brasil e era responsável por passar todas informações internas para os demais. 

 

O palácio da alvorada virou uma fortaleza militar com vigilância 24 horas das forças armadas, paredes de aço e de concreto cercavam todo o complexo e a “fortaleza” era literalmente impenetrável, assim pensavam os residentes.

 

Segunda-feira, dia 23 de março de 2019, exatamente meio dia um chamado de urgência na globo assustou todos os brasileiros. Era um comunicado do presidente em sua fortaleza e ele dizia o seguinte:

 

Caros cidadãos de bem e vagabundos do Brasil, venho por meio deste informar que a data para a execução do ex-presidente Lula está marcada para o dia 28 de outubro deste mesmo ano. Data essa em que fui eleito por vocês.

 

O comunicado se encerra e por alguns segundos a imagem treme e começam alguns chuviscos, de repente uma imagem de uma pomba branca com asas coloridas toma a tela e uma voz robotizada começa a falar.

 

Vocês… Verdadeiros brasileiros, que votaram consciente e que tentaram salvar o país desse homem… Esse aviso é para vocês… Lutem, persistam e não desistam, nós estamos aqui.

 

A “equipe” do presidente vê o anúncio na televisão e ficam sem reação e esperando palavras de liderança vinda de seu “líder”. Bolsonaro sai do recinto e caminha até o seu quarto onde é possível ver uma cama enorme e alguns móveis com armas espalhadas por todo o lado. Ele se senta na cama enquanto está trêmulo e suando horrores e olha para um mapa gigante na parede do quarto, mapa que por sinal está riscado com círculos e X em regiões do país. Então ele se levanta engolindo o seco e se encaminha em direção ao mapa e apanha um piloto em forma de .40(arma) e circula o nordeste.

 

Nã… Não pode ser… Será que… Eles…

 

Longe de Brasília, na divisa de Goiás-Bahia, acontecia uma manifestação, as minorias sociais pacificamente pediam por direitos iguais e que parassem com a matança, mas um contingente militar com 100 soldados fortemente armados avançavam com ordem para matar os manifestantes, não demorou muito tempo até que começaram a sacar suas armas e apontar aos manifestantes, um dos militares avançou sozinho e então com um megafone disse:

 

Afastem-se e acabem com essa baderna ou vamos utilizar a força!

 

Os manifestantes por um segundo se calaram e em seguida voltaram a gritar:

 

“QUEREMOS JUSTIÇA. ELE NÃO. PAREM A MATANÇA!”

 

O militar retorna ao pelotão e grita:

 

PREPARAR ARMAS!

 

Os soldados empunham suas armas e as apontam para os manifestantes, momentos depois liberam as “travas” de segurança das armas e começam a mirar. Os gritos continuam e o primeiro disparo é efetuado. Atinge um jovem negro que estava segurando um cartaz escrito: “Nos deixem viver”.

Todos se assustaram e começaram a gritar e correr procurando abrigo, os soldados começaram a atirar e matar vários manifestantes até que é possível sentir um tremor na terra, é possível ouvir uma “tempestade” se aproximar, no horizonte é visto cavalos, fuscas tunados, kombis, motos e bicicletas com bandeiras vermelhas com duas letras brancas, PT. A “cavalaria” armada até os dentes com armas de fogo, martelos e foices chegaram até o local e um conflito começou, o líder da cavalaria usava uma jaqueta jeans com bottoms com as letras P e T no peito, uma calça jeans rasgada, um coturno preto sujo de barro e uma bandana no rosto cobrindo seu nariz deixando amostra apenas dos olhos para cima. De repente um grito:

 

FORMAÇÃO! ESCUDOS, LEVANTAR!

 

A cavalaria se organizou e rapidamente um escudo com placas de ferro e aço foi suspensa por seus guerrilheiros formando uma grande barricada para impedir os tiros de acertarem os manifestantes, claro que no meio do caminho alguns pereceram, mas o escudo foi formado e o que restou da minoria estava protegida. Os militares ao verem as bandeiras e a formação crescer diante eles, começaram a recuar assustados como se já tivesse conhecimento do que estavam enfrentando. 

 

Momentos após a retirada dos militares o escudo foi desfeito e um círculo se formou ao redor dos manifestantes, o homem com bandana no rosto saiu de dentro do círculo de guerrilheiros e removendo a bandana pergunta:

 

O que vocês pensam que estão fazendo?!

 

Os manifestantes ficam boquiabertos com a revelação e um deles assustado diz:

 

Esse é… Guilherme Boulos… O Lendário invasor de propriedades...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...