1. Spirit Fanfics >
  2. O Rio da Lua >
  3. De Leão a Cobra

História O Rio da Lua - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal, desculpa a demora.
Ta ai mais um capítulo e obrigada a todos que favoritaram a história.
<3

Capítulo 4 - De Leão a Cobra


Hermione havia dormido feito uma pedra, afinal a noite anterior teve direito a desmaio, encontro com Voldemort e Dumbledore e hoje teria uma de suas maiores provas de coragem diante de uma decisão infeliz, pediria ao chapéu seletor para que a colocasse na Sonserina. Pensar nisso a fez sentir com mais intensidade o peso de sua decisão e das consequências que viriam daqui por diante, mas não poderia fraquejar agora pois tinha ido longe demais rumo ao seu objetivo. Assim, ela respirou fundo e seguiu para o refeitório da escola, lugar que uma vez havia lhe dado tanta felicidade ao direciona-la aos indomáveis leões para o que agora parecia lhe enviar a covil das cobras.

            O tempo parecia abafado como se uma grande tempestade estivesse para cair sobre o seu enfeitiçado de Hogwarts, tornando sua capacidade de compreender o que estava acontecendo e o que viria a ocorrer a sua volta ainda mais intenso. Assim, seu caminhar era lento e pesado, a cada segundo que passava procurava pensar na sua família e amigos como forma de consolo e coragem, afinal quando retornasse poderia encontrar uma realidade totalmente diferente da qual tinha saído, mas logo fora tirada de seus pensamentos quando escutou o diretor avisar sobre uma nova aluna e a sua seleção, era sua vez, seria agora ou nunca de ir rumo ao Chapéu Seletor.

            No momento em que Hermione entrou no refeitório e viu os inúmeros olhares dirigidos para si sentiu um tremor subir por sua espinha, pois uma parte crucial do seu plano estava associado a uma conversa que havia tido com Harry sobre o peso da sua decisão para com o Chapéu sobre ir para a Grifinoria ao invés da Sonserina, estava contando com a sorte para que a velha herança de Grodric Gryffindor tivesse a mesma ideia da sua época se não boa parte do seu plano iria por água abaixo.

            Assim, que sentou e o chapéu foi colocado em sua cabeça apenas o silêncio estridente era ouvido em todo o salão, nem mesmo o velho instrumento de seleção abria a boca para se pronunciar, porém um segundo depois uma voz conhecida e sutil soou dentro de sua cabeça, era ele o Chapéu Seletor:

            - Falo aqui por necessidade, pois há questões que cabem somente a você. Vejo que te coloquei na Grifinoria em sua primeira seleção, mas aparentemente muitas coisas mudaram minha criança e sua ambição e lealdade hoje se fazem tão presentes como a coragem e nobreza típica dos leões, então onde irei coloca-la?

            Com toda sua força de vontade Hermione pronunciou apenas para si e o chapéu uma uma curta frase:  “- Sonserina, por favor”

            Depois do que pareceu um longo segundo o velho chapéu se pronuncia de forma baixa e calma:

            - Tem certeza, esse será um dos maiores desafios que irá enfrentar? Precisara de muita força de vontade e coragem para seguir adiante, conseguirá?

            A jovem bruxa apenas confirmou com a cabeça, então o Chapéu Seletor olhou para a plateia e disse em auto bom som: Sonserina!

            A mesa das cobras vibrou, recepcionada por alguns ela tomou lugar a mesa e pode perceber no canto Tom lhe observando, como se quisesse dissecar seus pensamentos e vasculhar sua mente, foi nesse instante que entendeu que ele estava tentado invadir sua mente, então o bloqueou o deixando visivelmente irritado, a partir daí Hermione passou a ter ainda mais certeza da dificuldade que teria em se aproximar do futuro Lord das Trevas, assim ela precisava dar início ao seu plano ainda essa noite.

Tom Riddle

 

            Tom estava visivelmente irritado, adoraria descontar em nascidos trouxas a sua frustração, afinal para excelente legimience ser bloqueado da forma que foi por uma garota que mal acabara de chegar era no mínimo irritante e ao mesmo tempo desafiador, pois esse pequeno contato mental mostrou que ela não era uma bruxa qualquer e o fato de ser encaminhada para a Sonserina confirmava esse fato, com isso o futuro Lord respirou e se controlou para assim traçar uma estratégia de aproximação com a garota, afim de conhecer mais sobre os poderes da senhorita Hermione Lothlórien.

            Ao findar do jantar já havia traçado um plano ao lado dos seus para começarem a sondar a garota nova, afinal precisavam saber se ela era amiga ou inimiga ainda mais sendo portadora de magia antiga. Assim, Abraxas fora selecionado para fazer um dos primeiros contatos com a jovem bruxa pois Tom era muito ocupados e os demais não tinham um talento para aproximações, ficando assim ao cargo do seu “melhor amigo” manipula-la e garantir respostas, porém o que o talentoso bruxo não contava era que o próprio destino estaria conspirando para o encontro dos dois.

            Passavam das 23h, Riddle inspecionava os armários atrás de fugitivos que saiam de suas casas para ficarem aos amassos em qualquer lugar do castelo e só nessa noite já havia pego até sonserinos quase sem roupas no armário de vassouras, claro que os advertiu mas não tirou pontos, isso ele deixava para as outras casas principalmente para com os Leões.

            Ao realizar a última parte da ronda na torre de astronomia uma movimentação chamou a sua, afinal no lugar das estralas várias nuvens de chuva haviam se formado dando um tom rosa ao céu naquela noite, aparentemente uma tempestade estava próxima.  E por conta disso quase ninguém iria aquele lugar, pois eram um dos locais mais gélidos da escola quando chovia, assim com cuidado subiu as escadas para não fazer nenhum barulho e posicionou sua varinha pronto para dar bote.

            Tom sentia a adrenalina correr por suas veias, afinal descontaria em quer que seja sua irritação:

            Com um sorriso maligno em tom de ameaçador Riddle ordenou: - Vire-se!

            A surpresa foi rápida principalmente ao se deparar com a nova aluna da Sonserina:

             - O que você está fazendo aqui a essa hora?

            A garota fitava ele com indiferença e presunção: - Estava apenas olhando para floresta.

            Intrigado Tom indaga com uma falsa indiferença: - Senhorita, está tarde e por não ser monitora deveria estar na cama, mas acredito que apenas contemplar o céu não seja uma justificativa plausível, por acaso perdeu algo quando aterrissou aqui?

            Em nenhum momento garota se intimidou com a sua presença ou demonstrou ter algum tipo de interesse romântico em Tom e isso era algo no mínimo curioso, afinal a maioria das meninas da escola demonstravam medo ou interesse nele. Enquanto isso Hermione continuava o encarando de forma desinteressada e usando de ironia lhe responde: - Hum! Acho que se perdi ou não algo não lhe diz respeito, só vim aqui contemplar a paisagem pois de onde venho tiramos a energia da natureza e canalizamos para nosso uso.

            Riddle tentou de todas as formas disfarçar a irritação com a resposta malcriada que acabara de ouvir, com isso respirou fundo e tentou tirar mais alguma informação da garota:

             - Engraçado que quando encontrei você aqui todas as suas coisas pareciam em ordem, menos seu estado. Devo presumir então que o local de onde a senhorita venha deva encara o desmaio e viagens secretas como algo normal, alias de onde vens?

            Hermione o encara com arrogância e presunção: - Se está tão interessado em descobrir mais sobre mim deveria ter se aproximado com mais sutileza, enfim boa noite Tom!

            Extremamente irritado o futuro Lord a segura pelo braço: - Não ouse falar assim comigo! Você não me conhece e não sabe do que sou capaz.

            A garota o encarou e tirou seu braço com força: - Eu digo o mesmo, você não sabe nada sobre mim então não me desafie Riddle, não sou como essas nascidas trouxa que você flerta e engana por ai e se você encostar essa sua mão outra vez em mim eu não serei tão educada! Passar bem.

            Assim que ela saiu Tom gritou com todas as forças, se houvesse uma viva alma ali mataria com toda certeza, a garota petulante com quem havia acabado de cruzar o havia desafiado como nenhuma outra pessoa e pagaria por aqui. Então ele riu de escarnio, ela pagaria todas aquelas ofensas, pois a usaria e despois a descararia como qualquer outro objeto trouxa e nesse dia ela pedira pela morte e ela não virá, mesmo ela demonstrando repulsa por trouxas.

            Com isso, um forte trovão cai e ilumina todo o céu de Hogwarts, assim anunciando a chegada da tempestade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...