1. Spirit Fanfics >
  2. "O Ryder tá chamando!" - SasuSaku >
  3. "O tio Sasuke é o Ryder!"

História "O Ryder tá chamando!" - SasuSaku - Capítulo 1


Escrita por: Srt_Sabaku

Notas do Autor


Olá, mocinhas(o) bonitas(o)!

Eu escrevi essa fanfic hoje, como fiquei como babá ontem, aí hoje acordei inspirada. Não, gente, eu não tenho a sorte de encontrar nenhum Sasuke na minha vida e os gêmeos que eu estava cuidando não tem nenhum tio (solteiro) pra ser meu namoradinho!😔😔😔😔

Vai ser uma estória curtinha, no máximo três capítulos, então não esperem por algo grande, rs

Espero que gostem, e me digam o que acharam desse primeiro capítulo!😁😁😁😁


Boa leitura!👉👈

Capítulo 1 - "O tio Sasuke é o Ryder!"


No relógio marcava exatamente 17h28, o que era muito bom e ao mesmo tempo não era. O lado positivo de ainda ser aquele horário, era que dava tempo de terminar de arrumar as suas coisas e terminar de se vestir. O lado negativo, era que teria que escutar as perguntas constrangedoras da sua sua mãe, curiosa para saber quem era o “garoto” com quem ela estava conversando na entrada da escola.

Chega a ser até mesmo uma história cômica, afinal nem mesmo ela sabia quem era aquele garoto petulante e encrenqueiro. Na saída da escola, este acabou esbarrando nela, a fazendo ir de encontro ao chão e ele sequer pediu desculpas, muito menos ajudou-a a levantar. Sakura ficou uma fera, levantou sozinha do chão, dando um empurrão no garoto, fazendo-o cambalear e por pouco não cair, o que o deixou muito irritado, ela também estava irritada, então ambos começaram a discutir. Sua mãe estava vendo de longe, mal se deu conta de que aquilo não se tratava de uma conversa entre uma garota adolescente e um garoto da mesma idade.

Quem era aquele garoto? 

Uma boa pergunta, mas ela não sabe responder, pois nunca tinha visto-o na escola, então provavelmente deveria ser algum aluno novo.

— Sakura, a Izumi chegou! — Pegou sua mochila na cama assim que ouviu a voz da sua genitora do outro lado da porta, caminhando até ali rapidamente. — Pegou tudo? Não está esquecendo nada?

— Peguei, mãe. É só uma noite, não vou morar na casa dos Uchiha 'pra sempre. — Sorriu, deixando um beijo na testa da mulher e se direcionando até a sala logo em seguida. — Oi, Izumi.

— Oi, Sakura. — A moça sorriu, levantando-se do sofá. — Vamos? 

— Vamos sim. 

— Pegou a escova de dente? — Sua mãe voltou a perguntar, Sakura concordou com a cabeça rapidamente. — Absorvente?

— Mãe! Eu já disse que é só uma noite! — Izumi soltou uma risada, olhando para as duas com atenção.

— Quando você for mãe, vai saber como é a preocupação materna. — A pronto, como se não bastasse sua mãe, até mesmo Izumi iria começar a incentivar a genitora a constrangê-la. — Eu só aceitei sair com o Itachi esta noite, porque confio em você e sei que vai cuidar muito bem do Itami, caso contrário eu não ia deixar meu filho qualquer uma.

— Ain, obrigada. — Abraçou a mulher de lado, vendo-a sorrir e concordar com a cabeça. — Vamos logo, senão vocês vão acabar chegando atrasados.

— Ah, é mesmo. — Ambas caminharam até a porta, tendo a mãe em seu encalço. — Até amanhã, Sra. Haruno. Não se preocupe, ela vai estar segura na minha casa.

— Até amanhã, mãe. 

— Tá bom, meninas. — A mais velha concordou, segurando na maçaneta da porta para fechá-la quando elas fossem embora. — Cuidado por aí!

Saindo de casa na companhia de Izumi, seguiram em direção ao carro da mesma estacionado do outro lado da rua. A noite já se fazia presente, a luz do poste em frente a sua casa não estava acesa, o que significava que outra vez havia queimado, por alguma razão isso sempre acontecia e era normal ver os homens da prefeitura por ali, sempre colocando uma lâmpada nova após as reclamações dos moradores da rua. 

Entraram no carro após atravessar a rua, colocando o cinto enquanto conversavam sobre a escola e sobre a vida de casada de Izumi. A moça foi sua babá quando Sakura estava com 7 até os 10 anos de idade, agora por ironia do destino ou até mesmo por confiança de Izumi para com ela, Sakura era babá do pequeno Itami, o filho de cinco anos da mulher. Não era a primeira vez que cuidava do garotinho, a primeira vez que ficou com ele, Sakura estava com 15 anos e Itami tinha dois anos e na primeira vez que ficou como babá, estava se tremendo toda, com medo do garoto fazer um escândalo na ausência dos pais, mas para a sua sorte, Itami era calmo igualmente o pai Itachi. 

Não demoraram muito para chegar na casa do casal, Sakura uma vez ou outra passava o dia com Izumi e o garotinho, já que Itachi trabalhava o dia inteiro. Como a moça sempre esteve presente na sua vida, até mesmo quando deixou de ser sua babá, Sakura a tinha como uma irmã mais velha, até mesmo como uma melhor amiga, já que confiava bastante nela e apesar de Izumi ser sete anos mais velha do que ela, ambas se davam muito bem. Era bom, como Sakura era filha única, não tinha muitas amigas na escola que eram de sua confiança, Izumi fazia uma grande diferença e deixava sua vida mais feliz simplesmente por existir. Ser babá de Itami não era ruim, Sakura ficaria com ele de graça se preciso, no entanto Itachi fazia questão de pagá-la sempre que ela tinha que cuidar do filhinho do casal.

— Tia, sorvetinho! — Itami gritou ao vê-la, levando do sofá às pressas para correr em sua direção. — Você vai cuidar de mim hoje!

— Vou sim, pequeno pirulito! — Abraçou o garotinho, dando vários beijos em seu rosto, fazendo-o gargalhar. — Eu vou ficar com você essa noite e vamos brincar até de manhã!

— O que? — Izumi perguntou alto, deixando a chave em cima da mesinha ao lado da porta. — Às 21h30, esse garotinho tem que estar na cama.

— Ah, mamãe…

— Ela não precisa saber que você não vai dormir. — Disse baixinho, fazendo ele sorrir, Izumi acabou sorrindo, afinal sabia que era tudo uma brincadeira para deixá-lo mais tranquilo na ausência do marido e ela. — Cadê o Itachi!?

— Não sei… — A mais velha olhou em volta, se dando conta de que Itami estava sozinho no sofá assistindo televisão quando elas chegaram. — Onde está o seu pai, Itami?

— Ele está se arrumando no quarto. Ele disse: “Itami, fique assistindo, eu vou me arrumar 'pra deixar sua mãe de queixo caído.” — Sakura olhou para ela e ambas começaram a rir, mas era nítido que ela ficou envergonhada. — E você não vai se arrumar, mamãe? Deixe o papai de queixo caído também.

— É, vai lá vai. — Disse, empurrando a mais velha em direção ao corredor dos quartos, um pouco sem graça, Izumi foi se arrumar. — O que você quer fazer, pequeno pirulito?

— Vamos brincar de caça ao tesouro, tia sorvetinho?

Esses apelidos que ambos deram um ao outro era desde que Itami era bem pequeno, não que ele fosse grande hoje em dia, mas fazia anos que ambos se chamavam assim. Quando Itami tinha dois anos, ele tocou nos cabelos dela e disse que era um "sorvetinho de morango", Sakura, até mesmo os pais do garotinho deram boas risadas, então Sakura tocou nos cabelos dele e disse que ele parecia um pirulito. 

Por que? 

Não sabia, mas foi a única coisa que veio em sua cabeça, mas deve ter sido por ele ser branquinho como o palito de um pirulito e ter os cabelos negros, como a bola de um pirulito pop do sabor de cereja preta. Ambos se davam muito bem, Itami gostava de ficar com ela, pois como ele ainda não tinha irmãos e não tinha com quem brincar na maior parte do tempo, Sakura era sua melhor amiga de brincadeiras. Quando cuidava dele, brincavam bastante até chegar a hora dele dormir, onde ela inventava histórias ou inventava a brincadeira de quem "dormir primeiro" é o vencedor, entretanto, no último ano, Itami ficou mais inteligente e não caía mais nesse joguinho.


(...)


Antes das 19h30, Izumi e Itachi saíram de casa, a deixando sozinha com Itami, este que estava brincando com os legos coloridos no tapete, enquanto olhava para a televisão uma vez ou outra, repetindo algumas frases dos personagens da patrulha canina e dava risadas em certas partes. Sakura aproveitou que ele estava “ocupado” para fazer o jantar, queria que tudo estivesse pronto até às 20h, assim ela daria banho nele e logo em seguida daria o seu jantar. Ainda tinham muito tempo até o casal voltar, ela não sabia o que fazer depois que Itami dormisse, afinal estava sem celular, pois tinha sido assaltada uma semana atrás e até então estava sem celular.

— Tia sorvetinho, você ainda gosta de patrulha canina? — Concordou, enquanto enxugava os cabelos deles com uma toalha azul com os personagens do cujo desenho. — Eu sou o Chase e você é a Skye.

— A Skye? Ela sabe voar, é legal. — Sorriu, pegando a lata de talco para passar em seu pescoço. — Eu queria voar.

— É, ela sabe voar e gosta de rosa como você, tia sorvetinho. — Soltou uma risada, deixando um beijo no rosto dele. — A mamãe é a Everest, o papai é o Marshall e o tio Sasuke é o Ryder!!

— Seu tio Sasuke? — Arqueou a sobrancelha, afinal não sabia de quem Itami se referia. Seria um amigo imaginário? — Quem é ele?

— O tio Sasuke, ele veio aqui e assistimos patrulha canina. 

— Ah, então tá. — Vestiu o pijama nele sem pressa. — É porque o seu tio Sasuke é o Ryder? Ele não pode ser um cachorrinho também?

— Não, o tio Sasuke disse: Eu vou ser o Ryder e mandar em todos vocês. — Disse com um sorriso, ele sequer sabia que Sasuke queria ser superior a todos eles. — Eu gosto dele, o tio Sasuke me dá doces escondido da mamãe e do papai.

— Isso é errado, não é? — Concordou, balançando a cabeça freneticamente, Sakura sorriu e o desceu da cama. — Mas eu vou guardar esse segredo, se você me prometer que vai comer todo o jantar daqui a pouco.

— Eu prometo, tia Skye.

Após dizer isso, Itami correu em direção a sala, se jogando no sofá, voltando a assistir seu desenho favorito que ainda passava na televisão. Sakura sabia algumas falas de cor, sabia o nome de todos personagens e tinha até mesmo alguns episódios favoritos, isso graças ao garotinho, esse que não abria a mente para ver outros desenhos e estava sempre assistindo patrulha canina. 

Colocou o jantar dele, o chamando para comer, apesar de Itami ser muito pequeno, ele cumpria com as suas palavras e era sempre muito atencioso com qualquer coisa. Se falar para ele que é hora de comer, ele vai comer; se falar a ele que é hora de estudar, ele vai estudar; se falar a ele que é hora de dormir, ele vai se deitar para dormir, demora, mas acaba dormindo em algum momento. Ele era muito inteligente, era de se esperar, o pai dele era novo, tinha 26 anos e era muito inteligente em tudo o que fazia, dono de um QI de dar inveja. Izumi também não ficava para trás, o que colaborava muito para o filho herdar a beleza e a inteligência de ambos.

Quando Itami estava terminando de jantar, a campainha tocou, Sakura de imediato estranhou, afinal ainda ia demorar para os pais do garotinho voltar e temendo um pouco a situação, caminhou devagar até a porta, o deixando sentado na mesa, sem demonstrar estar com um certo receio por não estar esperando ninguém naquele horário. Olhou pelo olho mágico para saber quem era, estranhando ainda mais quando observou a pessoa, encostando a testa na porta extremamente pensativa sobre aquela situação e era tudo deveras confuso. O que diabos ele estava fazendo ali? Será que morava ali perto? Era um dos vizinhos do casal?

Ela deveria abrir a porta?

Tomando coragem, destravou a porta, olhando para o rapaz, este que também arregalou os olhos ao vê-la e Sakura colocou a melhor expressão de tédio em seu rosto. Ele com certeza lembrava dela, seria muito estranho se não lembrasse, depois de ter a derrubado no chão, depois de terem discutido na saída da escola mais cedo naquele dia e naquele exato momento, Sakura queria dar o soco que não pôde dar mais cedo, já que sua mãe foi buscá-la. 

— O que quer?

— O que está fazendo aí? — Perguntou com desdém, ela sorriu em descrença e negou com a cabeça. — Vai me perseguir mesmo?

— Garoto, quem bateu na porta foi você, não eu. — Se encostou no batente da porta, vendo que ele olhou por cima dos seus ombros. — O que você quer?

— Entrar. — Disse óbvio, Sakura estava extremamente confusa com tudo aquilo. — Sai da minha frente ou eu vou derrubar você de novo.

— Me poupe, e se não for embora, eu vou ligar 'pra polícia. 

— Você é louca ou o que? — Soltou uma risada em descrença, Sakura estava começando a ficar irritada com aquele idiota. — Sai logo da minha frente, eu quero entrar.

— Eu não vou deixar voc-

— Tio Sasuke!!! — Itami gritou, passando por Sakura e indo até o rapaz para abraçá-lo. — Você trouxe doces 'pra mim?

— Eu trouxe, seu pai está em casa?

— Não, mamãe e papai foram jantar fora. — Sasuke o carregou no colo, a garota estava sem reação perante a situação. Ele não era um amigo imaginário? — Vamos assistir patrulha canina?

— Vamos sim, mas essa menina não me deixa entrar. — Disse como se fosse um segredo, mas falou alto o suficiente para ela ouvir. — E agora?

— A tia sorvetinho não tem permissão de deixar estranhos entrar em casa, mas você pode, tio Sasuke. — Ele sorriu, Sasuke também sorriu e Sakura ficou ali com cara de tacho. — Vamos, vamos, agora podemos brincar os três juntos.

— Pode entrar, mas vou ligar 'pra Izumi por precaução. — Saiu da porta, dando espaço para ele entrar, enquanto conversava com Itami logo atrás. — Você é irmão do Itachi?

— Somos parecidos?

— Não, ele é mais bonito e educado. — Sasuke gargalhou, ela o olhou com raiva e cruzou os braços. — Qual é a graça?

— Você acabou de me chamar de bonito.

— Eu não!

— Disse sim, mas disse que meu irmão é "mais" bonito, ou seja, eu também sou, mas o Itachi é mais. — Revirou os olhos, ignorando o mesmo, indo até o telefone para ligar de uma vez por todas para Izumi. — Você é parente da Izumi? Ou só uma babá qualquer?

— "Uma babá qualquer?" É, educação de fato não faz parte do seu dia a dia. — Levou o telefone a orelha, não demorou para ser atendida. — Oi, Izumi. Não, não aconteceu nada com ele, Itami está bem. É que chegou um rapaz estranho aqui, alegando ser o irmão do Itachi, o Itami 'tá chamando ele de "tio Sasuke". — Olhou para Sasuke, este que olhava em sua direção com a sobrancelha arqueada. — Sim, acho que posso cuidar dele também e eu acho que vai dar mais trabalho do que o Itami, mas eu aguento... Tchau.

— O que?

— Seu irmão mandou um recado: Sasuke, se comporte, a Sakura vai cuidar de você até eu chegar. — Sorriu com a situação, ainda mais vendo a expressão abismada do garoto. — Eu sou a Sakura, sua babá, "Ryder".


Notas Finais


Amanhã vou postar outro capítulo, e mostrar como esses dois vão ficar na presença um do outro depois da confusão na escola jahhahahaha

Me digam o que acharam se não for nenhum incômodo... 😁😁😁

Até amanhã!👉👉👉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...