História O Sabor da Paixão - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Drama, Hinata, Naruhina, Naruto, Romance
Visualizações 243
Palavras 2.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 20 - Lembranças Dolorosas


Fanfic / Fanfiction O Sabor da Paixão - Capítulo 20 - Lembranças Dolorosas

Ela não podia acreditar no que ouvia, como assim Kiba era mau? Certo, ele tinha ataques as vezes, e a primeira vez que ela o viu, ele não foi exatamente gentil até saber que ela era uma Hyuuga. Mas daí dizer que ele era alguém que ela não conhecia? Que história era aquela?

— Como assim mau? Ridículo, ou que não o conheço?

— Sei que é estranho, e que talvez você não acredite em nada que eu disser, mas o Kiba que você namorou, não é o que eu morei junto.

— Como assim Hanabi? Explica isso direito - Hinata apoiou os braços na mesa.

— Naquele dia da discussão toda, eu fui para o apartamento dele - Hanabi falou acanhada - ele me tratou muito bem, e tudo... mas foi só no começo.

— No começo? Quanto tempo? 

— Alguns meses... 

A mais nova mordeu o lábio inferior, visivelmente envergonhada, o rosto assumiu um tom avermelhado. Por longos segundos, esteve perdida em memórias, memórias essas que não pareceram boas, pela expressão em seu rosto.  

— Meses? Você só durou isso com ele?

— Bom... a gente saiu do Japão, e ele me levou para os Estados Unidos. No começo parecia tudo tão bem, íamos a todos os lugares juntos... mas eu não tinha influência nenhuma, diferente dele que conhecia muita gente. Você sabe, a gente já foi para lá, mas até quando fomos era o nosso pai o influente.

— Imagino que isso tenha sido ruim, você era bem popular aqui em Konoha - Hinata sorriu, mas havia certa astúcia em suas palavras.

— Isso foi o de menos, o pior é que ele saia para as noitadas, e me trancava no apartamento...

Hanabi falou abaixando a cabeça. Hinata engoliu as palavras que ouviu, todas em seco.

— Por que ele fazia isso? - perguntou incrédula.

— Eu perguntei isso muitas vezes - Hanabi deu um sorriso sem graça - ele me disse que eu não valia nada ali, uma mulher japonesa sem status em território ocidental... Eu sei que não parece, mas é. De alguma forma, ele estava lá, e só eu o conheci. Acho que ele se arrependeu de tudo, de me propor aquilo, e de me seduzir até que eu caísse... Não sou santa, nem vítima. Eu queria alguém que gostasse se mim, não precisava ser ele, mas... quando ele tentou, eu cedi. No fim, era você quem ele amava - as palavras saíram arrastadas, ela queria chorar.

— Se me amasse não tinha ficado com você - Hinata falou séria - E a propósito, quero saber, como vocês começaram?

Hanabi ficou em silêncio. A garçonete trouxe as xícaras, e ela imediatamente bebeu um pouco do café, afim de limpar sua garganta.

— Daquela vez que eu estava sem carro, acho que foi em janeiro... você o mandou me buscar na universidade, naquele dia ele me tratou diferente.

— E você cedeu tão rápido assim? 

— Não... foram mais de três meses, ele sempre indo aonde eu ia... A primeira vez que ele me beijou, ele veio com um discurso pronto. Você contou para ele não é mesmo? - Hanabi a encarou.

— Contei o quê? - Hinata ficou confusa.

— Sobre eu nunca ter estado com ninguém... - seu rosto ficou nitidamente corado - Quando ele veio falando que sabia que eu não tinha nada com ninguém, não tinha namorado, beijo ou sexo para manter na memória... eu fiquei surpresa, e de alguma forma, foi a brecha que ele precisava...

— Mas não me diga que quer jogar a culpa em mim? - Hinata deixou a xícara sobre a mesa.

— Não quero. Já disse que fui culpada, não devia ter aceito as investidas dele...

Ficaram em silêncio, apenas ouvindo as conversas das outras mesas. Alguns minutos de passaram daquela forma.

— Como terminaram? - Hinata tomou um gole da bebida quente.

— Ele me bateu...

— Como? - Hinata quase se engasgou com o café - Como assim?

Quando sua pergunta atingiu Hanabi, ela oscilou. Colocou uma mecha dos cabelos para trás da orelha e agarrou com força a alça da xícara, como se estivesse vivendo novamente coisas ruins.

— Ele chegou tarde em casa, e eu já não aguentava mais aquilo. Quando fui questioná-lo, ele simplesmente me deu um tapa na cara - Hanabi olhou para a xícara - As seis da manhã eu já tinha saído, peguei a carteira dele, e dei o fora.

— Você o roubou? - a outra perguntou incrédula.

— Sim, isso foi pouco até. Por tudo que ele me dizia, e pelo tapa. Eu não me juntei com ele para aguentar um bêbado.

— E ele não te achou mais? Hanabi...

Hinata se sentia mal em fazer tantas perguntas, mas estava curiosa demais para manter-se quieta e ouvir. Observar as ações de sua irmã, a maneira com que sua mão tremia toda vez que ela levantava a xícara para levá-la até seus lábios... fazia com que a Hyuuga sentisse a necessidade de lhe pedir mais informações.

— Ele me perseguiu enquanto eu estava nos Estados Unidos, comecei com o dinheiro, mas depois tive que usar os cartões. Quando ele me achou, me pediu para voltar, então voltei. Eu o amava, sabe? Ele me disse que estava nervoso com outra coisa, por isso tinha me batido...   - os olhos dela se tornaram molhados, umedeceu os lábios antes de prosseguir - mas fez de novo, e pior... Até o sexo com ele se tornou abusivo - respirou fundo, parecendo perdida em memórias ruins - Eu fugi de novo, e acabei conseguindo retornar para o Japão. Não soube mais dele... ao menos ele não me acusou de roubo quando eu roubei seu dinheiro de novo.

Hinata estava chocada com tudo aquilo. Tomou mais um pouco do café, pensando no que deveria fazer.

— Eu não sei o que dizer, isso é surreal...

— Mas já passou, não acho que ele possa me fazer mal aqui. Se bem que não ficarei por muito tempo... 

— Você vai ficar fugindo, se escondendo?

— Eu só estou de passagem aqui, não tenho planos para Konoha, e não quero que ele venha - ela respirou fundo - e o papai?

Perguntou sem olhar nos olhos de Hinata, mudou de assunto drasticamente, deixando Hinata surpresa.

— Ele está bem. A saúde não é mais a mesma talvez... Mas está bem sim.

— Sinto que nunca mais terei coragem de vê-lo...

— Você veio até mim, que fui a mais prejudicada. Não entendo por qual motivo não quer falar com o papai.

— Ele se decepcionou muito comigo, não acho que eu posso conquistar a confiança dele novamente.

— Eu também me decepcionei com você, e no entanto, estou aqui, te ouvindo...

— Sim... - Hanabi olhou para a xícara - Obrigada... eu sou um lixo, e mesmo assim você está aqui.

— Lixo... - ela pensou naquela palavra - Bom, suas atitudes passadas demonstraram isso. Mas se você está buscando mudar, não é mais isso - Hinata sorriu - Porém se isso for mentira, eu nunca mais vou te perdoar.

— Não é mentira, Hinata... Eu juro que tudo é verdade... Eu tenho marcas, se quiser ver.

— Não! - Hinata respirou fundo, sentiu-se trêmula por alguns segundos... marcas? - São muitas informações para mim, muitas ao mesmo tempo. Hanabi, eu preciso ir...

— Tudo bem...

O clima ficou estranho. Hinata se levantou, e tirou uma nota da carteira, deixando-a sobre a mesa. Seu coração doeu por deixar Hanabi ali, mas realmente, eram muitas coisas. Despediu-se apenas com um aceno, as pernas estavam quase totalmente bambas.

Seguiu até a saída, precisava de um tempo para pensar.

 

~~X~~

 

Rodou com seu carro por algum tempo, não sabia exatamente o que fazer. As palavras de Hanabi a perturbaram de tal forma, que Hinata se sentiu confusa. Quando deu por si, estava parada em frente a casa de Sakura, respirou fundo pensando se deveria ou não descer do carro.

— Hinata?

A Hyuuga quase deu um salto quando viu Sakura do lado de fora do carro, ela carregava algumas sacolas, provavelmente, vinha do mercado.

— Sakura...

— O que foi? Parece que viu um fantasma...

Hinata tirou a chave da ignição, e desceu do carro. Passou as mãos pelo rosto, inquieta.

— Posso conversar com você? É algo muito importante.

— Claro que pode, vamos entrar.

Elas seguiram para dentro. Hinata esperou na sala enquanto Sakura foi deixar as compras na cozinha. Naquele meio tempo, ela pensava em como deveria contar tudo para a amiga, desde o noivado até Hanabi.

— Fale, Hinata... Quer beber algo? - Sakura perguntou.

— Oh não, só se sente aqui - ela fez sinal para que a amiga se sentasse ao seu lado - Sasuke está em casa?

— Não sei, provavelmente não - Sakura olhou para o relógio - ele avisou que iria demorar. Diga Hinata, o que foi?

— A Hanabi voltou...

— Como assim? - Sakura imediatamente se espantou, sua amiga lhe jogou uma bomba - A Hanabi?

— Sim, a Hanabi... ela me ligou outro dia, e então me ligou hoje. Sakura, estou tão chocada com o que ela me contou...

Os olhos lilás perolados da Hyuuga imediatamente se encheram de lágrimas. Hinata estava angustiada de uma forma estranha, boa parte daquele sentimento era por Hanabi... não tinha como não acreditar nela, era sua irmã.

— Diga o que foi, Hina... ela casou com ele?

— Longe disso - respirou fundo, segurando o choro - ela não está mais com ele já faz um tempo...

— O tirou de você, e não ficou com ele? - Sakura a interrompeu - Mas que filha da mãe!

— Sakura... - Hinata fez um sinal para que ela parasse - ela ficou com ele, mas o Kiba que conhecemos, não é o mesmo que ficou com ela.

— Como assim? Hinata, você está me assustando... - a Uchiha realmente pareceu atordoada.

— Ele batia nela, foi abusivo, ela teve que fugir dele... tudo isso, segundo o que ela me relatou - a outra se encostou no sofá, sem ter o que dizer. Hinata cobriu seu rosto com ambas as mãos, falou entre elas - Hoje começou sendo um dos melhores dias da minha vida, e terminou essa porcaria. O Naruto me pediu em casamento e eu aceitei.

Certo, talvez devesse ter dito aquilo com mais tato. A boca de Sakura se abriu, mostrando claramente sua surpresa, seus olhos verdes estavam arregalados.

— Casamento?

— Sim... - Hinata passou as mãos na calça que vestia - eu o amo, depois da viagem, as coisas só foram ficando mais intensas. E hoje, quando ele propôs, eu pensei em não aceitar... mas como eu poderia fazer isso? Ele é exatamente o que eu queria, alguém que me respeita, apoia, compreende...

— Estou muito feliz por vocês - Sakura chegou para frente, segurando a mão de Hinata - de verdade.

— Obrigada...

Aquela palavra quase não saiu, Hinata começou a chorar, enquanto sua amiga não sabia o que deveria fazer.

— Por que está chorando, Hinata?

— Não sei se devo acreditar nela, se devo contar para o Neji... ou meu pai. Como ele vai reagir? Eu quero contar para ele que quero e vou me casar com o Naruto, mas como posso fazer isso, se estou angustiada com Hanabi?

— Olha... - a outra começou, trocou de assento, sentando-se mais próxima dela - você deve deixar a própria Hanabi tomar as decisões dela. Se ela quiser se mostrar para seu pai e seu primo, isso será uma decisão inteiramente dela. E com relação a acreditar ou não, ela tem alguma prova?

— Ela me disse que tem marcas... - Hinata secou uma das lágrimas - Fiquei tão chocada, que não soube o que lhe dizer.

— E o Naruto, ele sabe desse encontro?

— Não... eu estive com ele até a tarde, quando cheguei em casa, ela me ligou. Uma parte de mim quer que seja mentira... - suspirou - Não posso acreditar que ele fez esse tipo de coisa com ela... tenho medo de contar para o Naruto, e ele achar que estou preocupada com o Kiba, não com Hanabi.

— Se você explicar direito, ele não vai pensar assim. Se acalme... Naruto não tem a cara de quem vai te odiar por uma coisa que não é sua culpa.

Hinata respirou fundo, tentando se acalmar. Afinal de contas, Sakura estava certa... o que aconteceu não foi culpa dela, mas o que poderia acontecer dali para frente com Hanabi, talvez pudesse ser.


Notas Finais


ETA LELÊ!

O que dizer do Kiba, que nem apareceu mas já se mostrou um bosta? Só esperem, porque piora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...