História O segredo de Violet - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Crystal Reed, Kaichou wa Maid-sama
Tags Crystal Reed, Kaichou Wa Maid-sama
Visualizações 20
Palavras 1.883
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Capítulo 7


Fanfic / Fanfiction O segredo de Violet - Capítulo 7 - Capítulo 7

- Podemos ir embora? – Violet sentava no sofá

- É a festa não está me rendendo nada – Caroline balançava o copo desanimada.

- Eu entendo – a morena sussurrou.

- Você sumiu, pensei que tinha ido embora!

- Fui pegar um ar, muitas pessoas e lugares abafados não são legais.

- Precisamos de festas de adultos!

- Essa sua mania de querer ser mais velha me assusta, espero que isso não tenha haver com um certo professor.

- Ele não quer me dar aulas – Caroline encostou a cabeça nos ombros de violet – o que eu faço?

- Volte a se esforçar e esqueça essa história – Violet acariciou a cabeça da garota.

- É, vamos embora! Estou de carro hoje! – Caroline balançou as chaves.

- Espero que essa cerveja seja sem álcool mesmo.

As garotas pararam em um drive tour 24h, riram e fofocaram sobre a festa. Violet tentava disfarçar a curiosidade de Caroline sobre seu sumiço e se algo tinha acontecido. A ruiva estacionou em frente ao prédio de Violet e se despediu.

Finais de semana Violet trabalhava no café em turnos diferentes da semana. Prendeu o cabelo em um rabo de cavalo, colocou sua mochila velha e saiu. Chegando no trabalho Violet colocou seu uniforme e ouviu as meninas cochicharem.

- Ontem um rapaz veio buscar a Misuki de moto! – Sarah deu uma risadinha.

- Acho que era namorado dela!

- Shiiu, ela pode nos ouvir ...

A garota não deixou de pensar que pouco via sua colega sorrir ou imaginar ela namorando alguém.

- Violet, fico feliz que esteja melhor! – Sua chefe a abraçava sufocando.

- Estou bem melhor, obrigada chefa! – sorriu agradecendo

- Fico aliviada – deu mais um abraço sufocante -  tem alguém te esperando uns minutos – deu uma risadinha maliciosa.

Violet saiu da cozinha e olhou em volta até encontrar aqueles olhos verdes a encarando.

- Pelo amor de Deus – revirou os olhos

- Sabe, todas me atendem muito bem aqui, menos você – ele olhava o cardápio – vou deixar uma sugestão a sua gerente.

- Blaike, aqui é meu trabalho – ela colocou as mãos na mesa -  me diga o que você quer!

- Ok! – Ele sorriu, deixou o cardápio na mesa e respirou fundo – temos que acertar umas coisas, agora que eu sei esse seu segredo não sei bem se consigo guarda-lo.

- Quê?! – Violet sentiu seu corpo tremer.

- Bem, é difícil eu saber e não poder te chantagear com isso a meu favor, tem muitas coisas que eu queria que você me ajudasse!

- Fora de questão! – A garota negava com a cabeça

Sebastian levantou o celular e mostrou as fotos que ele tinha de Violet.

- Ninguém descobrira nada, preciso apenas de umas coisas – ele sorriu.

- Diga – Violet serrou os dentes.

- Tenho uns assuntos pendentes no colégio e você vai me ajudar a invadi-lo a noite.

- Não vou mudar suas notas, pode me denunciar se quiser.

- Eu sei que não – ele bufou – eu tenho excelentes notas Presidente.

- Então o que é?

- Hoje à noite eu explico. Finais de semana somente um vigia fica de plantão.

- Olha Blaike se eu me meter em alguma confusão que estrague minha imagem eu mato você. Eu juro, eu mato você!

- Gosto quando você fica com esse sangue nos olhos, é disso que precisamos hoje.

- Você só veio aqui para me chantagear ou vai fazer eu não perder meu tempo e dinheiro pedindo alguma coisa?

- O mesmo de sempre! – Sebastian abaixou o cardápio e arqueou uma das sobrancelhas com um sorriso cínico.

Violet tomou o cardápio da mão dele, e respirou fundo. Pensou que tinha que ter autocontrole no trabalho, ela já tinha trabalhado nisso para evitar certos acidentes que ela cometia no início por conta de seu estresse.

- Seu namorado é tão bonito! – Addison suspirava na bancada.

- É um verdadeiro príncipe, esse corpo, o sorriso – sua chefe dava uma piscadela para Violet que corava um pouco por pensar.

- Ele não é meu namorado, somos colegas de escola! – A garota respondia – e ele não é tão bonito assim.

- Ele é bonito mas tem cara de arrogante – Misuki surgiu atrás do balcão, como sempre, sua expressão era séria.

As garotas ficaram em silencio alguns segundos, era difícil ver Misuki dando opinião em alguma coisa.

- Bonito é uma ova – Violet sentava no banco da cozinha e passava os dedos entre as mechas do seu cabelo solto. Ficou pensando no que tinha se metido.

...

Violet arrumava as coisas na sua mochila, se sentia ansiosa por conta do plano que tinha mais tarde. Se despediu das outras colegas de trabalho e saiu pelos fundos.

- Pensei que você fosse sair mais tarde – Uma voz rouca soou.

- Pensei que você tinha desistido desse plano infantil – Violet retrucou.

- Ainda está muito cedo ... – Sebastian observava o relógio.

- Estou com fome, me pague comida!

A garota começou a caminhar, suas mãos estavam no bolso do moletom para aquece-las. O inverno estava chegando, Violet odiava essa estação.

Os jovens caminharam em silencio até uma barraquinha de Hot-dog. Violet pediu um combo completo com tudo que tinha direito, Sebastian disse que não estava com fome.

- Esse é o melhor hot dog da cidade! – Sua boca estava cheia e já tinha alguns respingos de molho em sua calça.

- Você não é nada discreta comendo – O garoto torceu o nariz.

- Você que é metido! Deve só comer coisas que seus empregados fazem.

- Eu moro sozinho – Murmurou.

Violet parou de mastigar e limpou a boca.

- Seus pais trabalham muito também? Eu sei como é isso, minha mãe é enfermeira e ela...

- Eu não estou interessado em saber sobre sua vida – Ele sorriu sarcástico.

- Que grosseiro, porque não estou surpreendida.

Violet fechou a cara e terminou seu lanche em silencio.

- Vamos de ônibus, o percurso é mais longo e a gente ganha tempo.

Violet iria perguntar sobre o carro de Sebastian, mas resolveu apenas balançar a cabeça fingindo não ligar.

- Porque você tá acenando pra esse ônibus?

- Porque é um ônibus não é?

- Você é muito burro, esse ônibus não vai pra lá! – Violet deu um tapa na mão do garoto.

Sebastian sentou no ponto do ônibus como Violet havia mandando, cruzou os braços e ficou observando o nada.

- Esse é o ônibus!

A viagem era tranquila, por conta do horário estava quase vazio, Sebastian ainda continuava com sua pose clássica de braços cruzados e Violet tentava ignorar o fato deles sentarem perto um do outro.

Chegando no colégio os dois seguiram por trás dos carros estacionados.

- Tudo bem! Essa é a hora que você me explica o que vamos fazer aqui! – Violet sussurrava.

- Preciso entrar na sala do diretor.

- O que tem lá?

- O que você só precisa fazer, é ir até aquela cabine ali – Sebastian se aproximou de violet e apontou – depois você vai entrar lá e coloca essa fita durex nesse botão aqui.

Sebastian tinha uma folha de papel com algumas imagens.

- Esse botão quando apertado trava as câmeras de segurança, mas ele precisa ficar pressionado.

- Mas lá é a cabine do Vigilante, ele vai ver!

- Ele com certeza deve tá dormindo!

- Não vou fazer isso, se me pegarem vou ser expulsa, perco minha bolsa...

- Olha pra mim! – Sebastian encarou Violet – Você não vai ser pega.

Os olhos verdes encarando aqueles olhos castanhos de violet a fizeram sentir um arrepio, ela concordou com a cabeça e respirou fundo.

O plano segui como Sebastian havia repassado. Ele ajudou Violet a subir pelo muro onde ela escalou até próximo a cabine que ficava próximo ao portão. Tentou ao máximo descer sem fazer barulho, por sorte ou não, Sebastian estava certo e o vigilante parecia estar em um sono profundo.

Violet abria a porta bem devagar, engatinhou pela sala e procurou o botão. O ronco do vigilante transformou em um engasgo a fazendo congelar, ela fechou os olhos e esperou alguns segundos. Olhou para o homem que ainda estava dormindo, apressou o passo e foi até próximo ao visor das câmeras. Pegou um pedaço da fita e colocou no botão fazendo as câmeras pararem os segundos.

Respirou fundo aliviada, quando ouviu outro ronco alto a assustando, fazendo engatinhar de volta.

Sebastian estava apoiado no muro, viu que Violet piscava sua lanterna. Era o sinal de que tudo estava certo.

- Ok! Agora vamos!

Sebastian e Violet entraram pela janela de uma sala aberta, Violet se enrolou pelas cadeiras fazendo um barulho.

- Quieta!

- Desculpe – retrucou.

Os jovens andavam próximo um do outro, as vezes esbarrando de tão próximo.

- A sala do direto tem uma senha!

- Esse dia não pode piorar – Violet balançou a cabeça negativamente.

- Não me subestime Presidente – Sorriu.

A escola era bem grande, e apesar de ser muito bonita, a noite parecia um prédio abandonado.

- Você tem medo de escuro?

- E-eu não! – Violet retrucou rápido.

Sebastian soltou uma gargalhada fazendo um eco. Violet segurou sua boca e fez sinal de silencio olhando para ele. Sebastian afirmou com a cabeça e seguiu.

- Tudo bem, como vamos descobrir a senha? – Violet colocava as mãos na cintura.

- Olha isso!

Sebastian tirou do bolso um pedaço de película e colocou na fechadura eletrônica, depois retirou lentamente e pronto as digitais estavam presas no plástico.

- Serio diretor? – Sebastian riu – 9876.

O som de porta destrancada soou.

Sebastian entrou na frente e ligou a lanterna.

- Essa é a coisa mais idiota e irresponsável que eu já fiz - Violet

- Essa é a primeira de muitas coisas idiotas e irresponsáveis que você vai fazer! – Sebastian arrombava a mesa do diretor.

Procurou alguns minutos entre várias papeladas. Violet observava o escritório quando viu o vigilante saindo da cabine.

- Droga Blaike apaga essa lanterna! – Ela se aproximou dele – O cara acordou, estamos fritos.

- Calma, acho que encontrei, fica olhando a porta qualquer final de luz me avisa vai!

Violet revirou os olhos, seu coração estava acelerado. Sebastian fotograva com o celular algumas páginas e seu coração também palpitava.

- Acho que ele está vindo – Violet correu até Sebastian.

- Rápido se abaixa

Os dois se encaixaram em baixo da mesa meio desengonçados.

- Aii! Você ta pisando no meu pé! – Violet sussurrava.

Sebastian tampou sua boca e fez o mesmo sinal de silencio para ela. A luz da lanterna estava no vidro da porta do diretor, por alguns segundos ela ficou apontando para vários lugares. O vigilante ainda meio sonolento bocejou e voltou a caminhar.

Violet e Sebastian se olharam e sorriram como se tivessem entendido que era missão cumprida.

- Vamos sair daqui! – Sebastian sussurrou.

Violet e Sebastian saíram pelo menos lugar, antes, voltaram até a cabine e retiraram a fita durex do botão. Violet subiu nos ombros de Sebastian e pulou o muro, e ele logo em seguida escalou sozinho.

- Obrigado!

- Acho que estamos quites agora?

- Não, ainda tem outros favores que eu preciso...– Sebastian apertou as bochechas de Violet que deu um soco em seu ombro. Violet bufou e saiu andando na frente, atrás Sebastian observava a garota que o incomodava por alguma razão, e mesmo assim, não queria ficar longe dela. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...