1. Spirit Fanfics >
  2. O Segredo Sombrio (Vampiros e Lobisomens) >
  3. Scott

História O Segredo Sombrio (Vampiros e Lobisomens) - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpa ficar sem postar, mas minhas aulas voltam agora e eu ficarei sem tempo, acabei de entrar no ensino médio e precisarei estudar bastante.
Postarei caps novos só no sábado e no domingo, se eu tiver tempo postarei durante a semana.

Capítulo 28 - Scott


*-*-*-*-*  Agatha *-*-*-*-*

Acordo com batidas na porta, quem diabos vem me visitar de manhã, só queria dormir mais! Me levanto de mau humor, abro a porta e vejo o lindo albino, ele está usando uma roupa social, esqueço completamente a raiva de ele me acordar a essa hora, ele está tão belo de roupa, pois só tinha visto ele sem camisa. 

- meio cedo para aparecer não acha? / Pergunto olhando o albino calmo.

Dante - estarei ocupado a noite pois será lua cheia.  Posso entrar? 

- sim. / Falo ainda sonolenta

Dante entra na casa e senta no sofá, também me sento.

Dante - qual sua escolha? Ficar ou ir comigo? / Diz  olhando diretamente para mim.

- eu pensei que só apareceria a noite, ainda não tenho resposta. / Falo envergonhada.

Dante - já tem uma resposta pré definida?

- sim, só quero saber uma coisa.

Dante - pode perguntar.

-  poderei voltar?

Dante - sim, só quero que aprenda a viver.

- acha que posso voltar daqui a três meses? / Quero voltar para minha família logo.

Dante - eu não irei de prender.

- você acha que estarei pronta para voltar daqui a três meses?

Dante - não posso prever o futuro, mas acho que sim.

- você sabe que eu completei......

Dante - sim, sinto em seu cheiro que é igual a mim agora.

- sempre que estou perto de um humano sinto vontade de devora-lo. / Me odeio por sentir fome de humanos.

Dante - não se preocupe, vai conseguir dominar a fome, mas parar de querer devorar um humano e quase impossível já que você precisa beber sangue humano.

- só quero ter a certeza que não irei ferir ninguém que eu amo. 

Dante - parece que essa lista de pessoas que ama é bem grande.

- eu acho que é pequena.

Dante -  oque quer fazer até anoitecer? / Sinto malícia nessa frase.

- quero visitar meu pai. /Não vejo ele é muito tempo, também quero esclarecer algumas coisas antes de ir embora daqui.

Dante - tudo bem. Quer ir agora? 

- Não! Quem visita uma pessoa as sete horas da manhã além de você!?

Dante - quer conversar?

- por que é tão misterioso?

Dante - não me acho misterioso.

- oque irá fazer durante a lua cheia?

Dante - ...........

- viu misterioso.

Dante - quando me conhecer melhor verá que sou mais gentil. / Por que estou sentindo malícia nessa frase também.

-  você tem uma destinada? / Vejo a expressão dele mudar um pouco.

Dante - por que está perguntando isso? 

- por que está saindo do assunto?

Dante - por que tanta curiosidade em destinação? / O albino parece curioso, ele parece estender muitas coisas.

- minha loba quer encontrar o destinado dela e eu queria saber mais. 

Dante - você quis dizer o seu destinado, pois não é só dá sua loba, também é seu. / Por que todo mundo me corrigi?

- e se eu não querer? / Essa pergunta faz os olhos de albino se voltar para mim, esse assunto parece um pouco mais sério.

Dante - você pode negar seu destinado, mas toda escolha tem conseguencias.

- tipo?

Dante - você e sua loba não serão mais próximas, isso te deixará isolada e sozinha se não tiver ninguém que goste por perto. / Eu não sei o motivo mas esse assunto me dá a impressão que ele está triste mesmo não demostrando.

- como é a relação entre você é o seu lobo? / Pergunto por curiosidade.

Dante - distante. / Diz olhando para o teto.

- como é ser distante de seu lado lobo?

Dante - fiz algo que o fez me odiar, ele não fala mais comigo e nem com ninguém. Ele só aparece no forma de lobo, só caça e corre, nunca fez nada que me fizesse odiar ele. / Foi por isso que o lobo dele não me respondeu.

- oque seu lobo irá fazer nessa noite de lua cheia? 

Dante - defender seu território e ficar em silêncio como sempre. / Ele parece estar acostumado com seu lobo assim.

- quer me falar por que seu lobo te odeia? 

Dante - um dia eu falo se decidir vir comigo. / Diz olhando para mim.

- seu lobo é depressivo?

Dante - essa pergunta é bem estranha.

- esquece, vou caçar. / Falo me levantando.

Dante - consegue pegar um veado sozinha? / Pergunta me olhando.

- não sei, sempre tive ajuda.

Dante - quer ajuda?

-  seu lobo não irá me matar né?

Dante - não, só deixe ele se alimentar primeiro.

(Loba - tô com medo, vai que o lobo dele quera me matar.)

- minha loba está com medo.

Dante - peça a ela para te deixar no controle.

- você não fica mais no controle na forma de lobo?

Dante - não, mas posso negar me transformar, só não faço isso para não irrita-lo mais.

- estou com fome. / Falo saindo da casa, será que devo me transformar na frente dele.

Vejo o albino tirar sua camisa, não acredito que ele irá se transformar na minha frente, apesar que estou curiosa em ver............  Por que estou me sentindo como uma cadela no cio. Saio de perto dele e tiro minha roupa atrás de uma árvore,  sentir o vendo bater em meu corpo nú me dá arrepios, forço meu corpo a se transformar, como essa merda dói, pelo menos está sendo mais rápido.

Já na forma de loba saio de trás da árvore,  o lobo branco está me olhando, ele é maior que eu, talvez por ser macho. O grande lobo branco começa a correr e eu vou atrás dele, vejo ele abater um alce sozinho, tenho que me lembrar de nunca irritar ele, o lobo começa a comer o alce, tento me aproximar mas ele rosnar para mim, fico na posição de cachorro pedindo comida, depois de comer ele olha para mim por alguns segundos antes de sair de perto do alce abatido e deitar na grama, me alimento enquanto ele está descansando.

Acho que vai ser difícil me aproximar dele, ele não parece querer me ferir só está querendo respeito como alfa, depois de me alimentar vou até um lago e tiro a sangue de meus pelos brancos na água.

(- você tem um nome? Esquece, provavelmente não irá me responder.) Parece que realmente não irá, fazer oque.

(Lobo branco - meu nome é Polo.)

(Loba - vamos correr?) Agora minha loba quer aparecer que merda em, só queria saber mais.

Não estou mais no controle, só sei que estou correndo, o lobo branco é bem mais rápido que minha loba, então ela não irá vencer. Eles param em frente a uma cachoeira, minha loba deita no chão cansada, quando abro os olhos estou na forma humana nua, estou cansada, não acredito que ela correu até desmaiar! O lobo chamado Polo está  me olhando calmo, não quero me transformar novamente, mas não posso voltar para casa nua.

(- por favor, pode trazer minhas roupas, não quero passar pela transformação novamente.) Provavelmente ele não irá aceitar.

Vejo o lobo se levantar e correr, talvez ele tenha ido embora, não custa nada esperar para ver, me aproximo da cachoeira e vejo meu reflexo, eu mudei demais, toda mulher iria querer ficar assim mas eu não sei se gosto, estar nua na natureza faz eu me sentir viva, parece natural viver sem roupa.

Escuto sons de galhos se quebrando,  olho para trás e vejo o lobo branco com minhas  roupas na boca, ele coloca no chão, pego minhas roupas e me visto, sinto que o Polo não para de me olhar agora. Já vestida vou até o lobo e faço carinho nele.

- obrigada. Você é o lobo mais gentil que conheci até agora. 

(Dante - vai me deixar com ciúmes falando assim com ele.) 

(- você deve ser um monstro para fazer mal a ele.)

(Dante - eu não queria mas não tive escolha.)

O lobo corre em direção a minha casa, começo a andar de volta, Polo já deve estar lá, depois de muito caminhar chego ao meu destino, Dante está me olhando com um sorriso.

Dante - demorou bastante, por que não se transformou? / Diz curioso.

- porque dói muito.

Dante - depois de muito treinar irá parar de doer. / Diz me olhando calmo.

- agora preciso visitar meu pai, tchau. / Falo indo em direção a garagem que não tem um carro só uma bicicleta.

Dante - eu vim de carro, posso te levar. / Diz me olhando calmo.

- como vou explicar para o meu pai se ele ver?

Dante - só dizer que sou seu namorado. 

- irei dizer que é meu amigo, como você tem um carro? / Quero muito saber.

Dante - eu sou dono de empresa. Não posso viver só na floresta. /O albino é rico igual todo mundo nessa merda de cidade, por que não nasci rica😔.

- vamos. 

Vejo um carro preto lindo estacionado na pista vazia, esse carro parece ser da última geração, ele realmente é rico, me pergunto se um dia serei também, respiro fundo e entro no carro, ele está calmo, queria ter falado mais com Polo, sobre o Dante, não quero demostrar mais estou insegura com tudo que está acontecendo.

Dante - sabe onde é a casa de seu pai?

- sim, irei colocar no GPS. 

Depois de meia hora de silêncio no carro chegamos, o carro para em frente a uma casa grande, essa é a outra casa do meu pai, ele tinha dito que vendeu mas parece que sua amante vive aqui provavelmente. Saio do carro e bato na porta, fico esperando por alguns minutos, uma mulher de cabelos castanhos quase pretos abre a porta, ela tem pele clara, olhos verdes e tem um corpo bonito.

Mulher - olá, quem é você? /Pergunta a mulher sorrindo.

- Agatha. / Falo e a expressão da mulher muda, ela parece não saber oque dizer.

Mulher - podem entrar, seu pai já irá chegar. / Diz nós deixando entrar na casa, pensar que meu pai nos enganou todo esse tempo me faz odia-lo.

Me sento no sofá, Dante está ao meu lado, vejo dois garotos correndo pela casa, é difícil pensar que estou na casa da outra família do meu pai e que os garotos são meus irmãos. Depois de alguns minutos meu pai aparece, ele parece feliz, mas não consegui perdoa-lo pelo que ele fez com a minha mãe.

Scott(pai) - fico feliz que tenha vindo me visitar. / Eu não vejo meu pai a tanto tempo, ele sempre estava ocupado no "trabalho" e quase não aparecia em casa.

- eu vim aqui para saber mais sobre minha irmã gêmea que morreu. / Falo pois não quero ficar muito tempo aqui.

Scott - Agatha, eu só menti por que não queria destruir nossa  família, você e seu irmão estão me ignorando, ele nem quis que eu me aproximasse dos meus netos. / Eu realmente não estou bem para falar sobre isso.

- irei viajar hoje. 

Scott - posso perguntar quem é ele? / Meu pai sempre foi protetor demais comigo, nunca deixava garotos se aproximarem de mim, sempre colocou na minha cabeça que eu tinha que casar e tal. / Não estou com vontade de responder.

Dante - meu nome é Dante Reed, sou o namorado de sua filha. / Diz com um sorriso simpático, nem sabia que ele podia ser assim.

Scott - é um prazer conhecer você. É sério oque vocês tem? / Diz meu pai ainda sério.

- PAÍ! / falo brava.

Scott - oque quer saber?

- minha irmã, oque aconteceu no parto da minha mãe. 

Scott - sua mãe caiu da escada e foi levada para o hospital pelos pai do Oliver, quando cheguei no hospital sua mãe parecia dopada pelos analgésicos, ela disse que uma mulher com uma tatuagem de estrela de 7 pontas levou nossa filha, mas depois o médico me explicou que uma das meninas nasceu morta. Sua irmã foi enterrada no cemitério da cidade, no túmulo está escrito Amy Morin.

- entendo.

Scott - vai viajar por quanto tempo?

- 3 meses eu acho. Tenho que ir. 

Falo me levantando, saio da casa ao lado de Dante que está em silêncio, parece estar pensando em algo, entro no carro.

Dante - e então, qual sua decisão?

- irei com você. / Ele sorri e dirige para fora da cidade.

Agora eu não sei oque esperar.




Notas Finais


Comentários sobre o capítulo me faz melhorar a história.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...