1. Spirit Fanfics >
  2. O servo do Rei (Namjin) >
  3. Jin

História O servo do Rei (Namjin) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Uma boooa menina faz ASSIM !
Cap novo pq tô INS-PI-RA-DA ♡♡♡♡

Capítulo 2 - Jin


Fanfic / Fanfiction O servo do Rei (Namjin) - Capítulo 2 - Jin

Naquela noite, os guardas jogaram Jin no fundo de uma das celas da masmorra, juntamente com um estrupador acusado de pedofilia e um assassino de aluguel, acusado de tentar matar uma das servas do rei, chamada Maya, a qual o rei possuia uma preferencia maior por ela na cama.

Jin se arrastou no chão ate um canto escuro e umido, tentou observar o pouco que podia naquele local escuro, as paredes eram de tijolos grossos, haviam correntes que prendiam os homens nas paredes e ate mesmo no teto onde poderiam ficar pendurados por dias sem a menor piedade. Um dos guardas, apareceu um uma roupa limpa e um balde se agua, o qual jogou em Jin que se assustou com o liquido gelado e o olhar de desprezo do homem, então o mesmo jogou nele uma calça e uma blusa da cor branca e velha. 

— Vista-se — o homem diz em tom grosseiro  — O rei irá ve-lo amanhã de manhã.

Jin ficou em silencio, afinal, imaginava que se dissesse algo seria decaptado ali e deixado aos ratos. Um tempo depois os guardas trouceram pão e agua para quem estava ali, os outros presos comeram mas Jin apenas se recolheu em um canto, ele não sentia fome, sede ou qualquer outra coisa, ele apenas desejava sair daquele lugar assustador. Mas para onde iria se saisse dali? A verdade que ele presenciou fora daquelas grades o assustava muito. Ele vinha de uma aldeia fora das terras, onde camponeses viviam de forma independente, um lugar que não fazia parte de reino algum. Sua familia havia sido brutalmente assassinada por seu pai e ele fora vendido como escravo para um nobre em Nercius, do qual depois de ser brutalmente espancado ao se negar fazer sexo com ele, conseguiu fugir.


Jin dormia quando ouviu a porta da masmorra ser aberta, ele continuou em seu canto, o local era fechado e não dava para distinguir o dia da noite. Ele viu um homem entrar, o rei, e a beleza dele fez os olhos de Jin brilharem admirados com o quanto Namjoon era bonito. 

— Tem minha permissão para falar — Namjoon diz se aproximando de Jin com um olhar frio — Oque faz em minhas terras? 

— Eu... — Jin tentou organizar as palavras em sua mente — Eu fuji...

— Fujiu? De algum reino? — Namjoon cruzou os braços — Explique-se!

— N-não... — Jin se sentiu congelar por um momento ao lembrar dos corpos de seus pais naquela noite — Minha familia foi assassinada, meu pai ... — Uma lagrima escorreu no canto de seus olhos — Ele os matou, e me vendeu a um nobre em Nercius. — Jin respirou fundo para não cair no choro e conseguir se explicar — Aquele homem me bateu e eu fuji. Por favor, senhor, não me mate, eu não quero fazer mal a ninguém.

— Você tem parentes em meu reino? Ou em outro lugar? — Namjoon se aproxima e pede que os guardas retirem as correntes do garoto — Isso ocorreu dentro de meu dominio, me diga quem é este homem e eu tomarei as devidas providencias para que seja julgado.

— E-eu, eu não sei, não conheço nada aqui senhor — diz Jin ainda encolhido no canto — Oque me lembro é que ele tem um bar e eu acho que funciona como bordel.

— Siam, investigue isso! Não permito tais crimes em meu reino, seja quem for o traga até mim — Namjoon ve o guarda sair e então se vira para o garoto, o olhando detalhadamente e por um segundo sentiu seu corpo esquentar ao ver o rosto delicado que Jin possuia. — Guarda! Leve ele para Bae e o deixe aos seus cuidados.


Namjoon estava em seu quarto observando o jardim. No harém, Bae, um homem bonito de pele clara e cabelos castanhos compridos, cuidava do bem estar de todos os servos do rei. Um dos guardas chegou com o garoto e o empurrou para frente, Bae o observou e segurou seu queixo para olhar bem o rosto do jovem que possuia alguns arranhões.

— Você tem algo especial meu jovem. Nunca vi algo assim — Bae olha o garoto de cima a baixo — Devo trata-lo com outros olhos, um banho de rosas irá dar cor a sua pele novamente e sua roupa sera de uma seda mais exotica, Mulberry* dará um toque sensual a você.

— Eu... — Jin suspirou e desistiu de falar algo

— Vamos! MINERVA! — disse Bae chamando uma criada — Prepare o banho do garoto.

Jin estava em uma banheira, a agua estava quente e as petalas de rosas boiavam lentamente ao seu redor. A criada, Minerva, passava uma bucha macia em suas costas evitando passar com força o local onde haviam hematomas. Jin apenas ficou ali, sentindo o calor da agua e brincando com as petalas por um tempo. Depois fora experimentar a roupa que Bae havia dado a ele. Era uma calça azul, levemente folgada mas que não deixava de marcar o quadril de Jin, o tecido não era tão transparente como o dos outros servos, era mais opaco. Bae tambem deu a Jin um xale de seda azul , no qual haviam alguns desenhos pintados a mão com pó de ouro, e ele usava para cobrir os ombros e deixar caido em seu tronco, deixando apenas seu abdomen a mostra.

— Céus! Que orgulho eu tenho de você neste momento — Bae diz emocionado — Bom garoto, vamos la, tenho que te explicar algumas coisas. A primeira delas é: Não fale sem a permissão do rei. Pergunte a ele se você pode falar, caso ele diga que sim, voce fale, se ele negar é melhor que cale a boca. Segunda regra: Não se aproxime ou toque o rei sem que ele o tenha chamado, a ultima que fez algo assim perdeu a cabeça. Terceira regra: Não saia do palacio sem permissão ou um guarda, se precisar comprar algo peça a uma das criadas do harém. Estamos entendidos? 

— Sim... — Jin balançou a cabeça 

— Otimo! — Bae sorri — Você pode caminhar o quanto quiser pelo jardim, usufrua de tudo que desejar, temos frutas frescas e variados alimentos na mesa, se gostar de ler temos uma biblioteca logo ali atrás daquela porta. Ah! E só mais uma coisa, uma quarta regra que serve mais como um conselho: sempre sorria para o rei, você é bonito demais para ficar com essa carinha murcha.


Jin havia pego um livro, uma das coisas que mais amava fazer, ele caminhou pelo jardim por um tempo procurando um lugar onde poderia ficar sem problemas. Ele tentou pegar uma das maçãs, mas não as alcançou, entao se sentou em baixo da uma macieira e começou a ler sentindo uma leve brisa balançar seus cabelos. Da janela, Namjoon observava tudo, inclusive podia ver claramente o garoto sentado lendo tranquilo.

— Meu rei, permita que eu fale — o guarda se ajoelha quando entra no quarto de Namjoon e depois de ver um aceno de cabeça volta a falar — Investigamos a historia do tal Jin, é veridica. De acordo com os moradores da aldeia, o pai dele matou a mae e os tres irmaos menores do garoto e depois o vendeu para Do Hyun , um dono de bordel. Tambem o investigamos e ele confessou ter agredido Jin quando ele se recusou a ter relações sexuais com os clientes.

— Obrigado Siam, fez um bom trabalho — diz Namjoon ainda olhando pela janela — Esta dispensado por hoje.

Namjoon ficou ali observando Jin por horas, os labios do moreno eram vermelhos como cereja, e seus cabelos negros balançavam com a brisa, sua pele branca instigava mais ainda a vontade que Namjoon estava tendo de marca-la por todos os lados. Ele desceu as escadas, passou por seus guardas e foi até o jardim, caminhou tranquilamente por um momento até que chegou  onde tanto desejava estar, na frente de Jin que o olhou um pouco assustado.

— As maçãs estão muito bonitas hoje, não acha? — Namjoon pegou uma em um galho e a ofereceu a Jin e o garoto aceitou com um breve sorriso — Gosta de ler?  — Jin segurou a maçã e acenou positivamente com a cabeça — Bom, pode procurar livros na biblioteca do palacio, no harém não tem muitos pelo que sei.

— Posso? — Jin perguntou entusiasmado mas logo levou a mão a boca 

— Não tem problema que fale — Namjoon se sentou ao lado dele, sem tirar os olhos de Jin — Esta muito bonito, Jin.

— Obrigado senhor... — Jin sorriu timidamente enquanto olhava distraidamente para seu colo, tentando não encarar o rosto do rei— O senhor tambem é muito bonito.

— Jin vire seu rosto para mim — diz Namjoon pegando no queixo do garoto e o virando levemente para ele, percebendo as bochechas coradas do moreno — Eu quero te beijar.

— M-me beijar? — Jin perguntou surpreso e engoliu um seco 

— Algum problema? — Namjoon aproxima mais seu rosto do dele ainda segurando seu queixo — Você não quer?

— Não ... — Jin diz de repente e vê o rosto surpreso de Namjoon — N-não meu rei eu, eu gostaria muito mas... — Jin cobre seu rosto com as mãos — Eu nunca beijei antes, não quero decepciona-lo.

— Este seria seu primeiro beijo então? — Namjoon sorri ao ver Jin acenar com a cabeça — Olhe para mim e me fale, quer que eu te beije?

— Sim meu rei — Jin vira seu rosto e sente os dedos de Namjoon em sua nuca enquanto seus rostos se aproximam 

Namjoon encostou seus labios nos de Jin, um breve selinho que calmamente foi substituido por um mais demorado, o moreno cedeu passagem para a lingua de Namjoon percorrer sua boca e saborear o gosto que ela tinha. Namjoon puxou Jin para mais perto de si, enquanto uma de suas mãos acariciava a nuca do moreno,a outra apertava sua cintura por baixo do xale. Os dois se beijaram, Namjoon explorava cada canto da boca de Jin com luxuria, sentindo tambem a lingua quente do parceiro. O ar veio a faltar nos dois quando separaram seus labios, mas ainda mantendo-se juntos , Namjoon parou por alguns segundos para analisar o abdomem exposto de Jin, as curvas de seu corpo eram impressionantes.

— Jin — ele disse colando sua testa com a do moreno — Não quero você com outro, entendeu? Você pertence a mim! 






Notas Finais


Mulberry é a seda mais fina e macia, sendo o tecido de seda mais caro do mundo.

Pessoinhas, por enquanto os meninos não aparecerão, eles fazem parte de outros reinos mas jaja eles vão aparecer na bagunça.

Estão gostando? Prefere caps mais curtos ou assim esta bom?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...