História O Seu Nome - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Aquarius, Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jude Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Wendy Marvell
Tags Lucy, Nalu, Natsu, Romance, Sonhos, Troca De Corpos
Visualizações 26
Palavras 1.549
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá meus queridos e queridas, como vocês estão?
Aqui está mais um capítulo e nele não acontece nada demais, é apenas mais uma apresentação de personagens. No próximo as coisas começam a ficar interessantes!
Vou TENTAR postar toda Terça-Feira, já que nesse dia eu saio mais cedo da faculdade e entro no trabalho só a noite (sou professora de inglês). Não prometo nada, preparando o coração de vocês, já que as vezes posso ficar uma semana inteira sem aparecer aqui.
Vou parar de falar e deixar vocês lerem o capítulo finalmente.

Boa leitura a todos e caso haja erros por favor me avisem! <3

Capítulo 3 - Segundo Capítulo


Segundo Capítulo — Natsu Dragneel 

 

Natsu acordou com dor de cabeça naquela manhã. Sentia-se como se alguém tivesse lhe dado um soco no rosto enquanto dormia, porém tomou um grande susto ao se olhar no espelho e ver uma grande mancha arroxeada no seu olho direito.

— Mas que porra é essa? — foi a primeira coisa que disse naquela manhã. Depois daquela surpresa repetiu inúmeras vezes ao decorrer do dia.

O sinal do almoço tocou por toda a escola e acompanhar os amigos até a cantina.

— Cara, você sabe o que aconteceu comigo ontem? — Natsu questionou o amigo que estava ao seu lado na fila.

Gray era mais alto que Natsu. Os cabelos escuros e volumosos, a pele pálida e o sorriso irônico eram marcas registradas do Fullbuster. Ao ouvir a pergunta o amigo levantou uma das sobrancelhas e cruzou os braços, segurando o dinheiro em uma das mãos.

— Você está falando sério?

Natsu não disse nada, apenas encarou o amigo enquanto davam um passo para frente. Aquele olhar simples fez com que Gray entendesse que o rosado não se lembrava realmente de nada.

— Ontem você estava muito estranho. No horário do almoço começou a irritar o Laxus, fingindo dar em cima dele, ou algo do tipo e ele lhe deu uma ótima resposta — Gray apontou com o queixo para o olho de Natsu que arregalava os olhos enquanto ouvia o relato do amigo.

— Eu fiz o que? — Natsu questionou pasmo. Ele era o próximo da fila e então pediu rapidamente o seu almoço. Sem ouvir a resposta de Gray, Natsu foi para outra fila, um pouco maior, onde os alunos esperavam pela bandeja de comida.

— Você parecia querer muito irritar ele, ficava mandando beijinhos e coisas assim — o moreno ri com a lembrança — Até que ele se levantou muito irritado e lhe socou a cara. Você deve ter perdido a memória com a pancada.

Gray voltou a rir. Laxus era um rapaz do último ano, participante do time de box da escola e campeão nos jogos interescolares. Laxus não era o tipo de cara que você deveria ficar brincando sem ter o mínimo de intimidade para isso.

Natsu realmente não se lembrava de nada. Porém ao olhar Laxus entrando pela porta da cantina e lhe enviando um olhar assassino, o rosado realmente entendeu que tudo era verdade.

Após o almoço teve ainda mais uma aula e o treino do time de basquete. Assim que saiu do banho enrolado em uma toalha recebeu uma mensagem no celular:

“Oi Natsu, você consegue me substituir hoje?”

Suas bochechas rapidamente coraram e um sorriso ingênuo apareceu nos lábios. Lisanna havia mandado finalmente uma mensagem para ele. Mesmo que fosse simplesmente uma mensagem sobre o trabalho, ele estava satisfeito com aquilo.

Ainda molhado, enrolado na toalha respondeu a colega de trabalho com um sorriso no rosto. Gajeel, seu amigo e capitão do time, estava passando no exato momento em que viu o rapaz enviando a mensagem.

— Está mandando mensagem pra namorada? — ele zombou com as mãos no quadril, igualmente usando apenas uma toalha.

— Quem me dera — Natsu suspirou guardando o aparelho na mochila e começando a se enxugar.

— Você precisa tomar uma atitude cara — a voz de Gajeel era grossa e potente. Ele vivia se arriscando a cantar no vestiário para os companheiros de time, que ficavam zoando a paixão do rapaz pelo canto.

— Não preciso não — Natsu riu pelo nariz finalmente usando pelo menos a calça escolar.

— Vai ficar suspirando de amores pela menina sem que ela saiba? — Gajeel permanecia nu na frente do rosado, que se recusava a olhar para o rosto do amigo.

— Sim.

—Você é um fracote!

— Obrigado — Natsu sorriu e finalmente levantou os olhos para ver o rosto do amigo. Gajeel tinha os cabelos selvagens e compridos, atingindo a própria cintura, além disso o adolescente tinha alguns piercings no rosto, porém sempre que tinha algum jogo o rapaz retirava todos eles para não acabar se machucando muito.

— Vou indo — Natsu disse enquanto abotoava a camisa escolar — Tenho que substituir ela hoje no restaurante.

O caminho da escola até o restaurante era curto. O restaurante onde Natsu trabalhava é situado em Shibuya, o centro comercial de Tóquio, sendo um dos restaurantes mais conhecidos por turistas e economistas estrangeiros.  

Chegou minutos antes do horário que Lissana deveria trabalhar e rapidamente trocou de roupa, colocando o uniforme do local. Segurou a bandeja preta arredondada com ambas as mãos, esperando que o chefe terminasse um prato para finalmente começar a trabalhar.

Ser garçom não era o trabalho dos sonhos do rosado. Mesmo trabalhando em um restaurante famoso e que seu salário não fosse nenhum pouco a desejar, queria muito mais do que aquilo. Queria construir sua própria história de outra maneira.

Já havia anotado e entregue muitos pratos quando viu Lisanna chegar no local. Natsu reconheceria ela em qualquer lugar. Porém, a garota não estava ali à trabalho, mas sim acompanhando outras pessoas.

Sentiu o coração acelerar só de imaginar estar perto da platinada. Entrou na copa e respirou fundo.

Retirou o celular do bolso e entrou na galeria. Havia três pastas, sendo uma de fotos tiradas recentemente, a outra estava escrito “Escola” e a terceira não tinha nenhum nome. Ao clicar na terceira pasta o celular mostrou uma única foto armazenada por ali.

Era a foto de Lisanna vestida com o uniforme do trabalho, fazendo uma pose, como uma super modelo. Lisanna tinha os cabelos curtos e brancos, os olhos da cor do céu na primavera e o sorriso mais belo que já havia visto. Natsu nunca iria abrir seu coração para a menina que era dois anos mais velha que ele.

— Natsu, o que está fazendo? — ouviu a voz do gerente do local e rapidamente guardou o celular.

— Desculpa, precisava respirar um pouco — o homem não acreditou na sua desculpa, mandando-o de volta para as mesas.

Ao final da noite Natsu estava limpando uma mesa quando viu um par de pernas cobertas por um vestido branco e azul parado logo ao seu lado. Assustado levantou a cabeça e engoliu em seco ao ver que se tratava de Lisanna.

— Obrigada — ela sorriu escondendo as mãos atrás das costas.

— Não precisa agradecer — disse envergonhado.

— Hoje é aniversário da minha irmã mais velha, então decidimos comemorar — Natsu não entende o motivo da platinada querer se explicar, porém, ele não disse nada para impedi-la.

— Até amanhã então — ela acenou para o colega de trabalho, dando um beijo no rosto do menino e girando nos calcanhares para encontrar os irmãos na porta da saída do restaurante.

O rosado ficou durante longos segundos na mesma posição. Como se sua mente estivesse tentando reviver aquele lindo momento onde a boca de Lisanna encostava em sua pele.

— Pode ir para casa, Natsu — um dos outros garçons disse, pegando a flanela de sua mão — Eu termino por aqui.

Sem pensar muito foi até o vestiário masculino e trocou de roupa, voltando a vestir o uniforme escolar para ir para casa. Ao chegar no apartamento onde morava foi recepcionado por Happy e sua irmã mais nova.

Happy se enroscava em suas pernas, enquanto Natsu tentava andar sem machucar o gato.

— Como foi seu dia, Natsu? — Wendy questionou sorridente. A garota tinha doze anos e longos cabelos azuis que sempre prendia em marias chiquinhas.

— Normal — resmungou colocando a mochila escolar no chão da sala e finalmente sentando no sofá, onde a irmã mais nova estava — E o seu?

— Nossa foi incrível! — Wendy era uma menina animada, tudo para ela era motivo de comemoração. Já esperando pela história que a mais nova iria contar, Natsu simplesmente ignorou todo o relato e tentou focar seus ouvidos apenas na televisão.

— Boa noite! — ao abrir a porta Igneel se surpreendeu com ambas crianças dormindo no sofá. Era quase onze horas da noite quando o Dragneel mais velho finalmente chegou em casa. Em um suspiro cansado desligou a televisão e colocou a sacola de comida sobre a mesa.

Toda sexta-feira trazia comida de fora para que os três pudessem comer em família, porém naquela noite havia chego tarde demais.

— Natsu — a voz de Igneel entrou nos ouvidos do rosado, que abriu os olhos vendo a face do pai próxima da sua — Vai dormir no quarto, filho.

Igneel ao acordar o filho se prontificou a pegar Wendy no colo, levando a menina para o quarto onde os dois irmãos dividiam.

Natsu se espreguiçou e guardou a comida que o pai havia trazido naquela noite. Sua barriga roncou ao sentir o cheiro de pizza dentro da sacola.

— Come um pedaço — Igneel estava logo atrás do menino, com os braços cruzados e um sorriso simpático no rosto. Natsu era muito parecido com o pai: os cabelos rosados e bagunçados, o sorriso e até mesmo os olhos escuros. Era uma versão mais jovem do pai.

— Quer um pedaço? — o rapaz questionou retirando a caixa de pizza da sacola. O mais velho concordou com a cabeça e então os dois começaram a comer em silêncio. Igneel sentia tanto orgulho de seus filhos que fazia de tudo para proporcionar o mínimo possível para eles.

— Agora vá dormir, criança — Igneel disse batendo de leve no queixo do filho e rindo pelo nariz. Obedecendo o pai, Natsu arrastou os pés até o quarto e retirou o uniforme escolar, dormindo como todas as noites apenas de cueca.


Notas Finais


O que acharam da vida do Natsu?
Até mais e beijos em todos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...