1. Spirit Fanfics >
  2. O significado de uma palavra - SAIDA >
  3. Capítulo Vinte e Três - Acabou

História O significado de uma palavra - SAIDA - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Vou ficar sem att por uns dias porque estou fazendo um projeto novo. Além da fic michaeng, se tudo der certo, também vai ter uma fic satzu. Ambas estão puxando MUITO a minha criatividade e espero que entendam a demora para a atualização da Saida, mesmo que ESSA seja a fic principal.

A fic não está esquecida nem nada, só to tentando dar um tempo porque 3 fics ao mesmo tempo é coisa de louco.

Capítulo 24 - Capítulo Vinte e Três - Acabou


Sana quis mudar o assunto depois daquilo, Dahyun queria entender, mas Minatozaki realmente não queria explicar.

O sinal do almoço tocou, isso significava uma coisa: faltava uma hora para saber as coisas que Cho queria falar.

- Preciso falar com Seungmin antes de ir.

- Tudo bem, eu vou indo então.

As duas se despediram, Dahyun foi até a sala do irmão, aonde o mesmo estava com o grupo de amigos.
Chamou o mesmo, vendo ele se distanciando do grupo e indo em sua direção.

- Preciso da chave do clube.

- Pra quê?

- É que eu preciso resolver coisa importante.

- Não vai se pegar com a Sana lá não, né? É que se verem vão acabar com a minha raça.

- Não, seu pateta.

- Hm, okay... vou pegar com o Changbin. Espera ai. - Seungmin foi até seu amigo. Dahyun observou aquela cena. Ele ficava todo... estranho. Era ele? - Aqui.

- Aquele é seu namorado?

- Cala sua boca! - Seungmin suspirou. - Ele não é meu namorado.

- Ele vai ser?

- Da pra você pegar essa chave e sumir? - Dahyun pegou a chave, sorrindo fraco. Seungmin abaixou a cabeça, um pouco tímido. - Um dia... ele vai ser.

- Então é o menino que você está gostando?!

- Some daqui, Kim Dahyun!

- Tudo bem, futuro namorado de Changbin.

- Você corre antes que meu tênis ganhe vida e voe na sua cara!

🖇

A última aula, como sempre a pior. Tinha mais gente dormindo do que prestando atenção. Esse era o caso de Dahyun.

- Que feio, dormindo em aula.

Dahyun levantou a cabeça, sorrindo levemente pra Sana. - Olha quem diz.

- Aquilo foi apenas um vacilo.

- Vacilo de três aulas?

- É, vacilo de três aulas. - Sana riu, vendo Dahyun se levantar. - Posso te deixar em casa hoje?

Merda, Miyeon.

- Eu... preciso resolver uma coisa no clube de fotografia.

- Vai demorar muito?

- Creio que não.

- Então te espero. - Minatozaki sorriu, saindo da sala junto com Dahyun.
Os caminhos eram diferentes, Kim iria subir as escadas até ir no clube, aonde Miyeon, provavelmente, estaria esperando.

Dito e feito, ela realmente estava na porta. Mexia no celular, calmamente.

Nem parecia que ia estragar tudo que Sana construiu em menos de uma hora.

- Olá! - Dahyun se aproximou. - Pensei que tinha desistido. Aliás, o que te fez mudar de idéia?

- É injusto ela saber tudo e eu saber nada. - Dahyun destrancou a porta da sala, entrando junto com Miyeon. - Mas não acho justo, ao mesmo tempo, com ela.

- Bom, se quiser, posso falar nada. A gente pede uma comida e faz isso uma reunião do café da tarde.

- Desculpa se parecer grossa, mas não quero nenhum tipo de contato com você a não ser esse.

- É algo que entendo. Acabei entrando no grupo que você mais odeia, não é? Tzuyu e companhia. Momo me explicou.

- Por que a Momo se juntou com você?

- Já começamos assim? Você realmente é objetiva. - Miyeon sorriu fraco. - Vai, senta ai. Vou te contar a história.

🖇

- Vocês pararam de putaria? - Sana chegou perto de suas amigas, as memas estavam no portão, provavelmente esperando Minatozaki. - Ou eu vou ter que trancar as duas em um quarto até se abraçarem?

- Eu sou mais velha que você, seria legal o mínimo do respeito.

- Nossa, que idosa você.

- Vai pra casa com a gente?

- Vou esperar a Dahyun. Ela disse que precisava resolver alguma coisa, mas que não vai demorar. - Momo olhou pros lados, percebendo o que estava acontecendo. - O que foi?

- Nada... nada.

- Sinto que vocês duas estão me escondendo algo. - Sana apontou pra Hirai. - Principalmente você.

- Nem vêm, eu to quieta na minha. Só quero ir pra casa comer e dormir. Hoje foi estressante.

- Claro, vocês brigando feito cão e gato. Vão pra casa, logo logo eu também vou.

- Tudo bem.

🖇

- Bom, a historia começa com o dia que conheci a Mina. Foi por ela que conheci Momo e Sana. As três eram inseparáveis. Fui pro Japão porque meus pais quiseram, não me sentia feliz, mas elas fizeram meus anos melhores. Só que Sana era um pouco... complicada.

- Não entendi...

- Sabia que a Sana toma remédio controlado? - Dahyun sentou no chão, Miyeon ficou ao seu lado. - Ela tem surtos de raiva. É algum transtorno, não entendo muito bem, ela nunca me disse direito.

- Raiva?

- É. Ela perde o controle completamente. Vira outra pessoa, como se a Sana sumisse por alguns minutos e nesses minutos alguém completamente diferente e agressivo assumisse. Ela nunca descontou nos amigos, nem em mim. Sabe em quem ela descontava quando não controlava? - Dahyun negou com a cabeça. - Em fracassados que nem você.

- O que você quer dizer com isso?

- Sana é uma Tzuyu da vida, bom... era. Ela descontava e chegou a ser expulsa da escola, por isso veio pra cá. Além dos problemas com os pais. O pai dela é meio biruta, tenho que dizer que parte dos problemas dela é por culpa daquele bosta. A mãe dela é bem ausente, então acho que Sana nem deve se importar muito.

- Expulsa?

- Chocante, né? É... eu também não acreditei quando me falaram. Sana? A minha doce... namorada.

Ponto.
Bingo.

- Namorada?! - Lembrou que Sana havia falado que nunca tinha namorado. Que nunca tinha gostado de alguém a ponto de namorar.

- Sana é pior do que você imagina, Dahyun. Na verdade, acho que você nem imaginaria isso. - Miyeon levantou sua mão. - Esse anel foi ela que me deu. Ela namorava comigo, tecnicamente, ainda namora. Sana nunca terminou comigo antes de fugir pra cá com a cara limpa.

- Você está mentindo.

- Eu não minto, mas já que precisa de provas... - Miyeon pegou seu celular, mostrando suas conversas com Sana. Eram praticamente as mesmas que Dahyun recebia. Mensagens fofas ou assuntos frequentes. Mas, no caso da Miyeon, uma hora, Sana parou de responder. - Ah, doeu muito. Acho que terminamos, né? Mas... tecnicamente, ainda estamos namorando. Nunca tivemos um término oficial.

- Mas... mas...

- Sana só usa seu corpo, assim como ela fez comigo. - Dahyun não era uma pessoa que se influenciava muito fácil, mas aquilo? Aquilo era demais. - Momo me disse que seu irmão não gostava muito da Sana, bom... acho que você deveria ter ouvido ele.

- Não faz sentido... não faz sentido.

- Pensa um pouco, Dahyun. Se você tivesse negado Sana, assim como fez com a Tzuyu, acha que qual seria a reação dela? Ela te bateria, assim como a Chou fez com você. As duas são a cópia cuspida uma da outra, chega ser até ridículo. - Miyeon se levantou, rindo fraco. - Parece piada, sério. Você realmente caiu no teatro da Minatozaki.

- Se isso é verdade, por que Mina não gosta de você?

- Sendo sincera, faço a mínima idéia. Talvez seja por conta da briga que tivemos quando Sana foi expulsa. Mina tentou defender, Momo e eu falamos que ela estava errada. Mas no caso, as três são amigas há mais tempo do que eu, então... meio óbvio saber que lado elas ficariam.

- Eu estou tentando, mas não consigo entender.

- Deixa eu explicar em uma língua que você entende. Sana usa você, sua inocência e seu corpo. Entendeu agora? Eu não fui a primeira e você não vai ser a última.

🖇

Sana já estava um pouco preocupada com a demora de Dahyun. Minatozaki foi até o grupo de amigos de Seungmin, sabia que o mesmo sempre ficava enrolando na escola.

- Ei, Seungmin.

O mesmo olhou confuso pra Sana. - Sim?

- Você viu a Dahyun?

- Ela está no clube de fotografia, só sei disso. Mas acho que ela ja foi pra casa, faz um tempo.

- É que eu ia embora com ela. Ela ainda não saiu de lá.

- Estão falando da sua irmã? - Um menino se aproximou. - Eu vi ela entrando no clube com uma menina.

- Menina?

- Olha, Sana. Dahyun pode ser tudo, mas infiel ela não é.

- Eu sei disso! Quero saber como era essa menina.

- Ah, parecia ser a novata. Qual o nome mesmo. Mi... Miyeon? Isso.

Sana arregalou os olhos, lembrando do que Mina havia falado.

"Se você ver a Miyeon perto da Dahyun, reze pro seu namoro continuar em pé, porque você vai precisar de um milagre."

Miyeon estava com Dahyun a mais de uma hora.
Uma.
Hora.

- Seungmin, vem comigo.

- Que? Pra onde?

- Vem comigo agora! - Seungmin apenas obedeceu. Foi com Sana até o clube de fotografia.
No caminho, Minatozaki começou a se arrepender. Se arrepender de não ter contado mais cedo para Dahyun sobre sua vida. Era pela segurança de Kim e havia ignorado isso.

- Espera aqui, eu entro.

- Tudo bem...

Sana respirou fundo, entrando com todo no clube. Era pior do que imaginava.
Dahyun no chão, praticamente chorando, Miyeon em pé, provavelmente falando o que não deveria.

- Olha, eu... eu posso explicar. - Dahyun riu ironicamente, okay, essa frase era um clichê de quando a pessoa sabia que estava errada.

- Me diz que é mentira. Me diz que é tudo mentira.

- Eu... - Sana olhou pra Miyeon. - O que você falou pra ela?

- Hm, apenas as verdades. Que você não consegue se controlar, que tem briga até mesmo com Momo e, o último e não menos importante. Que namoramos até hoje, Sannie.

- Sua filha da puta! O que custa você calar a boca?!

- Então é verdade? - Dahyun se levantou, indo direto para Sana. Olhou nos olhos da mesma, era óbvio o desespero de Minatozaki. - É verdade?

- Eu ia te contar...

- Você ia? Ou você ia apenas tentar disfarçar como sempre faz?

- Cala boca, Miyeon.

- Sana. - Minatozaki voltou seu olhar para Dahyun. - Acabou.

- Que? Não! Não precisa terminar comigo por culpa dessa otaria! - Kim apenas negou com a cabeça, passando por Sana, indo pra porta da sala. - Dahyun! Dahyun, qual é?!

A coreana não ligou, saiu da sala, deixando Sana e Miyeon dentro.

- Eu vou acabar com você.

- Tente mais tarde, acho melhor você ir atrás da sua namorada. Quer dizer... ex-namorada.

Sana queria discutir, mas não poderia perder a paciência. Saiu da sala correndo, vendo Dahyun no fundo do corredor.

- Você não vai!

Seungmin parou Minatozaki. - Por quê? O que você quer, hein? Quer destruir a porra do meu relacionamento apenas por que não gosta de mim?

- Eu não sou imbecil! Eu digo isso pra você ter chances de falar com ela! Conheço Dahyun tão bem quanto você. - Miyeon saiu da sala, passando por Sana e Seungmin. Kim segurou o braço de Minatozaki, impedindo que ela fizesse algo. - Eu vou falar com ela. Vou tentar resolver isso.

- Você vai fazer porra nenhuma! Conheço seu tipo de pessoa, Seungmin. Quer destruir meu relacionamento porque não aceita que a sua irmã conseguiu namorar primeiro que você. - Seungmin suspirou, olhando nos olhos de Sana. - Quer destruir meu relacionamento com ela, apenas porque sente inveja. Você vai encher a cabeça dela de merda.

- Você descontar sua raiva em mim vai adiantar nada. Só pra informar, eu sou mais que acostumado com isso. - Kim trancou a porta do clube. - Estou dizendo o que é pra fazer pelo seu bem e pelo bem dela. Se ela saiu assim é porque ela não quer falar com você. Eu não quero encher a cabeça dela de merda, quero ouvir o que aconteceu pra tentar tirar a merda da cabeça dela. Deu pra entender?

- Eu não posso perder ela assim...

- Eu vou falar com ela. Se acalma, não vai adiantar ficar assim. - Seungmin suspirou. - Confia em mim, eu sei o que faço. Mas se descontrolar só vai dificultar o meu trabalho com ela.

- Como assim?

- É minha obrigação cuidar da Dahyun, mesmo ela sendo mais velha que eu. Lidar com ela não é fácil, a vida dela não é flores igual você tentou a fazer acreditar. - Kim voltou a olhar diretamente pra Sana, se aproximando da mesma. - Eu vou cuidar dela. Ela é minha irmã. Sei o que fazer e quando fazer. Entendeu agora?

- Você me odeia.

- Não, Sana...

- Então me deixa ir falar com ela!

- Eu não deixo justamente porque não te odeio, você vai ficar pior se ouvir o que a Dahyun vai querer te falar. Nunca viu ela com raiva, não queira ver agora.

- Eu sei muito bem como é ter raiva.

- Você não sabe como é ver a raiva dela. Apenas me deixa cuidar disso. Vai pra sua casa, eu cuido da minha irmã e você cuida da sua cabeça.

- Me promete que vai falar com ela.

- Eu vou.

🖇

- Por que você é tão irritante, Hirai Momo?! - Minatozaki entrou em casa já com uma certa gritaria. Era estranho, Mina nunca gritava, nem sequer discutia. - Você vai estragar a porra da felicidade da sua amiga?

- Do que você está falando? Prefere deixar tudo que ela fez apenas por que está namorando? Ela tem que tomar vergonha na cara e contar os podres dela de uma vez!

Sana se aproximou da porta do quarto de Hirai, encostando na parede.

- O que você está fazendo é favoritismo! Você sabe que ela só está aqui pra tentar destruir o pingo de sanidade que resta na Sana.

- Por que você defende tanto a Sana?! Ela tem dezenove anos, Mina! Ela sabe muito bem o que faz.

- Então deixa ela fazer! Se eu ouvir você se intrometer na relação da Sana com a Dahyun junto com essa prostituta barata da Miyeon eu acabo com você! - Mina saiu do quarto, dando de cara com Sana. - Sana...

O choro veio novamente, com mais força. Tinha duas informações, Miyeon havia contado tudo, tudo a ponto de Dahyun nem querer olhar na cara dela. E Momo estava envolvida nisso. Wow.

- Calma, olha pra mim. - Mina colocou as mãos no rosto de Minatozaki. - Ela terminou com você? - Sana assentiu, voltando a abraçar Mina.

- A Momo sabia?

- Depois nós falamos sobre isso. - Hirai apareceu na porta, encostando no batente. - Que tal a gente pedir um sorvete e conversar um pouco?

- Pode ser...

- Vai la pro seu quarto, eu vou pedir e ja ja to indo lá. - Sana passou reto por Momo, que suspirou. - Feliz?

- Eu não sabia que a Dahyun iria terminar com ela. Eu tinha avisado!

- Era óbvio que a Dahyun iria terminar. Se ela está assim foi porque você deixou. Desde aquele dia que Miyeon pisou na escola você deitou pra ela. Não sei que porra a Cho colocou na sua cabeça, mas desse jeito você não fica. - Mina empurrou Momo levemente pra dentro do quarto, fechando a porta atrás de si. - Sana é sua amiga e agora terminou o namoro por algo que você poderia ter ajudado evitar. Espero mesmo que esteja feliz.

- Eu não estou feliz, só queria que ela falasse logo. Pelo bem dela, pelo bem da Miyeon e pelo bem da Dahyun.

- Ela parece bem? Você acha que a Dahyun está bem? A única que saiu ganhando foi a sua querida amiga que deve estar fodendo com a Tzuyu nesse exato momento.

- Preferia deixar a Sana fingir um mundo de maravilhas para Dahyun? A menina já sofreu problemas suficientes na vida, não acha?

- Nunca foi problema seu. Arruma suas coisas e vai dormir em outro lugar, não quero ver sua cara hoje.

- Está me expulsando da minha própria casa?

- Eu que pago essa merda. Você vai arrumar suas coisas e vai dormir fora hoje, entendeu?

- E pra onde eu vou nessa hora?

- Não sei, que tal ir mamar a Miyeon? Ótima idéia, não?

- Eu tranco a porta, mas olha a hora, Mina!

- Se a Sana melhorar, nem que seja um porcento, ela vai perder o controle e vai vim aqui te espancar. Você sabe disso. Na verdade, eu não acharia ruim, mas iria contra meus princípios. Então você vai arrumar sua mochila e sumir daqui por um dia inteiro. Se quiser, falte a escola. É preferível.

- Mas...

- Mas nada. Só sai daqui. - Mina saiu do quarto de Momo, indo direto pro de Sana. Ela estava deitada no tapete, em um pleno estado de choque. - Ei... vai ficar tudo bem.

- Eu destruí meu namoro. Eu destruí a coisa que me fazia bem.

- Você vai conseguir recuperar. Não fica desse jeito... - Mina sentou no tapete. - Vem cá... - Sana foi ao lado de Myoui, recebendo o abraço que tanto amava. - A gente vai dar um jeito.

- Ela não quis nem me ouvir...

- Você sabe o que Miyeon contou?

- Dos meus pais, do namoro dos sonhos dela e dos surtos. Dahyun deve estar achando que sou a pior pessoa do mundo.

- Não exagera, talvez ela só precise pensar.

- Eu deveria ter falado... só que... você entende, né? - Sana olhou para Mina. - Entende que eu fiquei com medo, não é?

- Claro que entendo, eu também sentiria. Você teve situações complicadas no Japão, não é de todo mal tentar uma vida nova. Miyeon e Momo são erradas de quererem forçar você.

- Por que a Momo fez isso? Ela me odeia?

- Não... ela não te odeia. Momo faz decisões erradas para pessoas erradas quando a cabeça dela ta muito confusa. Eu deveria ter conversado direito quando percebi que tinha algo errado.

Nesse momento, a porta da frente foi batida com força. - Aonde ela vai?

- Eu pedi - Lê-se "mandei" - ela dormir fora hoje. Apenas pra precaução, Sana.

- Não vai me dizer que você achou que eu ia surtar com ela.

- Sabe que não é impossível, eu só quero prevenir que você não faça besteira. Nem com você nem com ela.

- Eu só queria falar com a Dahyun...

- Ei, vai ficar tudo bem... vou pedir comida e você me conta tudo que está se passando nessa cabeça, okay?

- Okay

🖇

- Ei, Dahyun. - Seungmin bateu na porta do quarto de sua irmã pela décima vez só naquele minuto. - Abre ai, vai.

- O que aconteceu com a sua irmã?

- Ela... ela passou um pouco mal na escola, só isso.

- Deu remédio pra ela? - Seungmin assentiu, mesmo que não havia nem olhado pra ela depois da escola. - Ela deve estar dormindo, deixe.

- Para onde o senhor vai?

- Sair com sua mãe.

- Posso perguntar uma coisa séria?

- Pode.

- Vocês estão se divorciando?

- Que tipo de pergunta é essa?

- Casais quando estão perto do término ficam tentando reatar saindo para jantares e viagens.

- Isso é uma coisa que você não entende. Não estamos nos divorciando. - Seu pai se aproximou, bagunçando o cabelo de seu filho. - Fique responsável por ela hoje.

- Tudo bem... - Seungmin bateu na porta de Dahyun pela última vez, não obtendo resposta. - Ei, te amo, okay? Qualquer coisa to no meu quarto.

🖇

Seungmin estava jogando em seu computador, até ouvir a porta de seu quarto abrir. Foi questão de segundos de ter seu fone tirado a força e precisar retribuir um abraço. Se sentiu aliviado, de certa forma, que Dahyun tinha levantado da cama. Mas a preocupação era grande também, nunca havia visto ela chorando tanto.

- Me deixa ver... - Dahyun entregou seu celular para Seungmin. Tinha várias mensagens de Sana. - Você conseguiu ler? - Kim assentiu. - E não quer responder?

Dahyun, não termina
comigo por conta dela

Eu ia te contar, juro

Ela faz joguinho mental
comigo, eu só precisava
saber quando falar

Me perdoa

Por favor

Te amo

Me desculpa
[Sannie]

- Não é isso... - Dahyun suspirou, tentando se acalmar. - Ela namora Miyeon.

- Você quer dizer namorava, né?

- Não, eu quero dizer namora.

- Mas... - Seungmin pensou um pouco, até chegar na conclusão. - Meu Deus...

- Eu... eu só fui uma brincadeira... eu...

- Não! Não! - Seungmin não sabia o que falar, principalmente quando Dahyun estava chorando. - Vai ficar tudo bem, não precisa chorar assim...

- Da vontade de morrer, não ironicamente.

Esse papo, essa conversa pegava Seungmin em cheio.

- Não fala disso, vai ficar tudo bem... - O mais novo respirou fundo, tentando manter a calma. - Vem aqui...

Seungmin foi até o quarto de Dahyun, pegou o remédio da mesma dentro da gaveta. Tirou dois comprimidos, odiava ter que de, certa forma, dopar sua irmã. Mas ou era isso, ou era ver Kim a beira de um colapso.

- Não fala pro papai, ele vai me matar... - Seungmin deu os remédios para Dahyun. - Eu vou ficar com a cartela.

- Por quê?

- Pra eu não me sentir culpado. - Seungmin deitou ao lado de Dahyun. - Vai ficar tudo bem. É sério.

- No dia que ficar, o inferno congela.

- Não exagera... - Seungmin se virou para Dahyun. - Ela errou, tudo bem, mas você realmente não quer responder ela?

- Pensei que ficaria feliz que tudo que mais quis aconteceu. Ela quebrou meu coração.

- Não... eu não queria isso.

- Estamos combinando, não?

- Ei, para.

- Por que não namora Changbin?

- Ele... ele não gosta de mim. Na verdade, eu nem me declarei. Mas sei que talvez ele vai me rejeitar, é muita areia pro meu caminhão de plástico.

- Bom, continue assim. Pelo menos você não vai precisar descobrir segredos escondidos. - Dahyun fechou os olhos. - Acabou.

- Dah...

- Ela vai ser feliz. Ela vai ser feliz porque acabou.

Seungmin iria falar algo, mas quando viu, sua irmã já havia pegado no sono. Não estava reconhecendo Dahyun, a mesma, mesmo mal com algo, tentava manter sempre sua animação.

- Me desculpa por ter deixado isso acontecer... - Seungmin se levantou, indo em direção a porta do quarto. - De novo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...