História O Sociopata - Capítulo 41


Escrita por: e IBMMiguel

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags O Sociopata, Psicopata, Psicopata Eu, Sociopata
Visualizações 1
Palavras 2.284
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Vamos ver o que aconteceu depois de termos saltado da janela

Capítulo 41 - Descanso inapropriado


Algumas horas depois de termos caído do prédio Robson enfim desperta. Com os instintos ativos ele já acorda levantando e se Armando para o ataque. O que faz com que os pontos que levou na ferida da bala se abram instantaneamente.
Alex: O que você está fazendo seu louco. Você está em casa.
Robson: Eu, eu, como cheguei Aqui?
Iara: Calma Robson estamos bem! Você acabou desmaiando após pular do prédio mas por sorte Alex estava lá e nos pegou de carro.
Robson: como sobrevivemos a queda?
Iara: caímos em algo macio. Não sei quem o colocou lá mas caímos bem em cima.
Robson: (cara, e a arma que ela escondia?)
Iara começa a dar outra anestesia e fazer os pontos novamente
Iara: Alex também me ajudou com os pontos e a tirar a bala do seu corpo, pelo jeito aquela brincadeira que fizemos com ele o deixou com estômago forte
Robson: Vamos ter uma conversa seria. Não preciso de anestesia. Faz esses pontos logo
Alex: Robson, você se feriu muito nessa luta, por que não deixa ela te tratar da maneira correta?
Robson: E você Alex, por que estava lá se eu mandei você ficar aqui em casa? Por que me desobedeceu?
Alex: Eu estava vendo tudo pelas câmeras no computador do escritório. Quando vi que estavam indo pra uma armadilha tive que ir ajudar. Sorte que eu estava lá.
Iara: Sorte mesmo, até que você não é inútil como alguém que tínhamos em nossa equipe. "Iara da risada enquanto faz os pontos com a agulha" e o agradeça, ele salvou nossa pele, ta sendo útil
Iara está com uma roupa diferenre da que fomos na missão
Robson: que tal termo uma conversinha importante Iara?
Alex: Então estou de saída.
Robson: fique! "Falou com voz firme, sem nem se importar com a agulha perfurando sua pele"
Iara: fala, Robson.
Robson: o que foi aquilo? O que aconteceu quando você entrou lá?
Ela perfura a agulha mais do que o necessário, pega uma cadeira e pede luz.
Iara: eu não sabia, mas Marcos era irmão de Miguel, a pessoa ao qual matei anos atrás... Só não achei que fossem tão parecidos, quando percebi, já estava com calor e subindo em cima dele
Robson: sabe por quê eu fico tão calmo em uma batalha?
Iara: Hum? Por quê?
Robson: Quando estamos nervosos ficamos descontrolados e o descontrole nos impede de pensar. Com descontrole não sabemos qual será o final.
Iara: ... Eu sei sobre o descontrole, e você me ensinou a o controlar
Robson: não me parece que você aprendeu, você se descontrolou na batalha e colocou toda a missão em risco. (Está esquecendo da porra da arma)
Iara: não foi pior do que era. Você teve tempo de soltar os inocentes. Se não tivesse me acalmado um pouco, teriamos morrido alí mesmo.
Robson: (deixa eu assumir essa discussão?) Fique a vontade "pensei".
Robson: (pra que porra você tinha o cacete de uma arma? Não trabalhamos com arma de fogo!) "Ele falava e eu repetia exatamente o que ele falava"
Iara: quem disse que era minha? Estava no chão
Robson: (Não minta pra mim, eu tenho visão periférica, de costas consigo ver o que esta acontecendo. Vi você tirando aquela arma da cintura)
Iara: então, digamos que eu a use, mas não para matar, aliás, devia ter percebido antes, é uma lembrança, era para estar descarregada, mas de alguma forma estavam com duas balas ainda
Alex: Foi eu, eu coloquei as balas lá. Eu imaginei que se algo grave ocorresse ela tentaria usar a arma e salvaria sua vida.
Iara: como é que é?!
Ela o olha com outra expressão.
Robson: E como voce sabia que ela levaria essa arma.
Ela termina de dar os pontos mais rápido que o normal e os puxa fechando bem.
Iara: que diabos... Por que mexeu nas minhas coisas?
Alex: se eu não tivesse mexido provavelmente vocês estariam mortos agora. Sorte que eu mexi. Não podia perder vocês, não agora.
Iara: não perguntei isso! Por que mexeu nas minhas coisas?
Ela levanta com meu sangue nas mãos, ela parece calma, mas é bom observar.
Robson: não vem ao caso, se ele não o tivesse feito estaríamos mortos.Todos erramos de alguma forma nessa missão, cada erro possibilitou uma chance de morrermos menos o que Alex fez, ele colocou as balas na arma e foi até lá de carro. Nos estamos vivos por causa dele.
Iara: tem razão.
Ela se senta novamente limpando os pontos e finalizando finalmente, ela puxa minha camisa depois de alisar o machucado com cuidado.
Iara: vou fazer comida, você está desidratado.
Robson: certo, todos estamos maus pelo que aconteceu. Posso pedir o prato ou vai ser a escolha do chef.
Robson: que tal uma lasanha. Caprichada, e eu mando entregarem duas pizzas e alguns refrigerantes.
Iara: não... Eu mesma faço, coisas assim exigem temperos naturais, se quer se recuperar vai ser assim. Eu faço a lasanha e as pizzas, e farei suco.
Robson: está bem, você é a médica.
Ela desce sem olhar Alex na cara.
Robson: é gatinho, ela está começando a gostar de você. (Vai dar pra fazer uma orgia em breve)
Alex: Você é doido? Ela nem olhou na minha cara.
Robson: mas ela não te matou por ter mexido nas coisas dela. (Que tal aproveitarmos um pouco sua situação?) O que propõe "pensei" (começa a falar que está doendo, inventa algo. Aí pede pra ele te ajudar a tomar banho, afinal você está sujo!)
Alex: Você está bem? Não, não se vira. Vai se mach...
Robson: aí, aí aí. Tá doendo. Aí (cara você é um bom ator troféu pra você kkk)
Alex: vou chamar a Iara, espera aí.
Robson: Não, eu vou ficar legal. Só preciso de um banho.
Alex: Você não consegue nem se mexer sem sentir dor, como vai tomar banho?
Robson: Eu tento, mesmo que eu caia no chão sozinho no banheiro. (O que está fazendo, o trato não foi esse) espera parceiro tenho um plano "pensei"
Alex: não vou deixar você se levantar. Vai ficar aí, ou então eu te ajudo.
Robson: como assim? (Há entendi, fazer a ideia partir dele)
Alex: Você quer tomar banho eu te ajudo. Vamos lá. "Falou me ajudando a levantar"
Robson: mas você vai mesmo entrar naquele banheiro comigo? (Você já conseguiu, aproveita)
Alex: vou sim, vamos.
Robson: vou molhar sua roupa toda.
Alex: quem disse que eu vou ficar com a roupa?
Robson: Cara, por que está fazendo isso? Você não era tímido?
Alex: Eu confio em você, e essa roupa aqui é a única que tenho aqui que está limpa, não posso deixar ela sujar. Mas não vai se alegrando não, vou ficar de cueca.
Robson: tá bom, nem pensei nada. (Lógico que pensou kkk)
Entramos no banheiro e Alex me ajuda a tirar a roupa, tenho que tomar um belo banho já que estou todo sujo de sangue.
Robson: Não se importa em ficar com um cara pelado no banheiro?
Alex: Você é meu melhor amigo, tenho que te ajudar no que você precisar.
Robson: melhor amigo?! Eu nunca tive um melhor amigo, e nunca fui um amigo.
Alex: lógico que é, você me ajudou a esquecer meus problemas, me deixou entrar na sua casa e saber dos seus segredos, você confiou em mim. Isso é algo que só os amigos fazem.
Robson: (vou chorar, nem vai dar pra tentar fazer nada erotico no banho mais, mentira) Valeu cara. Você é um bom amigo.
Ele me ajuda a entrar debaixo do chuveiro, eu estou completamente pelado e ele com uma cueca vermelha, minha cor favorita.
Robson: sabia que vermelho é minha cor favorita?
Alex: imaginei kkk, deixa eu adivinhar porque é a mesma cor do sangue?!
Robson: sim, e tambem porque... deixa quieto
Alex: agora fala.
Robson: porque é a cor da cueca que você mais gosta, imagina algo que fica sempre encostando no seu pau deve ser algo incrível, tem que ser especial.
Alex: kkk, cala a boca
Robson: (você tem que tentar algo)
Alex: o efeito da dor está te deixando meio doido. Kkk
Robson: Deixa eu passar o sabão.
Quando fui passar o sabão deixei ele cair no chão e Alex se ajoelhou pra pegar.
Robson: Ui, posição perfeita kkkk.
Alex: fica quieto. Idiota. Kkk
Robson: Você vai ter que me ajudar, a passar sabão no meu corpo, ao menos da cintura pra baixo.
Alex: tá legal, só nunca conte isso pra ninguém. Se não meu te mato
Robson: Pode deixar.
Alex me ajudou, passou sabão em minhas pernas e coxas. E se levantou.
Robson: faltou um lugar. "Falei apontando para o meu membro, que a essa altura já estava ereto"
Alex: não aí eu não passo sabão.
Robson: vai passar o que Então? A língua kkkk.
Alex: para de ser idiota, vou sair e te deixar sozinho.
Robson: desculpe. Parei. Mas seria legal. Kkk
Alex: aí você consegue passar. Fique a vontade.
Passei sabão onde faltava e abri o chuveiro, tirei o sabão do corpo e Alex acabou se molhando, nesse momento a cueca dele estava totalmente grudada a pele por estar molhada. Pude ver que o pênis dele estava ereto também.
Robson: está excitado?
Alex: o que? Não, não estou.
Robson: não é o que parece. "Falei tocando o membro dele"
Alex: para com isso.
Robson: ok, se é isso que você quer eu paro.
Alex: obrig...
Ele não pode terminar porque eu o beijei. Sentir a boca dele na minha me fez esquecer toda a dor que eu sentia.
Alex: para com isso. Vamos sair daqui logo. Iara já deve estar terminando.
Robson: ok, obrigado.
Saímos do banheiro e nos vestimos, descemos para a cozinha. Alex me ajuda a descer até lá e nos sentamos no sofá até a comida ficar pronta. Iara vem ver se estávamos bem e percebe que ambos estão com o cabelo molhado.
Iara: o que aconteceu entre vocês?
Robson: por que a pergunta?
Iara: vocês dois estão com o cabelo molhado, por acaso tomaram banho juntos?
Robson: não, ele só me ajudou a entrar no banheiro.
Alex: é ele estava com muita dor então o ajudei a ficar em pé no banho.
Iara: credo, que visão do inferno vocês dois pelados. O inocente ele não sente dor, nao percebeu que ele não soltou nenhum gemido de dor enquanto eu o costurava.
Iara está com uma roupa parecida com dias atrás. Camisa branca, mas com sutiã dessa vez, e um shorts azul pastel curto
Alex: faz sentido. Droga Robson você me enganou.
Robson: não resisti, mas estava doendo sim, ao menos um pouquinho.
Iara: afinal, como consegue não sentir dor?
Robson: Quando ignoramos a dor ela diminui cerca de 90%
Iara: E como ignorar uma dor.
Robson: A dor você sempre sente, só não precisa ter medo dela
Alex: Eu queria ser forte como você.
Robson: não sou tão forte quanto parece, tenho que me controlar muito bem
Iara: então é por isso que dizem que a dor é psicologica
Robson: sim, tudo que você sente pode ser ignorado. Seja emoção ou frio, dor etc
Iara: entendi. Venham comer, ou querem se comer mais um pouco?
Robson: Não, vamos comer. (Propõe uma orgia, se comerem em trio. Kkk seria interessante)
Iara: venham de uma vez então. Tudo natural sem industrialização. Depois vou fazer um chá sem açúcar, pra recuperação ser mais rápida.
Robson: está bem doutora. Você manda. (Ouvi dizer que sexo ajuda na recuperação, que tal propor um sexo a três. Vai cara, seria divertido, imagina, ela, ele e você pelados que lindo) se controla "pensei"
Robson: estamos indo iara, vai na frente.
Iara: está bem, se beijem a vontade aí.
Robson: Alex, tive uma ideia de conquista kkk.
Alex: lá vem, o que é.
Robson: Você e Iara juntos seria fofo. Que tal ir cantando uma música romântica e a abraçar de costas?
Alex: ela é bonita mesmo, gente boa e gosta de ajudar os outros. Mas não sei se percebeu. Ela me odeia.
Robson: odeia nada. Entra lá cantando essa música aqui. "Falei mostrando a música pra ele"
Alex: não sei porque eu tento mas vamos lá.
Entramos na cozinha e ele começou a cantar um trecho da música wherever you are e a abraçou por trás. Mas eu não previ o que aconteceria depois.
Iara virou com uma frigideira na mão e acertou em cheio. e logo nas costas, ele cai no chão se contorcendo de dor, ele fica de costas para o chão. Iara me olhou e logo soltou a frigideira no membro de Alex.
Iara: eis o poder de uma mulher com uma frigideira.
Robson: coitado, e se quebrar a ferramenta dele kkk. (Você vai ter que fazer carinho)
Iara: nem ligo, não mandei ele vir com graça.
Robson: agora você vai ter que ver se não machucou o membro dele. "Falei com olhar safado"
Alex: não, acho que não quebrou, só está doendo.
Robson: ( ele é idiota, ao invés de aproveitar.) Deixa eu ver.
Alex: não, estou bem.
Robson: eu insisto. Anda logo. "Falei levantando a calça e a cueca dele, revelando o membro vermelho pelo impacto." (Que delícia, vermelho, me lembra um pirulito vamos chupar)
Iara: parem de ser gays na cozinha.
Robson: ok, parei. Vamos comer, você vai ficar bem Alex. (Ainda mais se fizermos uma massagem, vai que sai alguma coisa) para cara, ele não me quer. "Pensei"
Em quanto isso, na casa de Marcos.

A filha dele diz: mamãe, o papai vai ficar bem?
Esposa: sim filha, ele foi assaltado e tentaram matar ele. Sorte que os amigos do papai estavam lá pra ajudar ele.
Filha: te amo papai. "Fala dando um beijo em sua testa"


Notas Finais


Mesmo com tantos problemas nossos amados sociopatas ainda se divertem. Será que a família de Marcos sabe que ele é o que É? Ou a esposa dele disse o que acha ser a verdade?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...