História O sol é para todos! - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, TWICE
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sana, Suga, V
Tags Jihope, Namjin, Vkook/taekook
Visualizações 26
Palavras 1.346
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Mistério, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu realmente sei que a fic está ficando um pouco broxante, sei que está ficando tediosa também, mas vou continuar e tentar não decepcionar as poucas pessoas que me seguem, apesar de eu querer apaga-la, vou continuar por vocês, está bem?

Boa leitura💞

Capítulo 10 - Eu só quero meu hyung...


Fanfic / Fanfiction O sol é para todos! - Capítulo 10 - Eu só quero meu hyung...

Kim Taehyung.    P.V

Estava tudo bem até eu ser jogado para fora da casa de Jungkook, o mesmo me empurrou sem se importar se aquele empurrão pudesse causar um machucado ou até mesmo uma perna quebrada e um braço dolorido. Caí sentado com o traseiro no chão, quando tentei falar algo, o garoto fechou a porta na minha cara, sem me dar oportunidades de falar alguma coisa.

-Idiota - Disse a mim mesmo.

Me levantei do chão e limpei minha calça. Lembro-me de ter olhado para o céu na tentativa de ver estrelas, o que não foi possível, a única coisa possível de ver foi poluição. Estava frio e eu fui incapaz de não tremer a cada passo que eu dava, eu fui ignorante o suficiente para não ter levado um casado- Ou qualquer coisa que me protegesse do frio - Para casa do Jungkook. Ando em direção a minha casa, que por acaso era bem distante da casa de Jungkook.

(...)

Finalmente havia chegado em casa, minhas pernas ficaram doloridas, tive a sensação de que elas iam cair a qualquer momento. Adentrei em casa e tranquei a porta atrás de mim, levei-me até o sofá e me deitei no mesmo como se a qualquer momento o mesmo fosse criar pernas e sair dalí. 

Ouvi sons vindo da minha barriga, eu realmente não comia desde manhã, minha última refeição foi um café da manhã e eu realmente estava faminto. Levantei- me com bastante dificuldade e fui em direção a cozinha, abri a geladeira e ouvi um barulho bem alto vindo da sala, arregalei os olhos e fechei a porta da geladeira, quando me virei apenas senti algo envolver minha cabeça e meu pescoço, e de repente tudo ficou preto, essa é a última coisa que eu me lembro.

01H00 AM.

Acordo com um barulho de porta sendo destrancada, abro os olhos com dificuldade, olho ao redor e quando tento gritar, minha a voz saí apenas por dentro, minha boca está amarrada com um pequeno e grosso lenço branco com uma mancha vermelha, sinto minha boca arder e minha cabeça doer. Meu corpo todo doía, minhas pernas presas com uma corda grande, meu braço preso por uma corda maior ainda. Sinto meu sangue ferver e minha cabeça parece explodir à qualquer momento. Então sinto que as lágrimas rolam, dizem que quando você está prestes a morrer sua vida passa diante dos seis olhos, olha, a pessoa que disse isso certamente está extremamente certa. 

Ouso a maçaneta rodar, meu coração acelera e em minha cabeça sinto pontadas fortes. Alguém adrentra o lugar, do lado de fora tinha uma luz bem forte- que me fez piscar rapidamente- E por isso não consegui ver o rosto do indivíduo que com certeza iria me matar, é, foi bom conhecer vocês. Quando ele entra por completo, consigo ver sua face. Não, não pode ser, estou tendo alucinações.

-Olá, Kim Taehyung - Vejo um sorriso sínico em seu rosto, ele tira o lenço da minha boca - Lembra de mim?

-Ma-Mark? - Digo em meio aos soluços, o que faz ele rir.

-Sou eu, ao vivo e estéreo - Diz ele - Bem, você deve estar se perguntando o que está fazendo aqui, não é?

-Wow, além de ser hipócrita também sabe ler mentes? - Digo e isso irrita ele- Você é vidente ou o quê?

-Não tem medo de morrer, né? - Diz com um sorriso irônico.

- Devo implorar? - Digo sarcástico. -Oh, Mark. Me solte, poupe minha vida medíocre- Rio ironicamente- Estou começando a achar que você é um híbrido que sabe ler mentes, isso é legal, sabia? - Digo, apesar de estar brincando com fogo- Sabe, Mark. As coisas não precisam seguir assim, apenas me solte e eu não vou te entregar para polícia- Ameaço, o que faz o mesmo rir e me dar um chute no estômago. Sinto como se fosse vomitar, e é o que eu faço, sangue sai da minha boca- Qual é seu problema, cara?

-Meu problema é você, Kim Taehyung! Se você largar Jungkook e seguir comigo, vou poupar sua vida, caso contrário, você e Jungkook irão morrer, Jungkook vai chegar e vai ter uma surpresa, meus capangas estão esperando ele, imagina como ele se sentiria se soubesse que sua própria mãe mandou fazer tudo isso, hein? Ela soube da relação de vocês e soube que seus pais são apenas donos de uma cafeteria, então me contratou para acabar com você sem que ninguém saiba! Isso não seria necessário se você apenas tivesse vindo comigo, e não com Jungkook- Finaliza.

Arregalo os olhos ao ouvir aquelas palavras.

"Imagina como ele se sentiria se soubesse que sua própria mãe mandou fazer tudo isso?"

Esperaria tudo dela, menos isso, ela traiu seu próprio filho só porque ele escolheu amar, ela quer que ele se torne frio só porque é herdeiro de uma maldita empresa. Ouso barulhos e então arregalo os olhos, Mark abre um sorriso estúpido em seus lábios.

-Parece que temos companhia, Taehyung- Diz.

-Não, Jungkook tem que ir.- Sussurro e ele coloca novamente o lenço em minha boca.

JUNGKOOK.    P.V

Ao ler aquele pequeno aviso no papel, não pensei duas vezes. Quando me virei vi meus guardas me sercarem, tentei sair mas eles não deixaram.

-Deixe- me sair, estúpidos- Grito.

-Desculpas, jovem mestre, mas sua mãe mandou busca-lo- Um deles fala e todos me puxam.

-Eu vou demetir vocês se não me soltarem, inúteis- Reclamo.

Eles me colocam no carro a força, gritei berrei mas pareceu não adiantar . Chegamos em um posto de gasolina, olhei o papel e o lugar onde levaram Kim Taehyung não ficava muito longe dali. 

- Preciso ir ao banheiro - Disse e ninguém pareceu ligar - Vocês estão surdos? Eu disse que preciso ir ao banheiro- bufei.

Um dos homens abriu a porta, quando sai, senti que eles estavam me seguindo, revirei os olhos e encostei na parede, observando cada um.

- Não posso ter privacidade nem no banheiro?- Disse- Aish! Me deixem sozinho, só vou ir ao banheiro.

Eles se olharam e me deixaram ir. Quando eles desaparecem, pego meu celular e ligo o GPS e segui as instruções vindas do mesmo.

(...)

Respiro fundo ao chegar no local, a casa estava caindo aos pedaços, adentro aquela casa, as paredes mofadas fazem com que eu sinta enjôo pelo cheiro forte vindo delas, mas vou continuar, tudo por Kim Taehyung. Vejo uma porta fechada, provavelmente é um quarto. Quando tento abrir, vejo que já está aberta facilmente, o que foi um pouco estranho.

Abro a porta e vejo Taehyung fazer que 'não' com a cabeça, não entendo o que ele quer dizer. Sem me dar chance de fazer alguma coisa, sinto uma paulada forte em minha cabeça, minha visão fica embaçada e eu caio no chão, vejo uma figura embaçada rindo e Taehyung aos berros ainda com o lenço na boca, e tudo fica preto.

(...)

-Acorde, Jungkook. Vai perder a melhor parte, quer isso?

Ouso uma voz, uma voz um tanto conhecida. Abro os olhos devagar e viro a cabeça, vejo Taehyung, inconsciente. Olho para frente e vejo a figura de Mark, esse desgraçado, sempre soube que não poderia confiar nesse babaca com essa cara de santo que obviamente não me enganou.

-A pele de Taehyung é tão clara e bonita, queria deixar marcas por todo esse corpo- Diz e me irrita- Já teve oportunidade de sentir isso, Jeon?

-Saia de perto dele, imbecil- Digo e ele ri, sua risada diabólica e irritante me dá náuseas - Vai se foder, Tuan- Cuspo em seu rosto, e sinto seus dedos fechados em meu rosto, sinto sangue escorrer pelo meu nariz, rio.

-Está rindo?

-Você é idiota? O que ganha sendo tão medíocre? Você é tão...- Tento achar uma palavra que se encaixe- Imbecil?

Recebo outro soco, mas não no rosto, desta vez no estômago.

-Eu só... Só quero meu hyung- Digo a mim mesmo, entre os gemidos de dor.

Então ouvimos barulhos, Mark vai verificar o que é, Taehyung abre os olhos devagar.

-Hyung?

-Jungkook?- Ele diz e quando finalmente percebeu que eu estou mesmo ali, grita meu nome e eu faço um gesto para que ele fale baixo, o que parece funcionar.

Então vimos alguém na porta.

-Acha que pode ser sequestrado assim? Ah, não, não , querido.- A pessoa diz.

É ele!




Notas Finais


Até o próximo capítulo, mores💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...