História O soldado dos olhos negros - Long vkook Taekook - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Exército, Jungkook, Tae, Taehyung, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 172
Palavras 3.083
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus lindos tudo bem?
O capítulo de hoje tá meio grandinho :)
GRANDES EMOÇÕES kakakakakak
Bom, espero que gostem!
Até as notas finais ;)

Capítulo 3 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction O soldado dos olhos negros - Long vkook Taekook - Capítulo 3 - Capítulo II

- Iai doutora? Como ele está? – Perguntei a jovem médica a minha frente – O que aconteceu com ele? – Sentia meu coração apertar-se a cada palavra que dizia, eu amava aquele gato, até mesmo mais do que a mim.

- Acalme-se – A jovem de cabelos castanhos claros deixou um sorriso escapar, e que sorriso.... – Ele está bem- Olhou em meus olhos com seus lindos olhos verdes, os quais me fizeram esquecer aqueles que me causavam tantas dúvidas – Ele só quebrou a perna... – Ela deu uma breve pausa logo entrando em seu consultório e fazendo um sinal com a mão para que eu a seguisse, então eu o fiz – Como esse gato quebrou a perna? - Disse encostando-se na mesa.

- Então.... – Dei um sorriso embaraçado enquanto coçava a nuca e olhava para baixo – Digamos que, a culpa disso ter acontecido não foi dele...

Ele me deu um olhar curioso e começou a caminhar pela sala, não pude deixar de perceber como seu corpo era bonito; suas pernas eram longas, sua cintura bem afinada, sua pele branquinha e sem nenhuma mancha, seu cabelo estava bem arrumado e....

- Não vai me dizer o que aconteceu? – Ela me tirou de meus devaneios, logo após pegando uma jaula com Panqueca dentro, tal cena que me deixou muito feliz.

- Bom... Derrubei um vaso em cima dele.... -  Ela me olhou incrédula – Eu tenho uma floricultura – Comecei a me justificar – Estava arrumando algumas coisas e acabei derrubando um vaso e infelizmente ele ‘tava passando em baixo... Então.... – Lhe olhei e percebi que sua expressão havia melhorado consideravelmente.

- Entendo – Ele me estendeu a casinha que Panqueca estava dentro – Aqui está ele – Peguei a casinha – Você terá que dar alguns remédios para ele.... – Sentou-se atrás da mesa, desse modo, escrevendo algo em um papel, carimbando em seguida, o que imaginei ser os remédios que deveria dar para meu gato.

Sentei-me na cadeira em frente a sua mesa e foi inevitável, comecei o observa-la, observar cada detalhe, cada linha de expressão e ficava mais encantado a cada instante.

- Senhor? – Ela abanava a mão – Você ‘tá bem? – Dizia segurando uma risadinha.

- Ah... – Disse abaixando a cabeça e colocando a mão na testa, em um puro ato de vergonha – Me perdoe – Disse pegando o papel de suas mãos.

 

----

 

Estaciono em frente a faculdade de Jimin e aguardo até que ele saísse.

- Oi Hyung!! – Disse vindo em direção ao meu carro, mas acompanhado por alguém – Esse é meu amigo – Deu uma pausa lhe olhando sorridente, tal ato que me incomodou.

- Prazer – Disse dando um sorriso que estranhamente formava um coração – Meu nome é Jung Hoseok.

- A gente pode dar uma carona pra ele? – Disse abrindo a porta – Por favorzinho – Fez um biquinho adorável.

- Isso é ponto baixo Jiminie – Coloquei a mão no peito e fiz uma careta de dor – Entra aí – Disse me referindo a Hoseok.

- Obrigado Hyung! – Jimin deu um leve selar em minha bochecha, tal ato que me fez empurrá-lo, mas não com força é claro.

- Jimin! – O repreendi e o mesmo abaixou a cabeça.

Dei partida no carro e segui o endereço que Jimin havia colocado do GPS.

Ótimo, estava em um lugar, claramente pequeno, com Jimin e um possível “rolo” / “pequete”, incrível, IN-CRÍ-VEL. Estava sendo praticamente uma tortura ouvir esses dois rindo e trocando olhares, então acelerei o carro em uma tentativa de chegar mais rápido ao meu destino.

 

----

 

Logo depois de ter passado em uma farmácia e comprar os remédios para me gato, segui em direção ao nosso apartamento.

- O que aconteceu com esse gato Taehyung-ah? – Jimin perguntou ao entrarmos em casa.

Me joguei no sofá enquanto Jimin tirava Panqueca da gaiola.

- Derrubei um vaso em cima dele.... – Disse sentindo o sofá afundar-se a meu lado – Foi sem querer....

- Ah Hyung – Jimin disse aproximando-se de mim, mas mantive meu olhos fechado – Tem que tomar mais cuidado com ele... – Escutei a televisão ser ligada e logo após um corpo abraçar o meu.

Não correspondi, apenas fiquei lá, parado, sentindo o baixinho aninhar-se contra meu corpo. Quando senti Jimin subir um pouco mais em cima de mim, abri meus olhos e lhe dei um leve empurrão.

- Você é estranho Jimin.... – Digo me levantando e indo em direção ao banheiro.

Apenas ouvi uma risadinha abafada, porem a ignorei e continuei andando.

 

 

Depois de tomar meu banho, deite-me em minha cama, estava quase adormecendo, mas ouvi minha porta sendo aberta, o que acabou com o que poderia iniciar um possível sono.

- ‘Tá acordado Hyung? – Escutei Jimin me chamado.

- Agora eu to né Jimin... – Fiquei e silencio esperando com que Jimin dissesse alguma coisa, mas ele não o fez – O que você quer? – Disse com a voz arrastada por conta do sono.

- Eu não estou conseguindo dormir e eu queria saber se eu posso... – Eu sabia o que ele pediria e se pedisse eu não conseguiria recusar, então eu o “cortei”.

- Sim Jimin... – Disse me sentando e o encarando – Eu assisto um filme com você – Sua boca abriu-se em um claro sinal de surpresa, mas ele apenas concordou com a cabeça.

Me levantei e fui em direção a porta, deste modo seguindo Jimin. O que me surpreendeu mais foi o fato dele estar com seu travesseiro em suas mãos, ele me conhecia melhor que a mim mesmo e sabia que eu não recusaria dormir com ele.

Ao chegar na sala, sento no sofá e coloco em um canal aleatório com um filme aleatório, de primeira não percebi sobre o que o filme se tratava, mas acabe percebendo que era um romance gay.

Jimin estava sentado ao meu lado e pendia a cabeça em direção a mim, logo percebi que ele queria encostar-se em meu corpo, mas hesitava, provavelmente devido ao momento em que o repreendi hoje no caro. Não demorou muito para que Jimin finalmente pousasse a cabeça em meu ombro, como estava entretido com o filme, inconscientemente abracei seu ombros, tal ato que fez com que o garoto tomasse direito de se aproximar mais de mim.

- Não exagera Jimin – O repreendi fazendo com que ficasse estático por alguns instantes, era claro que ele não esperava essa reação da minha parte.

Depois de alguns minutos assim, comecei a sentir meus olhos pesarem e permite com que eles fossem lentamente fechados.

- Por que estava com ciúmes de Hoseok, Hyung? – Jimin perguntou em um tom baixo.

- Hum? – Respondi.

- Por que ficou com ciúmes de Hoseok? – Ele repete aconchegando a cabeça em meu peito.

- De onde tirou isso Jimin? – Perguntei afrouxando meus braços em torno de seu corpo – Eu não estava com ciúmes! – Afirmei.

- Então porque me repreendeu daquele modo? – Perguntou levemente chateado.

- Já lhe disse para não me tratar desse modo – Disse calmamente enquanto saia de seus braços.

- Hyung... – Jimin disse evitando me encarar.

- Fala – Respondi me virando em direção a Jimin.

- Você já gostou de algum garoto? – Perguntou com as bochechas levemente rosadas.

- O-oque? – Senti meu rosto esquentar-se, então virei-o para o lado oposto da sala em que Jimin encontrava-se – Mas que... Merda de pergunta é essa Jimin?! – Perguntei indignado.

- Me de-desculpe Hyung... – O clima do ambiente estava se tornando algo horrivelmente incomodo – Eu não deveri...

- Não Jimin.... – O interrompi – Eu não sou gay.... Eu não sou como você – Disse com um leve tom de desprezo na voz, o qual saiu sem que eu percebesse, logo depois sai caminhado em direção ao me quarto, sem nem a menos olhar para trás.

Me joguei em minha cama com minha cabeça a mil. Que merda de pergunta foi essa? Porque isso justo agora? Ele vem agindo muito estranho nesses dias, será que ele se apaixonou por mim? Não. Não é possível! Fora de cogitação! Nós somos amigos desde a infância. Jimin não faria isso! Jimin não faria isso comigo! Será que eu fui muito grosso? Será que ele está bem? Eu preciso ir velo. Agora!

Me levante da cama e fui em direção ao quarto de Jimin. Aproxime minha cabeça em direção a porta e pude ouvir um choro abafado. Ele estava chorando, eu o fiz chorar, eu o machuquei, não consigo acreditar! Como fui capaz?

- Jimin... – O chamei mas não obtive resposta, apenas escutei o choro intensificar-se – Abre a porta... – Encostei a testa na porta e acabei deixando uma lágrima escorrer pelo meu rosto – Me desculpa...

- SAI DAQUI TAEHYUNG – Ele gritava em meio de lágrimas e soluços – VOCÊ NÃO MERECE FICR COM PESSOAS “IGUAIS A MIM” – A cada palavra que ele dizia sentia como se um peso gigantesco caísse sobre meus ombros. Como fui capaz?

- Eu não quis dizer isso Jimin... – Disse sentindo as lágrimas deslizarem pela minha face.

- VOCÊ NÃO QUIS, MAS DISSE!! – A frequência de seus soluços e resmungos aumentava a cada instante – Se realmente gosta de mim, me deixe sozinho – Disse em um tom quase inaudível.

E foi isso que fiz, eu havia o machucado, Jimin era tão sensível, eu não deveria ter dito isso. Eu sou um monstro.

 

 ------

 

Sai de meu quarto sentindo o gato caminhar ao meu lado, mas paro quando deixo de sentir a presença do felino.

- Panqueca? – Olhei para trás e o avistei rolando no meio do corredor – Idiota... – sorri com a cena, mas meu riso se desfez ao lembrar-me do que havia acontecido na noite passada.

Resolvi fazer os sanduiches favoritos de Jimin e passar o café do modo que ele gostava, eu havia sido extremamente rude, deveria ao menos um bom pedido de desculpas. Os minutos passavam e passavam e nada de Jimin sair do quarto, preocupado eu fui ver se estava tudo bem com o menor. Ao chegar em seu quarto, bati em sua porta e chamei por seu nome, mas ele não respondeu, então decidi abrir a porta para ver se ao menos aquela criatura estava viva.

- Jimin? – O chamei enquanto abria a porta vagarosamente – Estou entrando... – Posicionei minha mão no interruptor – Me desculpe pequeno eu... – Parei de falar quando percebi que Jimin não estava lá.

Ele havia saído sem mim.

Ele estava sem bicicleta e logicamente ele estaria a pé, então resolvi ir atrás dele.

Já dentro do carro comecei a seguir pelo caminho que Jimin costuma fazer, estava rezando para que acontecesse um daqueles clichês clássicos em que eu encontro ele, desço do carro, ele corre e eu corro atrás dele, mas isso não aconteceu. Cheguei a porta de sua faculdade e estacionei meu carro.

 

Depois de conversar com uma mulher que parecia ser uma monitora ou algo do tipo, recebi a notícia de que Jimin não havia chegado ainda, então retornei para meu carro, novamente rezando para que algum clichê acontecesse, um daqueles que Jimin chegaria correndo, eu o pararia e etc.

Como já havia perdido um dia de expediente na floricultura e precisava cuidar das minhas plantas, optei por deixar Jimin sozinho por um tempo, ele não é mais uma criança e odeia quando o trato como uma, então acredito que foi a melhor decisão.

 

-----

 

Logo após terminar de regar todas as plantas, acabo me sentando em um canto qualquer, afinal estava muito cansado, fiquei ali por uns minutos e acabei pendendo minha cabeça para trás deixando com que algumas gotas de suor escorressem em direção ao mesmo, mas sou interrompido por uma leve risadinha, a qual fez com que eu abrisse meus olhos.

- Bom dia! – Uma jovem de cabelos castanhos claros e olhos verd... Ou melhor, a veterinária do meu gato diz – Essa é sua floricultura então? – Apenas assinto ainda jogado no chão – Deve estar muito cansando – Ela ri fazendo com que eu faça o mesmo – Quer ajuda? – Ela estende a mão, tal cena que me leva a ter um pequeno “dejavu”, apenas nego com a cabeça e me levanto rapidamente.

- E Panqueca? Como ele ‘tá? – Ela perguntou com um semblante preocupado.

- Está bem – Disse colocando a mão na nuca – ‘Tá melhorando – Sorri e ela retribuiu – Graças a você – Disse sentindo meu rosto esquentar.

- É meu trabalho, fico feliz que esteja bem! – Ela diz se virando, mas eu toco em seu ombro a fazendo parar.

- Vai fazer algo está noite? – Pergunto confiante – Talvez possamos fazer algo juntos – Ela assentiu animada.

- Eu adoraria! – Ela diz pegando um papel e uma caneta, logo após anota algo – Esse é meu endereço e meu telefone! – Disse me entregando o papel, o qual eu segurei com firmeza – Me pegue as sete. Que dizer... – Ela deu um riso envergonhado – Pode me pegar as sete? – Sorri e assenti.

- Até as sete então – Disse sorrindo, mas fui surpreendido por um leve selar em minha bochecha.

- Até... – Ela sussurra ao pé de meu ouvido, tal ato que me arrepia por inteiro. 

Sorrindo bobo eu volto para meus afazeres, afinal eu teria uma noite e tanto pela frente.

 

----

 

Ao chegar em casa olhei no relógio e eram seis horas.

- Jimin? – Chamei por seu nome mas não obtive resposta.

Quando fui chama-lo novamente, fui impedido, pois ao ver o baixinho jogado no sofá paralisei, não entendi o motivo, afinal via essa cena todos os dias praticamente. Ele estava na beira do sofá, quase caindo no chão, com um pote de sorvete ao seu lado, com a colher em sua mão e com o canto da boca suja, devido a sobremesa a qual ele comia.

- Ah... Jimin – Sussurrei acariciando seus fios de cabelo rosados.

Coloquei o pote no lixo e a colher na pia, limpei aboca de Jimin com um guardanapo e o peguei no colo. Enquanto caminhava em direção ao quarto do mais novo, ele encostou a cabeça em meu peito e aconchegou-se em meu colo, tal ato que achei adorável.

Depois de colocar Jimin em sua cama, sinto uma mão me segurando.

- Fica aqui comigo Hyung.... – Pedia manhoso.

- Não posso Jimin... – Dizia lembrando-me do encontro com uma garota que nem o nome eu sabia.

- Só um pouquinho... – Disse soltando meu braço.

- ‘Tá – Disse derrotado.

Depois de alguns instantes fazendo carinho em Jimin, ele adormece e finalmente pude seguir para meu quarto para que pudesse me arrumar.

 

---

Estava nervoso, afinal não ia a um encontro a anos, por isso havia colocado minha melhor roupa e passado meu melhor perfume.

Junto toda minha coragem e toco a campainha.

- Já vou Tae! – Pude ouvir sua voz.

Acabei voltando e me encostando no carro, mas não deixando de encarar a porta da casa. Depois de algum tempo ela veio caminhando em minha e estava simplesmente radiante; vestia um shorts jeans um tanto quanto curto, uma camisa social branca e um All Star preto de cano alto.

- Oi... – Ela disse em um tom envergonhado enquanto olhava para baixo.

- Vamos? – Disse abrindo a porta do carro e a fechando após ela ter entrado.

Entrei e liguei o carro, logo dirigindo em direção a um restaurante.

- Aonde vamos? – Perguntou me encarando, mas parou quando seu celular tocou – Me desculpe.... – Fiz um sinal para que ela atendesse e ela atendeu.

Em meio a conversa que aparentemente parecia ser com sua mãe eu consegui ouvir seu nome. Lisa.

- Era minha mãe -  Disse guardando o celular – Pode encostar o carro ali? – Ela perguntou apontando para um beco.

- Ali? – Disse erguendo uma sobrancelha – É meio perigoso... – Digo, mas ela insiste, então eu paro.

Ao estacionar meu carro e desliga-lo eu a encaro e espero, mas ela só me dá uma risada ladina e desabotoa o cinto, não entendendo eu fico a encarando.

Ela liga o rádio, estava passando uma música do Two Feet “Love is a Bitch”.

Em um movimento rápido ela coloca uma perna de cada lado de meu quadril e encosta suas costas no volante, surpreso com sua ação acabo por ficar a encarando sem fazer nada. Ela solta uma risada anasalada e sela seus lábios aos meus.

 

- O-o que está fazendo? – Pergunto com os olhos fechados enquanto sentia meu membro se animar.

- Shiii... – Ela encostou seus lábios em meu pescoço deixando leves carícias ali – Só relaxa e.... Curte o momento -  Disso antes de selar nossos lábios novamente, mas dessa vez ela pediu passagem e eu cedi.

Nosso beijo se tornou algo necessitado e quente, desse modo, eu acabei por tirar suas roupas e passear minhas mãos por todo seu corpo, dando leves apertões em alguns lugares.

 Subitamente ela começou a rebolar, tal ato que me fez pender a cabeça para traz e soltar um gemido sôfrego.

- Vamos logo com isso Tae... – Ela disse me encarando e logo após retirando minha blusa, desse modo expondo meu peitoral, o qual Lisa beijou e chupou diversas vezes.

Abaixei minha calça e ela apertou meu membro por cima do fino tecido da cueca, tal ato que me fez morder os lábios.

Cansado e necessitado abaixei a peça até a altura dos joelhos.

- No porta-luvas – Disse apontando – Tem algumas camisinhas – Disse sentindo a garota me masturbar lentamente – Coloque em mim – Ordenei e ela fez.

Lisa sentou em mim e começou a subir e descer, com o passar dos instantes, comecei a movimentar meu quadril em direção ao seu, o que fez a mais nova gemer mais e mais alto.

Ao terminar tudo, joguei a camisinha para fora do carro e lisa se trocou.

- Te levo para sua casa? – Disse ainda constrangido devido ao que acabara de acontecer.

- Sim – Ela disse amarrando os tênis.

 

----

 

Estacionei em frente a sua casa e desci do carro para abrir a porta.

- Até mais Tae... – Ela disse.

- Até – Disse a encarando, mas logo a puxei para um beijo, o qual foi recíproco.

A encostei no carro e aprofundei o beijo, mas logo parei, afinal estávamos muito expostos.

- Espero te ver novamente – Ela diz sorrindo.

- Eu também – Disse lhe dando um último selar.

 

-----

 

Ao chegar em casa vou em direção ao banheiro trato de tomar um banho. Já limpo, decido comer algo na cozinha e como os sanduiches que havia feito hoje de manhã.

Antes de dormir decido dar uma olhada em Jimin.

- Jimin? – Bato na porta e ele não responde, deveria estar dormindo.

Entro em seu quarto e me aproximo da cama, me surpreendo ao perceber que o garoto não estava lá, ele havia saído sem me avisar, ele nunca fez isso, mas ele é crescido e tem seus direitos.

Volto para meu quarto e me deito em minha cama.


Notas Finais


Esse Taehyung safadinho hein kakkakkakaka
NÃO EH A LISA DO BLACK PINK, eh só um nome blz ;)
Se gostam da historia adicionem nos favoritos para me dar apoio
Comente para que eu saiba que você gostou :)
compartilhem com as amiguinhas para me ajudar na divulgação <3

https://youtu.be/_DjE4gbIVZk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...