História O Som - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jikook, Pianista, Taegi, Taekook, Violinista, Vkook, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 21
Palavras 1.021
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notas finais.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction O Som - Capítulo 1 - Prólogo

Eu estava dentro do carro de minha mãe, brincava com o meu boneco favorito, o homem de ferro.

Eu estava indo para a casa da minha titia, brinca com o meu primo favorito, o Jimin.

Mamãe disse que eu poderia passar o dia com ele para que eu pudesse brincar antes que minhas aulas começassem.

Mamãe era a melhor pessoa do mundo inteiro. Ela estava muito concentrada na rua, talvez ela não quisesse bater em um carro. Uma vez eu vi na televisão um carro bater em outro, o homem ficou todo machucado.

Mamãe tinha colocado a música do Teletubbies para mim e mais do que eu, a mamãe cantava alegremente.

Quando finalmente chegamos a casa da minha tia, minha mãe me solta do sinto e saio em disparada até a porta, onde se encontrava Jimin e minha tia.

- Jiminie! - Grito e vou até o seu encontro e dou um abraço apertado, o fazendo reclamar pelo aperto.

- Ggukie, não me aperte tanto. - Ele faz um bico fofo em seus lábios e rimos juntos.

- Mamãe, eu posso entrar para brincar com o Jiminie? - Pergunto com um brilho no olhar. Ela sorrir para mim e confirma com um simples "sim".

Saio correndo com Jimin e entramos na casa dele indo direto para o seu quarto, onde havia vários brinquedos e bonecos da DC.

- Olha Ggukie, eu ganhei o Coringa. - Fiz uma careta pelo boneco ser feito demais.

- Ele é feio Jimine. - Jimin fica com uma cara emburrada pelo meu comentário e o guarda com cuidado.

- Ele não é feio. Ele é o melhor vilão de todos. Muito melhor que o seu Homem de Ferro. - Ele cruzou os braços e fez um bico.

Eu não acredito que ele acha esse boneco horrível melhor que o meu homem de ferro.

- Como você fala isso? Eu vou contar para a mamãe. - Sai do quarto indo direto para a mamãe. - Mamãe! Mamãe. - Ela olhou para mim com preocupação. - Jimin disse que o Colinga é melhor que o meu Homem de Ferro. Diz para ele que ele está mentindo.

Ela me abraçou e deu um sorriso. Qual era a graça afinal? Eu apenas estava falando a verdade. Ninguém se compara a ele, é o melhor herói de todos.

- Meu anjo, vai brincar direito com Jimin. Para ele, o Coringa é o melhor e para você é o Homem de Ferro. Vocês dois tem suas opiniões, nada pode mudar isso. Isso é o melhor de cada um. Agora vá brincar direito e deixe Jimin ter suas próprias opiniões.

Com isso eu fui para o quarto de Jimin e pedi desculpas para ele. Mamãe estava certa, eu gostava do Homem de Ferro e isso era o que bastava. Bem, eu acho que sim.

Eu e Jimin brincamos a tarde inteira juntos, fizemos um  Coringa vs Homem de Ferro. Lógico que o meu boneco ganhou, porque é o melhor herói do mundo.


                         {××}


Logo a noite chegou e mamãe me chamou para que pudéssemos ir para nossa casa. Me despedir do Jimin e da minha tia.

Estava bastante escuro lá fora, eu quase não via nada, não sei como a mamãe conseguia ver algo.

- Filho, você gostou de ter brincado hoje com o Jimin? - Mamãe perguntou tentando olhar para mim e para a rua.

- Gostei. O meu Homem de Ferro ganhou do Colinga do Jimin. O Homem de Ferro é o mais forte de todos, mamãe. - Ela deu uma pequena gargalhada pelo jeito que falei.

Eu não gostava muito da estrada que a gente ia, tinha um penhasco enorme no caminho, ele me dava muito calafrio.

Para piorar, começou a chover muito, parecia que alguém lá em cima estava muito bravo com algo. Será que alguém fez alguma coisa com ele?

Eu sentir o carro se mexer muito, estava um pouco desgovernado, será que mamãe estava bem?

Eu estava ficando com medo. Em um momento, mamãe desviou de algo na estrada e foi tudo tão rápido, quando eu vi, a gente estava no penhasco, uma parte estava para fora e outra ainda na estrada.

- Mamãe, estou com medo. - Eu já começava a chorar muito.

- Calma filhote, eu vou tirar a gente daqui, tudo bem? - Eu confirmei com a cabeça ainda chorando.

Mamãe tentou se mexer, mas o carro ameaçou de cair. Eu estava tão assustado, eu só queria sair dali e ir para casa com minha mãe e tomar chocolate quente por conta do frio.

Mamãe tentou mais uma vez, dessa vez o carro caiu do penhasco com tudo e eu comecei a gritar.

A gente caiu no mar. O carro estava afundando cada vez mais. Mamãe tirou o meu cinto e fez um sinal para que eu nada-se até a superfície. Mas por que ela não fazia o mesmo? Por que eu estava nadando até lá em cima e ela não me seguia?

Quando eu cheguei na superfície, fui até a margem, tentando recuperar o fôlego. Olhei para a água, mas não via minha mãe. Ela não estava ali.

- Mamãe?! - Gritei uma vez. - Mamãe?! - Por que ela não aparecia? - Mamãe, cadê você? - Minhas lágrimas rolaram por meu rosto.

Ela não apareceu... A ajuda apareceu e me perguntaram o que aconteceu. Eu tentei contar o que me lembrava.

Eu só sei que tudo ficou escuro derrepente e quando acordei, eu estava em uma cama de hospital.

- Olá, Jeongguk. - Uma voz masculina se fez presente no cômodo, chamando a minha atenção até o homem sentado na cadeira perto da parede branca. - Se lembra de mim? - Como me esquecer? Era o meu tio, NamJoon. - Lamento pelo ocorrido.

- Onde está a mamãe? - Tentei fazer força para me levantar, mas me sentia fraco. Tinha vários tubos no meu braço. Eu odiava agulhas.

- Jeon, a sua mãe... Não encontraram ela. Ela morreu. - Parecia que eu estava em um desenho ruim. E sem minha permissão, eu chorei novamente.

Quando finalmente sair do hospital, eu fui para a casa de NamJoon. Nunca mais fui até a minha casa. Eu nunca mais vi a mamãe. Eu nunca vi mais ninguém.

Ela me deixou...
Eu preciso de você, mãe.


Notas Finais


Então gente. Se você chegou até aqui, obrigada, muito obrigada.
Eu não vou mentir, estava muito ansiosa para posta essa fanfic, mas eu só irei posta o resto só próximo ano, pois eu tenho Enem esse ano e estou bem focada. O primeiro capítulo já está pronto e o segundo em andamento. Gente, obrigada por ler e comentem por favor. Preciso saber o que vocês estão achando, nem que seja só um "tá bom" "legal" ou algo do tipo, mas comentem e favoritem. Obrigada e até os comentários.
PS.: A capa linda foi feita pela minha madrasta maravilha a Letícia autora de Hell e Pacto de Sangue. Te amo Letícia. Obrigada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...