1. Spirit Fanfics >
  2. O Som do Mar (Is It Love? Adam: Primeira Temporada) >
  3. Capítulo XXIV

História O Som do Mar (Is It Love? Adam: Primeira Temporada) - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem desse capítulo, sei que está sendo um pouco demorado, mas infelizmente estou com alguns problemas dentro de casa e isso está atrapalhando no desenvolvimento da fic.

Capítulo 29 - Capítulo XXIV


Estou sentada no colo do Adam, minha cabeça está apoiada em seu ombro e consigo sentir o seu cheiro, meu coração se aperta porque sei que não vai durar muito tempo e tenho medo dele ir para a cadeia. Ele está fazendo carinho na minha cabeça enquanto mantenho os olhos fechados, somente nossas respirações são ouvidas nesse silêncio. Se essa noite e o final de semana podem ser os nossos últimos dias, eu quero aproveitar o máximo que posso. Levanto a cabeça e faço carinho em seu rosto, olhando para seus olhos. Seu olhar é de um homem triste apaixonado, sei que ele não está nada bem com tudo isso. Queria que tudo tomasse outro rumo, mas parece que agora não tem mais jeito, infelizmente... 

- Mesmo que esteja acontecendo muitas coisas ruins esses dias, eu não me arrependo de ter conhecido você Adam. 

- Você foi a melhor coisa que me aconteceu docinho. 

- Eu te amo muito, mas do que pode imaginar.  

- Se eu tentasse contar tudo o que sinto por você, seria como um livro enorme. - Ele coloca a mecha do meu cabelo atrás da minha orelha. 

- Irei sentir falta disso tudo, só temos o final de semana agora e depois... 

Não consigo terminar a minha frase, meu coração se aperta novamente e meus olhos ficam marejados. O Adam seca as lagrimas que ameaçam a descer e fala docemente: 

- Meu amor, não pensei nisso agora... Está tudo bem, ok? 

Aceno com a cabeça, ele passa o polegar na minha bochecha e aproxima o seu rosto para um beijo. Nossas línguas se encontram e sinto um pequeno alívio, sua mão sobe para o meu cabelo e eu seguro o seu rosto enquanto nos beijamos. Minha mão desliza para o seu torso musculoso, quero aproveitar o quanto posso e nesse momento quero registrar isso tudo na minha memória. Eu interrompo nosso beijo, fico de frente para ele e mantenho minhas pernas ao lado da sua, impedindo que ele se levante. Sua mão quente desce para o meu seio, mesmo que eu esteja usando uma camisola rosa com renda preta na borda. Sinto o contato de seus dedos passando no bico do meu seio, arrepios começam a correr pelo meu corpo. Sua boca vai para o meu pescoço, depositando pequenos beijos e um pequeno suspiro me escapa. Olho para ele enquanto retiro a sua camisa, sinto o contato de seu abdômen definido e cada vez o meu desejo por ele aumenta. Começo a tirar o seu cinto, enquanto suas mãos vão até a barra da minha camisola, levantando lentamente. Parece que ele quer prolongar esse momento quanto eu, ele deixa a minha camisola de lado e desabotoa a sua bermuda. Novamente voltamos a nos beijar, dessa vez um beijo mais intenso, como se estivéssemos necessitados de um pelo o outro. A nossa química é muito forte não dá para negar, acho incrível tudo isso. Sua mão desce até a minha calcinha, o Adam aperta minha cintura levemente enquanto deixa a mão livre percorrer por dentro da calcinha, ele começa a estimular o clítoris e um novo gemido me escapa. Aperto o sofá, ele não quebra o contato visual, fica me observando a todo momento e isso me causa uma grande excitação.  

- Você não tem noção de como me deixa louco ouvir o seu gemido docinho.  

Sua voz parece fazer carícias em meus ouvidos, dou um sorriso e mordo os lábios. Coloco minha mão em sua calça na tentativa de puxar para baixo, o que não tem sucesso. Me levanto de seu colo e abaixo a minha calcinha, Adam em questão abaixa a calça junto com a cueca. Ele puxa a minha mão e novamente subo em seu colo, dessa vez seguro o seu pênis, fazendo movimentos de vai e vem, ele fecha os olhos aproveitando as sensações. Ele segura o meu seio esquerdo, apertando levemente e começa a chupar. Outro gemido me escapa, não adianta, ele me desestabiliza por completo, é impossível não me deixar levar pelo que estou sentindo neste momento. Cada minuto que passa, eu o desejo dentro de mim. Coloco o seu pênis dentro de mim e começo a sentar lentamente, dessa vez mantenho minha mão em seu peito quente. O Adam segura a minha cintura e aumenta o ritmo, metendo cada vez mais rápido dentro de mim. Jogo a minha cabeça para trás de olhos fechados e fico gemendo, isso está sendo gostoso demais. Aproximo o meu rosto beijo-o novamente, com mais fervor dessa vez. Quando escuto o seu gemido, me sinto poderosa, meu celular vibra na mesa, mas nem estou ligando. Se alguém mandou mensagem, vai ter que esperar, não pretendo parar agora.  

- Eu te amo Hanna.  

Ele segura a minha nuca e eu sento cada vez mais rápido e mais forte, meu rosto fica no seu ombro. Não demora muito para que eu goze e ele em seguida. Nossa respiração está acelerada, nossos corpos estão suados e agora um banho seria muito bom.  

- Agora precisamos de um banho! 

- Com certeza. 

Saio de cima dele e me sento ao seu lado, ainda estou sem fôlego, Adam se levanta dando um beijo na minha testa, o vejo andando em direção ao banheiro. Quando ele fecha a porta, eu pego o meu celular, noto que a mensagem é do Colin. Abro e leio rapidamente. 

“- Hanna, eu consegui invadir o computador do hacker e peguei uns dados importantes, se você puder me ligar ainda hoje. Seria bom, estarei pela madrugada acordado, então me ligue imediatamente." 

Fecho a mensagem e bloqueio a tela, coloco o celular em cima da mesa e passo a mão no rosto. Está cada vez mais perto do Colin conseguir as provas necessárias, infelizmente não posso fazer nada para mudar o rumo onde tudo está indo. Me sinto fraca diante disso, queria que tivesse como poder ajudar o Adam de alguma forma, mas infelizmente não tem. Espero que o julgamento pelo Adam não seja tão rígido. Levanto-me e vou em direção ao banheiro, quando abro a porta, vejo a silhueta dele de costas para mim, a água cai sobre seu corpo e me dá vontade de desabar. Respiro fundo e entro no banheiro, fecho a porta e vou me juntar ao Adam, sei que ele está pensativo e não é bom ele ficar sofrendo por antecedência.  

 

POV ADAM 

Debaixo do chuveiro minha mente fica a mil por hora, desde o dia que conheci a Hanna tanta coisa aconteceram, eu nunca ia imaginar que eu iria me apaixonar novamente. Abaixo minha cabeça e fecho meus olhos enquanto a água cai por cima de meus ombros, de repente sinto alguém me abraçando por trás. Abro meus olhos e me viro, aqui está a Hanna, com um olhar preocupado, mas não diz nenhuma palavra, eu a tomo em um abraço apertado coloco meu rosto nos seus cabelos, é tão bom sentir seu cheiro. De repente sinto um aperto no peito, a cada segundo posso perde-la, eu me arrependo de tê-la trazido para meio disso tudo, fui cego desde o começo só pensava em como podia me vingar do meu pai. E acabei magoando profundamente uma pessoa que agora se tornou tão importante para mim. Eu não sei por quanto tempo ficamos assim, abraçados enquanto a água cai em nossos corpos, tenho que dizer tudo que sinto por essa mulher, a cada segundo pode ser o último. 

- Docinho? - digo isso pegando seu rosto entre as minhas mãos. - Me perdoa por tudo, me perdoa por ter te usado, me perdoa por ter te magoado, eu fui bem idiota, eu sei que... Eu sei que não te mereço. Mas quero que saiba que você é bem importante para mim, você é a mulher que amo..., mas quando penso em como eu te magoei... 

Eu nunca pensei que amaria alguém como a amo, ela em tão pouco tempo se tornou tão importante, cavando cada sentimento adormecido dentro de mim, eu não paro de imaginar nosso futuro... A gente juntos com os minis Peterson correndo pela casa... Pensando na possibilidade de perdê-la a qualquer momento uma série de pensamentos dolorosos correm na minha mente. 

- Adam, ei olhe para mim. - Ela coloca a sua mão em meu peito. - Diz para mim, o que está te torturando tanto? Adam eu sei que está havendo algo e você não quer me contar... 

- Olha docinho, só me arrependo de ter te trazido para essa merda toda. - Passo a mão pelo meu cabelo. - Hanna a FBI em breve estará atrás de mim e eu não quero te levar para o pior disso tudo, eu tenho que arcar com as consequências... 

- Para com isso... Estamos juntos nessa confusão, eu não vou te deixar sozinho você sabe disso. Eu te amo Adam. 

- Eu também te amo muito Hanna! Por isso estou com medo disso tudo... 

- Não tem como desfazer, apenas temos que seguir de cabeça erguida. Eu falei sério quando disse que estaria ao seu lado. - Ela me dá um sorriso doce e continua. - Por enquanto vamos deixar esse assunto de lado, não é bom a gente ficar se martirizando por isso. 

- Ok, tudo bem. 

 

POV HANNA 

Saio do banheiro de toalha e vou para a sala em busca das minhas roupas, pego minha calcinha e minha camisola e visto rapidamente, está um pouco frio. O bom que a água gelada ajudou a clarear um pouco a mente, as coisas estão ocorrendo muito depressa e está nos deixando completamente tensos. Não é bom responder as mensagens do Colin neste momento, acho que preciso esperar mais um pouco. Levo minha toalha até o banheiro e vou para o quarto, ligo o secador de cabelo para usar no cabelo, é melhor mantê-lo seco, estou um pouco cansada e as chances de apagar na cama são altíssimas. Estou distraída enquanto o som do secador corre pelo meu quarto, que nem percebo a aproximação do Adam, ele coloca as mãos nos meus ombros, me causando um pequeno sobressalto. 

- Meu Deus! - Coloco a mão no peito e olho para trás. - Que susto você me deu Adam!!! 

- Desculpe docinho, eu até falei com você, mas não escutou. Estava distraída? - O Adam se senta no chão só de cueca.  

- Estava pensando no cronograma de amanhã. 

- E qual vai ser? 

- Depois do trabalho vou preparar a minha mochila enquanto espero a Lisa, ela vai cuidar do Billy nesse final de semana. Se saímos antes das 18h, chegaremos em Seattle às 23h. 

- Tudo bem, irei passar aqui no seu apartamento e pegamos um táxi até o aeroporto.  

- Vou ligar para a minha mãe na parte da manhã. 

O Adam acena com a cabeça e se levanta, ele pega o secador de minhas mãos e liga novamente, começando a mexer no meu cabelo. Me deixo levar pelos carinhos que estou sentindo, a luz do quarto está apagada e única coisa que reflete no escuro, são a luz do céu estrelado. Adam mexe no meu cabelo com cuidado enquanto sinto o ar quente do secador, parece que ajuda a retirar o peso de meus ombros.  

- Você está cansada? 

- Um pouco. 

- Dá para perceber! Assim que eu terminar aqui, vamos dormir, entendido?! 

- Sim, sim. 

 

POV COLIN 

Verifico o meu celular novamente, mas até agora nenhuma mensagem da Hanna. Será que ela está ocupada ou dormindo no momento? Se eu não conseguir falar com ela ainda hoje, irei encontrá-la na empresa. Preciso ver um local certo, não é bom que outras pessoas escutem a nossa conversa. Não seria nada bom, poderia causar alguns problemas e adeus ao plano. Deixo o notebook no sofá e me levanto, caminhando até a geladeira, pego uma cerveja e abro. Tomo um gole e isso me relaxa um pouco, a campainha toca, quem deve ser a essa hora? Não me lembro de estar esperando alguém, agora quem veio me encher o saco! Vou até a porta e abro, diante de mim vejo a Doris, ela está um pouco pálida, não duvido que ela se drogou de novo. Solto um suspiro e puxo o seu braço em silêncio, ela entra no apartamento e fecho a porta. Levo-a até o sofá e me abaixo de frente para ela, suas pupilas estão dilatadas. 

- Doris? Porque você se drogou de novo, já tínhamos conversado sobre isso... 

- O Elliot voltou e acabei perdendo o controle.  

- Então o imbecil resolveu dar as caras?  

- Eu não sei o que fazer... 

- Não se preocupe, eu já te disse que irei cuidar de você. - Me levanto e estendo a minha mão. - Venha irei te dar um banho, você está muito mal e precisa descansar. 

Ela pega a minha mão, mas acaba perdendo o equilíbrio ao se levantar, rapidamente pego-a antes que caia. Ajudo a se manter de pé e andamos lentamente até o banheiro. É sempre triste vê-la dessa forma, desde que nos conhecemos tentei ser como um irmão mais velho para a Doris. Mesmo sabendo dos seus sentimentos, ela se droga em todos os shows e em outras oportunidades. Preciso conversar com ela amanhã, não dá para que ela mantenha essa postura, isso só vai prejudicá-la ainda mais. É uma merda saber que a família dela está pouco se importando com o que acontece com ela, isso me deixa extremamente puto! 

 

POV HANNA 

Acordo no meio da madrugada, olho para o lado e vejo o Adam em um sono profundo. Seu peito sobe e desce lentamente, levanto-me com cuidado e vou até a cozinha. Vai ser bom beber um copo de água, passamos o resto do tempo conversando sobre Seattle, isso nos ajudou a distrair um pouco. Pegamos no sono sem perceber, afinal os dias estão sendo esgotante para nós dois. Abro a geladeira e pego a minha garrafa de água, tomo um gole e olho para a mesinha de centro. Meu celular ainda está lá, junto com a mensagem não respondida do Colin. Guardo a garrafa de água na geladeira e vou até o meu celular, pego e abro a mensagem, é melhor aproveitar que o Adam está dormindo e saber o que o Colin descobriu. Vai ser melhor falar por ligação, disco o número do Colin e ouço chamar, alguns toques depois ele atende, ando até a porta e destranco, saio para o corredor e falo: 

- Oi Colin, desculpa não ter ligado antes, mas o Adam está aqui e não seria bom falar na frente dele.  

- Relaxa garota, ele está ouvindo? 

- Não, está no quarto dormindo, estou no corredor agora, não se preocupe. 

- A Safeplanet estava planejando mais algumas manifestações e invadir duas empresas que tem parceria com a empresa de petróleo. 

- Merda, eu não imaginava isso... 

- Eu pensei em um plano, mas é melhor falar sobre isso pessoalmente. Amanhã eu te mandarei um e-mail avisando para ir na minha sala.  

- Tudo bem.  

- Agora preciso ir, ainda estou analisando os outros dados.  

- Vou dormir também. Amanhã a gente se fala.  

- Beleza! 

O Colin desliga o telefone enquanto entro de volta para o meu apartamento, é melhor ir descansar, amanhã será outro dia longo! O Adam pode acabar acordando e perceber que não estou com ele. Não quero ficar mentindo para ele, ainda mais neste momento em que muitas coisas estão acontecendo. Tranco a porta e volto para o quarto, Adam se mexe um pouco e abre os olhos, sorrio para ele e deixo o meu celular no criado mudo, me deito ao seu lado e falo: 

- Tudo bem? 

- Sim... Eu só não te vi aqui na cama... 

- Eu precisava tomar um pouco de água e confirmar se a porta estava trancada.  

Dou um beijo no Adam e fecho os meus olhos para dormir, melhor descansar e tentar esquecer tudo isso por um tempo. Espero que ir para Seattle ajude um pouco, realmente está sendo cansativo essa situação toda.  

 

O cheiro de café faz o meu estômago roncar, termino de colocar os meus scarpins pretos, vesti a minha saia cinza com uma blusa social preta. Pego o meu blazer cinza e minha bolsa, vou até a sala e deixo no sofá enquanto ando até o balcão da cozinha. Adam me vê e sorri para mim, parece que hoje ele está animado e é bom! Ele desliga o fogo e coloca os ovos com bacon no prato, preciso comer urgentemente se não posso virar um monstro. Ando até o armário e pego a minha caneca, coloco café e um pouco de açúcar. Nada melhor que cafeína para ajudar a manter o ritmo no trabalho. 

- Hoje o dia será cansativo! - Digo tomando um gole de café.  

- Realmente, mas vai valer a pena.  

Adam dá a volta e se senta ao meu lado, dando um beijo na minha têmpora. Dou um pequeno sorriso e começo a comer, descubro a esfomeada que estava escondida dentro de mim. Preciso tomar cuidado com a minha alimentação, isso pode me prejudicar nos treinos com o Matt.  

- Você está muito linda.  

- Obrigada Adam. 

- Só estou dizendo a verdade! 

Olho para ele erguendo a sobrancelha e rio, seguro a mão dele e aperto levemente, enquanto encosto a cabeça em seu braço. Pequenos momentos de paz, é muito bom! É uma pena que isso não pode se prolongar agora, preciso ir trabalhar. Termino de comer e falo: 

- Eu vou escovar os dentes para ir trabalhar. 

- Tudo bem, irei lavar a louça enquanto te espero.  

Levanto-me e vou até o banheiro rapidamente, começo a escovar os meus dentes. Estou curiosa para saber qual será o plano do Colin, preciso arrumar um pretexto para não deixar o Matt desconfiar de nada. Se eu dizer que vou até a cafeteria, ele poderia ir juntos. Embora que não é bom mentir para ele, mas não posso contar muita coisa nesse momento, nem eu consegui assimilar tudo isso ainda! 

 

Depois de escovar os dentes, vou para a sala e visto o meu blazer, com a bolsa e as chaves na mão, eu vou para a porta com o Adam ao meu lado. 

- Pegou tudo? - Pergunto. 

- Sim, podemos ir.  

Saímos do apartamento e tranco a porta, coloco as chaves dentro da bolsa e descemos as escadas de mãos dadas, agora só vamos nos ver de noite e espero que ocorra tudo bem. Quando chegamos no térreo, eu olho para o Adam sorrindo e abraço ele, seus braços me apertam contra ele e as sensações são incríveis! Ele se afasta um pouco e segura o meu queixo, me dando um beijo delicado nos meus lábios.  

- Tenha um ótimo dia docinho. 

- Você também surfista. 

Sorrimos um para o outro e nos afastamos, ele começa a caminhar para uma direção contrária da minha, solto um suspiro e começo a andar para o meu trabalho. Dessa vez quero ir caminhando, me fará bem, ficar entre os apressados de Manhattan em plena sexta. Não vai ser tão ruim, não encontrando com a vaca da Cassidy, o dia vai correr perfeitamente.  

 

POV OWEN 

O Adam chegou no restaurante animado e não duvido que seja a Hanna o motivo, estou confuso. Até ontem à noite, ele estava preocupado por causa do Colin, mas hoje está fazendo o trabalho mais rápido que o normal. Aproveito que a Fiona está limpando as mesas e vou para a cozinha atrás do Adam, ele deixa os pratos dentro da pia e começa a lavá-los. Verificando se alguém está por perto, começo a falar com ele: 

- Já falou com a Hanna sobre tudo que aconteceu ontem? 

- Sim, conversei com ela sobre isso e manteremos a distância por um tempo. 

- Não foi só isso que aconteceu, você está animado com alguma coisa Adam. 

- Vamos pra Seattle depois do trabalho, era algo que já estava combinado com os pais dela e não posso cancelar desta maneira. 

- Se a FBI descobrir sua ligação com a Hanna... 

- Não vai! Fique tranquilo, é só o final de semana voltarei no domingo à noite e até lá, pensarei no que fazer pela Safeplanet... 

 

POV HANNA 

São 10h e o Matt ainda está bravo comigo, me parte o coração o ver desta forma, mas ele precisa entender o meu lado também. Não é fácil ter que me afastar do Adam desta maneira, espero que ele não fique assim por muito tempo. Uma nova mensagem por e-mail chega no computador, assim que abro vejo que foi enviado pelo Colin. No mesmo instante meu corpo se tenciona, talvez esse seja o momento para saber o plano real dele.  

“Por favor Hanna, venha até a minha sala, preciso conversar com você neste momento. Minha sala é no final do corredor, te espero neste momento. Não se esqueça 40°andar. Colin Spencer.” 

Olho para o Matt, mas ele está concentrado no seu tablet que nem nota o meu nervosismo, respiro fundo e digito uma mensagem para o Colin.  

“Tudo bem, estou indo agora. Em alguns minutos estarei aí. Hanna Cooper.” 

Preciso inventar uma desculpa convincente para o Matt, o que posso dizer? Que preciso voltar no apartamento para ver o Billy ou dizer que o Adam está no hospital por ter sido atropelado por uma bicicleta. Argh! Não consigo mentir bem, isso é especialidade do Adam, não minha. Apenas vou dizer que vou falar com a Lisa, é isso... 

- Eu preciso ir falar com a Lisa, preciso confirmar se ela realmente vai poder ficar com o Billy neste final de semana... Não posso esperar até a hora do almoço, pois estou esperando a ligação da minha mãe que vai ocorrer em breve. 

- É bem repentino, mas tudo bem... Vai lá! Eu seguro as pontas até você voltar. 

Murmuro um obrigado e me levanto, começo a andar até os elevadores e aperto o botão rapidamente. Fico observando os números descendo até as portas se abrirem, vejo o Jake e seu olhar mostra surpresa, confesso que também estou. Entro no elevador com um sorriso e digo: 

- Nossa! Oi Jake, eu não esperava vê-lo. 

- Oi Hanna, eu também não. 

- Está vindo da sala do senhor Carter? 

- Isso mesmo! Então esse é o seu andar? 

- Sim, exatamente. - Aperto o botão do 40° andar e fico ao lado dele.  

- Aquele cara voltou a perturbá-la? 

- O Enzo? Ah, não... Ele finalmente me deixou em paz, agradeço a preocupação.  

- Fico feliz em ouvir isso.  

As portas se abrem novamente e saio, mas sua voz me chama novamente.  

- Hanna? Queria saber se poderíamos tomar uma bebida.  

- Eu adoraria! Depois do trabalho a gente se fala, ok? 

- Ficarei aguardando. 

Um pequeno sorriso de lado invade seu rosto, acabo rindo também enquanto as portas do elevador se fecham. Solto um pequeno suspiro e começo a andar no corredor, aqui não é tão diferente do meu andar, pequenos cubículos para duas pessoas e bastante gente trabalhando, o som dos meus saltos batendo no chão ecoa pela sala. Vejo uma porta no fundo e não duvido que seja do Colin, ando determinada e parando em frente a porta, bato levemente, mas não escuto nenhum som. Bato novamente, mas nenhum sinal. Abro a porta e olho em volta, vejo o Colin concentrado em seu computador com três tela, música de rock é escutada através de seu fone. Ok, para que tanta tela e uma música tão alta no fone? 

- Colin? 

Ele não responde, olho para cima tentando segurar a risada, fecho a porta e vou até a cadeira em frente a sua mesa. Quando me sento, o Colin percebe a minha presença e tira o fone rapidamente, ele está surpreso em me ver.  

- Vai ficar surdo com esse fone tão alto! 

- Foi mal, não percebi que você tinha chegado.  

- Imaginei, eu bati umas duas vezes na porta e nenhum sinal seu. Resolvi entrar e te vi bem concentrado no computador... Se estiver tão ocupado, posso voltar depois.  

- Relaxa, não é necessário, as vezes me perco nas músicas mesmo.  

- Tudo bem, eu te entendo. - Encaro seus olhos azuis e digo. - Qual é o seu plano nisso tudo? 

- Eu imaginei que tocaria neste assunto o mais rápido possível. -  Ele se encosta na cadeira e continua. - Preciso da sua ajuda para hackear o celular do Adam, não duvido que tenha mensagens e ligações para os membros da organização. Esse seria um bom jeito de pegá-los, tentar juntar eles e pegá-los no flagra. Com todas as provas reunidas, isso ajudaria bastante.  

- Não tenho noção de como fazer isso Colin... 

- Fique tranquila quanto isso, eu irei te ajudar. 

- Depois do trabalho, vou arrumar minha bolsa, o Adam vai comigo para Seattle para jantar com meus pais.  

- Esse é um bom momento para hackear, ele com certeza ficará distraído e não vai demorar mais que cinco ou dez minuto.  

- Entendo... 

- Vamos fazer o seguinte, em casa eu tenho um bom aparelho para ajudar, se você puder me encontrar antes de viajar, posso te entregar o aparelho e assim pode hackear com mais facilidade.  

Uma batida na porta nos interrompe, a porta se abre e olho para trás, vejo a silhueta do Mark entrar na sala. De repente meu coração acelera bastante, espero que ele não tenha ouvido a conversa, olho para o Colin e ele faz o sinal de silêncio, aceno com a cabeça devagar.  

- Colin, desculpe interromper! Pensei que estava sozinho...  

- Não tem problema Mark, eu estava falando com a Hanna sobre o show da banda.  

- Ah sim. - Mark se senta na cadeira ao meu lado e me olha com um sorriso. - Bom dia, senhorita Cooper.  

- Bom dia, senhor Leviels. - Levanto-me da cadeira. - Eu vou deixá-lo a sós. 

- Não se esquece de buscar a sua jaqueta Hanna. 

- Ok... Hum... Irei buscar sim. Com licença! 

Vou até a porta, meu rosto está quente e não sei o que passou na cabeça do Mark neste momento. Quando abro a porta e saio do escritório, vejo o Colin me lançar uma piscadela, fecho a porta ainda mais vermelha e começo a andar para os elevadores, é melhor voltar para o meu andar e focar no trabalho. Preciso arrumar um jeito de ir na casa do Colin sem que o Adam perceba, talvez seja melhor pedir o conselho da Lisa.  

 

POV COLIN 

- Eu não imaginava que vocês eram tão amigos. - Mark diz ajeitando os óculos. 

- Eu também não esperava por isso, mas me dei bem com ela assim que nos conhecemos no show da banda.  

- A senhorita Cooper é uma funcionária excepcional! 

- Não duvido da determinação dela... - Não sei o que pode estar passando na mente dele, mas é melhor dar uma desculpa qualquer. - Hanna é um pouco explosiva, percebi isso quando ela discutiu com o baterista da banda. Na hora da raiva, ela foi embora e esqueceu a jaqueta no backstage

- Nossa, ela me parece tão calma. 

- Só parece Mark... - Solto uma risada e continuo. - Me diga, o que você tem para mim? 

- O senhor Carter pediu para você dar uma olhada neste documento. É sobre a negociação que ele pretende fazer com a indústria de Petróleo do David Peterson. 

- Estou sabendo que a Safeplanet, a mesma organização que causou o ataque cibernético, foi até a empresa fazer uma manifestação.  

- Fiquei sabendo pela manhã, mas não imaginei que eram eles. 

- Não acho que foi por acaso, mais ainda tem coisas que preciso descobrir e esses arquivos podem me ajudar! 

- Por isso que o Carter pediu para entregá-lo, creio que já está chegando na solução dos nossos problemas? 

- Sim, obtive muito progresso e falta pouco para pegá-los. Dessa vez eles vão ver que mexeram com a empresa errada.  

- Quanto antes conseguimos nos livrar deles, melhor será, espero que eles não tenham sujado a imagem da empresa.  

- Duvido muito disso, o Carter já está tranquilo com a situação, conversei com ele ontem à noite. 

- Agora entendi. - O celular dele vibra e ele tira do paletó, olhando para mim com um sorriso, Mark se levanta. - Bom, preciso ir agora. Tenho uma reunião em alguns minutos e boa sorte com os arquivos. 

- Agradeço por ter trazido, qualquer novidade, eu irei falar com você e com Ryan.  

- Estarei esperando por isso. 

Apertamos as mãos e ele vai para fora do meu escritório, agora vamos dar uma olhada no arquivo antes de ir almoçar, isso pode me ajudar a ter umas ideias mais claras do porque o Adam resolveu fazer a manifestação. Com certeza ele deve saber que o pai estava entrando em negociações com o Ryan, isso também explica o ataque na empresa, mesmo não tendo motivos tão claros para isso. O que me resta é conseguir invadir o celular dele para ter noção do que ele conversava com os membros da organização. Não vai ser tão complicado e espero que não seja difícil para a Hanna hackear o celular dele. Vamos ver até onde podemos levar isso tudo... 

 

POV HANNA 

O anoitecer chegou rapidamente, no momento em que saí do trabalho, acabei vindo direto para casa e tomei um banho rápido. Assim que eu separava algumas roupas para levar, a Lisa chegou e contando as grandes novidades, Peter chega de viagem amanhã e vão aproveitar para jantar juntos. Fico feliz por ela, mesmo que ela fique aqui cuidando do Billy, não é necessário que ela fique 24h de olho nele. Tudo na vida dela está avançando depressa e na melhor medida, queria que as coisas tivessem correndo para mim dessa forma, mas é difícil ter um pouco de paz nesse caos todo. A campainha toca e espero que não seja o Adam agora, ainda preciso me encontrar com o Colin. Saio do quarto deixando a Lisa escolher o vestido para o jantar e vou até a porta, quando abro fico surpresa. É só falar no Diabo que ele aparece, Colin está usando uma calça moletom cinza e um casaco azul, cores raras de se ver. Acabo rindo vendo-o desta forma, ele em questão ergue a sobrancelha e fala: 

- Não fique tão surpresa, nem sempre me visto como um metaleiro.  

- Desculpa, mas quem é você e o que fez com o Colin?  

- Está muito bem escondido neste momento! 

- Entre por favor. - Digo ainda rindo. 

- Não vai ser necessário, é só uma visita rápida. - Ele coloca a mão no bolso e tira um pequeno aparelho, estendendo a mão ele continua falando. - É só você conectar no celular do Adam, você vai permitir a sincronização e ele automaticamente vai passar os contatos, mensagens e ligações, dependendo da quantidade que tiver no celular do Adam, vai ser como eu disse mais cedo. Entre cinco ou dez minutos, não demora mais que isso.  

- E depois? O que faço? - Pego o aparelho delicadamente e fico observando.  

- Não tem mistérios, depois que atingir o cem por cento, você vai desconectar e deixar o celular no lugar. Ele nem vai perceber o que você fez, mas precisa achar o momento certo! 

- Não se preocupa, será dois dias em Seattle, creio que será o suficiente! 

- Sim, exatamente. Assim que você voltar para Manhattan, me ligue imediatamente que virei buscar o aparelho, irei verificar as mensagens e ligações com o envolvimento da Safeplanet e vou pegá-los.  

- Tudo bem, pode deixar que farei tudo certo.  

- Não é tão difícil quanto parece doçura. - Ele diz estreitando os olhos. - Vou embora agora, se o Adam aparecer a qualquer momento pode desconfiar e preciso resolver alguns problemas. 

- Sim, verdade... Ok... Obrigada Colin.  

- Não precisa agradecer, vai dar tudo certo e vou conseguir te tirar dessa merda toda.  

- Eu acredito nisso... Então, até domingo! 

- Até! 

Ele vira as costas e vai para as escadas, o vejo descendo rapidamente e eu fecho a porta, vou para o quarto com o pequeno aparelho nas mãos. A Lisa começa a falar animadamente. 

- Se você usar o vestido rosa, vai realçar a sua pele e você vai ficar divina! - Ela olha para mim e para minhas mãos um pouco confusa. - Que treco é esse na sua mão? Espera... Quem estava na porta? 

- Era o Colin, isso é... Ok, eu não sei te explicar! 

- Comece do início e com muita calma. 

- O Colin vai me ajudar a sair desta merda que o Adam me enfiou. - Sento-me na cama e coloco escondido no bolso dentro da mochila. - Esse pequeno aparelho é para hackear o celular do Adam e ter as provas contra a Safeplanet.  

- Teoricamente é uma conspiração contra o Adam? 

- Mesmo o amando, ele tem que pagar pelo o que fez e sinceramente... Não posso me afundar junto com ele, não sei se estou sendo egoísta com tudo isso... 

- Ei, ei! Primeiro, tire isso da mente, não é egoísmo! Você está fazendo o certo, não se esquece que ele é o culpado de você estar no meio. Segundo, ele merece sofrer com as consequências. Mesmo amando ele, você precisa pensar em si mesma minha linda!  

- A viagem para Seattle é uma desculpa também.  

- Vai ser um bom aproveito para usar essa coisa... Dá para perceber que você não quer fazer nada disso, mas olha, é necessário que você continue fazendo o que o Colin está pedindo.  

- Eu sei que ele quer me ajudar de verdade. É só que agora... O tempo está muito curto para nós dois... 

- Vai dar tudo certo Hanna, tenha fé nisso. Vá viajar e aproveite todos os momentos, não pense como os últimos momentos. - Ela se senta ao meu lado na cama e pega a minha mão. - Tente pensar que ele vai entrar em uma turnê! 

- Lis... Eu agradeço muito por você estar ao meu lado me apoiando. 

- Mesmo que eu ainda fique muito brava pelo que o Adam fez. Eu sempre vou te apoiar Hanna, sou sua amiga, não importa suas decisões, sempre vou te apoiar. - Ela se levanta e bota a mão na cintura. - Se ele for um maldito filho da puta de novo, dessa vez ele vai se ver comigo! 

Acabo rindo diante de sua atitude, agradeço muito por ter a Lisa como minha melhor amiga. Estar durante dois dias longe deles será um pouco estranho. Talvez me faça bem e quem sabe tenha grandes novidades para contar quando chegar? A campainha toca e dessa vez deve ser o Adam, a Lisa olha para mim e fala: 

- Vai lá, atender a porta para o seu surfista. Vou colocar o resto das coisas na mochila.  

Sorrio e vou correndo até a porta, quando abro, vejo o rosto sorridente do Adam, ele murmura um oi e me agarra pela cintura, deixando um beijo caloroso em meus lábios. Essa atitude repentina me deixa com o coração acelerado. 

- Hey docinho! Pronta para viajar.  

- Oi surfista! Quase, ainda estou preparando a minha mochila, entre e fica à vontade, vou falar com a Lisa. 

- Ok, estarei te esperando.  

Volto para o quarto e abraço a minha amiga.  

- Eu vou sentir saudades! 

- Eu também meu amor. Quero que você vá e se divirta, tome! - Ela me entrega a mochila. - Coloquei opção de dois saltos, imaginei que iria querer usar. 

- Sempre pensando em tudo em! 

- Com certeza. Não esqueça sua pulseira! - Ela me entrega a pulseira que o Adam me deu, deixei ela guardada durante as merdas e olhar para ela, me causa boas lembranças. - Agora vamos, você vai se atrasar para pegar o voo.  

- Não se preocupe, ainda dá tempo. 

- Não fique aqui enrolando, vai curtir menina! 

- Está me expulsando da minha própria casa? 

- Se for necessário para fazer você feliz, então sim.  

Acabamos caindo na gargalhada juntas enquanto coloco a minha pulseira, ao chegar na sala o Adam se levanta e cumprimenta a Lisa. 

- Bom, agora já que vocês estão prontos! Vão logo e aproveitem.  

- Pode deixar Lisa, se cuida e tenha um ótimo final de semana.  

- Com certeza eu terei. - Ela me abraça novamente e cochicha no meu ouvido. - Separei umas lingeries para você usar nesse final de semana.  

- Você é demais!  

Me afasto dando uma piscadela, ela sorri para mim inocentemente e vou para a porta com o Adam, saímos do apartamento e descemos as escadas em silêncio. Esperamos passar um táxi livre e aproveito esse momento para ligar para a minha mãe, é bom avisar que estamos indo agora.  

- Eu vou avisar a minha mãe que estamos indo para o aeroporto. 

- Ok, vou esperar passar um táxi.  

Aceno com a cabeça e pego o meu celular, procuro o contato da minha mãe e aperto no ligar, ela atende depois de alguns toques e sua voz doce invade meu ouvido.  

- Oi querida.  

- Oi mãe! Liguei para avisar que estou indo pegar o avião, creio que até as 23h estaremos em Seattle.  

- Tudo bem, estamos te esperando. Assim que desembarcar, por favor me ligue. Eu e seu pai iremos te buscar no aeroporto.  

- Ok, eu vou desligar, vamos pegar o táxi agora.  

- Até mais tarde filha.  

- Tchau mãe. 

Finalizo a chamada e desligo o meu celular, guardo no bolso enquanto ando até o táxi, entro primeiro com a mochila e o Adam entra logo em seguida. Ele bate à porta falando pro motorista ir até o aeroporto. Sinto um pequeno alívio, vai ser bom ficar um pouco longe de Manhattan e todos os problemas que estão nos rodeando, a parte difícil será de hackear o celular dele, mas não posso voltar atrás nesse momento. Colin espera somente o meu sinal e não posso falhar agora... 


Notas Finais


Foi bem interessante escrever esse capítulo, cada diálogo é tendo em mente que a verdade pode vir a tona e quem diria que ouvindo o álbum de um Dj de música eletrônica poderia ajudar? Tenho uma grande paixão por músicas eletrônica então sou fascinada nas músicas do Dj Illenium <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...