1. Spirit Fanfics >
  2. O Sonho do Herói! >
  3. Primeiro dia! (Parte 2)

História O Sonho do Herói! - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


E ai glr? Estão bem nessa quarentena? Saudáveis? Querendo sua vida devolta? (Esse último a maioria eu creio)

Ñ tem desculpa, eu postei o novo cap agr pq eu quis. E por culpa do enem tbm.(Terceirão desgraça, cursinho e estudando igual um condenado). Poha, e essa merda de vírus acabando com o meu futuro. Nem esperou eu entrar na faculdade pra atacar. (Azar do caramba).

Vamos começar o cap pra dá uma animada. Logo isso passa e tudo volta ao normal.

Capítulo 11 - Primeiro dia! (Parte 2)


Black apenas sorria contente com os novos amigos que ele conheceu, porém seu sorriso murcha e vira um olhar de frustração e raiva ao olha pro lado, onde viu uma garota de cabelos castanhos presos em um rabo de cavalo, pele branca, olhos azuis e seios médios, e um garoto de cabelos verdes longos, pele branca e olhos verdes.

- São eles! Seus desgraçados. – Ele fecha o punho com puro ódio nos olhos. – Eu juro... Que vou matar vocês. – Sussurra.

Longe dali, os dois conversavam alegremente, principalmente a garota, que sorria radiante.

- Você é muito hiperativa. Não parava de me passar mensagem ontem. Sabe que horas eu fui dormir?

- Desculpa N. Você sabe o quanto eu lutei pra chegar aqui. Como acha que eu me sentiria?

- Eu entendo White. Mas precisava não me deixar dormir?

- Você não gosta da minha companhia. Isso sim. – Ela se vira emburrada.

- Deixa disso White. Você sabe que não. Além disso, com quem você conversaria?

- Arrumo novos amigos. Simples assim. – Responde. O garoto se vira por um momento e percebe algo.

- Ou então tentamos conversar com ele ali. – Ele aponta. A garota olha na direção e quase tem um infarto por causa do susto: era Black encarando os dois.

- O Black? Ele tá aqui? – Os seus olhos enchem de lágrimas.

- Aquele olhar, é o mesmo dá última vez. – Lembra.

Black encarrava ambos como se eles fossem suas presas, e ele um tigre faminto pronto pra dá o bote. Os punhos dele soltavam faíscas azuis, além de a suas veias do rosto estarem completamente pulsando de raiva.

- Eu vou falar com ele. – Anuncia a jovem. A reação de seu amigo foi o espanto.

- Vo- você tem certeza White?

- Sim. – Responde com firmeza. – Preciso fazer isso. – O rapaz nada diz, apena olha sua amiga se afastar indo na direção de Black.

- Ela tá de sacanagem com a minha cara? O que ela tá pensando em indo até mim? Perdeu a noção do perigo? – Black se perguntava com um olhar fixo na jovem, que encarava de volta sem receio. Quando estava se aproximando, Green chega e chama seu nome.

- Ei Black. Tá tudo bem com você? Você tá afastado da gente. – O mesmo sai do seu transe, e seu olhar de fúria havia sumido. A garota para de se aproximar e decide ficar longe.

- Nada não. Eu só estava observando o pátio. – Se vira com um sorriso simples.

- Ok então. Vem logo que a diretora já tá vindo. – Ele concorda indo até Green, que já começava a andar. Black para e encara uma última vez a garota com seu olhar raivoso. Ele mexia a boca sem soltar nenhum som, dizendo as seguintes palavras: eu vou te matar. A mesma fica em choque, sem saber o que fazer.

- Black. Por quê? – Perguntava a si mesma vendo seu ex-amigo se afastando.

- Não é tarde ainda White. – O jovem de cabelos verdes se aproxima. – Ele não pode fugir pra sempre.

- Eu sei. – Ela abaixa a cabeça. – Espero conseguir um dia.

Voltando a mim, eu percebo que a diretora Cynthia estava se aproximando dos alunos sorrindo e segurando a sua prancheta.

- Bom dia alunos. Queiram por favor, fazer silencio um minuto. – Todos obedecem. – Estou feliz em ver o terceiro e segundo ano novamente, e mais ainda em ver os novatos do primeiro ano. Antes de começar minha conversa com os veteranos, eu irei chamar todos os novatos desse ano. Vocês serão encaminhados pra sala com o professor Kukui e Birch. Vamos aos nomes.

Todos ficam em alerta, até mesmo os veteranos. Alguns tinham olhares neutros, outros cochichavam. Tinham alguns com um sorriso arrogante, mas nem me importava.

- Alain, Ash, Black, Blue, Brendan, Brock, Calem, Cilan, Clemont, Crystal, Dawn, Drew, Gary, Gold, Green, Iris, Korrina, May, Melody, Misty, Natural, Paul, Red, Ruby, Sabrina, Sapphire, Sawyer, Serena, Shauna, Silver, Tierno, Tobias, Trevor, White e Yellow. – Cita a diretora. – Todos os chamados, venham até aqui. – Dito isso, todos os novatos se aproximam, cada um tinha uma expressão diferente.

- Viu só Ketchum, até na chamada eu estou na sua frente. Isso é um sinal. – Aponta Alain sorrindo.

- Na verdade a segunda letra do seu nome vem primeira no alfabeto. Por isso você está na frente. – Responde Tobias por mim. – Até uma criança perceberia isso.

- Eu não falei com você idiota! – Rebate.

- Não precisa ser rude. Apenas falei o obvio.

- Jesus. Isso vai ser osso duro de roer. – Murmuro.

- Muito bem jovens, vamos começar a caminhada de vocês pra si tornarem profissionais. – Sorri Kukui. – Sigam-me, por favor.

- E sem pressa galera! – Completa Birch saindo correndo na frente. Todos ficaram com expressões tortas.

- Enfim jovens, vamos indo. – Chama Kukui indo na frente nos guiando até a sala.

Naquele momento, eu fiquei olhando cada expressão de cada um que estava ali. Alain estava neutro, mais que o normal. Geralmente ele teria um sorriso convencido ou algo do tipo. Red, Green e Gary estavam bem nervosos. Brendan, Ruby e Sapphire sorriam contentes, assim como Tobias. Serena estava com um olhar de receio, já seu irmão e amigos estavam neutros. Blue e Yellow tentavam se acalmar e Black tinha um olhar determinado. Porém, o que mais me chamou atenção foi o Brock: ele estava pálido, parecia um morto.

- Ei Brock, tudo bem? Parece que você tá passando mal.

- Eu tô tentando fica de boa. Tomara que eu não tenha um troço e desmaie aqui. – Ele tinha um tic nervoso no olho esquerdo.

- Fica tranquilo. Isso passa logo. – Tranquilizo.

- Valeu Ash. – Agradece.

- Estamos chegando crianças. – Aponta o professor. Logo avistamos Birch parado na frente da porta.

- Vocês são muito lentos! Parecem lesmas! – Diz o professor observando chegarmos até ele.

- Mas o senhor disse para não termos pressa. – Rebate Red.

- Não me lembro de nada disso!

- Típico do meu pai. – Sapphire abaixa a cabeça com vergonha.

- Voltando ao principal galerinha. Vamos entrando. – O professor Kukui abre a porta e entra acompanhado do outro professor e da gente. Quando entro, fico de queixo caído: a sala era enorme. Tinha o número exato de carteiras para os alunos, as janelas davam acesso a uma varanda, o quadro era enorme, tudo era incrível. Até a cadeira dos alunos tinha uma aparência confortável.

- Todos sentados! Vamos começar as apresentações! – Exclama.

- Apresentação? – Pergunto.

- Isso mesmo. Precisamos saber tudo sobre os poderes de vocês. – Sorrir Kukui. Entretanto, eu fico em choque. Não posso contar pra mais ninguém do que eu sou capaz de fazer. Nesse momento, me lembro do que Riley Sensei me disse.

- Não se sabe ainda o que essa individualidade pode fazer Ash. Porém, nesses anos de treinamento com você, posso apenas afirmar uma coisa: além dela machucar o seu corpo ela pode machucar as pessoas que estão no seu redor. Por isso, não use seu poder no máximo até aprender a controla-lo. Use apenas a quantidade que você suportar. E nunca se esqueça: você tem uma arma em suas mãos que pode salvar ou destruir a humanidade.


Notas Finais


Até outro dia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...