História O sonho perfeito - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Drama, Kpop, Romance, Superação, Suspense
Visualizações 17
Palavras 1.294
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Magia, Romance e Novela
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Plágio é crime!

Capítulo 1 - Capítulo 1- A nova cidade


Fanfic / Fanfiction O sonho perfeito - Capítulo 1 - Capítulo 1- A nova cidade

Lá estava eu, uma garota odiada por todos da escola, saindo da cidade em que nasci e cresci e finalmente me mudando para algum lugar melhor, já não aguentava mais essa cidade cheia de pessoas sem coração, totalmente vazias por dentro e sem amor ao próximo. Estava tão ansiosa por poder me mudar, poder conhecer pessoas novas e ter uma vida completamente diferente, talvez finalmente eu havia achado algum motivo para sorrir e continuar querendo viver nesse mundo péssimo, porém o meu único lar. Assim que eu e minha mãe chegamos em nossa nova casa, saí correndo do carro e adentrei a mesma que era grande e espaçosa com inúmeros detalhes dourados em suas janelas e um lustre incrível feito com pedras preciosas. Aquilo provavelmente era uma das coisas que minha avó havia deixado aqui antes de partir, já que este era o lar dela há muito tempo, quando eu era apenas uma criancinha. Sinto muita falta de minha avó pois ela era a única que me entendia e que me ouvia, mas sei que agora ela está em um lugar melhor e assim como ela eu também queria estar, então eu acho que devo dar um chance à este lugar novo, mesmo receosa de não conseguir me encaixar novamente. Arrumei todos os móveis na casa junto à minha mãe que era a minha única família até agora e finalmente decorei o meu quarto do jeito que eu queria, com pôsteres de grupos americanos e coreanos que eu tanto amava nas paredes e inúmeros bichinhos de pelúcia sobre as prateleiras e sobre a minha penteadeira. Então não demorou muito para mim ir dormir de tanto cansaço por ter arrumado bastante as coisas em casa hoje. 


 No dia seguinte já me despertei toda animada, hoje era o meu primeiro dia de aula na escola nova e eu queria fazer muitos amigos pois na minha antiga cidade eu não possuía nenhum, então acreditei que eu podia fazer amigos desta vez. Fiz as minhas higienes, coloquei a minha melhor roupa, arrumei minhas coisas e me despedi da minha mãe, logo saindo de casa e indo diretamente à escola de bicicleta. Quando cheguei na escola todos eram bem mais velhos, as meninas tinham um corpo já formado e os meninos já tinham barba, parecia que eu estava em uma boate ou sei lá, tinham tantas pessoas estranhas e mais velhas, que eu já me imaginava saindo correndo de lá e voltando para a minha cidade natal, pelo menos lá as pessoas de catorze/quinze anos não pareciam mulheres de quarenta ou mais. 

 Um tempo se passou e o coordenador da escola já havia selecionado a sala em que eu ficaria, entrei na mesma e todos ficaram me olhando, como eu disse um bando de crianças/jovens que já pareciam adultos, o que me assustava e me deixava sem jeito, já que meu corpo não era lá essas coisas comparado ao corpo das meninas de lá. Fiquei sozinha praticamente o tempo inteiro, tentava socializar com as meninas ou até mesmo os meninos, mas eles fingiam que eu não existia ou quando viam que eu estava ali, me xingavam de bebêzinha ou novata e jogavam todas as coisas que haviam dentro de minha mochila no chão, chutavam as mesmas e saiam rindo como os babacas que eles são. Peguei as minhas coisas do chão e as coloquei rapidamente dentro da minha mochila deixando as lágrimas rolarem soltas pelo meu rosto, triste por ter me animado tanto para sofrer bullying logo no primeiro dia. 

 Quando acabou a aula eu fui correndo até a minha bicicleta que estava acorrentada em uma grade de fora da escola, desacorrentei a mesma e saí bem rápido de lá. Meu rosto estava avermelhado e inchado, ele chegava à arder levemente do tanto que eu chorei, acho que eu realmente sou a bebêzinha que todos falam e dão risada por não saber se defender e não ter um corpo bonito como as outras. Cheguei em casa, joguei a minha bicicleta no chão do jardim e abri a porta com raiva, subindo as escadas rapidamente até o meu quarto e me fechando lá dentro. Joguei a minha mochila no chão e deitei em minha cama com o rosto na almofada, sem esperanças de conseguir me encaixar nessa cidade, até que ouvi a porta se abrindo lentamente, era a minha mãe, toda preocupada como sempre, além de fazer o melhor dela por mim mesmo não conseguindo entender tudo o que eu sinto pois eu não me sentia à vontade contando sobre a minha vida com ela já que ela teve uma juventude incrível, popular na escola e cheia de amigos e amigas ao redor, então ela não me entenderia além de eu ficar totalmente constrangida e ficar mil vezes pior do que já estou com esta situação.

 Mãe: Filha? - Disse ela adentrando o meu quarto e se sentando ao meu lado na cama - O que aconteceu hein? 

 Suspirei ainda sem tirar o meu rosto da almofada, pretendendo ficar quieta e não abrir a boca para minha mãe ou falar o que realmente aconteceu, pretendia mentir que a aula foi legal já que ela sempre acreditava e depois parava de ficar me fazendo as perguntas idiotas dela. Minha mãe nunca havia passado por tudo isso que eu passei, sempre foi mimada desde bem pequena e sempre teve uma vida perfeita, suas únicas tristezas foram perder o marido e a mãe, sei que perder familiares é algo péssimo e isso é muita dor também, mas este é o ciclo da vida e nós temos que aceitar algum dia. O que realmente me desconforta é o jeito que ela fala sobre a minha situação, como se a mesma soubesse tudo o que eu sinto e simplesmente fala que isso é uma “bobeira” e que “é uma fase”, se fosse uma bobeira eu não estaria sofrendo tanto assim... E uma fase? Essa fase já durou quinze anos! Quando essa merda vai acabar de uma vez? Eu já estou cansada! 

 Nada mãe... - Digo ainda com o rosto na almofada, de um jeito abafado - Só estou cansada e com cólica, mas não se preocupe eu já tomei remédio 

 Ouvi ela suspirando e começando à acariciar os meus cabelos com carinho, tentando me confortar do jeito que ela sempre faz. Eu realmente amo muito a minha mãe e eu não queria outra, apenas queria que ela entendesse que eu preciso de ajuda para fazer amizades e ser aceita nos lugares, ela sofre pelos parentes dela e eu também já que eles eram meus parentes também, eu entendo as dores dela e sempre à ajudo, mas ela não entende as minhas e sempre que conversamos parece que tudo piora cada vez mais. 


 Mãe: Está bem S/N... Mas saiba que a sua mãe sempre estará aqui para tudo, ok? Sei que não estamos tendo uma vida perfeita, mas tudo isso vai se arrumar, só você esperar e ter paciência

 Ela deposita um beijo em minha cabeça e sai do quarto sem dizer mais nada como sempre fazia, tirei o meu rosto da almofada e me sentei na cama coçando os meus olhos e limpando todas aquelas lágrimas que escorriam enquanto eu ouvia tudo o que ela falava em silêncio. Fui ao banheiro e tomei um banho longo, tentando esquecer o dia de hoje e o quanto ele foi horrível, coloquei um pijama fresco e fiquei me olhando no espelho por alguns minutos, vendo que eu realmente não era nada bonita e meu corpo era horrível, além de eu ter um cabelo péssimo. Suspirei e me deitei em minha cama logo fechando os meus olhos e finalmente podendo tirar uma noite calma de sono, o único momento em que eu conseguia ter paz e me sentir confortável.


Notas Finais


Esperem ansiosos para o Capítulo 2 e me dêem muito amor por favor ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...