História O Substituto - (KakaSaku) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hiruzen Sarutobi, Ino Yamanaka, Iruka Umino, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Maito Gai, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Yamato
Visualizações 147
Palavras 1.847
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Coloquei essa fanart porque sim.
Beijos

Hoje vai aparecer um poema de minha autoria, eu amo escrever coisas assim, então... :3
Quero dizer, que eu vou ser muito mal com vocês.
Bom, vai ter bastante emoção hoje.

Se vocês tiverem problema de coração, chamem logo o XAMU porque, vai ser critico :v

Esse Capitulo foi patrocinado (sqn) por Waleska Popozuda, porque vai ser só tiro, porrada e bomba.

Capítulo 9 - Olhares


Fanfic / Fanfiction O Substituto - (KakaSaku) - Capítulo 9 - Olhares

Era mais uma semana, desde o dia do teste, me sentia vigiada, não sabia por quem e nem como, mas sentia sempre alguém me observando. Tudo ocorria normal, menos meus pensamentos, era algo diferente em mim, as vezes me pegava me perguntando onde deixei meu livro de poemas, perdi no dia em que o Kakashi-sensei me recusou.

Era mais um dia, acordar com aquele barulho irritante no ouvido, odeio aquele relógio idiota. 
Tirei meu pijama ao me levantar, olhei-me no espelho, apenas com calcinha e sutiã, como todo dia de manhã. Virei um pouco, para ver a parte de trás. 

Nada tinha mudado, os seios pequenos, quadril também, eu era uma perfeita tábua. Só pode. 

Suspirei derrotada, olhei bem meu rosto e percebi minha testa ENORME, em seguida meu semblante abatido por conta disso. 
Não iria mais chorar por isso! 

- Você disse que não era pra eu chorar, Kakashi-sensei... - disse já sentindo as lagrimas se formarem em meus olhos - Mas... - cerrei os punhos com força e limpei meu rosto erguendo a cabeça. - Cansei disso. De ser fraca... - disse e me olhei no espelho de novo, mas agora com um pequeno sorriso. Me olhei de novo, toquei suavemente meus dedos, deslizando de vagar por meu corpo, me observando detalhadamente, era isso que eu deveria ter feito antes. 

Me amar. 

Tirei o resto das roupas e fui para o banheiro fazer minhas higienes, me vesti de forma diferente, deixei a camisa pra dentro da saia e arrumei ela de uma forma que não ficasse tão longa, penteei os cabelos, desembaraçando-os e para cobrir a testa, coloquei uma toca, pra desviar a atenção. Passei um pouco do gloss que Ino me deu e um pouco de perfume. 
Desci e fui tomar café, como sempre, papai já não estava mais e mamãe me esperava. Não reparou na minha "mudança", mas eu tinha certeza de que estava diferente hoje. Terminei o café e fui embora andando até o metrô. 

Ao entrar no Konoha High School percebi que realmente estava diferente, pois dava pra perceber de longe que todos estavam olhando pra mim. Mas só tive certeza quando vi Ino com a boca aberta de forma impressionada 

- Sakura... - dizia ela surpresa - O que aconteceu? 

- Não sei... Resolvi ouvir seu conselho, estava na hora de mudar um pouco não é? - sorri e ela também

- Essa é a minha testudinha. - disse ela e me abraçou rindo. 

 

##

 

-Obito, acho que agora eu te entendo... - Disse sentado no tampo do túmulo - Sabe? Essa coisa de paixão, sei lá o nome disso... Eu nunca senti algo assim, mas me sinto um idiota, eu realmente não sei o que fazer, amigo. - olhei para foto dele na lapide - Acho que estou realmente me apaixonando por essa aluna... Porque justamente por uma garota como ela? - perguntei mas para mim do que para ele, socando levemente minha própria coxa. - Acho que a pessoa que escreveu a história da minha vida estava muito chapada... Puta que pariu, Obito... Só queria entender porque me sinto tão vazio, mas perto dela... Completo... - suspirei - Eu te achava um idiota por causa da Rin, mas olha só que patético - acabei rindo da minha cara - Acho que estou no mesmo nível de idiotice que você. 

O tempo realmente passou voando, de novo e mais uma vez atrasado. 

- Bom dia, turma! Desculpem o atraso... - deixei as coisas em cima da mesa e cocei a nuca sem graça - Bem, eu me perdi no caminho da vida. - soltei uma risadinha e todos me lançaram o mesmo olhar de "Ah tá... Conta outra, sensei" - O que? - perguntei pra eles me fazendo de desentendido. - Vamos começar. Hoje vou passar logo a aula de literatura, pra me livrar logo disso e ir embora - disse simplista e me direcionei para o quadro, agora eu iria  fazer o circo explodir, porque pegando fogo já está a um bom tempo. Comecei a escrever um poema no quadro, sabia que era maldade fazer isso, mas era o único jeito de me declarar para ela, de uma forma que somente ela pudesse entender. Assim que terminei olhei para a turma meticulosamente, para cada rosto e me deparei com o dela. 

Os olhares se cruzando e um arrepio estranho me subiu a espinha, ela estava diferente, parecia ainda mais mulher. Segura. 
Tão segura que não virou o rosto envergonhada, como de costume, pelo contrário, me encarou de volta e ainda deu um meio sorriso sacana no canto dos lábios. Ela está brincando com o fogo de uma forma que será bem divertido deixa-la se queimar com isso. 

Mas assim que seus olhos foram guiados para algo atrás de mim, parece que toda a sua atitude e coragem sumiram na hora, deixando com os olhos arregalados e a boca entre aberta, ela conhecia muito bem aquilo que tinha no quadro. 

Era a minha visão sobre ela e ela sabia que era dela que falava o texto. 
Neji não entendeu o que era aquilo, mas veio até mim perguntar. 

- Kakashi-sensei, o que é isso? - perguntou ele se levantando 

- Isso? - apontei para o quadro - São versos. - disse e vi alguns se segurarem pra não rir 

- Disso eu sei, mas para que exatamente? 

- Oh sim, é para se declarar pra alguém - disse olhando para ele, mas por um momento acabei olhando rápido pra ela. - Quero que escrevam esses versos no caderno de vocês e coloquem a sua interpretação em baixo. Apenas isso. - disse calmo. 

- Professor? - Kiba levantou o braço 

- Diga. - respondi tentando não bocejar

- Quanto vai sair o resultado dos testes da peça? 

- Oh bem lembrado, vai ser na próxima semana. - sorri fraco. - Neji, por favor. Leia o texto em voz alta. 

- Hai. - disse o moreno e pois-se a ler 

Você não sabe de mim,

E eu tudo sei de você. 

Só quero te ver sorrir, minha razão de viver.

Eu me desculpo por ter te feito chorar 

Acredite, bela flor, nunca quis te magoar

És a mais bela ao meu ver.

Tu és dona do meu bem querer

Teus olhos são como kunais envenenadas,

Que ferem o coração de um pobre como eu 

Que suspira escondido, pelo amor do teu

És apenas um botão de flor

Mulher menina, que não desabrochou 

Não diga que não és bela, porque tu és

Minha flor de cerejeira, eu estou ajoelhado aos teus pés. 

Sonho dia e noite com teu beijo 

Morrendo assim de desejo 

Mesmo que teus pensamentos 

Sejam de outro homem, assim

Porque não  deixaras de lado e para de judiar de mim?

Oh, minha flor de cerejeira, queria contigo sentir 

Sentir aquilo que eles chamam, de amar ao luar sem fim

Mas te peço perdão pelas lagrimas sofridas 

Não queria contigo errar, mas por favor me entenda 

Está sendo uma tortura te amar. 

Assim que Neji terminou de ler, eu percebi o quão sentimental aquela porra ficou... "Caralho, hein Kakashi... E ainda falava de mim" - escutei a voz de Obito em minha mente, entre risadas, como se essa realmente fosse a reação dele. Era de fato patético, eu escrever coisas de amor pra alguém. Logo o cara mais desapegado do universo, fui me amarrar a alguém que nem sequer tive a chance de tocar os lábios. 

- É um texto muito bonito, Kakashi-sensei - disse Temari no fundo da sala - Quem é o autor? 

- O autor?- perguntei colocando as mãos nos bolsos e olhando diretamente para Sakura, que estava sentada na frente dela - Sou eu. 

Assim que eu disse aquilo, a turma começou a fazer barulho e falar entre si, enquanto estavam praticamente resumidos a bocas abertas e olhos arregalados. 
Menos Sakura, que ficou petrificada me olhando da mesma forma por um tempo, confusa. Até começar a corar e baixar a cabeça. 

Não tinha mudado nada, mudar a roupa não iria mudar a essência que ainda morava naquele coração. 

As vezes me pegava lembrando do dia que passei um intervalo inteiro ouvindo ela falar e falar e falar, e em como ela ficou empolgada com aquilo e acho que foi desde ali que eu percebi algo diferente nela, era diferente sim. Ela não era chata, nem mimada, era só ela. Só a Sakura. 

[...]

Assim que a aula terminou, fui para a biblioteca buscar um livro para a elaborar uma boa aula para o 3o ano A, mas acabei encontrando alguém ali, tentando desesperada pegar um livro de uma estante mais alta. Não consegui segurar a risada, pois Sakura ficava de certa forma fofa, enquanto pulava pra pegar. 
Me aproximei por trás e peguei o livro pra ela, a proximidade era tanta que os corpos quase se juntaram e eu pude sentir o perfume de seus cabelos, mesmo com aquela mascara. 

- Ahn? - ela se assustou e virou rápido, dando de encontro comigo - Ka-Kakashi-sensei - ela disse e se apoiou na prateleira atrás de si. 

- O livro... - disse olhando para os lábios dela, com uma vontade mais do que gigante de 

- Obrigada - sorriu corando violentamente e saiu, mas eu já estava cansado desses joguinhos e estava perdendo, ou melhor, já perdi a cabeça e sanidade restantes na hora em que a puxei pelo braço e a prensei entre a estante e eu. 

- Já chega de fugir... - disse baixo segurando com certa força a cintura dela, colando minha testa na dela. Sakura começou a respirar pesado. Fechou os olhos - Olhe pra mim - continuei com o mesmo tom desejoso e desesperado - Será que não entende? -perguntei franzindo as sobrancelhas, quando os olhos esmeralda me olharam atentos - Estou ficando louco, escrevi aquilo pensando em você... Eu preciso de você... - falava quase sussurrando 

- Kakashi.. - ela falou baixo e fechou os olhos novamente 

- Eu nunca faria nada que você não quisesse, nunca... - dizia no tom baixo, com uma vontade enorme de tomar seus lábios convidativos - Se não quiser, isso nunca aconteceu e eu sumo da sua vida pra sempre... Mas se quiser... - disse roçando meu rosto coberto pela mascara pela extensão de seu pescoço - Se quiser, por Deus... Diga e termine logo com essa tortura. - disse apertando com força sua cintura e corpo, contra o meu. Fazendo ela soltar um pequeno gemido involuntário. Então senti suas mãos delicadas subirem até a barra de minha máscara e fechei os olhos,permitindo que ela baixasse o pano. 

Já não tinha controle de meus atos, dali em diante, não iria saber me responsabilizar. Senti a mascara ser tirada e suas mãos passearem por meu rosto, os dedos tocarem delicadamente meus labios que estavam meio abertos, e meu nariz. Abri os olhos e encontrei aquela imensidão verde, me olhando encantada. 

- Você... - disse ela quase sem voz - É lindo... - aquele foi o estopim. 

Puxei sua nuca para perto delicadamente e juntei nossos lábios.

 


Notas Finais


Tá aí.
Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...