História O sumiço de Lucas - Capítulo 12


Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Crossover, Drama, Lucas, Mendigo, Realidade Alternativa, Romance, Universo Paralelo
Visualizações 5
Palavras 680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Linguagem Imprópria, Necrofilia, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 12 - Lula, o Satanista


Fanfic / Fanfiction O sumiço de Lucas - Capítulo 12 - Lula, o Satanista

         ...E então eles abrem a porta de um quarto e veem a cena horrível de Lula, pelado, coberto de sangue, matando calangos com uma garrafa de 51.

         Pelo menos era só um quadro.

         Nesse lugar que haviam entrado, além do quadro estranho e grotesco, havia uma porta do outro lado, embaixo do quadro, e uma mão, feita de concreto, com o dedo mínimo faltando, em cima de um pedestal.

         Após uma rápida discussão sobre a existência daquele quadro e os traumas que aquilo iria gerar, os quatro examinaram a mão que ficava no meio da sala. Nenhum botão, nenhuma alavanca, nada além de um buraco aonde devia ficar o dedo mínimo.

         Eles então abrem a porta que ficava debaixo do quadro. Aquele era o quarto de Lula. Era algo de gente excêntrica. Todos se separaram e começaram a procurar por algo que tenha alguma utilidade.

         André, ao abrir uma gaveta, acha um dedo de ouro maciço. Ele tira o dedo da gaveta e mostra para todos.

         - Olha o que eu achei! – exclamou André

         - Ele provavelmente enfia isso no cu. – disse Miguel

         - Eu sei que isso é extremamente óbvio, mas, isso deve encaixar naquela mão estranha. – disse Rennan

         Eles vão até a mão no meio da sala, e André encaixa o dedo de ouro. O chão começa a se mover. Os quatro se afastam. Após pouco tempo, foi formada uma escadaria, larga o suficiente para uma pessoa adulta passar. Era uma longa descida. No meio da descida, eles começaram a conversar sobre sonhos.

         - Falando em sonhos, o que é que você viu no ringue de UFC Miguel? – perguntou Rennan

         - O que você quer dizer? – retrucou Miguel

         - Você estava claramente tendo uma alucinação lá. Descreva o que você viu.

         - Pois é, tu nunca falou nada sobre aquilo. – disse André

         - Não era uma alucinação, era uma mensagem, do Lucas. Ele disse que era tudo culpa minha e que o Lula tinha aprisionado ele numa joia amarela. – explicou Miguel

         Os quatro continuaram a descer as escadas. No fim, havia uma grande porta preta. Ao abrirem a porta, eles encontram um homem de capuz falando em latim, na frente de um enorme caldeirão. No caldeirão havia dois chifres, com uma Esfera do Dragão em cada.

         O homem nota eles e remove seu capuz, jogando ele para o lado. Ele então se vira em direção aos quatro.

         - LULA! – disseram eles ao mesmo tempo

         - Tarde demais! Eu só preciso adicionar mais um componente e estará pronto! – disse Lula, retirando um colar com uma grande joia amarela do bolso.

         A joia emitia um som fraco, que parecia um pedido de socorro. Dava para ver o rosto de Lucas nela.

         - Com isso, eu poderei invocar Satanás, e com isso, adquirir poderes extraordinários, capazes de me fazer governar o mundo! E restaurar meu dedo.

         - Eu achava que pra invocar o capiroto se usava pentagrama.– disse André

         - Pera aí, então você quer usar nosso amigo pra invocar o capeta, sem medo que ele saia descontrolado por aí ser te dar nenhum poder? – questionou Carlos

         - É, realmente, esse plano tá cheio de problema. – disse Lula, espantado por algo que qualquer um conseguiria deduzir.

         - Chega de conversa! É hora de você morrer! – berrou Miguel, mirando seu fuzil em Lula

         Miguel puxa o gatilho, gastando até a última bala. Lula cai morto no chão, largando o colar que segurava. Miguel saiu correndo e pegou a joia do colar.

         - Pra me soltar só é preciso quebrar a joia! Joga ela no chão – disse a voz de Lucas, saindo de dentro da joia.

         Miguel rapidamente joga a joia no chão. Antes de ela quebrar, se ouve uma palavra:

         - T O L O S ! ! !

         A joia explode, lançando todos na parede. No meio da fumaça gerada pela explosão, dava para ver o rosto de alguém. Essa pessoa parecia ter uma cicatriz em forma de raio na testa.

         Miguel, usando as poucas forças de lhe sobraram após a explosão, conseguiu ver claramente o rosto do sujeito.

         - L-Lucas?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...