História O Supremo e a Alfa - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Lobos
Visualizações 70
Palavras 2.612
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Mistério

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Você de verdade...


                 Lucy pov

Nos encaravamos com fogo nos olhos, prontos pra correr a qualquer momento. Eu olho bem fundo nos olhos de Ryan. Ele não vai pegar leve, eu sei. Mas, não custa tentar, não é?

Luna: vamos dar partida ali. - aponto pra uma enorme pedra - dar uma volta pela alcatéia, e quem chegar primeiro ganha, obviamente.

Léo: ainda da tempo de desistir. - avisa - me

Luna: você não me conhece nem um pouco. Eu não volto atrás com a minha palavra!

Léo: vou ter a eternidade pra fazer isso. - encosta seu focinho ao meu

Luna: bem... - abaixo a cabeça envergonhada

Léo: você fica ainda mais linda envergonhada.

Luna: vamos correr? - levanto a cabeça já me preparando

Léo: uma volta pela alcatéia né?

Luna: se prepare pra ser meu escravo, porque não vou maneirar!

              Autora pov

Os dois se prepararam pra largar.

Luna: 3.

Léo: 2.

Luna e Léo: 1!

Rápidos como o vento, permitido somente a platéia a ver vultos se movimentando numa incrível velocidade. No meio do caminho Léo ultrapassa Luna. A essa altura todos da alcatéia pararam o que estavam fazendo para assistir a corrida dos Supremos. Em seguida Luna ultrapassa Léo. Os lobos já se agrupavam perto da casa dos Alfas para assistir o final da corrida. Léo cola ao lado de Luna faltando poucos metros para o final. Léo ultrapassa Luna. Luna ultrapassa Léo. A poucos milímetros da chegada, Lucy acorda ofegante de seu sonho.

                Lucy pov

Foi um sonho? Tudo isso foi um sonho? Preciso contar a todos. Me levanto rapidamente de minha cama, de pijama mesmo, sou foda. Corro até a cozinha e encontro meus pais e meu irmão tomando café da manhã.

Eleandro: tá fazendo maratona logo de manhã?

Lucy: pai, sem gracinha, a coisa é séria.

Daniela: o que foi filha?

Lucy: mãe, se eu te dissesse que eu sonhei com meu companheiro, a do meu irmão, a do Samuel e o do Andressa você acreditaria?

Eleandro J: você sonhou com a minha companheira?! Como ela é?! Qual o nome dela?!

Lucy: vou responder quando estiverem todos aqui.

Daniela: isso pode significar que ele está mais perto do que imaginamos.

Eleandro: quando você sonhou com eles estavam juntos?

Lucy: sim, e apareceram aqui. Ficaram um dia inteiro no meu sonho.

Daniela: isso é bom, são da mesma alcatéia.

Eleandro J: podemos encontra - los?

Eleandro: não sabemos a localização deles meu filho.

Lucy: no meu sonho, a alcatéia deles era do outro lado da Cachoeira. Me encontrei com ele enquanto estava caçando, ai eu acidentalmente atravesei pro território dele. - risada 

Eles: ELE É UM ALFA?!

Lucy: quase... Assim... Então... Supremo Alfa, hehe - coloco a mão na nuca e dou um sorriso sem graça 

Eles: SUPREMO ALFA?! 

Lucy: ele não é o Supremo ainda.

Eleandro J: AINDA?!

Lucy: para de gritar, já deu. Vou contar as novas pro Samy e pra Vaquinha (Andressa, apelido carinhoso) tchau, até mais tarde!

Eleandro: não vai comer?

Lucy: quase me esqueço. - pego três pães com presunto e queijo e três frutas pra comer no caminho

Eleandro J: eu vou com você.

Lucy: então vamos.

Daniela: não vai trocar de roupa filha?

Olho minha roupa. Uma bermuda roxo escuro curta e uma blusa roxo claro larga até a coxa.

Lucy: nãããão, tá bom assim.

Saio comendo com meu irmão ao meu lado.

Eleandro J: onde acha que eles estão?

Lucy: provavelmente dormindo.

Eleandro J: vai acorda - los?

Lucy: o assunto é do interesse deles então sim.

Nesse momento estávamos no centro da alcatéia onde a uma enorme Praça. Todos nos olham com respeito e fazem uma breve reverência. Aqui na nossa alcatéia eles não ligam muito pro fato de uma fêmea ser a nova Alfa, e mesmo se ligassem eu não me importo. Não tô aqui pra agradar nínguem, eu tô aqui pra comandar uma alcatéia, e é isso que eu vou fazer!

Chegamos a casa do Samuel. Bato no porta 3 vezes e a mãe dele abre.

Lucy: oi tia!

Eleandro J: oi tia!

Rose: oi princesa, oi príncipe da tia! - ela nos abraça apertado. Ela é muito amiga da nossa mãe e do nosso pai

Lucy: o Samy ja acordou?

Rose: não, mas pode acordar ele já passou da hora.

Eleandro J: tamo subindo.

Lucy: hehehe. - risada maligna

Eleandro J: não gosto quando você faz essa risada, nunca vem coisa boa.

Lucy: não se preocupe irmãozinho, vou ser gentil. - meus olhos ficam azuis e surge um sorriso de canto em meus lábios - abre a porta Júnior.

Eleandro J: tudo bem. - abre a porta e fica atrás de mim

Lucy: Samy, hora de acordar. - balanço ele

Samy: não... Tá cedo ainda mãe... - resmunga

Lucy: Samy, não vou falar de novo, acorda!

Ele resmunga de novo.

Lucy: eu avisei. - eu inspiro profundamente e rosno muito alto fazendo ate meu irmão tampar os ouvidos

Samy: AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH!!!! - cai da cama

Lucy: bom dia! - sorrio amavelmente com meus olhos de volta ao tom original

Samy: BOM DIA?! SÓ SE FOR PRA VOCÊ. EU ACABEI DE ACORDAR COM UM ROSNADO ENSURDECEDOR NO MEU SENSÍVEL OUVIDO! 

Lucy: foda - se. Tenho algo importante para dizer a você.

Samy: que seja algo maravilhoso, acordei de mal humor por sua causa!

Lucy: eu sonhei com sua companheira.

Samy: ... QUE?! ONDE ELA TÁ?! COMO ELA É?! QUAL O NOME DELAAAAAA?! - me sacode

Lucy: PARA DE GRITAR CÃO! EU VOU RESPONDER TUDO! Mas agora vamos nos encontrar com a minha Puta (Andressa), vou contar que sonhei com o companheiro dela também.

Samy: sério?!

Eleandro J: sério, e com a minha também.

Samy: isso é o que? Convenção de companheiros pelo sonho por acaso?!

Lucy: vamos logo!

Samy: só vou trocar de roupa.

Lucy: não dá tempo. - puxo ele até a porta rapidamente

Samy: EI!

Eleandro J: TCHAU TIA!

Rose: TCHAU CRIANÇAS!

Lucy: vamos pra casa da Andressa agora, depois vamos para minha casa conversar com meus pais.

Eles: ok.

Fomos praticamente correndo até lá. Bato 3 vezes na porta.

Lídia: oi meninos.

Nós: oi tia!

Lucy: a Andressa tá dormindo?

Lidia: não, ela tá estudando na biblioteca.

Samy: vamos ter que interrompe - la.

Lidia: tudo bem, ela precisa sair mais de casa fiquem a vontade.

Corremos até a biblioteca e abrimos a porta rápido assustando ela.

Andressa: que bagunça é essa aqui?

Lucy: não dá tempo de explicar agora, vamos lá pra casa e você vai entender.

Andressa: vou trocar de roupa.

Lucy: não da tempo! - puxo ela até a saída da casa

Eleandro J: TCHAU TIA!

Lidia: TCHAU MENINOS!

Corremos ate a minha casa rapidamente.

Lucy: CHEGAMOS!

Daniela: filha não grita, o Supremo está falando com seu pai.

Lucy: SUPREMO?!

Daniela: acabei de falar pra não gritar!

Lucy: desculpa mãe, mas afinal, o que eles estão falando?

Daniela: o filho dele, no caso, seu companheiro, exige vir pra cá ficar com você.

Lucy: Ryan seu idiota... - sussuro

Andressa: era isso que você queira me contar?! - diz sorrindo de orelha a orelha

Lucy: também.

Andressa: como assim? Tem mais coisa?

Lucy: seu companheiro é um dos Betas dele.

Andressa: QUE?!

Lucy: a do Samy é a outra Beta.

Andressa: NÃO CREIO!

Lucy: e a do meu irmão é irmã dele.

Andressa: morri! - faz um draminha típico dela

Eleandro: filha, o filho do Supremo quer falar com você.

Estremeço. E agora? O que eu faço? Falo com ele? Vou até meu pai e pego o celular de sua mão. Encaro ele por um momento e o coloco no ouvido

Ryan: te encontrei. - ele diz rouco

Lucy: sim, você me encontrou. - sussuro

Ryan: foi tão real não foi?

Lucy: sim, achei que você realmente estivesse aqui comigo o tempo todo.

Ryan: o sonho vai se tornar realidade em pouco tempo.

Lucy: você realmente vai vir pra cá?!

Ryan: é claro, não posso deixar você sozinha com tantos machos por perto.

Lucy: eu achei que você era possessivo somente no sonho. - solto um pequeno riso

Ryan: se enganou bebê, se você nasceu pra mim, então você é minha, só MINHA entendeu?

Lucy: idiota. Quando vai vir?

Ryan: daqui a 10 minutos eu sairei daqui.

Lucy: O QUE!?

Ryan: que foi?

Lucy: VOCÊ É LOUCO?

Ryan: louco por você minha Luna. 

Lucy: não diga isso, estão todos ouvindo. - coro

Ryan: é pra escutarem, todos vão saber o quanto amo você.

Lucy: para seu bobo. - risada baixa

Ryan: enfim, sairei daqui em 10 minutos, com meus Betas e minha irmã.

Lucy: isso é bom, todos estão ansiosos parar encontrar seus companheiros aqui kkkkk.

Ryan: aqui também, eles mal podem esperar pra chegar.

Lucy: vai terminar de arrumar suas coisas.

Ryan: já estão prontas, só fizemos a ligação para saberem da nossa vinda.

Lucy: apressado.

Ryan: antes de desligar quero pedir um favor.

Lucy: pode falar.

Ryan: me encontra na cachoeira com seus amigos em meia hora.

Lucy: tudo bem, vamos nos arrumar e nos encontramos lá.

Ryan: até meu bebê.

Lucy: até seu idiota.

Ryan: quanta agressividade.

Lucy: vai logo!

Ryan: te amo.

Lucy: também te amo.

Desligo o celular e me viro para todos que me olham com sorrisos de lado.

Lucy: que foi?

Daniela: também te amo. - me imita

Eleandro: até seu idiota. - me imita

Samy, Andressa e Eleandro J: para seu bobo. - me imitam

Lucy: vão catar coquinhos seus atoas.

Eles riem.

Lucy: Andressa, Samuel e Eleandro Júnior, vão se arrumar. - digo autoritária 

Eles: pra que?

Lucy: seus companheiros vão chegar em meia hora e nós vamos encontrar com eles na Cachoeira.

Os três ficam pálidos. Eu apenas rio em resposta. Logo em seguida eles correm para seus quartos para se arrumarem. No caso do Samuel e da Andressa, eles foram para suas casas.

Daniela: e você? Não vai se arrumar?

Lucy: ah, é mesmo tinha me esquecido. - corro para meu quarto para me arrumar

Eleandro: essa menina.

               Ryan pov

        Antes da ligação

Acordo ofegante pelo sonho que tive até agora a pouco. Tudo foi um sonho? Ela foi um sonho? Não, foi real demais pra ser um sonho. Vou investigar.

Levanto, tomo um banho, visto uma roupa normal e desço pra tomar café com minha família.

Ryan: bom dia.

Todos: bom dia!

Ryan: pai.

Willian: sim?

Ryan: é possível sonhar com sua companheira?

Willian: sim, raramente acontece algum caso, por que pergunta?

Ryan: eu sonhei com minha companheira ontem e, eu quero encontra - la.

Elaine: sério filho?! Temos que acha - lá o mais rápido possível! - diz determinada

Ryan: kkkk parece até que a companheira é sua.

Elize: por que só ele encontra sua companheira? Isso é injusto!

Ryan: olha, não é já que eu sonhei com o seu, o da Raisa e a do Dylan.

Eles: QUE?!

Ryan: é. No meu sonho, nos quatro fomos pra alcatéia dela, que era do outro lado da Cachoeira.

Elaine: isso pode significar que a alcatéia dela é perto da nossa.

Ryan: preciso encontra - la o quanto antes!

Elize: pra que tanta pressa?

Ryan: tem muitos machos ao redor dela e eu não estou lá para protegê - la deles.

Elaine: nem a conhece pessoalmente e já está nesse ciúme todo. Incrível!

Willian: esse é o meu filho!

Elize: que idiota.

Ryan: pai como podemos acha - la?

Ele põe a mão no queixo e pensa por alguns minutos. Olha bem fundo em meus olhos.

Willian: uma vez a muito tempo atrás, eu ouvi uma história de um lobo que sonhou com sua companheira. Ele queria a todo custo encontra - lá, mas não estava tendo resultados. Ele reuniu todos os lobos caçadores de sua alcatéia e os mandou procurarem por toda parte. Mas eles não obtiveram sucesso. Ele ficou estressado, furioso pra ser mais exato. Se trancou no escritório e ficou encarado o mapa por horas, até que, suas pupilas dilataram e ele viu um ponto branco em uma alcatéia não muito distante da dele. Então ele a encontrou depois de tanto tempo procurando.

Elize: nossa.

Elaine: Ryan tem que olhar o mapa então.

Ryan: tem um desses na sua sala não tem?

Willian: tem, vários na verdade.

Elize: o que estamos esperando?

Elaine: nada.

Todos fomos ao escrito do meu pai. Ele colocou um grande mapa sobre a mesa do escritório e me e mandou olhar. Minhas pupilas dilatam e ficam vermelhas. Olho atentamente para o mapa, foco meu olhar na nossa alcatéia e olho às alcatéias próximas. Vejo um ponto branco na alcatéia White Wolf. Então não era mentira.

Ryan: encontrei!

Todos: onde?!

Eu coloco meu dedo na alcatéia que fica a somente meia hora daqui, logo depois de uma Cachoeira.

Elize: ela fica depois de uma Cachoeira.

Elaine: igual no seu sonho, não é filho?

Ryan: exactamente igual. Vou arrumar minhas coisas. - subo pro meu quarto

Ryan: Raisa, Dylan, arrumem suas coisas, vamos viajar.

Raisa: pra onde?

Ryan: uma alcatéia chamada White Wolf.

Dylan: e o que vamos fazer lá?

Ryan: nos encontrar com nossas almas gêmeas.

Eles: COMO!?

Ryan: hoje tive um sonho, nesse sonho nos encontrávamos com nossos companheiros, por isso vamos viajar até a alcatéia da minha companheira.

Dylan: que demais, e quando vamos?!

Ryan: em 10 minutos.

Raisa: nem tô em casa, tô fazendo as unhas, desgraçado!

Ryan: tô nem ai, em 10 minutos saimos.

Raisa: aff.

Dylan: kkk.

Termino de arrumar minhas malas e desço novamente pra cozinha. Meu pai está com um celular na mão dicando um número.

Ryan: vai ligar pra quem?

Willian: pro Alfa da alcatéia White Wolf.

Ryan: ata, enquanto você fala com ele, vou ver se todos já estão prontos pra ir.

Ryan: Elize, já arrumou suas coisas?

Elize: sim, estou pronta.

Ryan: traga tudo pra baixo então, vamos esperar o papai terminar a ligação e vamos.

Elize: ok.

Ryan: Raisa, pronta?

Raisa: sim, mas não pense que estou de boa com você, me fez sair da manicure antes da hora.

Ryan: você tem muito tempo pra fazer as unhas.

Raisa: vai se fuder Ryan!

Ryan: Dylan, pronto?

Dylan: sim, já estou indo pra sua casa.

Ryan: ótimo!

Termino de conversar com eles e tento escutar o que meu pai diz no celular, até escutar um grito famíliar.

Ryan: pai, diga ao Alfa que quero falar com a filha dele.

Willian: tudo bem. Eleandro, poderia passar o celular para sua filha?

Ele me entrega o celular. Eu o coloco no ouvido e escuto uma respiração que eu ouvi muito desde ontem. É ela, eu sei que é.

Ryan: te encontrei. - digo rouco

Lucy: sim, você me encontrou. - sussura

Ryan: foi tão real não foi?

Lucy: sim, achei que você realmente estivesse aqui comigo o tempo todo.

Ryan: o sonho vai se tornar realidade em pouco tempo.

Lucy: você realmente vai vir pra cá?

Ryan: é claro, não posso deixar você sozinha com tantos machos por perto.

Lucy: eu achei que você era possessivo somente no sonho. 

Ryan: se enganou bebê, se você nasceu pra mim, então você é minha, só MINHA entendeu?

Lucy: idiota. Quando vai vir?

Ryan: daqui a 10 minutos sairei daqui.

Lucy: O QUE?!

Ryan: que foi?

Lucy: VOCÊ É LOUCO?

Ryan: louco por você minha Luna. 

Lucy: não diga isso, estão todos ouvindo.

Se eu me lembro bem, ela tem vergonha de demonstrar sentimentos em público, então, ela está corada.

Ryan: é pra escutarem, todos vão saber o quanto amo você. 

Lucy: para seu bobo. - risada baixa

Ryan: enfim, eu vou daqui a 10 minutos, com meus Betas e minha irmã.

Lucy: isso é bom, todos estão ansiosos parar encontrar seus companheiros aqui kkkkk.

Ryan: aqui também, eles mal podem esperar pra chegar.

Lucy: vai terminar de arrumar suas coisas.

Ryan: já estão prontas, só fizemos a ligação para saberem da nossa vinda.

Lucy: apressado.

Ryan: antes de desligar quero pedir um favor.

Lucy: pode falar.

Ryan: me encontra na cachoeira com seus amigos em meia hora.

Lucy: tudo bem, vamos nos arrumar e nos encontramos lá.

Ryan: até meu bebê.

Lucy: até seu idiota.

Ryan: quanta agressividade.

Lucy: vai logo!

Ryan: te amo.

Lucy: tbm te amo.

Ela desliga. Eu olho para meu pai e entrego o celular.

Willian: te criei muito bem filho.

Ryan: hehehe.

Dylan e Raisa chegam.

Ryan: que bom que chegaram, estamos partido. ELIZE, JÁ ESTAMOS INDO, DESCE LOGO!

Elize: pronto, agora vamos.

Vamos até a porta.

Ryan e Elize: tchau mãe, tchau pai!

Dylan e Raisa: tchau tio, tchau tia!

Willian e Elaine: tchau, se cuidem!

Eu e Dylan nos transformamos atrás de uma árvore pra dar privacidade as meninas e logo seguimos viagem rumo a Cachoeira onde meu bebê me espera.

         Meia hora depois

Acabamos de chegar na Cachoeira, atravessamos pro outro lado pela Ponte que tinha, voltamos a nossa forma humana, nos vestimos e esperamos eles chegarem.

                Lucy pov

Nos atrasamos um pouco, agora estamos correndo feito loucos até a Cachoeira, se bem que, com duas pernas demora mais, mas chegaremos logo.

               Ryan pov

Ouço passos rápidos em nossa direção. Sinto um cheiro maravilhoso de Morango com Nutella, corro em direção ao cheiro, até que encontro ela. Minha companheira.

               Continua...


Notas Finais


N tenho nada a dizer, só TCHAU COELINHOS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...