1. Spirit Fanfics >
  2. O sussuro das sombras >
  3. Respiração; Único.

História O sussuro das sombras - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Me rendi ao meu atual shipp preferido. Zed e Kayn, gente como eu tô amando ver esses dois juntos. Infelizmente, são poucas as fanfics sobre ambos, então por que não?
Enquanto ainda escrevo o segundo capítulo de uma outra fanfic tamben sobre esse shipp (em outra conta e.e), decidi por lançar um Oneshot deles nessa aqui.
Recomendo de coração que leiam escutando Bloodwitch - I'm yours tonight.

Capítulo 1 - Respiração; Único.


Kayn largou sua foice e correu até o corpo caído de Zed. Seu amado perdia sua vida logo ali em sua frente, e o mesmo não podia fazer nada. A guerra de Noxus era intensa, soldados Ionianos e Noxianos corriam por todos os lados empunhando os mais vários tipos de armas, mas, Kayn e Zed não ligavam para aquela guerra. Eles lutavam por algo maior, queriam presenciar e viverem juntos em um lugar afastado de todo o caos. Já tinham planejado tudo: Aos dias de semana, Zed cuidaria da casa e da comida, já que Kayn mal sabia fazer um prato de arroz. Kayn pelo contrário, cuidaria das hortas e lagos, adubando tudo. Era uma vida camponesa simples, mas com um sentimento forte e carregado de paixão. 

Aos finais de semana, ambos sairiam de mãos dadas até o centro da cidade, teriam um encontro. Fariam compras para a casa, ou quem sabe apenas gastariam dinheiro nos petiscos prediletos de Kayn. Zed sorriria ao mais novo, que devolveria o sorriso com um olhar provocante cheio de segundas intenções. A noite, se deitariam na cama após um banho quente, e Zed desfaria a longa trança de Kayn apenas com os dedos, acariciando seus longos cabelos negros, iniciando-se assim, uma longa noite de núpcias entre ambos.

E assim viveriam seus dias, sorrindo, felizes por estarem amando um ao outro, por estarem livres do terrível passado. 

Mas aquilo teria sido arrancado de uma forma tão brusca de Kayn, que se jogava ao lado do amado, gritando pelo seu nome enquanto segura seu rosto. Os olhos rubis ainda o encaravam brilhosos, o sorriso que Zed quase não demonstrava era o mais lindo que Kayn já teria visto, e a sua respiração era tão fraca que mal se tinha ar em seus pulmões. Zed estava envenenado, teriam pego o mestre das sombras totalmente desprevenido, algo raro, mas que tinha acontecido. Sua pele estava começando a gelar, e nem era pela chuva gélida que os Deuses irritados mandavam para aquela guerra, mas sim pelo iniciar da morte súbita lhe levando junto ao vento. Kayn beijou Zed de uma forma tão desajeitada, que lhe deu ainda mais oportunidade de sentir a formigação na pele de Zed. O homem repetia várias vezes com sua voz fraca “Eu te amo Kayn, me ame assim como eu consegui te amar”. Kayn gritava de volta, dizendo que tudo iria ficar bem, que ele o tiraria dessa situação, mas sabia que não era verdade. Estava apenas tentando amenizar a dor em seu peito, e fazer que carregasse mais um pingo de esperança no peito. Mas ele não conseguia. Agarrou o corpo de Zed, chorou e gritou que o amava. Começou a contar para si todas as suas memória prediletas que havia formado junto ao mestre das sombras, incluindo as noites amadas, os joguinhos provocativos, o jeito em que ele o treinava. E Zed ouvia tudo atentamente, suas lágrimas corriam tanto quanto a chuva, sua mão acariciava o cabelo de seu pupilo, enquanto a outra o abraçava. Sentia a respiração pesar cada vez mais, fazendo com que sua visão começasse a ficar turva, olhou mais uma vez ao rosto de Shieda Kayn, estava triste com o fato de que nunca mais poderia beijar aqueles doces lábios, por isso, fez isso uma última vez. Deixando-se ir. 

Seu pulmão agora estava vazio, seus batimentos haviam parado, e seus olhos fechado. Kayn por sua vez, não queria o soltar, gritava em desespero, chorava até ficar rouco. Deitou-se ali, ao lado do amado, chorou mais um pouco enquanto sussurrava para ele todas as coisas boas que eles ainda fariam e adormeceu aos prantos. 

Não sabia o que aconteceria quando acordasse, muito menos o que faria. Apenas deu-se a luxúria de ficar até o fim ao lado de seu mestre. Até a sua morte, e um pouco mais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...