1. Spirit Fanfics >
  2. O Tal do Clichê >
  3. Capítulo Único - O Boato

História O Tal do Clichê - Capítulo 1


Escrita por: Calitte

Notas do Autor


eu aqui, repostando mais uma das minhas antigas histórias. essa foi também mais uma reescrita, se já leu, é por isso.
CAPA LINDA, CHEIROSA E PFT PELA @mihawks EU TÔ APAIXONADAAAAA!!! OBRIGADA, MEU DOCE, DE CORAÇÃO!! TÁ LINDAAAA DEMAIS NEEEM ACREDITO HAHAHA ♥️♥️🤩🤩🤩🤩♥️♥️ UM XEÊRO, SUA MARAVILHOSA!!
espero que curtam a fic ♥️🤗🤧

Capítulo 1 - Capítulo Único - O Boato


Fanfic / Fanfiction O Tal do Clichê - Capítulo 1 - Capítulo Único - O Boato

O TAL DO CLICHÊ ― P A R T E  Ú N I C A

Escrita Por Calitte

O sinal tocou anunciando o fim da primeira aula do dia, dando início à segunda aula para os alunos do terceiro ano C. Sakura começou a arrumar os seus pertences na bolsa novamente, parando quando sentiu alguém se aproximar e parar ao lado da sua carteira. Ergueu os olhos, já sabendo pelo visual de quem se tratava: Sasuke, o cara mais irritante e insistente que alguém poderia ter o azar de conhecer. Infelizmente ela conhecia. 

― O que você quer, encosto? ― resmungou, o fitando de forma entediante. 

Ele sorriu de canto, presunçoso. 

― Queria saber se você vai vir me ver treinar. ― piscou, fazendo Sakura revirar os olhos. 

― É claro que não, garoto. Eu tenho mais o que fazer. ― disse, fechando a mochila e se erguendo. ― Me dá licença. ― foi rude, tombando a cabeça para o lado quando o corpo alto e musculoso do moreno nem se moveu do lugar. 

Sakura se segurou para não empurrá-lo, por mais que imaginasse que não fosse adiantar de muita coisa. Ela era muito fraca comparada a ele, mesmo assim, não se deixava intimidar pelo tamanho dele. 

― Esse corte de cabelo ficou bom em você, está ainda mais bonita. ― foi só o que ele disse, deixando o sorriso de dentes brancos sumir aos poucos. 

Sakura franziu a testa, ficando sem reação em seguida. Ela abriu os lábios para responder, mas não tinha o que falar. O viu se virar e sair em direção a porta da sala de aula, não olhando para trás. Não esperava que Sasuke fosse elogiá-la naquele momento. Mesmo que ele fizesse estranhamente tal coisa quase todos os dias quando a via com um penteado diferente ou maquiada mais do que normalmente estava, realmente ela não esperava. 

E foi só quando se deu conta de que suas bochechas estavam quentes. Droga. Se ele tivesse visto que conseguiu corá-la com seu elogio, já imaginava o quanto o babaca iria se divertir com isso. 

Sakura era sempre neutra ― isso quando não estava desferindo insultos ― às investidas de Sasuke Uchiha, o garoto mais popular de Konoha High School. Considerado com apenas 18 anos o melhor atacante do time de futebol da escola, camisa 10. Era admirado até mesmo fora dos portões do colégio por ter feito muitos gols em partidas de campeonatos importantes pelo time da escola. A paixão de todas as jovens adolescentes dali, menos a dela. 

Bom, era isso o que Sakura dizia em voz alta, mesmo que na verdade ela fosse tão mais atraída pelo moreno do que as outras meninas diziam ser. 

Tudo se deu início quando fora em uma festa de aniversário. Não planejava beber, mas acabou se distraindo demais e, quando vira, estava pulando e gritando como uma adolescente maluca. Sasuke mal chegou perto e Sakura o agarrou, sem dar nenhuma brecha para que ele se esquivasse. Eles nem se conheciam direito. Pelo menos, até aquele momento, Sasuke era alheio a ela, enquanto a rosada o conhecia de longe, sustentando assim uma certa atração pelo garoto. 

Mas ela era invisível para ele até aquela noite. 

Eram da mesma escola, porém pessoas que viviam em mundos distintos. Mas tudo começou com aquele beijo. O beijo que ela roubou, mas que ele retribuiu de bom grado. No fim da festa, após dançarem juntos e beberem ainda mais, ambos caíram em uma cama onde transaram loucamente sem se importarem com o restante do mundo fora do quarto. 

Acordar nua na manhã seguinte, na cama do cara mais popular da sua escola ― no qual ela nutria uma pequena paixonite ―, foi o que causou seu surto. Lembrava-se de ter saído em disparada do quarto desconhecido, assustada e se xingando a cada passo que dava por ter caído na tentação que era Sasuke Uchiha. 

Sakura não era tão ingênua, ela sabia bem o que acontecia nos romances depois que a mocinha dormia com o garanhão ― ignorada ou humilhada. E ela não queria ter que lidar com uma situação daquelas, por isso, quando na escola eles se esbarraram e Sasuke ficou paralisado em sua frente a olhando como nunca fizera antes, tudo o que conseguiu fazer foi ser rude e empurrá-lo para conseguir seguir seu caminho de cabeça erguida. 

Sim, ela agiu friamente e indiferente à sua presença. Na sua cabeça, a melhor forma de se cuidar era invertendo os papéis daquele tipo de clichê no qual se meteu. 

Mas, três dias depois, boatos se espalharam pelos corredores de que Sasuke estava namorando uma jovem misteriosa, no qual ninguém sabia sua identidade. Ela não quis sentir, mas seu peito se espremeu em ciúme e uma dor que a incomodava mais do que qualquer outra coisa. 

Foi quando notou que ela não era especial, como por um segundo, pensou. Mesmo que agisse de uma forma na escola, ela não negava que nas madrugadas que se pegava perdida em devaneios tinha fantasiado seu próprio romance clichê adolescente: Sasuke iria insistir nela, iria querer conquistá-la por estar verdadeiramente apaixonado mesmo após ela fingir indiferença sobre a noite deles, e, após um bom drama, seriam felizes. 

Mas aquela história de namoro foi como um forte tapa na sua cara. O que estava pensando? 

Sakura nunca fez o tipo romântica e nem a menina que sonhava alto quando se tratava de amor. Com seus 18 anos e quase no fim do ensino médio, não queria ser iludida por falsas esperanças e expectativas de relacionamentos, no máximo algo casual e sem estresse depois. Ela não dava a mínima para isso, na real. 

Pelo menos até quando percebeu sua pequena paixãozinha pelo Uchiha e, ainda, após a noite que tiveram juntos, esta que ela lembrou exatamente de tudo após alguns dias. 

Ridiculamente patética. 

― Sakura, já estão todos na quadra. ― Hinata, sua melhor amiga, se aproximou. ― Vamos logo, vaca. Preciso ver o Naruto treinando. ― puxou o braço da rosada, a direcionando consigo para fora da sala de aula. 

― Ah. ― Sakura ainda estava perdida em seus pensamentos enquanto praticamente corriam para o banheiro feminino para se trocarem. 

Enquanto se vestiam, Hinata deixou os cabelos presos num rabo de cavalo, se olhando a cada instante no espelho para buscar algum defeito visível. 

― E aí, 'tá legal assim? ― perguntou, arrumando a franja na testa. 

― Está muito bonita, como sempre. Naruto não tem como não te notar. ― e era de fato uma verdade. 

Hinata era uma morena curvilínea, chamava a atenção de qualquer cara. Mas, frustrantemente, Naruto Uzumaki era o único que agia como se ela não existisse. Todos, inclusive os funcionários, já notaram o interesse da Hyūga no loirinho de olhos azuis, mas parecia que o próprio vivia em um universo paralelo. 

Sorridente, a morena saiu saltitante do banheiro com o seu perfeito rebolado, caminhando na direção da quadra onde teriam as duas aulas, e de quebra conseguiria ver o treinamento do time de futebol no campo. Sakura sabia que iria ter que acompanhar a amiga, e mesmo que estivesse com uma carranca na face, ela não achava tão ruim assim a ideia de ver como Sasuke estava se saindo. 

Muito trouxa, se xingou mentalmente. 

Assim que já estavam na quadra, Sakura e Hinata se juntaram para correr juntas, fazendo também os exercícios que o professor Guy mandara. 

Elas, diferente das outras meninas, fizeram quase tudo, parando para descansar e disfarçadamente olhar o treinamento no campo de futebol. Os jogadores estavam correndo atrás da bola quando se aproximaram da arquibancada, olhando para os lados, investigando se algum professor as pegaria. 

― Não vejo Naruto. ― Hinata disse, analisando o campo em busca da cabeleira loira do seu crush'. ― Ele é o capitão, deveria estar treinando. ― continuou, fazendo um chapéu com a mão para conseguir enxergar melhor por conta do forte sol. 

― Eu acho que ele não veio. ― Sakura murmurou, olhando pelo campo assim como a amiga. 

Instintivamente seus olhos verdes se focaram na figura masculina correndo pelo campo sem camisa. Sasuke era ágil, ninguém conseguia acompanhá-lo com a bola. Seus braços eram fortes, ombros largos e pernas torneadas sem muito exagero. Ele tinha duas tatuagens no corpo, sendo uma águia que tomava boa parte de suas costas musculosas e duas listras pretas em seu braço esquerdo. 

Sasuke era gostoso pra porra, assim definia-o bem. 

Era difícil para qualquer um desviar o olhar daquela visão. Até que o moreno chutou em direção ao gol de fora da área, mas a bola foi direto na trave, causando murmúrios de alguns outros alunos que assistiam o treino escondido. Frustrado, xingou e se afastou, caminhando para uma parte do campo para recomeçar. 

Ela ficou o observando por um tempo considerável de tempo, até que o Uchiha sem explicação começou a vasculhar a arquibancada, parecendo procurar por algo, parando nela assim que notara a sua presença. Ele a olhava fixamente, surpreso, e foi quando Sakura se sentiu esquentar violentamente com o sorriso que nasceu em seus lábios, sendo possível admirá-lo de longe. 

Ela fingiu olhar em outra direção, ignorando-o, sem deixar transparecer como tinha ficado envergonhada. Droga! Tinha sido pega o observando, aquilo iria só alimentar o ego dele, com certeza. Já sabia que iria ouvir após as aulas. 

― Já que o Naruto não veio, vamos embora. ― disse, apressada. 

― Aff. ― Hinata bufou, frustrada que o Uzumaki não estava no treino. ― Só porque eu estava determinada a falar com ele hoje. ― resmungava enquanto saíam da arquibancada. 

― Não se preocupe, ele ainda pode estar na escola ― tentou diminuir a tristeza da Hyūga. 

Foi após questão de segundos até que uma gritaria fosse ouvida dos outros jovens: todos estavam comemorando um gol feito pelo Uchiha. Sakura revirou os olhos, voltando a caminhar junto com Hinata para a quadra novamente. 

― Você tem sorte, Sasuke parece gostar realmente de você. ― de repente, ouviu a voz da morena enquanto andavam sem correr - como deveriam estar fazendo - pela quadra um tempo mais tarde. 

― É claro que não gosta. Ele tem namorada. ― foi só o que disse, querendo encerrar aquele assunto antes mesmo de começar. 

― Mas é só um boato, Sakura. Não tem nada confirmado sobre isso. ― continuou, suspirando. ― E ainda conseguiu transar com ele! Você é mesmo muito sortuda, amiga. 

Olhou para ela, notando que Hinata não estava tão empolgada como queria aparentar. Ela sabia que a amiga estava apenas remoendo sua paixão pelo Uzumaki, este que não a notava, não importando o que Hyūga fizesse. 

― Isso não significa nada. ― retrucou, crispando os lábios. ― Ele age como se estivesse interessado, mas eu não vou cair no joguinho dele. E mesmo se for só um boato, eu sei que ele não gosta de mim como aparenta gostar. Eu não vou ceder. De novo. ― completou por fim, olhando para a quadra com as alunas que fofocavam e estavam sentadas sem fazer nada. 

― Mas não foi você quem disse antes para mim que se ele corresse atrás e mostrasse interesse, iria pensar em dar uma chance? Não é isso o que ele está fazendo há semanas? ― Hinata parou de andar, olhando na direção da rosada com dúvida. ― E se ele realmente gostar de você, já pensou nisso? Ele pode estar apaixonado de verdade. 

Sakura também parou, se voltando para a morena. Suspirando fundo, fitou o chão por alguns segundos. Sim, é claro que já passou pela sua cabeça que Sasuke pudesse estar atraído por ela de verdade. Mas seria bom demais para ser verdade. A vida não era como num livro, ela não queria acreditar que pudesse estar enganada e que tudo era exatamente como imaginara antes do boato surgir. 

Mas se fosse, então, ela definitivamente era sortuda como Hinata dissera. Mas o medo de estar se iludindo com pensamentos bobos a preenchia completamente, não dando espaço mais para fantasiar sobre aquilo. Por isso o tratava com frieza, tudo para evitar que seu coração traíra se encantasse ainda mais pela forma como ele agia consigo. 

― Eu não sei, Hinata... Tenho medo de estar apaixonada por uma versão dele que só existe na minha cabeça. E se eu estiver só me iludindo… 

― Você precisa parar de ser tão pessimista, amiga. Você tem a oportunidade de falar com ele, então aproveita que o Sasuke está sempre disponível e fala tudo o que está sentindo. Esclarece tudo com ele. ― a forma como Hinata falava era ressentida, mas a Haruno se aproximou, tocando o braço dela. 

― Eu acho que você deveria fazer o mesmo com o Naruto, então. ― sorriu, vendo-a abaixar o olhar. ― Se você me prometer que vai falar com ele, eu falo com o Sasuke, para ser justo. 

― Sakura... ― fez bico, o desmanchando quando notou que seria realmente uma boa oportunidade. ― Tudo bem, eu vou falar com o Naruto. Mas você vai falar com o Sasuke primeiro, pois eu sei o quanto você enrola pra fazer as coisas. Não vai me enganar ― riu, sendo acompanhada da Haruno que assentiu, sabendo que era verdade. 

― Tudo bem. Eu vou falar com ele ainda hoje, no intervalo. 

Hinata soltou um gritinho, abraçando a amiga de lado e ambas saíram andando rindo. 

― Se der tudo certo, vamos marcar um encontro de casais! Vai ser demais, imagina só? As duas podem desencalhar no mesmo tempo. ― riram ainda mais, sem se afastarem. 

― Eu acharia legal. ― Sakura deu de ombros. 

― Vai ser maravilhoso, amiga! ― afirmou Hinata, dando pequenos saltos. 

Quando o sinal do intervalo tocou, todos os alunos saíram da quadra, indo para os corredores novamente e outros seguindo diretamente para o refeitório. Sakura se viu sendo arrastada até o corredor pela Hyūga, esta que estava animada demais. 

― É agora. ― acenou com a cabeça discretamente na direção do grupo de jogadores que entravam na escola após saírem do treino. ― Boa sorte. ― sorriu. 

Sakura a fitou com os olhos arregalados, engolindo em seco cada vez mais que Sasuke vinha pelo corredor junto com outros caras. Sua mão estava tremendo, assim como seu corpo parecia paralisado. Se não fosse por Hinata a cutucando, teria ficado no mesmo canto. Tomando coragem, andou discretamente atrás do grupo de garotos, ouvindo-os berrando sem parar sobre as jogadas boas e ruins que fizeram. 

― Sasuke ― cutucou o braço do Uchiha, ganhando sua atenção. ― Preciso falar com você. ― disse apenas, não olhando na direção de nenhum dos outros caras, ouvindo um sonoro "Huumm" vindo deles, no qual ignorou. 

Mas quase formou um bico irritado quando um sorriso enorme e irritante estava brincando nos lábios dele. 

― É claro. ― o idiota parecia muito contente. 

― Tsc. ― se virou e saiu andando apressada pelo corredor, sabendo que estava sendo seguida. 

Deu tempo de olhar uma última vez na direção de Hinata, e ela piscou, mexendo os lábios no que pareceu um "Vai dar certo". Assim que chegaram numa sala de aula vazia, a Haruno entrou e procurou por algum aluno escondido, mas não tinha ninguém. Se virou, vendo o moreno ficar parecendo preso na entrada, olhando-a curioso, esperando que começasse. 

Ela puxou o ar com força. 

― Então, o que eu queria dizer... Bom ― hesitou. Céus, aquilo seria ainda mais difícil do que imaginava. ― Você... Gosta realmente de mim...? ― mordeu o lábio, sem conseguir sustentar o olhar nele. 

Sasuke arqueou uma sobrancelha, se aproximando finalmente dela. 

― É claro que sim ― foi firme, não demonstrando qualquer vestígio de dúvida em seu olhar ou tom de voz. ― Desde o dia da festa, Sakura, eu não consigo parar de pensar em você. ― se ele estivesse mentindo, era realmente um bom ator, pensou ela. 

Balançou a cabeça. 

― Como pode estar gostando de uma garota tão desinteressante como eu? Além de que você tem namorada, então eu não vou… 

― Espera ― a interrompeu, deixando um riso canteiro escapar. ― Você não é nem um pouco desinteressante. E eu não tenho namorada, de onde você tirou isso? 

Sakura estreitou os olhos verdes na direção dele, buscando saber se ele estaria tirando uma com a sua cara ou estava realmente confuso. 

― Três dias depois daquela noite, surgiu um boato de que você estava namorando... ― quis não soar irritada, mas o gesto de cruzar os braços talvez tenha lhe entregado. 

― O quê? Isso não é verdade. ― se aproximou mais dela, fitando-a diretamente nos olhos. ― Não me diga que foi por isso que me esculachou esse tempo todo? ― riu, descrente. 

Sakura deu de ombros, apenas. Seu ato o fez se virar com as mãos no cabelo preto, desacreditado da situação. 

― Eu não acredito que você me tratava daquele jeito tudo por causa de um boato. Caramba, Sakura, era só ter me perguntado ― se voltou para ela, as sobrancelhas unidas. 

― Até parece que eu ia chegar em você perguntando uma coisa dessas. E eu achava que só estava brincando comigo. Que não gostava mesmo de mim. ― soou como se estivesse melancólica, e droga, ela realmente estava, porém mais ainda irritada consigo mesma. 

No fim, ela estava amargamente enganada. E desde o início seu pensamento havia sido o certo. Ouviu a risada dele ressoar pela sala. O fitou, aborrecida, principalmente porque o canalha parecia se divertir agora consigo. 

― Eu já disse que gosto sim de você, Sakura. ― olhou-a com mais intensidade. ― E agora que já esclarecemos as coisas, você vai finalmente me deixar te beijar? ― indagou, sorrindo malicioso. 

Arregalando os olhos, Sakura quase mordeu o lábio com a pergunta dele, mas se conteve. 

― É claro que não, seu idiota! ― chiou, mas sua voz não transmitiu nenhuma firmeza. 

Sasuke agarrou a cintura feminina, puxando-a para si, surpreendendo-a. E quando a Haruno iria abrir a boca para protestar, teve seus lábios tomados pelos quentes dele. Foi como se estivessem de novo naquela mesma festa, no quarto, seus lábios se movendo um contra o outro de forma afoita e feroz. Por um segundo passou em sua cabeça a ideia de mordê-lo, mas já estava retribuindo o beijo roubado, deleitando-se quando a língua dele encontrou a sua, quase fazendo-a gemer de satisfação. 

Se distanciaram apenas quando o ar faltou, e foi quando o riso dele novamente preencheu seus ouvidos, a deixando totalmente corada. 

― Você nem imagina como eu senti falta dessa boquinha ― ele umedeceu o próprio lábio inferior que já jazia inchado, assim como o dela. 

Sakura revirou os olhos, seus lábios se curvando em um riso contido. 

― Você é mesmo um idiota. ― disse, puxando-o para mais um beijo, sem permitir que ele respondesse seu insulto.


Notas Finais


entrem no meu grupo, gente, lá eu estou interagindo bastante com quem é leitor meu.
https://chat.whatsapp.com/F7h5R2VhB93Lpvo2DaDHCv
gostaram da one? dá até pra fazer um extra hahaha ( se alguém estiver interessado, né. 🙊 )
♥️🤩🤗 comentários são muito bem vindos, cambada! um beijão e obrigada por ter lido! ♥️🤩🤩♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...