1. Spirit Fanfics >
  2. O Tchan >
  3. Eterno Manusmin

História O Tchan - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Eterno Manusmin


Fanfic / Fanfiction O Tchan - Capítulo 1 - Eterno Manusmin

*narradora* (on)

Ok, vou começar dizendo um pouco dos personagens e tal. Os principais Yasmin, (apelido: Min) Emanuel ( apelido: maninho e Manu mais conhecido por Manu). Yasmin tem 14 pra 15 anos, signo aries, pele branca, cabelos castanhos claros, olhos castanho esverdeados, seu cabelos são lisos, tem um estilo diferente, curte rock, rap, hip hop, trap, pop etc, n suporta sertanejo nem funk, meio anti-social mas se pega amizade vc descobre q ela é uma garota muito doida kkk, Yasmin morou anos com seus avós em uma pequena vila chamada vila militar, mas em um ano teve q ir morar com sua mãe em Santa Catarina, se afastou de seus amigos família etc, mas depois de 1 ano ela vem no fim de ano passar uma semana na vila militar. Manu tem 16 pra 17 anos, signo touro, ele é branco mais puxado pro moreno, tem cabelos pretos, e olhos castanhos, seu estilo é bem semelhante ao da Yasmin, em música gostos etc, super social faz amizade com Deus e o mundo, morou anos na militar e ja foi namorado da Yasmin, mas se afastaram mas sempre cultivaram uma ótima amizade, fazia um ano q ambos não se viam, mas faziam mais tempo ainda q haviam terminado.

*narradora* (off)

*Yasmin* (on)

Ok estou quase chegando na casa dos meus avós, tanto tempo sem ver eles, meus amigos aiii a saudade está me matando...

Cheguei na casa dos meus avós abracei e conversei e ahhh como eu estava com saudades, ja marquei de ver outros amigos meus, o Manu sera o mais complicado ele anda trabalhando direto e pelo que to sabendo ele ta namorando serio com uma garota la tudo certo para eles, sei o q devem ta pensando, Manu é meu ex e tals, mas nosso namoro foi meio namoro d criança, depois decidimos terminar e cultivamos uma amizade maravilhosa.

Logo chegou o ano novo, eu ia embora na próxima semana e ainda n tinha conseguido ver o Manu q foda, mas a real q eu n queria voltar mas isso são motivos pessoais.

sábado fui surpreendida por uma mensagem de um ex ficante, ex crush, ex mlhr amigo meu kk sim ele foi td isso, Felipe, ele disse que tava vindo aqui pra vila me ver e disse pra eu ir no Manu de noite. O foda que só poderia ser la pelas 20:00 e eu n pss sair d noite meus avós são muito rígidos. Por sorte convenci minha tia e ela deixou, fui ate a casa do Manu e o próprio foi me receber. 

- nossa que saudades Min - ele disse me abraçando meuuuuu ele mudou einnn

- ahhh também tava com saudades - disse retribuindo o abraço 

Logo avistei o Felipe e fui na corrida lhe dar uma abraço também,  e tambem avistei a mulher mais foda que ja conheci minha ex sogra mãe do Manu. A abracei e começamos a conversar, eu e ela sempre se demos super bem

- o que ta fazendo com isso mocinha - dizia Manu me vendo com um copo de Gin na mão 

- ahhh me deixa beber em paz - eu disse questionando

Incrível ele continua o mesmo, cuidando de mim se preocupando comigo sendo fofo e carinhoso...

- ei Min vamo na distribuidora comigo? - disse o próprio 

- claro! 

Chegamos na distribuidora ele ficou me encarando 

- q foi?? - perguntei 

- ah me da um abraço? - ele me pediu

- é claro - eu disse o abraçando 

- vc ainda é muito importante pra mim saiba que pode contar comigo pra tudo - ele disse ainda abraçado em mim

Admito q aquilo mexeu muito comigo, muita nostalgia, ir na casa dele lembrar d tudo que vivemos ai ele vem e me diz isso...

- bom galera ta super divertido mas deu minha hora eu tenho q ir pra casa - eu disse começando a me despedir do pessoal

- ei pera ae que eu te levo pra casa - disse o Manu, como sempre cuidando de mim...

Estavamos caminhando ate minha casa pois não era muito longe apenas algumas quadras pra frente da casa dele. 

- e aí como vai vc e sua namorada? - perguntei 

- ah ta indo 

- ueeee cade o Manu q eu conheço??? 

- ue como assim?

- normalmente o Manu q eu conheço responderia "ue vamos com as pernas" - eu falei e começamos a rir - vc ama ela?

- ah amar é algo complicado, tipo não sei bem o que ao certo mas sei la, para de fazer perguntas complicadas - disse ele rindo - e vc? N parece estar bem pra lá... - entre todos meus amigos que me viram, eu agi igual com todos, sorridente alegre, mas ele foi o único que percebeu como eu realmente estava...

- ah uns b.o com meu padrasto mas vai ficar tudo bem - quando percebi ele parou pois ja estavamos na rua da minha casa

- vc pode contar comigo pra tudo? Tenta aparecer la em casa amanhã - ele disse me abraçando e logo eu entrei pra casa 

Misteriosamente ele n saia da minha cabeça, momentos e lembranças, n paravam d me perturbar tanto que nem me fizeram dormir, fiquei acordada ate bem tarde perdida em pensamentos, confusa demais, pq to sentindo isso por ele? Tipo ele namora! E ah eu nem to mais morando aqui então tudo bem.

...

Amanheceu enfim, como o almoço aqui iria demorar para ficar pronto decidi ir la no Manu.

Cheguei la estava ele e a mãe dele, ele tava limpando as coisas la tras e fiquei conversando com a mãe dele, a Meire, ela me entendeu tão bem, meus problemas ela soube conversar muito comigo, me fazendo pensar que eu n devo voltar pra Santa Catarina que aqui é minha casa...

Depois de um tempo conversando eu tive que ir pra casa e o Manu novamente me trouxe, antes de me dar tchau ele disse uma coisa que tocou muito meu coração 

- por favor não vai embora... eu não suportaria perder vc denovo - eu o abracei forte, e aquela frase foi a chave pra me fazer voltar a morar aqui

Entrei em casa e fiquei ainda mais confusa, poxa ele namora, mas n posso negar que posso estar tendo sentimentos novamente, e n acho q seja só eu...

...

Eu: ai Manu to confusa, sabe quando vc abraça alguém tão forte e sente uma sensação única, uma vontade enorme d n soltar nunca mais, e parece que ta só vc e a pessoa, sei la seu coração acelera e vc nem sabe explicar 
Manu: sei como é se sentir assim...
Manu: isso ai q vc disse, é exatamente o que eu sinto quando te abraço...

- MERDA! 

Ta eu to no meio do shopping e gritei isso um pouco alto dmais... ai ele sente isso por mim, a msm coisa mas é foda pq ele namoraaaaaaa

Se passaram alguns dias e ele voltava do serviço 20 pras nove e ele sempre passava aq na minha casa e me chamava pra me ver, virou rotina isso ja... 

Tava td como sempre, ele namorando, eu tinha voltado a morar aqui, ele vinha me ver todo dia... mas nessa quinta (30/01) foi diferente, ele me mando mensagem perguntando se eu iria comer um lanche com ela, detalhe q isso seria quase nove horas da noite, eu tinha acabado de comer tava completamente sem fome, mas eu queria ver ele, mas ele namora, mas vamos sair como amigos!

Ok deu o horário ele foi me buscar em casa eu poderia ficar fora ate as 22:30.

- oii nossa ta linda  - ele disse me abraçando, caramba parece ate um filme, mas ele namora...

- ahh obrigada vc também não esta nada mal 

Fomos andando ate a lanchonete na frente do mercado, aqui na vila tinha apenas um mercado, porem ja estava fechado, e aquela rua n tinha muito movimento, e tava escuro e calmo

- e aí o quer comer? - perguntou ele

- n fica bravo comigo mas eu to sem fome 

- eu também não to com fome - ele disse rindo 

- bom então vamos andar um pouco

Estavamos andando pela vila, de noite e tinha bem pouco movimento na rua, acho q vou perguntar como foi o dia dele

- e ai como foi seu dia? - ele perguntou na mesma hr pqp

- caramba eu ia te perguntar isso agora! - nós rimos, era estranho mas estávamos meio acostumado, a gente tinha uma mania muito esquisita de sentir oq o outro tava sentindo, advinhar o q o outro tava pensando, era uma coisa esquisita q rolava entre a gente

Estávamos andando e ele reclamando que tava com preguiça, dai do nada bem do nada, ele me abraçou e começou andar abraçado comigo 

Derrepende ele pegou na minha mão e estávamos andando d mãos dadas...

- é vamos sentar tu ta cansado - eu disse tentando evitar aquele momento constrangedor...

Sentamos enfrente o mercado, ele por ironia me abraçou 

- aii eu te odeio - eu disse pq sabia q eu n o odiava 

- ah odeia

Ficamos abraçados por um tempo 

- vc namora! 

- aiii eu sei

Ele tentou me beijar, mas eu virei o rosto, eu n iria ser a outra. Depois desse momento constrangedor fomos para a casa, de mãos dadas, chegando na esquina ele parou e me abraçou. 

Fui pra casa, e fui dormir pensando na praga. 

...

Era sabado de noite e ele me manda uma mensagem bem cabulosa 

Manu: vou terminar 
Eu: terminar o que doido?
Manu: meu namoro 

Aquilo foi um choque, fiquei sem reação, surpreendida e sem sabem o q fazer. Ele disse q iria ir la domingo conversar com ela,  e eu também ia sair no domingo então fomos no mesmo ônibus. 

- ta estressado? - perguntei 

- também, na verdade acho que to com fome 

- vc fica uma fofura estressado - eu disse apertando as bochechas dele, eu tenho uma cisma com as bochechas dele e amo irritar ele com isso

- eu te odeio sabia? - ele diz dando um sorriso

- eu também odeio vc - disse daí rimos

Fomos o caminho todo abraçados. 

Era de tarde e ele me mando mensagem 

Manu: oie
Eu: oii e aí?
Manu: terminei...
Eu: eita 
Manu: pode sair hj a noite?
Eu: sim quando eu chegar te mando mensagen.

Cheguei em casa era umas 19:30, e por ironia começou a chover 

Eu: Oieh cheguei vem me encontrar aq na panificadora agr
Manu: blza to indo

Não demorou muito para que ele chegasse, ele chegou e me abraçou 

- ooi sabe que vamos andar na chuva né - eu disse

- ja imaginei  - ele disse pegando na minha mão 

Estávamos andando de mãos dadas na chuva, ate que paramos em baixo de uma árvore 

- pq parou? - perguntei 

- vc sabe - ele disse se aproximando de mim

Sem eu ao menos me dar tempo de pensar ele me abraçou pela cintura  e me beijou, começou com um selinho mas logo partimos para um beijo de língua mais intenso, estava tudo ótimo ate uma moto passar por nós e buzinar, levamos um baita susto, rimos e ele pegou em minha mão e fomos andando ate a frente do mercado novamente, sentamos ali e ficamos abraçados, ele deixou eu morde a bochecha dele e ah eu amei isso.

- ta preocupada né? - ele perguntou, é incrível como ele me conhece muito bem e sabe oq sinto sem eu nem precisar falar

- sim... Manu meu padrasto está me perseguindo.... 

- ei eu nunca vou sai do seu lado - ele disse me dando um beijinho na testa - mas ein o que ele fez pra vc Min - na hora que ele disse aquilo me veio lembranças que me apavoram ninguém sabe o que eu sofri la e eu não quero lembrar e eu não consigo falar - Min ta apertando minha mão 

- ai desculpa... eu não quero fala sobre isso ta... 

Ele n disse nada apenas me abraçou mais forte, eu estava entre seus braços e ele acariciava meus cabelos, aquele era o momento perfeito, ele era incrível perfeito e amoroso

- nós estamos encharcados por causa da chuva, mas vc continua linda - ah ele era mt fofo 

Fomos andando pois já tava na hr d eu ir pra casa, no caminho encontramos alguns amigos dele q foram nos cumprimentar 

- Daew maninho essa é sua mina? - perguntou um dos meninos

- sim - ele disse

- não - eu disse na mesma hora

- ue como assim, tão junto ou não tão?

- é complicado - dissemos juntos 

Ele observou que eu fiz amizade rápido com os meninos e senti que ele estava ficando com ciumes

- ta na hora de vc ir - disse ele puxando minha mão 

Dei tchau pros meninos e ele me levou ate em casa

- ciumento - eu disse apertando suas bochechas  

Ele me deu um selinho demorado e se despediu, entrei em casa e fui tomar um banho pois estava completamente encharcada. 

No dia seguinte eu fui na casa dele, estava as duas irmãs deles la mais novas, a pequenina virou meu xodó, ela era um amor, e ele bem preguiçoso deitou no meu colo. Esse também foi o dia que ele nomeou o lance esquisito q rolava entre a gente de Tchan. 

...

Se passaram alguns dias, ele vinha me ver e nos viamos no colégio também. Mas denovo em uma quinta feira, ele ia buscar a mãe dele e pediu pra eu ir junto, fomos juntos de mãos dadas e abraçados, fomos conversando sobre coisas paralelas.

Buscamos a mãe dele e eu ela ficamos conversando e irritando ele foi engraçado, levamos a mãe dele pra casa daí eu disse q tinha q voltar, ele me trouxe e na esquina de casa se beijamos, eu estava quase entrando em casa

- Minn pera volta aqui um pouco - olhei desconfiada pq na última vez q ele me chamou ele me mordeu - Calma eu n vou te morder - disse ele rindo 

Eu fui ate ele, ele me abraçou pela cintura e me olhou fixamente nos olhos

- eu amo vc - ele disse isso e eu o beijei

- eu também te amo - eu disse e ele me beijou denovo.




Notas Finais


Bom é isso, resumi muito por isso deu um cap tão grande, essa história acaba no "eu te amo" pq ela ainda esta em andamento, sim tudo o que eu escrevi aconteceu de fato. Então vamos ver no que vai dar ai quem sabe eu faço uma parte 2 bjujubas mores


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...