História O tempo -Limantha- - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Malhação
Tags Limantha, Romance
Visualizações 373
Palavras 1.081
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, LGBT, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente vocês falaram mal da Clara até no capítulo que ela não apareceu kkkkkk é isso surra na Clara?
Boa leitura.

Capítulo 24 - Marina


Fanfic / Fanfiction O tempo -Limantha- - Capítulo 24 - Marina

A mulher mais velha vai na frente seus passos são leves pareciam deslizar pelo corredor do seu apartamento com seu salto alto. Eu e o Guto vamos logo atrás um pouco nervosos.

- Você acha mesmo que devemos entrar junto com ela? - Guto perguntava baixo.

- Acho que a Sam vai gostar de nós ver. - respondo.

- Ela vai gostar de saber o que você fez para ela permanecer contigo.

- Eu faria qualquer coisa para deixá-la feliz.

A porta é aberta e quando entramos para minha surpresa vejo a Samantha deitada por cima da Clara no enorme sofá da família, ela parecia dormir tranquilamente enquanto a mão da loira que também dormia estava Pousada entre seus cabelos cacheados.

A sensação era boa de poder vê-la de novo, mas não posso negar que senti ciúmes da cena, até porque a Clara tinha me confidenciado seus reais sentimentos pela menina. Era nos braços dela que a Sam estava agora, não nos meus.

- Filha. - a Marina fala e vai em direção da filha.

As duas meninas não se mexem a mulher então se agacha e passa sua mão levemente pelo rosto da filha e sussurra.

- Eu nunca mais vou permitir que ele toque em você novamente.

Aos poucos Samantha vai abrindo os olhos  com os carinhos que a mãe fazia.

- Mãe a Senhora voltou! - ela sorrir

A Clara também acorda e seu olhar vai direto em mim.

Samantha se levanta e abraça sua mãe  as duas ficam abraçadas.

- Eu não fiz nada mãe, o pai parece que pirou sei lá, acredite em mim. - samantha dizia ainda abraçada.

- Eu sei que você não fez nada minha filha, eu vou te tirar daqui.

Ela encosta o rosto na altura do ombro da mãe com o rosto virado para porta é quando ela nota a minha presença e a do Guto.

- Heloísa. - seus olhos brilharam para mim e junto veio um sorriso doce.

O suficiente para mim esquecer todos ao meu redor, agora só tinha ela na minha frente com seu sorriso encantador e aquele olhar que me tirava o chão. Eu era completamente dela, meu coração parecia que iria sair pela boca a qualquer momento eu suava frio, tudo isso porque ela simplesmente me olhou, era seu poder sobre mim.

Ela vem e minha direção abro os braços e a recebo com saudade, ela me dá um abraço desesperado, apertado, forte.

- Eu te disse que sempre estaria aqui por você.

- Eu duvidei me perdoa, eu senti tanto medo de você ter desistido de mim. - ela fala com o rosto enterrado em meu pescoço.

Me afasto um pouco o suficiente para que eu olhe em seus olhos castanho.

- Eu te amo Samantha

A vontade de beijá-la era imensurável e assim fiz, nossas bocas deram licença para que o coração falasse, era um beijo calmo de saudade, parecia que a gente flutuava juntas.

- Que palhaçada é essa que está acontecendo aqui?

Ouvimos uma voz grossa  tomar conta da sala, Samantha corta o beijo e se vira para frente, ela pega minha mão e aperta.

- Eu vou acabar com tua Raça nojenta menina. - ele vem com fúria em minha direção.

- Você pode parar aí Fernando. - A Marina se ponhe em nossa frente. - Você não vai mais agredir ninguém aqui.

- Ela já sabe de tudo que você fez. - falo.

- As coisas não são bem assim como essa menina te contou meu amor.

- É ainda vai negar? Eu estou sentindo nojo de você Fernando, como teve coragem de bater na sua filha.

- Eu perdi a cabeça eu me arrependi, acreditada em mim marina.

- Chega! Eu estou cansada de você, e dessa vida de merda que levo contigo, acabou Fernando eu quero a separação, agora mesmo vou pegar minha roupa e de minha filha a gente não vai ficar mais nenhum segundo aqui.

O homem se ajoelha  na frente da esposa e pede que ela não vá embora, diz que o que está fazendo é para o bem da família, só que ela não dá importância estava decidida a se separar.

- Samantha vá para seu quarto e pegue suas coisas, a gente vai embora.

Samantha me leva pela mão e chama Guto e Clara que só olhava o que acontecia sem se intrometer. No quarto ela pega uma mala e começa colocar suas coisas.

Clara se aproxima de mim e sussurra em meu ouvido disfarçando.

- Você tinha que voltar logo agora né? .

- Por que logo agora?

Ela dá um sorriso provocador.

- Tu é uma cobra Clara, o que você está fazendo aqui? . - Digo a fuzilando.

- Tá perto da Sam vai ser mais fácil  tê-la para mim.

- Ela nunca vai ser tua.

- É o que veremos, mas você me surpreendeu, achei que iríamos te achar em algum bueiro depois de tanta droga. Deixa eu te ajudar Sam - Ela fala e vai para perto da lambertini.

Definitivamente essa não era mais a Clara de antes, ela tinha sangue nos olhos tava claro, ela queria se vingar de mim de qualquer maneira, será que essa história de amar a Samantha era só uma desculpa para me atacar?

- Que bom que elas voltaram a se falar né? Sempre foram muito amigas um dia a Clara iria cair na real. - Guto dizia enquanto olhava para as duas com os braços cruzados.

Pelo jeito só eu conseguia enxergar a verdadeira face da Clara, porém sua falsidade não vai longe. Todos iriam ver como essa menina era sonsa.

Voltamos para sala já com as coisas prontas, Fernando tava com um copo de  uísque na mão no meio da sala, andava de um lado para o outro, a mãe da Sam também tinha arrumado suas roupas.

- Depois eu mando buscarem as coisas que faltaram - ela fala.

- Você vai se arrepender de me largar.

- Eu me arrependo de um dia ter  casar com você.

- Eu vou entrar na justiça pela guarda de minha filha.

- Eu não quero mais ficar perto do senhor. - Samantha diz ríspida.

- Tenta Fernando, ninguém vai tirar minha filha de mim.

Ela se vira e todos nós saímos, quando a mulher Fecha a porta, conseguimos ouvir o barulho do copo se estourar contra a porta.

Mãe e filha se abraçam elas estavam pronta para viver uma nova vida.


Notas Finais


acabei de escrever o capítulo então erros serão arrumados depois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...