História O Terror do Amor - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Choi Siwon, D.O, Heechul, Kai, Lu Han, Park Jungsu, Sehun
Tags Bruxo, Chanbaek, Exo, Hunhan, Kaisoo, Lemon, Lobisomem, Menção Sichul, Romance, Sobrenatural, Vampiro, Yaoi
Visualizações 273
Palavras 3.767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, LGBT, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, hey, how, olha quem chegou!!!
Olaaa à todos!! <3
Não sei o que deu em mim para estar atualizando fanfics às sextas-feiras(geralmente só atualizo aos sábados), mas o momento surgiu e aqui estou! Espero que gostem!!
Bem, chega de enrolação e vamos ao capítulo!

Boa leitura!

Capítulo 10 - Capítulo 9 - Bruxos...


Fanfic / Fanfiction O Terror do Amor - Capítulo 10 - Capítulo 9 - Bruxos...

- Leeteuk? O cara que está atrás de vocês? - Não pude evitar perguntar.

- O próprio - confirmou Sehun. Seus olhos estavam fixos no teto da casa, embora parecesse que ele não a estava vendo de fato. - Naquela época eu tinha sete anos e havia acabado de ficar orfão; meus pais foram mortos por um lobisomem descontrolado durante uma lua cheia...

No mesmo instante senti Chanyeol ficar tenso ao meu lado. Também pude ver os olhos de Luhan se suavizarem ao ouvir a última frase de Sehun. Kyungsoo e Jongin - assim como eu - ficaram em silêncio e o único que conseguiu murmurar alguma coisa foi Luhan.

- Sehun, eu... eu sinto muito...

- Não sinta, eu já superei há muito tempo.

- Mas... foi um lobisomem...

- Sim, foi um lobisomem - concordou ele. - Mas não foi você ou o Jongin; sequer foi um do seu clã. Eu não odeio todos os lobisomens do mundo só porque um deles matou meus pais; e, de qualquer forma, eu já os vinguei.

Luhan não disse nada depois disso.

Sehun continuou:

- Depois que meus pais morreram eu fui levado para um orfanato, que era cuidado por freiras e pelo zelador. Eu era o orfão mais velho do lugar, e por isso gostava de cuidar das outras crianças menores; eu era como um irmão mais velho para elas. As freiras também eram muito gentis e bondosas e o zelador era gente boa. Fui realmente feliz naquele lugar... Bom, pelo menos até eu começar a crescer. - Eu tenho certeza que não foi imaginação minha ver os lábios de Sehun tremerem, como se ele estivesse segurando a vontade de chorar. - A medida em que fui crescendo o zelador começou ame olhar com outros olhos e passou a me tratar de forma sutilmente diferente; foi aí que começaram os abusos. Em uma noite , quando eu tinha catorze anos, o zelador me arrastou até seu quarto e me violentou brutalmente. Depois que terminou comigo ele me ameaçou, dizendo que se eu falasse para alguém o que ele tinha feito, ele faria o mesmo com as outras crianças e depois as mataria. Eu não tive escolha. Aguentei tudo em silêncio; durante dois anos inteiros.

Meus olhos estavam vidrados e incrédulos depois de ouvir tudo aquilo. Não pude evitar sentir pena de Sehun; apesar de não aparentar, ele já sofrera muito. Luhan tinha os olhos úmidos, uma mão tapando a boca, incrédulo também.

Sehun não olhava para ninguém naquele recinto; seus olhos permaneceram fixados no passado e na dor que o envolvia.

- Quando eu já não aguentava mais passar por aquilo eu fugi, deixando todos para trás; me sentia mal por eles, mas já não havia mais nada que eu pudesse fazer; já havia perdido quase toda a minha humanidade ao ser violado daquele jeito durante todo aquele tempo. Na rua eu não sabia o que fazer para sobreviver; vaguei sozinho por um tempo, sem ter o que comer e beber. Obviamente eu havia tentado arranjar um emprego, mas ninguém quis me empregar, provavelmente por causa da minha aparência fadigada e desgastante. Caí em um beco qualquer, sem forças e com tanta fome e sede que nem conseguia me mexer.

" Quem me salvou foi o Leeteuk; ele estava com Park Jaesang e pediu à ele que me transformasse, e assim ele o fez. O mais engraçado nisso tudo é que só depois que eu morri e 'renasci' como vampiro foi que eu encontrei um novo sentido na vida. Foi quando ironicamente eu me senti mais vivo, mesmo estando morto; e foi incrível quando eu descobri do que eu era capaz: a força monstruosa; a velocidade assustadora; os sentidos aguçados e até a hipnose! E ainda por cima eu tinha toda uma eternidade pela frente!  O único incômodo mesmo era a sede de sangue insáciavel e não poder andar no sol, mas tirando isso o resto era incrível. Depois de descobrir todas essas habilidades eu voltei para o orfanato e matei o zelador; tive que matá-lo, pois eu sabia que ele faria com as outras crianças o mesmo que fez comigo e eu não permitiria isso. A única coisa de que eu me orgulho é de não ter consumido uma única gota sequer de seu sangue; eu não queria o sangue dele correndo em minhas veias; apenas o cheiro dele era capaz de me enojar completamente.

" Depois desse dia foi que eu descobri que era capaz de resistir à sede de sangue humano. A ideia ficou na minha cabeça, mas não consegui colocá-la em prática, já que, apesar de tudo, eu ainda era apenas um novato recém-criado; enquanto isso eu segui a minha vida ao lado do Jaesang e do Leeteuk e presenciei os momentos em que ele transformava mais humanos em um de nós: Siwon, Eunhyuk, Kangin, Heechul e Yesung. Passamos muito tempo juntos e eu fui mais próximo do Leeteuk e do Heechul, além do Jaesang, claro; no entanto eu já não gostava da ideia de ter que matar alguém só para sobreviver. Aquilo já estava pesando na minha consciência, e por isso resolvi deixá-los e seguir meu próprio caminho. Vagando sozinho pelo mundo eu descobri que um vampiro consegue ficar em torno de três meses sem consumir sangue humano mas, quando cheguei ao meu limite eu devorei a primeira coisa que eu vi pela frente, no caso um cervo, pois eu estava em meio à uma floresta; não era tão bom quanto o sangue humano, mas era melhor do que definhar até a morte, além de recuperar parte de sua força e energia."

A sala estava em total silêncio, onde só se ouvia as nossas respirações - exceto, é claro, a dos dois vampiros.

- Aquilo foi como uma luz no fim do túnel. Finalmente uma forma de continuar vivo sem ter aquele peso na consciência. Vivi daquele jeito através dos anos e foi só séculos depois que eu encontrei o Chanyeol, jogado e sangrando em um beco qualquer. Ele lembrou à mim mesmo quando o vi; e já cansado de passar o tempo sozinho eu resolvi transformá-lo. - Sehun concluiu, se levantando da poltrona. Pegou sua jaqueta e andou até a porta de entrada. - Bem, isso é tudo. Vou sair; Chanyeol, você se encarrega do resto. - E depois ele saiu da sala como um raio.

O silêncio reinou no cômodo após a partida de Sehun; até o momento em que eu resolvi retrucar:

- Channie, por que você ficou tenso quando Sehun contou a sua história? Você não sabia? - Indaguei, olhando para ele, que ainda estava deitado no sofá, com a cabeça repousada em meu colo.

- Não, não é isso; eu já sabia da história dele.

- Então por quê?

- Eu só fiquei surpreso. Geralmente o Sehun não conta a história de quando era humano para ninguém, só aos mais próximos.

- E o que isso significa?

Chanyeol sorriu.

- É algo bom, pois significa que ele confia em vocês, mesmo tratando todos com indiferença. - Disse, levando sua mão até o meu rosto e deslizando seus dedos pela lateral das minhas feições, até segurar meu queixo e puxar meu rosto delicadamente em direção ao seu, colando nossos lábios em um breve selar, que rapidamente foi interrompido.

- Ei, casalzinho, que tal parar de namorico e continuar com a história, hein? - Jongin falou.

Meu rosto ferveu e Chanyeol riu, obviamente, completamente sem vergonha.

- Ainda não entendo como o Baek consegue beijar um vampiro - indignou-se Kyungsoo, arrancando uma risada de Jongin; bom, pelo menos nisso os dois pareciam concordar. Chanyeol riu também, se sentando e me apertando contra si.

- Pelo menos ele se garante em uma boa foda. Sabe como é, né, Baekhyun? Um vampiro é naturalmente rápido; na hora do sexo então... - Luhan comentou de forma maliciosa, deixando o resto da frase no ar, e piscando um olho na minha direção. Chanyeol gargalhou alto ao ver minha expressão embasbacadamente vermelha; escondi meu rosto em seu peito, murmurando palavras desconexas.

- Você fala isso para o Baekhyun, mas aposto que está pensando em você com o Sehun. - Jongin calou a boca de Luhan, que lhe lançou um olhar fulminante.

- Como assim o Baek vai transar com o Chanyeol?!

Kyungsoo!!

- Mas não é seguro, Baek! Ele pode te machucar!

- A questão não é essa! - Argumentei, em um misto de vergonha e irritação. - Você não pode, aliás vocês não podem sair por aí falando sobre a vida íntima dos outros. Aish, isso é tão constrangedor. - Meus rosto ainda fervia e eu me recusava a tirar a cabeça do peito de Chanyeol.

E Chanyeol, vendo que eu estava desconfortável com aquele assunto, me acolheu em seus braços firmes e frios - mesmo que para mim eles fossem quentes e aconchegantes - e pronunciou:

- Chega desse assunto! Querem escutar o resto da história ou não? - Inquiriu, levemente irritado.

- Tudo bem - falou Luhan. - Continue...

Chanyeol abaixou um pouco a cabeça, parecendo me analisar por breves segundos antes de levantar a cabeça e prosseguir.

- Depois que fui transformado em vampiro eu optei por seguir a mesma "dieta" de alimentação de Sehun, preferindo sangue animal à sangue humano. Tudo bem que no início foi difícil para mim aquela nova vida; principalmente resistir à sede de sangue e não poder mais sair de dia, quando o sol queimava de tão quente; embora isso se tornasse possível quando chovia muito... Mas o resto foi incrível! Poder desfrutar da força, da velocidade, fazer coisas que antes eram inumanamente impossível. Em alguns momentos através dos anos Sehun e eu esbarrávamos com Leeteuk e os outros; ficávamos um tempo juntos mas depois seguíamos caminhos separados. Sehun sempre ficava preocupado por ver que Jaesang não estava com eles; Leeteuk dizia que ele resolveu seguir seu próprio caminho, mas Sehun não acredita nisso; e ele tem um pressentimento ruim quanto a isso.

" Mas, enquanto tudo isso acontecia, as espécies sobrenaturais foram aumentando e evoluindo, e a que mais teve destaque foi a espécie dos bruxos. Eles aumentaram tanto em números que acabaram por vir à tona entre os humanos. Quando os humanos descobriram tudo virou um caos; foi quando a 'Era Negra' teve início. Os humanos ficaram tão aterrorizados e com tanto medo de que os bruxos fizessem algo com eles que resolveram caçar todos os bruxos que viam pela frente. Era 1714, e a Era Negra durou por mais três anos e meio; e, no final daquele mesmo ano, Sehun e eu nos deparamos com uma bruxa. O nome dela era Yerin, e ela nos pediu para que nós a escondêssemos e a protegêssemos dos humanos até o fim da Era, pois ela sabia o que Sehun e eu éramos. No início Sehun disse que não, mas mudou de ideia quando ela disse que estava grávida; e ela não estava mentindo; podíamos ouvir um segundo coração batendo. Por isso ela pediu que a mantivéssemos a salvo, pois estava enfraquecida devido à gravidez.

" Yerin era uma bruxa puro-sangue; seus pais se sacrificaram para que ela fugisse e vivesse; e ela estava disposta  a não deixar que o sacrifício não fosse em vão. Durante aqueles nove meses Sehun e eu ficamos muito próximos dela, criamos um vínculo de amizade muito forte; e, enquanto isso, o número de bruxos caía aos poucos; mantínhamos Yerin sergura durante todo o tempo, viajando durante a noite de cidade em cidade. Ela vivia grudada em um livro com a capa de couro preto, escrevendo vários e vários tipos de feitiços nele. Quando o momento do nascimento da criança chegou tivemos sorte de estar de noite; Sehun ficou com Yerin enquanto eu saí para procurar uma enfermeira; a hipnotizei e ela se encarregou do parto. O bebê acabou se revelando uma garotinha encantadora, a qual batizamos de Yunjin. Com o passar dos meses, enquanto o número de bruxos continuava a cair, Sehun e eu gostávamos de passar o tempo brincando com a Yunjin enquanto Yerin continuava a escrever feitiços em seu livro. Ela mencionou uma vez que estava criando dois feitiços muito difíceis e complicados e que usaria um dos dois em mim e em Sehun; na época eu não fazia ideia, mas agora posso dizer que era o feitiço da Marca do Sol. Já o outro feitiço eu não faço ideia do que seja; ela nunca contou. No fim do ano de 1717, quando a Era Negra chegava ao fim, Yerin fez um feitiço  de rastreamento consaguíneo, para ver se houveram outros bruxos que sobreviveram àquela difícil época. Mas não havia; os únicos bruxos que restaram no mundo foram Yerin e Yunjin. E foi assim que os bruxos ficaram extintos: foram caçados, torturados e massacrados pelos humanos e pelo seu medo tolo."

Chanyeol concluiu enfim, olhando diretamente para Kyungsoo, que estivera pálido e emudecido durante todo esse tempo.

Por um momento eu não sabia o que pensar; não conseguia acreditar que aquela história horrível fazia parte do passado dos ancestrais do meu melhor amigo. Uma raça inteira dizimada por reles humanos, que com certeza usaram jogos sujos para conseguirem massacrarem uma raça inteira de bruxos; única explicação para tal feito, afinal de contas eles eram bruxos.

Várias memórias invadiram minha mente, fazendo certas coisas finalmente fazerem sentido; principalmente as coisas que eu e Kyungsoo conversamos ainda hoje, nessa manhã. 

Troquei um olhar com Kyungsoo e eu sabia que ele estava pensando o mesmo que eu: o tal livro que os pais dele deu à ele é o livro da Yerin; não havia dúvidas quanto a isso. O que significava que os dois feitiços que Yerin estava criando eram os dois feitiços da última página. Então nem mesmo Chanyeol ou Sehun sabiam qual era o feitiço da última página...

- Quando chegou o dia de nos despedirmos - continuou Chanyeol, me tirando dos devaneios -, Yerin nos deu a Marca do Sol e o enfeitiçou para que pudéssemos andar sob ele; ela disse que era uma forma de agradecimento por tudo que fizemos por ela e Yunjin. A minha marca é no braço direito, e a do Sehun é no peito esquerdo, pois ele disse que aquela marca seria seu novo coração. Mas antes de ir embora Yerin nos deu um último aviso. Para o Sehun ela disse que ele não devia ser sempre tão hostil e indiferente, pois o amor podia vir de onde ele menos espera.

Cerca de cinco segundos após Chanyeol dizer isso, de modo sincronizado, todos os olhares na sala se voltaram para Luhan, que ficou nitidamente espantado.

- Que foi? Por que estão olhando para mim assim? - Questionou, começando a ficar nervoso e desconfortável com a sugestão implícita em nossos olhares. - Ah, qual é? Vocês não estão achando que ela estava falando de mim, certo?

- É exatamente isso que nós achamos. - Disse Kyungsoo, sem pestanejar.

Luhan bufou.

- Vocês não estão falando sério - desdenhou ele, mas pude ver suas bochechas ficarem levemente rubras. - Ele me detesta!

- Sehun não te detesta, ele só não sabe se expressar, romanticamente falando - disse Chanyeol.

- Que seja, ainda prefiro acreditar que isso não tem nada a ver comigo! - Disse teimosamente e eu ri baixinho, mesmo sabendo que ele seria capaz de ouvir. Ele me lançou um olhar mortal e eu sabiamente me calei.

- Dane-se, todo mundo sabe que vocês vão acabar se pegando mesmo - falou Jongin, e eu ri da cara engraçada que Luhan fez, olhando para o irmão em um misto triplo de indignação, fúria e constrangimento. Em um ato de puro infantilismo o loiro mostrou a língua para Jongin, que o ignorou deliberadamente. Kyungsoo e eu caímos na gargalhada. - Continue, Chanyeol.

Chanyeol estava rindo também, mas logo ele se recompôs e voltou a falar.

- Já para mim Yerin disse que, um dia, eu encontraria um bruxo puro-sangue e que, ao seu mero toque, a minha Marca do Sol arderia tanto que chegaria ao ponto de queimar. Ela disse que isso aconteceria porque estava premeditado que esse bruxo faria algo, ainda não sei o quê, que me beneficiaria muito, algo relacionado à, nas palavras dela: minha "felicidade". Não entendi muito bem o que ela quis dizer na época, e agora continuo sem entender, mas... agora posso dizer que esse bruxo é você, Kyungsoo.

O silêncio que se seguiu foi de espanto - para Jongin e Luhan -, compreensão - por parte de mim - e uma expressão indecifrável no rosto do Kyungsoo. Compreensão por minha parte porque eu imediatamente me lembrei do primeiro dia de aula, quando Kyungsoo derrubara seu lápis e Chanyeol automaticamente se agachara para pegá-lo e, depois, devolveu à Kyungsoo, o qual esbarrara seus dedos nos de Chanyeol sem querer. Na ocasião eu não havia entendido o por quê de Chanyeol ter feito aquela expressão de dor ao levar sua mão à região dos bíceps, no braço direito, mas agora eu entendo. Fora isso então. 

Por uma fração de segundos meus olhos se encontraram com os do meu melhor amigo e vi que ele pensava o mesmo que eu, novamente.

- Posso não saber o que Kyungsoo fará futuramente, mas sei que é algo relacionado ao Baekhyun - Chanyeol comentou, me tirando dos devaneios.

- Por que eu? - Questionei, confuso, e ele sorriu, acariciando meu rosto.

- Bobinho, porque você é a minha felicidade. - Disse simplesmente, pouco antes de se inclinar e me beijar, sequer me dando tempo de processar suas palavras. Minhas bochechas arderam intensamente, mas não me afastei dele. Era extremamente bom sentir seus lábios em contato com os meus, fazendo eu sentir várias sensações simultameamente. Droga, eu era mesmo um bobo apaixonado.

Chanyeol entreabriu minha boca com a sua própria e iria aprofundar o beijo quando alguém - provavelmente Jongin - pigarreou alto e propositalmente, me fazendo lembrar de que não estávamos a sós. Pude sentir que todos estavam nos olhando. Meu rosto queimou ao tomar distância de Chanyeol e desviar rapidamente meus olhos dos dele, que brilhavam como estrelas, além de ter um sorrisinho pincelando sua face.

- Se o casalzinho aí quer mesmo é ficar se pegando, então por que não vão para um quarto?

- Jongin, não seja indelicado! - Luhan repreendeu o irmão, embora eu sentisse que ele estava se segurando para não rir.

Meus rosto ainda continuava em chamas e escutei a risada baixa de Chanyeol.

- Não ria, idiota, isso é muito constrangedor - resmunguei, batendo de leve em seu peitoral duro.

- Você contou tudo, Chanyeol, mas ainda não sabemos por quê esse tal Leeteuk está atrás de você e do Sehun. - Kyungsoo falou, mudando repentinamente de assunto, o que eu agradecia internamente.

- Ah, é verdade - concordou ele. - Depois que Sehun e eu nos separamos da Yerin e da Yunjin, nós nos deparamos com Leeteuk e seu clã algumas vezes. E, de alguma forma, Leeteuk descobriu que Sehun e eu podíamos andar sob a luz do sol. E, para um vampiro que não via a luz solar há mais de três mil anos, para ele aquilo era como uma dádiva; voltar a sentir o sol pinicar sua pele era como voltar a ser humano, porém, um humano desenvolvido, com uma força e velocidade além dos limites, poder hipnótico e, o melhor de tudo, um corpo forte e imortal. Ah, aquilo era como um sonho para Leeteuk, e ele faria de tudo para alcansá-lo. Ele ficou obsecado com isso e pediu-nos que lhe disséssemos como conseguimos tal façanha. Mas não podíamos falar nada, nem sobre a Marca do Sol ou sobre Yerin, pois ela era a única bruxa capaz de fazê-la e não podíamos entregá-la; caso Leeteuk soubesse sobre ela ele não mediria esforços para encontrá-la e forçá-la a dar o que ele quer. Sehun e eu nos recusamos a contar e fugimos, deixando Leeteuk irado, fazendo-o passar a nos perseguir e tentar nos obrigar a contar o motivo de conseguirmos nos expor ao sol sem virarmos cinzas. Bom, foi assim que tudo aconteceu. - Concluiu Chanyeol.

Naquele momento, Chanyeol não mencionou, mas não era necessário palavras para que todos nós pensássemos a mesma coisa: que, caso Leeteuk viesse a descobrir sobre a Marca do Sol, ele viria atrás do Kyungsoo, que era o único bruxo puro-sangue capaz de fazer o mesmo feitiço. 

Um calafrio percorreu minha espinha em somente cogitar a hipotese. Apesar de agora tudo fazer sentido, por um breve segundo eu me arrependi internamente de ter procurado por essas respostas. Às vezes a ignorância era o melhor caminho a se seguir.

- Bem, agora que já está tudo esclarecido eu vou tirar um cochilo - anunciou Luhan, se levantando e seguindo em direção à escadaria da direita.

Kyungsoo também se levantou e eu o olhei, preocupado.

- Eu vou dar uma volta. Preciso de ar fresco. - Disse, se dirigindo à porta de entrada. Eu abri a boca para dizer algo, mas Jongin foi mais rápido.

- Eu vou com você - disse o moreno, pegando sua jaqueta e seguindo meu melhor amigo até a porta e, segundos depois, ambos saíram, deixando-me sozinho com Chanyeol.

- Você está bem? - Ele perguntou depois de um tempo.

- Sim, só... preocupado com o Kyunggie...

- Relaxa, ele está com o Jongin, e dúvido que ele deixe que algo aconteça à ele.

Eu ri.

- Sei disso. Eu quis dizer que estou preocupado com o que se passa na cabeça dele. - Expliquei, me virando para ele.

- Vem cá. - Chanyeol me puxou para si, nos fazendo deitar no sofá, com metade do meu corpo em cima do dele; minha cabeça repousou em seu peito e logo senti sua mão afagando meus cabelos avermelhados em um cafuné gostoso que me fez ficar sonolento em questão de segundos. - Kyungsoo saiu daqui justamente porque não quer que você se preocupe com ele, então relaxe, ele vai ficar bem. - Beijou o topo da minha cabeça, como que para me assegurar de que tudo ia ficar bem.

Me permiti acreditar nele e alguns minutos depois eu me encontrava dormindo parcialmente sobre o corpo de Chanyeol, sentindo sua mão em meus cabelos e a outra acariciando minha cintura. Foi impossível não cair no sono, ainda mais quando Chanyeol começou a cantarolar alguma música desconhecida em um ritmo lento e suave, com a voz melódica e levemente rouca. Tive uma boa tarde de sono nos braços daquele que muitas vezes me deixou acordado durante noites a fio.

 


Notas Finais


E aí, o que acharam do cap.?? Bom, ruim, na média?? Qualquer coisa comentem, ok? Ok!
Próximo cap. é Kaisoo, que será postado daqui há 15 dias! Semana que vem sai um novo cap. de MHS!

MHS: https://spiritfanfics.com/historia/mutants-high-school-9896082

Até mais!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...