História O teu sabor - Capítulo 289


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Beyond The Scene, Comedia, Cotidiano, Drama, Envolvimento, Hentai, Imagine, Imagine Jimin, Imagine Jungkook, Jungkook, Maknae Line, Mudanças, Novela, Park Jimin, Relações, Romance, Sitcom
Visualizações 333
Palavras 3.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁ
Quem é vivo sempre aparece e eu estou aqui para provar!
Pessoal tive uns momentos meio complicados, principalmente no trabalho e isso dificultou parar e escrever com calma
Hoje estou com uma dor de cabeça meio chata então se encontrarem errinhos ou coisas sem sentido, só dar um toque nos comentários que eu arrumo, mas eu preferi postar de uma vez do que esperar até amanhã para reler, sei que estão ansiosas(os) kkkkk
Seguindo um pouco a linha do cap passado, esse ainda é meio pesado então quem não se sentir confortável, apenas deixe para outro momento, em breve virão outros mais tranquilos (Se meus chefes permitirem kkkkk)
Desculpa a demora e boa leitura :D

Capítulo 289 - Hoje é um dia para celebrar!


Fanfic / Fanfiction O teu sabor - Capítulo 289 - Hoje é um dia para celebrar!

Para esse aniversário do Jimin queria que ele se sentisse em casa. Jungkook me contou o quanto Jimin adorava as cabanas de cobertas que montava com o irmão e construí uma na minha sala para assistirmos Diário de uma paixão, um dos seus filmes favoritos. Preparei um jantar diferente também, mas um pouco antes dele chegar, olhei ao redor e ainda senti como se algo estivesse faltando. A droga do sexo!

Gastei muito mais tempo e energia construindo aquela cabana, mas foda bem feita ainda parece muito mais grandioso! Não creio. Afastei esse pensamento e me sentei na cozinha. Enquanto esperava, li o roteiro do último capítulo do drama que estava gravando. Senti minha garganta doer e tomei um xarope, algo que não pareceu ajudar tanto quanto eu gostaria.

Assim que ouvi as chaves e a porta abrindo, levantei as pressas e corri para o seu colo.

“Jimin!!!” espalhei beijos por todo o seu rosto “Parabéns! Parabéns! Parabéns!”

“Obrigada pela recepção” ele riu e me beijou de volta “Que cheiro delicioso é esse?”

“kimchi jjigae!”

“huuum que delí... UMA CABANA!” os olhos dele brilharam ao ver a estrutura na sala

“Sim!”

“Que lindo que ficou!”

“Foi um pouco difícil manter a estrutura de pé, mas até que ficou charmoso”

“Ficou lindo!” ele beijou minha mão “Você sempre se supera”

Enquanto comíamos, Jimin contou sobre sua viagem e a pimenta pareceu enfatizar o incomodo na minha garganta. Comecei a beber bastante água, isso aliviava um pouco. Assim que finalizei meu prato, peguei seu presente. Um suéter verde que achei a cara dele.

“Uau! É lindo” Jimin abriu o pacote com um sorriso quase infantil, como aqueles que se vê nas crianças em noites de natal

“Não encontrei em azul, mas achei esse tom de verde... cativante” peguei a taça enchi novamente e tomei toda a água de uma vez

“Huum” Jimin olhou de canto “A comida ficou muito boa”

“Mal senti o gosto” franzi o nariz rapidamente

“Você comeu muito rápido” ele comentou e segurou minha mão estirada na madeira da ilha

“Não estava com muita fome” me soltei da sua mão e levantei já com os nossos pratos em mãos “Mas seu presente ainda não acabou”

“Ah não?” ele voltou a sorrir

“Não...” coloquei os pratos na pia “Venha” segurei suas mãos e o puxei para me seguir

“Finalmente vamos para a cabana?” isso o animou ainda mais

“Vamos!” O pestinha realmente queria comer lá e correr o risco de derramar aquele prato nas cobertas

Entrei com sua mão ainda entrelaçada na minha e nos deitamos em meio ao aglomerado de almofadas.

“Que aconchegante” ele comentou “Me sinto como em casa”

“Eu imagino” virei o rosto para ele e peguei a vasilhas com doces, os azedinhos que ele mais gostava, e coloquei em seu abdômen

“Uau! Você realmente pensou bem nisso” ele riu e pegou um punhado

“Era para ser algo especial”

“É...” ele enfatizou e colocou uma bala na minha boca “É especial”

Olhei para cima e Jimin virou de lado ainda mastigando de maneira um tanto alta devido a textura da bala.

“Você está diferente” comentou “Desde a última vez que nos vimos”

“Estou...”

“O que houve?”

“Sabe aquela famosa lei da atração?”

“Huuum”

“Acredita nela?” evitei olhar nos olhos dele, preferi o topo da cabana

“Acredito”

“Tenho atraído coisas intensas”

“O quão inten...”

“Minha terapeuta sugeriu que eu procurasse um psiquiatra” o interrompi

“Nossa, mas do nada?”

“Não foi do nada, mas devido...” minha voz falhou “Eu tive alguns dias ruins”

“São apenas dias ruins...”

“Tenho tido dias ruins a um longo tempo, Jimin. A terapia fez um efeito muito bom em mim, mas as vezes não parece ser o suficiente para controlar” tossi

“Sua garganta está arranhando?”

“Está machucada”

“Yuri...”

“Eu não quero um psiquiatra, não quero ficar dopada com remédios, quero só melhorar” senti seu cafuné suave no topo da minha cabeça “Mas tem horas que minha cabeça tem vida própria e eu só consigo pensar que sou uma... uma... uma coisa ruim” suspirei “Eu tenho raiva e tristeza de mim mesma em níveis que me assustam as vezes, não importa o quanto tentem me dizer o oposto”

“Amor próprio leva tempo, você começou a terapia a pouco”

“Eu sei, eu sei” voltei a tossir “Mas ao mesmo tempo, tem horas que eu sinto que preciso estar doente, só assim eu consigo emagrecer... Mas tem horas que eu me pergunto porque isso é tão, mas tão importante para mim. Realmente me sinto doente e aí aqueles pequenos instantes de lucidez se tornam cada vez mais distante. Sinto raiva de cada coisa que engulo e raiva de mim por simplesmente não conseguir me livrar disso”

“Eu estou aqui” ele beijou o topo da minha cabeça

“Eu sei que está, mas não é o suficiente” olhei para ele finalmente “Eu me sinto afundando”

“Você tem pessoas que te amam que vão te puxar com toda a força”

“Mas e se eu afundar elas comigo? E se isso for mais forte que tudo?”

“Não é mais forte”

“Como você sabe? Eu vi o estado das meninas que apareceram naquele grupo”

“Porque eu vivo isso todos os dias, eu sei como é, e toda vez que eu te vejo, que eu te beijo, me sinto um pouco mais fora dessa vala”

“Não pode colocar esse peso em mim” Assim como eu não posso colocar nele

“Não é um peso, Yuri! Estar com pessoas que nos amam, nos preenche de sentimentos bons e serotonina, não é só você, mas você é definitivamente parte disso”

“Eu me sinto quebrada, como se eu só fosse melhorar nascendo de novo” murmurei

“Esse pensamento é perigoso demais para você se prender nele, você é tão nova, tem toda uma trajetória para se ressignificar, se transformar”

“É cansativo, exaustivo” dei de ombros

“Mas não quer dizer que não vale a pena”

“Eu não sinto que serei livre disso, sinto que estarei toda a minha vida lutando contra uma maré incrivelmente forte”

“Yuri nascer de novo não resolve nada, ainda mais se considerar que o mundo em que vivemos está longe de se resolver, você tem grandes chances de acabar no mesmo caminho”

“E como isso soa para você?”

“Como um ciclo de desistências” ele segurou minha mão mais forte “Acho que ao invés de vencidos podemos ser pessoas que de fato fazem alguma diferença e tentar mudar essa realidade”

“Você acabou de dizer que está longe de resolução”

“Longe e não inalcançável”

“Bem colocado” minha voz falhou no final

“Você está com esses tipos de pensamentos? Eles realmente voltaram?”

“Eu estou cansada da bagunça na minha cabeça, só isso”

“Então precisa descansar” cutucou minha testa “Você tem trabalho demais, se dê um tempo”

“Preciso de trabalho, isso me mantém ativa”

“E também ainda mais drenada, tem que saber a hora de parar”

“Tentarei”

“Não existe tentar, é fazer ou não fazer”

“Isso parece frase de livro de autoajuda” dei um sorriso fraco

“É do Star Wars”

“Bom saber” peguei o controle e liguei a tv

“Yuri” ele falou um pouco mais sério “Eu não estou brincando, preciso que você pare”

“Estou parada” fiquei igual uma estátua e ele me puxou para o seu colo

“Descansa essa sua cabecinha e quando perceber esses pensamentos mais amargos, tenta lembrar de mim levantando a camisa”

“Jimin!” ri da bobeira dele

“Viu, funciona”

“Posso lembrar de você fazendo qualquer outra coisa”

“Então lembra de mim e lembra que eu não quero que nada de ruim te aconteça” enquanto ele falava, afaguei seus braços ao meu redor “Você é tão linda, por dentro, por fora, de todos os lados e ângulos possíveis”

“Acho que no final das contas não tem a ver com beleza, tem com a relação de desenvolvi comigo mesma”

“Tem alguma coisa que eu possa fazer?”

“Só me abraça, senti muito a sua falta” o apertei junto a mim

“Também senti a sua”

 

P.O.V JUNGKOOK

“É tão bom vê-lo!” Marion me cumprimentou com um abraço definitivamente inesperado “Está maior do que eu me lembrava”

“Eu não acho que ele cresça mais” Elena me olhou dos pés a cabeça

“Homens crescem até seus 24 anos”

“Mas ele é enorme!”

“Está com fome?” Marion me perguntou

“Estou sim” massageei minha barriga

“Você comeu no carro” Elena falou

“Elena, eu como muito, me deixa” ri

“Vai chamar o Hiro, Ellie!” Marion disse a caminho da cozinha

“Porque eu?” ela pendeu a cabeça para o lado

“Por que eu tenho que ver o assado no forno”

“Tá bem, vem comigo?” Elena me chamou

“Vou dar comida para ele, Elena” Marion disse batendo o salto no chão “Pode desgrudar do namorado por um instante?”

“Eu só perguntei” Elena deu as costas para nós ainda confusa e segui Marion

“Que bom que você entende melhor o japonês, queria falar contigo” ela me disse assim que a Elena subiu as escadas “Estava tentando afastar a Elena de forma sutil”

“Entendo” Não sei se soou tão sutil quanto ela gostaria, mas afastou

“Não é um segredo, mas se a Elena me ouvir dizendo essas coisas vai revirar os olhos e fazer caretas, é a forma dela de lidar com sentimentos mais... intensos”

“Sim” É muito errado eu pensar em sexo agora, é muito errado, muito errado

“Bom... Nós vamos para a França na próxima terça-feira”

“Elena me disse”

“E vamos ficar lá por um tempo...”

“Fiquei sabendo, mas você irá abrir um restaurante, certo? É algo incrível”

“É incrível sim, mas me preocupa deixar ela sozinha aqui”

“Ela não está sozinha”

“Eu sei, eu sei” ela massageou as têmporas “Ela tem você e a Yuri, isso é ótimo, mas a Elena é muito complicada de se lidar e eu ainda assim ficarei com o coração na mão”

“Entendo perfeitamente, minha mãe me liga todos os dias”

“E além de tudo isso, ela comentou alguma coisa sobre o halloween?”

“Sim, parece que a Yuri dará uma festa com ela, parece bem animada”

“Esse halloween é o aniversário de um ano da passagem da minha mãe”

“ah... verdade...” como não me dei conta disso

“Eu imagino que ela vá ficar um pouco mais sensível no dia, apenas... olhe ela por mim”

“Pode deixar, estarei o tempo todo com ela”

“Obrigada, Jungkook! Você é um bom menino” ela beliscou minha bochecha e me deixou vermelho de vergonha “Isso me dá um pouco mais de calma”

“Ellie, não aceito que diga essas coisas para mim!” Hiro esbravejou na ponta da escada

“Você peidou tão alto que assustou meu gato!”

“ISSO É UMA CALÚNIA”

“Vou sentir falta dos dois brigando a toa” Marion olhou para eles com um brilho no olhar “Vou sentir muita falta”

“Podemos fazer vídeo chamadas”

Marion sorriu para mim e fiquei ainda mais vermelho, nem para eu me controlar.

 

P.O.V YURI

Assistimos Diário de uma paixão completamente engalfinhados naquela cabana. Dei um leve cochilo do filme, mas ele nem percebeu. No momento que os créditos tomaram a tela, Jimin me beijou e assim permaneceu até nossos lábios se cansarem, o que pareceu tomar um bom tempo. Entregue em suas carícias, aquele peso pareceu sair de minhas costas, pelo menos um pouco. Já fazia uns dias que não dormia tão bem, hoje tinha tudo para conseguir finalmente um descanso real. Eu até considerei transar com ele, mas definitivamente não estava no clima. Para ser sincera, ele também não parecia estar. Enquanto escovava os dentes, olhei para o ralo e lembrei da Yang-my cantando na reunião. Cuspi a pasta e tomei meu xarope para a garganta, tinha consulta com um gastroenterologista na segunda e só de pensar já me dava náuseas. Já imagino ele me olhando exatamente como todos os outros olharam, nisso minha cabeça resgatou a mulher com uma enorme pinta no queixo que fez questão de me perguntar porque eu estava correndo atrás de doenças. Dei um riso irônico sozinha e respirei fundo. Não posso chegar naquele nível de novo, isso está me corroendo por dentro literalmente. Precisei de mais algumas puxadas de ar para me recompor e segurar o choro. Se o Jimin me ver assim, vou estragar seu aniversário. Guardei minha escova e na saída do banheiro esbarrei no Jimin escondido no escuro do closet.

“Que susto!” bati de leve no seu peitoral nu “O que estava fazendo aí?”

“Nada” ele respondeu sem jeito

“Estava me observando escondido?”

“Não”

“Não mente para mim!”

“Estava só te esperando, não quis interromper”

“Então porque a luz apagada?”

“Por...que... eu gosto do escuro”

“Aiaiai...” caminhei para o quarto e ele me seguiu “Não precisa fazer isso, não é como se fosse capaz de impedir algo”

“Não era essa a minha intenção”

“Deita aqui comigo” me ajoelhei no colchão e o chamei para perto “Eu estou... melhor agora”

“Parece cansada” ele ajoelhou como eu e segurou minha cintura

“Estou cansada”

“Então vamos dormir” Jimin desceu o rosto e beijou minha clavícula, subindo pelo pescoço

“Esse é o seu movimento de vamos dormir?” perguntei acariciando a linha das suas costas

“Você é tão cheirosa” sua voz foi abafada pela minha pele “Tão gostosa” passou o dedão pelos meus lábios “Te amo tanto”

“Eu também te amo” passei os braços ao redor do seu pescoço

Jimin voltou a me beijar e de primeira achei que tudo aquilo era uma investida, mas não casaria com o clima que ele sabia que estava rolando. Era apenas ele tentando expressar de maneira mais profunda o quanto eu era importante para ele. Após apagar a luz, Jimin deitou de barriga para cima e eu de bruços, colada ao seu lado. Fiquei alisando seu abdômen enquanto depositava alguns beijos por seu queixo e bochechas.

“Seu carinho é um paraíso” Ele sorriu

“Bobinho” lhe dei um selinho “Desculpa ser um aniversário diferente dos outros”

“Porque está me pedindo desculpas, foi incrível”

“Foi mesmo? Não está apenas dizendo isso para me fazer sentir melhor?”

“Yuri! Você se ateve a todos os detalhes, como sempre faz, a comida foi meu prato favorito, a cabana e os doces, referências a minha infância e um melhores filmes que eu já vi para completar o combo...”

“Mas foi como um dia normal”

“Se todos os meus dias normais fossem assim eu teria mais cabelos na cabeça e menos frequência na terapia” riu “Estou falando sério, foi ótimo! Tira da sua cabeça que uma noite especial requer mais do que tivemos”

“Eu sinto falta” admiti

“Huuum... se...sente?”

“Sim, talvez não exatamente agora com a minha libido abaixo do chão, mas sinto sim...” desci minha mão até sua virilha “Talvez isso também seja um... ponto a se pensar”

“Em que sentido?”

“Sexo sempre foi para mim uma fuga, não fugir para ele também me faz encarar mais essas coisas...”

“É uma fuga com data hora para acabar”

“E todas não são? Não existe uma fuga sucedida de algo está dentro de mim, é como correr da própria sombra em um dia ensolarado”

“Bom que sabe” ele puxou meu queixo para eu voltar a beija-lo

 

P.O.V JUNGKOOK

“Hey” bati no batente de entrada do terraço

“Olá” Elena levantou a palma do Zeus e acenou para mim “Quer sentar conosco?”

“Porque se isolou aqui?”

“Não me isolei, vim para ver os gatos”

“Zeus é um gato normal” peguei Apolo no colo e me sentei ao lado dela “Que bicho enorme”

“Ele é um gato especial” ela o beijo no focinho “Os dois são”

“Aah... então... Hiro viu minhas tatuagens”

“E aí?”

“Não pareceu gostar, mas ficou perguntando os significados”

“Não estão no corpo dele para ele gostar ou deixar de gostar”

“Calma, Elena! Não precisa ficar na defensiva, me entendi com ele” fiquei fazendo cafuné no Apolo “Ele respeitou”

“Eu sei, estou meio mal humorada”

“Aconteceu algo?”

“Não” cortou o assunto de cara

“Huuum... sobre... o halloween, tem certeza que quer participar da festa?”

“Participar? Eu que estou dando a festa, não acho que é uma opção” até seu tom de voz ficou mais defensivo

“Não tem mais nada que gostaria de fazer nesse dia?”

“Minha avó não quer que eu passe um dia chorando por ela, isso não nos levaria a nada”

“Isso não é sobre o que a sua avó quer, Ellie. É sobre você! O que você quer?”

“Eu quero fazer uma festa de halloween e me fantasiar, só isso” Zeus do nada virou a pata no rosto dela e pulou fora de seu colo

“Que do nada!”

“Gatos” Elena alisou o queixo no local que ficou marcado “Ele é assim mesmo”

“Ainda estou descrente com o tamanho dele, sem contar que achei que ele seria mais dócil”

“Ele é bem dócil, só não está em bom dia”

“Sei bem como é” fiquei olhando para ela, incrível como seus gatos são releituras perfeitas dela

 

P.O.V YURI

Cortei alguns morangos, tangerinas, bananas e peras dentro de uma tigela de vidro e temperei com uma granola que Elena me deu. Peguei um pouco de leite e coloquei na bandeja de madeira. Coloquei também gotas de chocolate amargo por cima e subi. Me surpreendi com o Jimin fora da cama. Deixei as coisas em cima do colchão e entrei no closet, deu para ver ele curvado, apoiado na pia do banheiro.

“Bom dia!” falei o abraçando por trás e o ouvi fungar “O que houve?”

“Ataque de renite” ele riu e levantou o rosto um pouco vermelho

“Ataque de renite?”

“Pois é, acordei de coçando horrores”

“Que droga, tenho antialérgico, quer?”

“Já tomei” ele piscou para mim e secou o rosto na toalha

“Tem certeza?”

“Absoluta, vamos comer?”

“Vamos sim, trouxe para você na cama”

“Que mimo” ele me deu um selinho e voltou a sorrir, mas eu não comprei essa renite, esse apartamento foi limpo esses dias com muito esmero por sinal

“Chimmie” Segurei sua mão antes dele ir para o quarto e o fiz parar “Tem certeza?” Uma última vez

“Yuri! Não encana com isso, vamos comer”

“Okay” agarrei seu antebraço “Vem cá me dar um beijo de bom dia”

“Com todo o prazer” ele me pegou de um jeito tão gostoso

Momentos assim me fazem sentir que tudo vai dar certo, mas sei que é um pouco mais complicado que isso. Nos sentamos na cama e continuei olhando desconfiada para ele, aquilo não parecia renite e minha intuição também estava em chamas. Tinha que confrontar, não dá para ele continuar escondendo as coisas de mim! Prometemos que isso seria diferente, tem que ser!

“Você não estava vomitando, né?” perguntei de uma vez e ele engasgou

“Não, Yuri! Claro que não!”

“Então o que aconteceu?”

“Você realmente não acredita em mim?!”

“Não, não acredito!” cruzei os braços e encostei nos travesseiros “O que aconteceu?”

“Eu tive um sonho ruim, ok” ele admitiu um pouco mais sério “As coisas que você me disse me preocuparam de verdade”

“Ah, Jimin...”

“Yuri como você reagiria se eu te contasse que perdi vontade de viver?”

“Eu não disse isso”

“Mas disse que estava cansada e que via a morte como um recomeço”

“Não devia ter dito nada” murmurei

“Não, Yuri! Você devia ter dito sim! Não dá para ficar escondendo essas coisas de mim”

“Irônico você dizer isso depois de mentir” tentei manter meu tom de voz de forma que aquilo não parecesse uma briga

“São coisas diferentes!”

“Não são! Você continua escondendo seus sentimentos por mim, você sempre faz isso! Coloca os outros em primeiro! Tem que me falar também, eu mal sei dos seus problemas! Até onde eu sei você pode ter crises tão fortes ou piores que as minhas, mas parece que sempre vai mascarar isso de mim e me incomoda! Me incomoda demais justamente porque eu também quero te apoiar”

“Yuri eu estou bem! Estou ótimo, foi só um sonho, não achei que era necessário trazer algo que só serviria para te lembrar de uma... uma ideia ruim” ele jogou os cabelos para trás

“É necessário, eu quero saber de você também” pousei a mão na sua coxa

“Estou bem, foi apenas isso, juro”

“Costuma ter sonhos ruins?”

“Não muitos... talvez depois de filmes de terror” deu um riso torto e nos encaramos por alguns instantes “Me promete que não vai pensar em tentar isso de novo”

“Eu não posso te prometer isso, eu prometi isso para mim e já falhei” me aproximei e beijei sua bochecha “Eu prometo me cuidar, estou fazendo isso, não estou?”

“Está”

“Então pronto, mas se abre comigo também, estou em um momento mais sensível, mas isso não quer dizer que eu não quero te ouvir, estamos juntos nessa, certo?” peguei seu rosto entre as mãos “Estou mostrando a você tudo que eu sou, o bom, o confuso e o machucado, porque eu quero que você conheça tudo! Eu quero me entregar de verdade! Mas também quero que seja recíproco”

“Okay, não farei de novo” respondeu com um bico que fiz questão de beijar

“Promete que será recíproco?”

“Prometo” Jimin me abraçou forte e nos jogou na cama “Vou te mostrar tudo, você terá acesso desde minhas manias levemente nojentas até meus peidos mais quentes e fedorentos”

“Porque você sempre vai para esse lado?” pelo menos me faz rir

“OLHA SÓ! Então a madame aceita de tudo até a página dois!”

“Jimin eu já conheço seus peidos, estou falando de sentimentos, de medos, de angustias”

“Eu sei” ele passou o indicador na ponta do meu nariz “Farei isso também”

“Mas eu também aceito as manias e os peidos” fiz o mesmo no nariz dele

“Você está de fato aceitando meus puns? Oficialmente?”

“Estou” gargalhei e ele me abraçou de novo

“Hoje é um dia para celebrar!”

“Você fala como se eu tivesse opção, como não se aceita os puns de alguém?”

“Eu te amo” ele murmurou perto do meu ouvido

“Eu também te... amo, amo, amo, amo...” repeti murmurando também e fiz cócegas nas suas costelas

Jimin esperneou e retribuiu cócegas em mim também, no meio dessa movimentação a bela bandeja caiu no chão, não quebrou nada, mas fez uma boa bagunça.

 


Notas Finais


Acho importante caps assim para entender um pouco mais a relação da Yuri com a bulimia. Problemas psicológicos atingem as pessoas de formas diferentes sempre bom enfatizar aqui que vocês são especiais sim e que não é vergonha nenhuma procurar ajuda tanto de pessoas próximas como uma especializada, psicólogos, psicanalistas, psiquiatras, terapeutas salvam muitas vidas.
Não se esqueçam de dar amor e carinho para si mesmas(os)
Beijão e até a próxima (Eu prometo tentar ser o mais rápida possível)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...