História O teu sabor - Capítulo 77


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Beyond The Scene, Bts, Hentai, Imagine, Imagine Jimin, Jungkook, Maknae Line, Park Jimin, Romance
Visualizações 266
Palavras 3.715
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 77 - Confiança


Fanfic / Fanfiction O teu sabor - Capítulo 77 - Confiança

P.O.V DEBS

“Mas está entendendo?” perguntei apontando para o alfabeto

“Estou mais ou menos” Didi fez uma careta “Eu tenho muita dificuldade”

“É assim mesmo, principalmente no começo”

“Estou com alguns aplicativos no celular, sempre que posso abro e fico treinando” bebeu uma um gole de suco

“Eu fiz um curso aqui, foi um intensivo de algumas semanas, eu já sabia bastante então só fiz para rever gramática, mas se você quiser eu te indico o lugar, tem para iniciantes”

“Pode ser uma boa” Didi sorriu

Ela era verdadeiramente linda, com um sorriso chamativo e encantador. Claro que era modelo, com uma beleza dessas era difícil pensar que ela não estaria nesse ramo.

“Você gosta do que faz?” perguntei pensativa

Didi ficou quieta olhando para o alfabeto. Estava concentrada e achei que talvez nem tivesse me ouvido. Mas após um tempo de silêncio a ouvi falar.

“Eu não acho que faça outra coisa tão bem quanto isso” deu de ombros

“Não diga isso” peguei seu queixo e virei seu rosto para mim “Você é inteligente e super carismática, se tem vontade de fazer outra coisa, faça!”

“É tarde demais para pensar nisso” revirou os olhos “Eu faço isso desde que me conheço por gente, já me acostumei”

“Você fala como se tivesse 70 anos e mesmo com essa idade não seria tarde” se ela não gostava de ser modelo porque era uma?

“Me passa o lugar do curso, vou procurar fazer” mudou de assunto e decidi não insistir “Espero conseguir aprender”

“Consegue sim” pisquei e me levantei

Fui até a geladeira pegar a tigela de morangos. Senti um calafrio e um aperto no peito.

"Ai" falei com a tigela em mãos

"Que foi?" Didi perguntou

"Tive um mau pressentimento, sabe?"

"Vixeeee" Didi fez um movimento estranho em cima da cabeça "Se livra disso aê"

"É como uma sensação de que algo ruim aconteceu… vai acontecer"

"Tomara que não"

"Vou mandar uma mensagem para o meu pai" fiquei pensativa, essas coisas nunca são boas ignorar

 

P.O.V TAE

Outros três homens mascarados saíram pela porta traseira e corremos até o Jimin.

"Jimin" o chamei, mas parecia desacordado, estava muito sujo de terra.

"Onde pegou o tiro?" Jungkook procurou pelo ferimento

"Tae!" Ouvi uma voz me chamar, mas estava enlouquecido pela situação, olha o que fizeram com o Jimin

Vi que um tentou pegar no Jimin e o empurrei

"NÃO TOCA NELE! SEUS PUTOS! NÃO RELA A MÃO NELE!" gritei enfurecido

Jungkook começou a arrastar o corpo do Jimin ao mesmo tempo que mostrava o dedo do meio para eles. Estávamos muito loucos, bebemos a noite toda, todo álcool ainda estava em nossos sistemas.

"HEY" o homem ameaçou tirar a máscara, mas peguei os pés do Jimin e saímos correndo de novo

"VOLTEM AQUI" ouvi alguém gritar, mas só pensamos em correr

"Eles estão correndo atrás da gente!" Ouvimos o barulho

"TAE!"

"TAE!"

"JUNGKOOK! TAEHYUNG!" eu conheço essa voz

"Eles já foram?" Jimin sussurrou e olhamos para baixo

"Você tá vivo?" Jungkook perguntou

"Estou!" deu um risadinha

“JIMIN SEU FILHO DA...” Jungkook ficou ainda mais nervoso com isso

Jogamos ele no chão, que folgado!

"Ai!" Jimin exclamou quando sua cabeça bateu no chão

"Brincadeira sem graça hein Jimin" Jungkook falou bravo

"Eu caí! E como estava sem forças para levantar fingi que o tiro me atingiu" Jimin se levantou 

"E não pensou nem por um segundo como isso nos afetaria?" empurrei ele que riu

"Vocês saíram correndo nem viram quando eu caí!"

"Mancada! Quase enfartei" Jungkook revirou os olhos

"HEY" senti uma mão no meu ombro e virei com tudo golpeando o sujeito de cabelos vermelhos na barriga

"TÁ LOUCO TAE?" Hope perguntou jogado no chão

Confusos olhamos ao nosso redor e vimos Mon e Suga.

"Vocês?" Jungkook fez sua expressão de espanto

"Vocês são muito cagões" Suga zombou

Próximo ao carro vi o Zico e um cara que não conhecia. Zico veio correndo com a máscara de caveira em mãos.

"Desculpa pelo susto meninos, eles disseram que seria legal" Zico se aproximou

"Eles não prestam" revirei os olhos "Isso que vocês fizeram não tem graça"

"Mon teve um treco a hora que o Jimin caiu" Zico brincou com o amigo

"Eu achei que ele tinha desmaiado com o susto e se machucado" Mon olhou para Jimin preocupado

"Eu achei que ele tinha MORRIDO com a bala" Jungkook falou bravo e Jimin o abraçou rindo, Kook acabou cedendo e riu também o abraçando de volta

"Jimin é sacana" Hope pegou no meu ombro "Fez igual aqueles animais que se fingem de mortos para o predador"

"Agora o que realmente interessa" Mon falou "O que vocês três fazem aqui, sozinhos, a essa hora?"

"Estamos em três, como que estamos sozinhos?" comentei

"O táxi nos deixou aqui"Jimin explicou “E, claramente, fomos idiotas demais para perceber que estávamos no meio do nada antes do táxi ir embora”

"Vocês não notaram que o cara estacionou em um lugar diferente do que pediram para chegar ou não sabiam onde iriam chegar?" Suga questionou

"Não percebemos" Jungkook murmurou

"Como isso?" Suga riu

"Foi um caminho longo e estranho" Jungkook justificou "Saímos do carro meio afobados"

"Nem fala..." murmurei já enjoado só de lembrar do caminho

"Para onde vocês estavam indo?" Zico perguntou

"Para a casa da Debs" Jungkook respondeu

"Tá longe" Hope fez uma careta

"Podemos deixar eles lá?" Mon perguntou a Zico

"Poder podemos, mas eles vão ficar onde no carro? Não tem espaço"

Nos entreolhamos e Suga colocou a mão na testa.

"Ninguém vai sentar no meu colo, tá ouvindo?"

Alguns minutos depois...

"Só porque eu disse que ninguém ia sentar no meu colo não quis dizer que eu estava apto a sentar no colo de alguém" Suga suspirou no colo do Mon

"Fica tranquilo que isso é constrangedor para todos nós" Mon virou a cara

"Eu queria deitar" Jimin respirou fundo sentado no colo do Kook "Estou meio mal ainda"

"Pelo tiro?" Hope comentou comigo em seu colo

"E assim, que acordo é esse dos mais fracos em cima" Suga continuou falando "Desde quando eu sou fraco? Estão julgando minha magreza"

"Eu já sentei em tanto colo que já estou ok com isso" Comentei e todos me olharam estranho

"Menino sentador esse" Zico falou

Passamos por um buraco que nos fez pular e bati minha cabeça no teto

"Cuidado com as minhas coisas!" Mon falou

"Como assim cuidado?" Suga encheu a voz de ironia "E as minhas coisas encostando nas suas, acha que eu estou ok com essa situação? Meu pelo contrário meu caro"

"Tadinho do Suga" Zico brincou "Ta sentindo na pele porque o Mon é Monster"

Jungkook gargalhou e Suga levantou o dedo do meio.

"Tô mal" Jimin murmurou e Kook colocou a mão em sua testa

“Você está suando frio” falou e Mon se inclinou para frente para ver Jimin

“Tentar deitar” Mon comentou vendo seu estado

“Deitar como?” a voz do Jimin estava mais fraca

Jungkook o trouxe para seu peitoral e Jimin deitou meio relutante.

“Tenta descansar, se não melhorar vai ao médico” Mon falou e Jimin relaxou o corpo

"Se alguém comentar isso de alguma maneira pejorativa eu juro que dou um golpe só e a pessoa vai esquecer o próprio nome" Jungkook sabe ser assustador de vez em quando

"Fica tranquilo que aqui ta todo mundo na merda" Suga revirou os olhos

"Fecha os olhos Chim, pode ajudar" falei e ele o fez

"Que casais lindos que vocês são" o motorista amigo de Zico falou. Jungkook e Suga o fuzilaram com o olhar "Vocês não podem fazer nada, eu estou na direção"

"É brincadeira isso" Suga bufou

"É claro que é brincadeira, se fosse real eu estaria ai no meio com vocês" Ficamos os seis meio pensativos sobre o que ele disse

"Aquele som de disparo foi o quê?" perguntei

"Foi uma bombinha que eu tinha aqui, para deixar mais real" Zico explicou

"Sacanagem"

"O tiro do Jimin" Zico brincou, mas Jimin não esboçou sorriso "Está tão ruim assim Chim?"

"Estou passando muito mal" murmurou e Kook abriu a janela para bater um vento na cara dele

"Aguenta firme Chim, já a gente chega" o motorista ficou mais preocupado com o Jimin, assim como todos nós

 

P.O.V DEBS

"Caramba!" quase deixei  o telefone cair no chão "Mas ela está bem?"

"Sim Debie" Minha mãe falou do outro lado da linha "Foi só uma torção um pouco mais agressiva, ela já está em casa e nós estamos indo para lá"

"Vocês vão para lá? Vou também! Pego o próximo avião amanhã"

"Tem certeza filha?"

"Claro que eu tenho! Vou ligar para ela!"

"Nem adianta, acho pouco provável que ela consiga atender ao telefone"

"Nossa"

"Filha ela está bem, só está com uma tala na perna e já estamos a caminho, vamos cuidar dela"

"Vou pegar um voo assim que eu achar"

"Então nos encontramos lá! Vamos nos falando"

Desliguei o celular e respirei fundo.

"Eu acho que vou falhar miseravelmente em aprender coreano, não entendi um A do que você falou" Didi comentou no sofá comendo morango

"Não estava falando Coreano, estava falando Japonês" expliquei ainda tomada com a notícia que minha mãe me deu

"Aaaaaaaaaah"

"Minha irmã sofreu um acidente enquanto esquiava" contei a ela

"Não!" Didi se levantou e foi até mim "E como ela está?"

"Aparentemente bem, mas enfaixou a perna" coitada dela! Quando mais precisei minha irmã esteve ao meu lado num pulo, precisava agir "Vou para lá amanhã"

"Japão?"

"Não, ela está na Nova Zelândia, ela também faz intercâmbio"

"Entendi..." Didi me deu um abraço "Se precisar de algo, me liga, estarei por aqui"

"Obrigada Didi, de verdade! Estou nervosa com essa notícia, não tem como não se preocupar"

"Claro que não, é família"

Ouvimos batidas na porta e fui abrir. Encontrei Jungkook, Tae e Jimin segurando nos ombros dos dois, bem cabisbaixo.

"Ai não, o que houve?" Mais essa agora

"Ele está enjoado" Jungkook explicou ao entrar e o colocou no sofá

"Debs" Jimin me chamou e peguei sua mão

"Como você está meu anjo?" passei a mão por sua testa "O que houve?"

"Uma compilação de coisas" Tae se jogou no sofá e sorriu ao ver a Didi

"Você está todo sujo" tirei um pouco de terra que estava em sua roupa

"Desculpa" Jimin olhou preocupado para o sofá

"Deixa o sofá, quero saber o que houve com você" falei firme

"Me ajuda a tomar um banho e eu te conto"

O auxiliei a levantar e Jungkook ficou de olho.

"Eu aguento" nas horas de sufoco tiramos força de onde não sabíamos ter

"Onde está a Elena?" Jungkook perguntou

"No quarto" Apontei e ele foi direto para lá

O levei para o banheiro e acabei tomando o banho junto, não tinha como, já ia me molhar toda. Fiquei o apoiando com meu corpo enquanto o ensaboava. Jimin murmurou como havia sido todo o caminho conturbado deles e apesar dele rir, fiquei séria, estava muito preocupada com ele. A pele pálida, o jeito mole, olhos fundos, ele não estava bem. Coloquei o roupão nele e o vi fazer uma careta.

“O que foi? Está doendo?” perguntei e ele fechou os olhos “Você vai desmaiar?”

“Vou vomitar” falou e indicou que eu me afastasse

Fiquei meio sem saber como ajudar e me abaixei com ele perto do vaso sanitário. Jimin respirou fundo e me olhou de canto de olho, será que eu estava deixando ele desconfortável? Não queria deixa-lo sozinho no banheiro ainda mais no estado que estava. E se ele desmaiasse? Não podia sair. Mas realmente, ele estava sem jeito comigo ali. Eu sou a namorada dele, devíamos nos ajudar nesses instantes. Apesar de tentar se conter ele acabou vomitando. Fiquei ali só afagando suas costas. Em um momento ele parou e me olhou, estava chateado, seu olhar era muito tristonho. Ele voltou a vomitar e fiquei até sua ânsia passar. O ajudei a levantar, limpar o rosto, a boca e por fim o deitei na cama. Retornei ao banheiro e peguei uma bacia que deixava debaixo da pia e retornei ao quarto. Tirei todas as coisas da mesa que ficava ao lado da cama e as coloquei no chão, após limpar o espaço, pus a bacia lá.

“Se precisar vomitar de novo, tem isso aqui para você não precisar ir até o banheiro” falei e ele acenou com a cabeça, sua expressão era tão tristonha que me chateou ainda mais, devia estar com dor

Tirei minha toalha e coloquei um pijama, estava frio. Separei o secador e algumas peças de roupa que ele tinha deixado lá. O auxiliei a colocar as peças e ainda incrementei com uma blusa de lã que minha avó tinha feito para mim, era enorme e coube nele numa boa. Sequei seus cabelos e os penteei. Peguei minha caixinha de remédios no guarda roupa e o vi tentar levantar, mas cambalear e cair na cama.

“Onde vai?” perguntei ficando ao seu lado

Vi que estava prestes a vomitar de novo e coloquei a bacia em seu colo.

“Não quero vomitar aqui” sussurrou

“Mas não tem forças para ir até o banheiro, melhor aqui” afaguei seus ombros “Não precisa ter vergonha, só estamos nós dois”

Era isso que ele me dizia quando algo assim me acontecia e aos poucos sentia mais confiança e deixava a vergonha de lado. Queria que ele sentisse o mesmo. Depois que ele vomitou, novamente o ajudei a se limpar. Lavei a bacia e lhe dei o remédio. Ele se encolheu nas cobertas e liguei a tv. Estava tão tristonho que doía demais meu coração, já bastava ficar mal pelo que houve com minha irmã, agora isso, sentia minhas forças se esgotando e uma vontade imensa de chorar. Me deitei ao seu lado prestando atenção em qualquer sinal que ele desse que fosse passar mal de novo, mas não aconteceu.

“Está melhor?” perguntei acariciando sua cabeça

“Uhum” murmurou

“Não fica triste, agora é ruim, mas depois passa” tentei confortá-lo

Jimin elevou o corpo e se sentou, apoiado nos travesseiros

“Desculpa... por ter visto tudo” falou segurando minha mão “Não queria que tivesse acontecido isso”

“Não foi nada de mais, vi coisa pior na balada com amigas minhas” sorri e ele continuou com a feição triste “Ah não fica assim, está tudo bem”

“Você não se importou mesmo?” perguntou sério

“Claro que não! Isso acontece, não tenho nojo de você” me alinhei perto dele e lhe dei um beijo na bochecha “Te amo bolinho” finalmente o vi esboçar um sorriso fraco

“Eu também te amo” sussurrou

O abracei e ele apoiou a cabeça perto dos meus seios, onde adorava ficar

"Vai passar" murmurou e fiquei acariciando sua cabeça

Fechei os olhos, sentindo o calor de nossos corpos nos energizar.

 

P.O.V ELENA

Vozes no corredor e duas batidas na porta, já sei bem quem é. Levantei para abrir e Apolo ficou sem jeito na cama por eu ter acordado ele com minha movimentação.

"Oi" Jungkook disse após eu abrir a porta

"Oi" respondi mansa

"Você está bem?" perguntou fechando a porta

"Estou mais ou menos"

"Yug me contou Elena, joga tudo em mim, sei que deve estar puta"

"Não tô puta, só fiquei chateada" me sentei na cama e ele sentou ao meu lado receoso

"Como você está se sentindo… com tudo isso..."

"Eu fiquei brava com a Jennie, ela te insultou duas vezes na noite, na segunda foi quando ela jogou aquelas merdas em mim. Tipo eu sei que você queria fazer aquilo comigo..."

"Não!" ele me interrompeu e eu coloquei o dedo em sua boca

"Queria! Tanto que quando fomos para o banheiro você quase fez, mas a questão é como seus amigos enxergaram isso, como caçoaram de mim e difamaram você" Jungkook ficou quieto enquanto eu falava "Nós dois queríamos muito, mas não é o que rolou entre a gente que foi o problema e sim como isso chegou nos outros, como se você só quisesse me..." não terminei a frase com nojo de pronunciar as palavras que mais cedo foram jogadas para mim

“Eu queria ficar com você” Jungkook segurou minha mão

“Eu sei que você tinha sexo em mente, estava bem claro” murmurei

“Mas não era só isso, se você me dissesse que só queria conversa, ficaria a noite toda conversando com você”

“Você sabe como veem as estrangeiras aqui né?” o interrompi “Sabe das histórias? Dos apelidos? Das fotos? Deve saber porque eu sei e se chegou em mim, certeza que chegou em você”

“Sei...” murmurou baixo

“Eu não transei com você porque fui fácil... eu me apaixonei... rápido demais”

“Elena”

“Me deixa terminar!” falei firme e ele se calou “Foi tudo muito rápido, a forma como eu me senti, mas isso não quer dizer nada, não me diminui”

“Eu sei disso! Eu não falei nada daquilo, ele entendeu errado! Sério!”

"Yug me mandou uma mensagem explicando isso”

“Eu nunca disse que você era fácil, nunca me gabei por você ser estrangeira” ele estava bem nervoso, dava para perceber em sua voz, mas também parecia muito sincero

“Isso é muito sério... não gostei de ouvir aquilo e por mais que tenha sido tudo um mal-entendido em algum momento isso foi colocado na roda como verídico e me deixa chateada”

“Você acredita em mim?” perguntou sério

“Acredito” balancei a cabeça e apertei sua mão “Eu confio em você, mas não gosto de ver as pessoas falando merda da gente, não merecemos isso"

"Achei que ia querer me matar, não atendeu meus telefonemas" suspirou

"Meu celular está carregando e eu fiquei deitada com o Apolo, tipo, não vou negar que as palavras eram agressivas demais e só de imaginar você pronunciando elas eu ficava muito mal, mas não condizia muito contigo falar aquelas coisas"

“Não falei!” passou o braço ao meu redor, me trazendo para perto dele, e beijou minha testa "Obrigada por não ter surtado antes de me ouvir e por confiar, achei que te encontraria aqui prestes a terminar tudo"

"Não..." murmurei rindo "Eu ia conversar"

"Conversar jogando coisas em mim" ele riu "Mas de verdade, que bom que conseguimos nos resolver... com uma conversa amigável"

"É algo novo para mim também" sorri e me encolhi em seu aconchego 

 

P.O.V TAE

"Que noite excitante!" Didi exclamou quando terminei de contar tudo

"Foi né! E vocês? Fizeram o quê?"

"Ficamos conversando" ela deu de ombros

"Sobre?" brinquei com sua mão

"Nada de mais..." brincou de volta

Peguei a mão dela e comecei a massagear, ela deitou a cabeça em meu ombro.

"Você gosta de massagem?" perguntei

"Difícil achar quem não gosta" falou manhosa

Virei o rosto e a beijei de leve, nossas mãos brincavam juntas assim como nossas línguas. Didi percorreu a outra mão livre por minha nuca, onde passou a afagar com delicadeza. Senti um arrepio e me virei, agarrando sua cintura e a trazendo para perto de mim. Ela apertou meu braço e nos movimentamos em conjunto. Pera! NÃO!

"Não!" a empurrei com tudo e ela caiu do sofá chocada

"Desculpa!" Droga, não era para ela cair "Desculpa mesmo, é que eu me vomitei todo e não lavei a boca"

Didi me olhou chocada e já senti que ia me xingar, mas não, ela começou a rir, gargalhar. Acabei rindo junto, mas estava com nojo.

"Já volto" fui até o banheiro limpar a boca

Voltei e ela ainda estava jogada no tapete rindo.

"Você acha engraçado?" baforei na mão e senti meu hálito

"Foi engraçado" ofereci minha mão para ela sair do tapete, mas ela que me puxou e cai em cima de seu corpo

"Desculpa" ri da cena e rolei para o lado para não deixar meu peso em cima dela

“Ta tudo bem” riu se virando de lado e me olhando

“Será que tem algum colchão sobrando por ai?” me virei também

“Não sei” respondeu “Mas eu durmo de boa nesse tapete”

“Eu também” bocejei e ela bocejou em seguida

“Acho que eles não vão voltar” Didi deduziu

“Também acho” me levantei

Tirei a mesa de centro, peguei umas almofadas e nos deitamos com a manta que estava no sofá. Com a luz apagada, a única coisa que iluminava o ambiente era a iluminação que vinha da varanda. Ficamos conversando sobre suas tentativas de tentar aprender coreano. Comentei com ela algumas dicas e fui ficando ainda mais sonolento. Me levantei uma hora e fui checar como o Jimin estava. Ao abrir a porta do quarto encontrei a Debs e o Jimin dormindo profundamente. Desliguei a TV e puxei a coberta para cobrir mais eles. Em seguida fui para o da Elena e não ouvi nada lá, deduzi que os dois também já estivessem dormindo. Retornei a sala e Didi estava mexendo em seu celular. 

"Está com frio?" perguntei

"Um pouco" ela respondeu guardando o aparelho

"Queria pegar mais algumas cobertas" 

"Eu vi a Debs guardando uma hoje mais cedo" ela se levantou

"Onde?" 

"No guarda-roupa" ela deu um sorrisinho de canto

"Será que fica chato eu ir lá e pegar?" comentei sorrindo também

"Eu não acho" Didi deu de ombros

Entrei no cômodo com muita cautela, procurando fazer silêncio e não acordar os dois. Didi veio comigo e me auxiliou a pegar duas cobertas bem grossas, para garantir que não passaríamos frio a noite. Voltamos para a sala e percebi que estava sujo demais, me senti mal, não queria dormir assim.

"Vou tomar um banho" comentei

"Eu te espero" ela respondeu e fui para o banheiro

O banho foi bem relaxante, mas depois ficou a duvida, que roupa eu ia colocar?

Vi um roupão branco pendurado e o peguei, depois me explicava com a dona ou dono dele. O prendi bem firme para não correr o risco de soltar enquanto dormia, afinal de contas, não tinha nada por baixo.

Didi estava sentada no sofá de olhos fechados e boca entreaberta, dormia tão calmamente que me dava dó de mexer nela, mas na posição em que estava, era certo que acordaria cheia de dores. Coloquei uma almofada lá na ponta do móvel, a deitei e a cobri. Por sorte ela não despertou.

Me deitei no tapete exausto e pronto para hibernar. Senti uma mão pegar na minha e abri os olhos assustado, vai que era um espírito! Mas era apenas Didi com o braço para fora do sofá. Respirei fundo e finalmente consegui me desligar.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...