História O trágico 7 de dezembro de 1941. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Guerra, Original, Pearl Harbor, Romance, Tragedia
Visualizações 3
Palavras 4.012
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capitulo Único


Meu nome é Mahina Kai sou nascida no dia sete de dezembro de 1918, sou do Havaí e nunca sai daqui, conheço todo mundo que mora perto dessa base chamada Pearl Harbor e posso dizer com toda certeza que aqui é um lugar muito lindo, meus pais nunca se interessaram por nenhum lugar, eles saíram da Inglaterra e nunca mais voltaram, tenho 23 anos e sou jornalista, conheci um homem muito lindo chamado Bruce Kalel ele é da Califórnia e têm 25 anos, seus olhos são verdes e seu maxilar é quadrado, seus lábios são grossos e a testa é carregada de linhas, seus cabelos tem um tom de caramelo e é dividido ao meio, ele tem os lindos olhos estreitos e tem longos cílios também uma linda pinta no pescoço, ah ele me enche de desejos que nunca tive por ninguém Bruce me convenceu a tomar um lanche com ele. Estou me olhando no espelho da minha penteadeira meus cabelos negros estão me obedecendo hoje e o deixo ondulado, prendo as laterais, meus lábios estão vermelhos por conta do batom, hoje é dia nove de setembro de 1941, estou mais que pronta para a vinda de Bruce. Estou com borboletas no estomago e elas querem voar, escuto o toque de uma buzina e olho pela janela, é o Bruce!

     Corro até a porta e paro por uns segundos respiro fundo e solto todo ar pela boca, abro devagar a porta e sorrio ao vê-lo – Senhor Kalel – tento ser o mais formal possível.

                – Por favor, Mahina me chame de Bruce – ele insiste igual a ultima vez.

                – Entendi Bruce – entro no carro e ele sorri dando-me um beijo na bochecha – conseguiu sair da força armada hoje com sucesso – sorrio e ele também, dando partida com o carro e indo direto para a cidade.

                – O que pretende fazer esse final de semana senhorita Kai? – foi à vez dele, abaixo a cabeça e sorrio.

                – Me ganhou... Chame-me só de Mahina e só te chamarei de Bruce – ele ajeita os óculos de sol no rosto e sorri, foi então que percebi seus dentes da frente na parte de cima tem uma pequena separação – nossa... – ele percebeu e parou de rir escondendo seu lindo sorriso – você tem um lindo sorriso – Bruce volta a sorrir.

                –Obrigado – ele me encara por longos segundos e sinto as borboletas, nos aproximamos, com seus dedos ásperos e grossos ele acaricia minha bochecha, fecho os olhos lentamente. Sinto seus lábios quentes e grossos, sinto sua língua caminhando por minha boca, desprendo meus lábios aos poucos e abro lentamente os olhos, sorrio e ele também – nossa – ele sussurra após o beijo – você realmente é uma dama incrível. Vamos? – concordo com a cabeça, saímos do carro e entramos em uma pequena lanchonete, ao entrarmos sentamos em uma mesa com banco estofado – o que quer?

                – Ovos com bacon, salada, um suco de manga e depois um bolo – digo olhando para o cardápio e depois olho para a garçonete, ela anotava tudo e encarava Bruce.

                – Vou querer o mesmo que ela – a garçonete sorri e pisca para o mesmo, me deixando boquiaberta.

                – Terei que disputar por você senhor Bruce – sorrio para ele

                – Não será necessário – ele me encara, seus olhos brilhavam como a lua, abaixo a cabeça envergonhada – olhe para mim – ele pede e eu o encaro – você é muito linda – ele se joga no banco e suspira.

                – Esta passando mal senhor Bruce? – brinco e sorrio, ele me encara e puxa minha mão delicadamente ele a beija – Esta me deixando sem jeito – sinto o sangue subir para meu rosto e se concentrar na bochecha.

                – Não sabia que causava esse efeito e você... No entanto você causa um furacão dentro de mim, eu fico louco – eu o encaro e logo a mesma garçonete traz nossos pedidos, junto deixa um papel dizendo para encontra-la no fundo da lanchonete, Bruce que encarava a garçonete, sorri, rasga o papel, deixa na mesa e depois pega em minha mão.

                – Fez isso para mostrar que esta comigo ou depois vai atrás dela? – pergunto um pouco enciumada.

                – Ah senhorita Mahina, você é a única que meus olhos conseguem enxergar o amor, quando cheguei aqui na semana passada e te vi foi como se não existisse mais nada, apenas você com seu rosto angelical e quando eu vi estava preso a você, como se não quisesse mais sair do seu lado – Bruce está ficando vermelho e de repente ele abaixa sua cabeça.

                – Bruce... Estou sem falas, você é o primeiro e o único por quem tenho esse sentimento, vamos me olhe – ele me encara, está totalmente vermelho, dou um selinho em seus lábios e o encaro passando o polegar em sua bochecha – acho melhor nós comermos, a comida vai gelar – saio da sintonia, pois estava com fome, e começo a experimentar meu pedido e realmente eles capricharam na comida, esta excelente que delicia – isso aqui esta muito bom!

                – Verdade, realmente eles mandaram bem – ainda me encarando Bruce continua a comer. Nossa tarde foi assim, Bruce e eu comemos e ele fez questão de pagar a conta, depois fomos ao parque mais próximo e contemplamos o céu – é tão lindo opor do sol, já viu voando? – balanço a cabeça negativamente e ele sorri – um dia vou te levar em segredo, vai ser nosso segredo – deito em seu peito e assim contemplamos a vista juntos, ao anoitecer nós jantamos juntos num restaurante muito conhecido daqui por suas deliciosas comidas.

                – Bruce... Quer conhecer meus pais? – estou totalmente insegura, e se ele disser que não, ou que é muito cedo?

                – Eu adoraria conhecer eles, sua mãe deve ser uma moça muito linda e seu pai um belo garanhão.

                – Por que acha isso?

                – Porque eles tiveram um anjo e não uma pessoa – fico sem jeito novamente e abaixo a cabeça – então... Eu vou chamar os meus pais para virem pro Hawaii, bem pra cá onde estamos, vai conhecê-los também e esse dia será muito especial!

                – Se diz – brinco e sorrio. Bruce me deixou em casa, talvez o convide para entrar numa próxima vez, sento-me em minha cama ainda pensando nele, tão lindo e gentil ao mesmo tempo, ele nem parece ser um Major.

    O dia estava lindo para uma ótima comemoração, eu e Bruce estamos comemorando uma semana de namoro, e nada mais justo fazer uma grande noite especial de namoro. Hoje é dia 16 de setembro, uso um lindo vestido vermelho e meus lábios combinam com o vestido, meus cabelos estão ondulados como sempre, ouço o toque da campainha e corro até a porta, as borboletas novamente – querido. Como esta lindo – perco o ar quando o vejo vestido com suas roupas do trabalho – uau.

                – Disse que hoje seria um dia muito especial!

                – Vai me levar para ver o por do sol? – ele concorda com a cabeça, dou pulinhos e o abraço – obrigada – sorrio e o beijo – vamos?

                – Sim minha dama! – entramos no carro de Bruce e fomos até a aeronáutica, lá ele esperou um tempo e correu comigo até um dos aviões, ele é apertado então tive que sentar no colo de Bruce, ele pediu para que eu me abaixasse ninguém poderia me ver se não estaríamos ferrados, ao decolar eu me arrumei e vi o sol, alaranjado, olhei para Bruce: –uau... É realmente lindo, como se estivesse vendo Deus abraçando seu filho assustado, Bruce eu te amo – foi realmente a primeira vez em que disse isso, pude escutar seu sorriso soprado e fiquei novamente envergonhada.

                – Eu também te amo! – minhas bochechas queimam e eu sorrio. Então o dia se foi e a noite chegou, corremos para fora de lá para não sermos pegos, e ao chegar em casa, com tudo escuro contemplo seu rosto que apenas a luz da lua iluminava, passo o polegar em seu rosto e arrasto até os lábios dando-lhe um beijo quente, sinto seus dedos acariciarem minha pele com calma, como se estivesse me endeusando, com leveza Bruce beija meu pescoço e com minha ajuda ele tira meu vestido, nossos corpos estavam queimando. O desejo ardente de dois corações apaixonados numa noite de lua cheia. Ao amanhecer pude escutar os sons dos pássaros e mal pude acreditar que ali do meu lado dormia o homem da minha vida, só então percebi que sorria abobada para ele, então o telefone toca ainda despida vou atende-lo – Mahina Kai com quem falo?

                – Filha é a mamãe como esta ai?

                – Esta tudo bem mãe e como você e o papai estão?

                – Estamos bem, podemos jantar hoje em sua casa?

                – Sempre que quiserem, alem do mais eu tenho alguém para apresentar.

                – Um homem!... Kaleo, Kaleo...Mahina esta namorando! – pude escutar ela chamando por meu pai, sorri pelo telefone.

                – Preciso desligar, até – olho para trás e vejo Bruce se levantando – bom dia – caminho até ele e o beijo.

                – Que isso? Um anjo? – sorrio e o encaro.

                – Bobo – bagunço seus lindos cabelos lisos – meus pais virão aqui para jantar e você esta convidado.

                – Oba, finalmente vou conhecer a sua família – ele sorri e se levanta, colocando sua roupa.

                – Já vai? – ele concorda com a cabeça – tão cedo – faço biquinho.

                – Tenho que treinar um bando de marmanjo – ele gargalha – eu prometo que volto antes dos seus pais chegarem – ele me da um beijo quente e depois um na testa, saindo porta a fora, já eu fui direto para o jornal, hoje tem trabalho. Se aproximando das 18:00 horas, sai do trabalho. Já passei no mercado e comprei tudo que tinha para o jantar. Bruce estava em casa sentado no sofá.

                – Como entrou?

                – Devia arranjar um lugar melhor para esconder suas chaves, boa noite meu anjo – sorrio e deixo as sacolas na mesa – vou te ajudar no jantar!

                – Além de tudo prendado! Não tem como não amar – sorrio o beijando – meu lindo. Comecei a preparar o jantar e Bruce me ajudou com tudo, ele me encarou o tempo todo e seu sorriso bobo nos acompanhou junto – está pronto – após dizer tais palavras pude escutar a campainha da casa ser tocada – olha! – aponto para a porta e encaro Bruce que estava muito ansioso –chegaram – corro até a porta e a abro, minha mãe segura um buque de rosas amarelas, meu pai estava logo atrás – mamãe – sorrio e a abraço – papai – faço o mesmo que fiz com minha mãe, ao falar nela quando me virei ela estava estática parecia uma pedra olhando intensamente Bruce – mãe?

                – Minha filha que homem lindo, parece um Deus – minha mãe diz em um bom tom, já Bruce fica tão envergonhado que seu rosto parece um enorme pimentão, gargalho com sua cara e ando em sua direção.

                – Mãe e Pai este é Bruce Kalel e ele é meu namorado – meus pais o cumprimentam. Nunca o vi tão envergonhado por ser chamado de Deus tão fofo!

                – Então vamos jantar?

 

 E assim a noite se passou e Kalel conheceu meus pais, passamos mais uma noite juntos provando de nossos corpos, uma semana se passou e Bruce andou muito com os meus pais já que eles decidiram passar uma temporada aqui até meu aniversário Kalel disse que tem uma surpresa para mim e que virá esta semana, o que é eu já não sei. Hoje é terceira feira e a tal uma semana prometida de Bruce já se passou. Tenho dormido com ele todos os dias e eu amo ficar do lado dele é como um imã, não da para desgrudar! A tarde foi longa pois o jornal não descansou hoje e ainda tive que sair mais tarde do trabalho, estou exausta e ainda tenho que caminhar até em casa, acabo de sair do jornal e vejo o carro de Bruce, mas ele não esta dentro, olho para os cantos e percebo que não o vejo em lugar algum, caminho até um restaurante próximo e o vejo com uma mulher mais velha que ele,e trocam caricias. Não acredito que ele esta me traindo com uma mulher velha, Bruce olha para mim e sorri, que ódio! Preciso sair daqui! Corro para o mais longe daqui e as lagrimas me acompanham, sinto uma mão grossa apertar meu pulso e sou puxada, encaro a pessoa e vejo que é Bruce – o que aconteceu querida?

                – Não me chame assim! Esta me traindo com uma mulher mil vezes mais velha que eu – meu coração aperta e eu choro mais ainda – por que, Bruce?

                – Acho que entendeu errado amor – ele gargalha e eu não entendo sua graça – ela é minha mãe, era essa a surpresa – meu coração se acalma e eu o abraço chorando mais ainda.

                – Me desculpe, por favor!

                – Esta tudo bem, vamos conhecer meus pais!

   O pai de Bruce se parece com ele só que mais velho, é lindo igual e sua mãe realmente se parece com um anjo, com seus olhos azuis e seus cabelos encaracolados, a pele ainda tão durinha não aparenta ter a idade que tem, ah que beleza esplêndida, Bruce como sempre não tirou os olhos de mim e eu me sinto mais protegida quando ele esta por perto, eu realmente o amo...

   Hoje é dia cinco de outubro... Minha regra esta atrasada e eu sinto enjoos todos os dias, comprei meu teste de gravidez e ainda espero pela resposta, Hana esta aqui do meu lado e esta mais alegre que eu – mal posso esperar para ter um sobrinho – é uma amiga, mas a considero como uma irmã e ela também.

                – Estou desesperada e se Bruce não gostar?  - pego o teste que depois do tempo esperado já havia revelado eu realmente estou grávida, Hana pega o teste da minha mão e da pulinhos, o telefone toca e eu corro para atender – Mahina Kai, pois não?

                – Querida podemos nos ver hoje? Um jantar? – ao escutar essa voz quente e tranquila fecho os olhos e relaxo dando um sorriso.

                – Sim, aonde vamos?

                – Já ouviu falar no restaurante Magnus? – concordo – então vamos para lá! Tenho algo para te contar.

                – Eu também – gaguejo. Ao desligar fico mais nervosa do que antes encaro Hana que sorria.

                – Vai contar para ele? – concordo com a cabeça – o filho de vocês será um anjo, ambos são lindos!

  A noite chegou e deixou o céu escuro, a lua ilumina a noite junto com as estrelas, uma verdadeira obra de arte. Aquela buzina já conhecida por meus ouvidos soa mais uma vez em minha porta e novamente o coração dispara, bem arrumada saio pela porta e sorrio ao ver o homem de minha vida lindo com sua blusa havaiana e suas calças brancas, lindo como sempre! Bruce e eu passamos o caminho todo nos divertindo e rindo das coisas, nos apaixonando cada vez mais. Ao chegarmos ao restaurante fizemos nossos pedidos e ao terminamos continuamos a conversar Bruce se levanta: – eu sei que é muito pouco tempo e que somos jovens com muitas oportunidades e muita coisa a viver, mas hoje é um dia mais que especial – ele se ajoelha e automaticamente eu levanto – case-se comigo, não lhe prometo o mundo, mas lhe prometo todo o meu amor por todos os dias – é um lindo anel com uma pedra branca na ponta, sorrindo concordo com a cabeça.

                – Sim meu amor – ele põe a aliança no meu dedo e todos nos aplaudem – Bruce – agarro seu rosto – eu estou grávida – os olhos dele brilham intensamente e se abrem arregalando-se seu sorriso engrandece.

                – Repete? – assim eu repito – meu Deus – ele me agarra e me abraça fortemente – eu te amo – se agacha – papai ama – beija minha barriga varias e varias vezes, olho ao redor e as pessoas se emocionavam ao ver a nossa cena. Ao irmos para casa Bruce entra: - irei tomar um banho – o encaro – quer vir?

                – Pode machucar o bebe!

                – Quem disse que vamos fazer algo? – o encaro – você é muito safado senhor Kalel – gargalho – só quero ter um momento nosso – o beijo e ele concorda de olhos fechados – vamos.

   O melhor da vida é encontrar alguém só pra você, no banho eu pude sentir nossa conexão é como se fossemos um só, as gotas de água que caiam contra nossos corpos fazia com que tudo ficasse mais mágico, é tão bom ter algo seu e sabe que é corespondido, Bruce e eu nos deitamos e ficamos seus olhos brilham e seu sorriso bobo me torna mais derretida por ele acho que eu encontrei minha metade – eu te amo – sussurro e ele sorri passando o polegar em meu rosto.

                – Eu também – ele me beija, encostamos nossas testas e assim ficamos até o sono vir nos visitar. O amanha já chegou acordo e confusa não vejo meu noivo do meu lado, no ar esta o aroma de café e torradas, sento-me na cama e olho para a porta Bruce está vindo com o meu café – café na cama porque minha princesa merece – sorrio e o encaro.

                – Você é o único – gargalho – obrigada meu amor –  o olho com admiração e muito amor  e vejo que sou correspondida, nada melhor do que receber isso. A semana se passou e Bruce não desgrudou de mim ele tem dormido quase todos os dias aqui em casa e eu até convidei ele para morar aqui, ele me disse que irá parar de pagar o hotel onde ele estava hospedado e ira vir para cá. Vamos contar para nossos pais sobre o casamento e o bebê na semana que vem. Hoje é dia nove de outubro e chamamos nossos pais para um jantar, preferimos em casa, pois saberíamos que será um barulho e tanto quando descobrirem, meu nervosismo é grande meu estomago esta borbulhando, uau, compramos o jantar e arrumamos a casa, Bruce já esta morando aqui faz cinco dias e realmente nos damos muito bem, estou com um vestido preto e meus cabelos estão presos, a campainha toca e eu encaro Bruce que sorria, abri a porta e estavam os quatro lá, meus pais e os de Bruce. Deixo todos entrarem e antes mesmo de servimos o jantar, fiz questão de reunir todos na sala de jantar – bom chamamos vocês... Para noticiar que – o encaro e o mesmo me da à mão – Bruce e eu vamos nos casar – todos começaram a festejar.

                – Mas como isso aconteceu, conta! – mamãe diz empolgada.

                – Chegou minha vez de falar – Bruce se levanta da poltrona – já fazia uma semana que eu estava empolgado, eu queria muito me unir com Mahina até porque ela é a mulher da minha vida, eu comprei um lindo anel de brilhante e fiquei com ele durante uma semana, inseguro talvez por ela pensar que seria muito cedo, marcamos de jantar num restaurante e depois de comermos eu me ajoelhei diante de todos e a pedi em casamento, depois que ela aceitou me deu a noticia de que esta grávida... Vamos ser papais e vocês vovós!  - todos congelaram, sorri ao ver a cara dos quatro, eles se levantaram e nos abraçaram, estavam tão animados. O jantar foi maravilhoso ficamos horas e horas falando de como é bom ter filhos e sobre bebes e casamento, foi uma loucura todos animados e felizes com as noticias. Bruce e eu decidimos casar depois que nosso filho nascer, assim vai ser mais fácil e menos conturbado, não seria fácil ter que tomar conta dos preparativos para um casamento e ao mesmo tempo para a vinda de um bebe... 25 de novembro, estamos bem perto de o ano acabar, todos entusiasmados para o novo ano e para o natal ouvi dizer sobre as ameaças do Japão conta os EUA, mas acredito que tudo vai acabar na paz eu creio que a paz sempre vence e ouvi dizer que eles estão num bom acordo de paz, Bruce e eu estamos montando o quarto do bebe, tudo bem que eu não sei o sexo, mas decidimos fazer tudo de branco e marrom assim quando nosso amorzinho nascer ele terá um lindo quarto em sua espera, minha barriga ainda não cresceu, mas sinto tudo ficar estranho, meus peitos estão crescendo!

        Amanhã é o meu aniversario, dia sete de dezembro de 1941, Bruce esta preparando uma festinha, ah sim minha barriga já esta começando a tomar forma, eu me sinto tão estranha e no sentindo bom, tenho um sensação ruim no coração como se algo fosse acontecer – o que foi meu amor? – Bruce me tira desses pensamentos.

                – Só um sentimento ruim.

                – Amanha é seu aniversario minha linda – ele sorri e eu sorrio junto – isso quero ver esse sorriso hoje, amanha e para sempre – ele me beija.

       Acordamos com um barulho imenso, eram aeronaves – Bruce essas aeronaves, treinando tão cedo!

                – Deixe eles querida, estão querendo mostrar que são bons só isso! – entramos em casa e ao pormos os pés na sala escutamos um enorme barulho e o chão tremeu, olho pela janela e vejo que as aeronaves estão bombardeando o local – BRUCE – grito por ele.

                – Tenho que ir para a base!

                – Não, por favor, não quero te perder! – eu o abraço, sinto meus olhos queimarem e as lagrimas tomam conta do meu rosto, meu coração esta apertado.

                – Acima de tudo eu te amo!

                – Me deixe no hospital, eu também sou médica! – ele concorda com a cabeça e a sensação ruim só aumenta, meu coração esta apertado e eu sei que esse será o pior dia da minha vida!  Eles começaram a fuzilar nosso carro e foram embora.

                – Vamos o carro vai explodir! – Bruce me apertou em seus braços e assim começamos a correr, um estrondo alto tomou conta do lugar e eu senti um enorme peso.

                – BRUCE! – ele me encara – minha perna! – eu não estava sentindo minha perna esquerda, ele arregala os olhos e me pega no colo.

                – Vai ficar tudo bem – sua voz sai tremula – eu preciso te levar pro hospital – encaro-o sem saber o motivo e olho para minha perna, abaixo do meu joelho havia desaparecido.

                – Bruce, minha perna – fico desesperada, ele me pede para ficar calma e perto da escadaria do hospital vejo a aeronave – BRUCE – grito, mas não deu tempo, eles estavam fuzilando tudo, ele me deixa no chão e fica por cima de mim, as aeronaves passam e ele me levanta, carregando-me até o enfermeiro próximo, Bruce estava sangrando um enfermeiro me colocou na maca e só assim pude ver ele com o peito todo furado – BRUCE, BRUCE – tudo fica escuro...

 

  Acordo e vejo que estou no hospital, encontro-me com Rose uma das minhas melhores amigas – Rose o que aconteceu? – meu peito estava apertado – isso tudo é um pesadelo?

                – Não –ela abaixa a cabeça – Mahina você perdeu sua perna, apenas abaixo do joelho.

                – Cadê o Bruce? Como esta o meu bebe? – minhas lagrimas já faziam parte de mim.

                – O Bruce morreu te trouxe aqui, ele foi fuzilado por um dos aviões do Japão, morreu na porta após te entregar para o Bob – meu coração gelou – você perdeu o bebê... Seus pais estão mortos e seus sogros também morreram, todos foram fuzilados pelos japoneses, eu sinto muito – todo mundo? Eu estou sozinha? Meu amor morreu, nosso fruto morreu, meus pais morreram e os pais dele também? Por que sobrou só eu? Eu deveria ter morrido, eu tentava gritar, mas não saía nada apenas o silencio do meu sofrimento... Amanheceu o dia mais cruel da minha vida, hoje eu vou enterrar cinco corpos, hoje eu vou enterrar minha família e acabar com os meus sonhos, Bruce agora descansa, mas me deixou e nosso filho também eu vou ficar sozinha...

 

  Mahina Kai enterrou sua família, reaprendeu a andar, e escreveu artigos e mais artigos no jornal, sobre como era difícil viver sozinha ou acontecimentos tristes, ela ficou parte da sua vida sozinha até que na sua velhice decidiu adotar uma criança, o menino se chama Bruce Kai Kalel, ele tem os olhos do seu único amor, alguém que já pode chamar de seu, alguém que morreu para salvar seu grande amor, ela passou maior parte do seu tempo viajando e trocou seu nome para Mahina Kai Kalel, ela nunca se esqueceu de quem a fez feliz e escreveu romances trágicos vendendo milhões e milhões de cópias, antes Bruce fazia seus dias brilharem mais e as manhãs serem mais lindas, e as noites serem mais quentes, tudo acabou no dia do seu aniversario o trágico sete de dezembro de 1941.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...