História O Último Amanhã. - Capítulo 15


Escrita por: e Darkizinho

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse Zumbi, Death Fic, Fim Do Mundo, Lesbicas, Romance, Suspense
Visualizações 16
Palavras 661
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Científica, LGBT, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Um pouquinho de calmaria pra vocês kkkkkk.

Capítulo 15 - Capítulo Quatorze.


Como previsto, no dia seguinte a perna de Chloe estava melhor, apenas a ajudei a colocar um protetor e passar um gel pra que ela não sentisse tanta dor. 

A vi mexer em algo ao lado de sua cama, sabia que minha namorada sempre tem algumas coisas guardadas que me fazem até assustar um pouco, - só pra ter ideia, na casa dos meus sogros, ela tem uma coleção de lâminas - mas pela primeira vez não era nada demais, Chloe pegou dos rádios daqueles comunicadores e jogou para o amigo.

- Qualquer coisa chama, certo? Se precisarmos de algo eu vou chamar também, fica com sua arma pronta.

- Certo! Boa sorte. - Olhou pra nós duas, Chloe sorriu lhe dando um cascudo, contive uma risada achando extremamente fofo a amizade deles. - Voltem vivas, e inteiras.

- Eu quem diga! - Minha namorada rosnou. - Tente sobreviver sem mim. 

Assim que saímos, a grisalha me puxou carinhosamente pela cintura, me beijando carinhosamente, suspirei bem baixinho contra seus lábios a abraçando com força. Me afastei levemente para olhar em seus olhos, sabia que ambas estávamos com medo, sorri de leve tentando a acalmar.

- Eu te amo, toma cuidado. - Sussurrou.

- Eu também te amo, e, por favor, você também tome cuidado.

A beijei novamente, tinha tanto medo de perder minha namorada que nem queria deixar que ela fosse. 

Chloe pegou uma faca que tinha em sua cintura, me olhando como um comando silencioso para que eu fizesse o mesmo, a grisalha abriu a porta com rapidez, um deles que estava tentando a pegar pelo vidro, caiu no chão perto de mim, rapidamente cravei minha faca em sua cabeça, me levantei num pulo vendo minha princesa anular outra daquelas coisas. Vi um de seus dedos pousar sobre os lábios como se dissesse pra que eu ficar em silêncio, assenti de leve, por sermos criadas na floresta, com caçadores, era mais fácil para nós andarmos quietas, anulando aquelas coisas realmente se fosse preciso, provavelmente por isso minha namorada pediu para o amigo ficar no quarto.

- O refeitório é em outro prédio. - Arrepiei inteira ao ouvir a voz rouca, sussurrada em meu pescoço. - Tem uma passagem, como um corredor, a gente vai por lá, me segue. 

Assenti de leve, Chloe fez um carinho de leve em minha mão como se me dissesse para que eu ficasse calma. Observava ao redor enquanto seguia minha namorada, aquela faculdade enorme, em silêncio, com apenas gemidos de infectados, arrepiava cada parte do meu corpo, sangue das paredes ao chão, alguns corpos mortos - que tomávamos extremo cuidado, afinal, poderiam ser infectados parados - e partes de corpos espalhadas. Quis vomitar, o cheiro podre só piorava tudo, mesmo que conseguíssemos comida, eu sabia que provavelmente não conseguiria comer por um tempo, porque, caralho, eu sentia um bolo no meu estômago.

Tinha plena certeza que, assim que conseguisse, vomitaria tudo o que tinha - ou melhor, não tinha - no estômago.

- Está pronta? - Sussurrou, mal tinha percebido que havíamos conseguido ir sorrateiramente para a porta. - Quando eu abrir, provavelmente vão ter mais. - Eu praticamente lia seus lábios de tão baixo que ela dizia, apenas assenti. - Toma cuidado, tem placas dizendo onde é o refeitório, se eu não te seguir, vai sem mim, se eu não aparecer de novo... - Chloe respirou fundo.

Meu coração quebrou ao vê-la dizendo que se ela sumisse, provavelmente estaria morta ou teria virado uma daquelas coisas. Mesmo querendo chorar, assenti. Ganhei um beijo na testa, mordi o lábio inferior com força tentando me acalmar, sua mão tocou meu rosto, um carinho rápido, mas que me acalmou quase instantaneamente.

Chloe abriu lentamente a porta, confesso que estava completamente assustada, mas eu faria de tudo para protegê-la. Não iria deixar minha namorada morrer, depois de ver aquela coisa quase matando-a, eu percebi que precisaria ser forte naquele fim de mundo.

E era isso que eu seria.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...