História O último cara legal... - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chanyeol, Exo, Hetero, Kim Junmyeon, Kim Minseok, Oh Sehun, Park Chanyeol, Sehun, Suho, Universidade, Xiumin
Visualizações 33
Palavras 1.186
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EAÊ, POVUS?
A história de hoje é uma ideiazinha bem clichêzuda que eu sempre tive vontade de escrever e até fiz um pseudo-resumo caso fosse desenvolvê-la no futuro, coisa que estou tentada a fazer, a depender da opinião de vocês, que lerem.
Por ser um enredo previsível - provavelmente -, eu fico meio "assim" de trabalhar numa short ou longfic.
Porééém, eu pretendo trazer mais duas (talvez três) OS's sobre essa trama.
E sobre as capas KKKKK, eu sei que não ficaram obras primas, mas foi o que consegui fazer e TINHA que ser essa versão pecaminosamente sensual do Sehun-ah <3
Eu fiz as duas e fiquei indecisa, então, como deu empate entre elas (de acordo com as opiniões que me foram dadas), resolvi colocar as duas.
(OBS: GYH, ME RESPEITE, EU SEMPRE LEVO EM CONSIDERAÇÃO TEUS GOSTOS, TÁ VENDO? Kkkk)
Enfim, sem mais delongas, vejo vocês nas notas finais!

Boa leitura!

Capítulo 1 - Capítulo Único: ... Só que não.


Fanfic / Fanfiction O último cara legal... - Capítulo 1 - Capítulo Único: ... Só que não.

 

 

O  Ú L T I M O  C A R A  L E G A L

# P R O J E C A 9

 

 

        Saltos altos batucavam melodiosamente no chão, alguns dos passos sendo abafados pelos trechos de grama do pátio principal. O jovem observou através de seus óculos escuros estilo aviador enquanto a garota de longos cabelos negros vinha em sua direção, encostado em uma das grandes árvores que enfeitavam o campus da universidade. Ele deu uma tragada silenciosa em seu cigarro, liberando uma lufada de fumaça branca por seus lábios entreabertos e aguardou, até que a mesma parasse diante dele, confirmando suas suspeitas. E que sorte; ela era uma gata! , ele observou, poucos segundos antes que a mesma retirasse seus próprios óculos escuros, acomodando–os logo acima da testa, revelando um belo par de olhos verdes que o fitavam com interesse. Não com o mesmo interesse que ele a encarava de volta, ressalte-se.

 

        – Oh Sehun? – ela falou, suas íris claras o analisando descaradamente enquanto parava a um metro de distância dele.

 

        Longe de sentir-se intimidado ou envergonhado com o olhar penetrante que ela lhe endereçava, o homem de cabelos tingidos de loiro, que lhe caiam pela testa e pescoço numa displicência atraente, manteve os óculos no lugar e deu outra longa tragada, esboçando um sorriso oblíquo para a moça enquanto liberava uma nova baforada de fumaça no ar, impregnando–o com o cheiro vigoroso.

 

        – Ao seu dispor, docinho – ele sussurrou de volta, jogando a bituca, que abandonara seus lábios há poucos segundos, no chão, esmagando–o contra a sola de suas botas escuras.

 

        A garota sorrira em resposta, prendendo o canto de seu lábio inferior entre os dentes alvos e perfeitamente alinhados, o que lhe atribuiu um ar para lá de malicioso.

 

        – Hm, isso é bom... – ronronou, apoiando uma das mãos na cintura esguia evidenciada pelo vestido tubinho que ela usava. – Eu preciso mesmo de um favor seu.

 

        Sehun ergueu suas grossas sobrancelhas castanhas escuras, colocando as mãos nos bolsos dos jeans manchados, alternando o peso do corpo de uma perna para a outra.

 

        – Que tipo de favor? – ele não fazia ideia se aquela era uma nova maneira de paquerar ou se a garota de fato precisava de um favor seu. Fosse como fosse, o jovem se sentia curioso e, talvez, interessado.

 

        – Preciso que você resolva um problema para mim – a bela mulher prosseguiu, fingindo analisar as longas unhas pintadas de vermelhos, que contrastavam e realçavam a cor levemente parda de sua pele.

        – Você tem que ser mais específica, meu bem.

        – Posso confiar em você?

        Sehun tirou um chiclete de menta de um dos bolsos da calça, desembrulhando–o e colocando a goma retangular sobre a língua ao passo que descartava a embalagem no chão, ignorando totalmente as regras expostas em placas espalhadas por todo o espaço externo, e que versavam sobre a importância de zelar pelo meio ambiente.

 

        Quebrando as regras, pra variar.

 

        Ele não era o que se podia chamar de alguém politicamente correto. Possuía o típico espírito livre e aventureiro deturpado pelos ares de um bad boy bonitão, que adorava viver perigosamente a despeito dos limites traçados pela sociedade. O jovem de vinte e três anos era o típico clichê que se arrastara além da adolescência – e do qual ele se orgulhava mais do que deveria em sê-lo –, que possuía uma Harley–Davidson Low Rider para chamar de sua, que adorava desfilar por ai de jaquetas de couro negras e coturnos gastos, ostentando cabelos crescidos e descoloridos, presos precariamente acima da nuca, com varias mechas cobrindo o pescoço.

 

            Ah... Sem falar na banda de rock alternativo.

 

        O projeto musical que vinha desenvolvendo junto aos três amigos de infância - desde quando seus instrumentos não passavam de uma bateria improvisada com panelas, latas e pratos, uma guitarra de brinquedo e muita imaginação fértil, por vezes ensaiando em lugares aleatórios que variavam desde o quintal dos fundos da casa de Xiumin, o quarto de Chanyeol, até a garagem da casa de Suho - perdurava até os dias atuais. Haviam evoluído musicalmente, principalmente pelo fato de terem conseguido instrumentos de verdade e por terem aprendido a tocar outros, como era o caso do próprio Sehun, que além de ser um dos vocalistas, ainda dominava grande parte de guitarra, piano e violoncelo. E compunha. Era um talento nato.

 

        E convencidíssimo quanto a este fato.

 

        Toda a aura carpe vitae que exalava atraía o sexo oposto como abelhas ao mel e ele estava plenamente ciente disso, principalmente por saber que não era apenas mais um rostinho bonito. Possuía charme, carisma, simpatia – quando queria – e flertava desavergonhadamente quando lhe convinha. E, claro, um rosto de traços masculinos delicados típicos de asiáticos, com olhos castanhos escuros amendoados, nariz cinzelado e lábios carnudos que enfeitavam a boca pequena e bem desenhada... E havia também o corpo atraente...

 

        Bem... Onde estávamos? Ah, sim.

 

        – O que você acha? – retorquiu, olhando–a por cima dos óculos escuros. – Pareço confiável?

 

        Como ela hesitara pela primeira vez após sua chegada, Sehun dera de ombros enquanto esboçava um sorriso torto, divertido.

 

        – Ok, sem perguntas complicadas... Eu sei ser discreto.

 

        A beldade o medira de cima a baixo, numa atitude claramente irônica, sorrindo-lhe de volta. O loiro revirou os olhos.

 

        – É sério.

 

        – Bom – ela continuou, mexendo nos cabelos longos com os dedos de uma das mãos, brincando com uma mecha por cima do ombro esquerdo enquanto falava calmamente: – tem alguém infernizando minha vida acadêmica de uns tempos para cá. É uma vaca mal comida, na minha opinião, porque não pode ser possível alguém ser tão entediante e escrota daquele jeito!... Enfim. Eu preciso que você a seduza e depois a humilhe.

 

        Opa, os clichês continuam!

 

        Entortando os lábiois, ao passo que absorvia as informações breves, ele observou o perfil a sua frente, demorando-se nos seios escondidos pelo vestido justo.

 

        – E o que eu ganharia com isso? – disse, após uma pausa considerável.

 

        Ela sorriu largamente, altiva.

 

        – O que você quiser – enfatizou, falando mais baixo, quase num sussurro.

 

        Tentador.

 

        Sehun conseguiu conter o sorriso ladino que começava a vibrar em suas bochechas, visualizando as infinitas possibilidades que surgiam em sua mente e envolviam seus corpos nus enroscados em posições dignas dos filmes pornôs que ele e os amigos compartilhavam pelo grupo privado que tinham no Kakao Talk há anos.

 

      Fingindo uma indiferença que estava longe de sentir, conseguiu balbuciar:

 

        – Hm... Interessante.

 

        – Posso contar com você?

 

        – Não gostaria de saber os meus termos antes?

 

        A desconhecida dera alguns passos a frente, encurtando a distância entre seus corpos à metade.

 

        – Eu acredito que você será razoável – disse ela, num gracejo.

 

         Sehun descruzou as pernas e afastou-se da árvore na qual se escorara até então, aproximando-se da bela mulher de modo que apenas alguns centímetros o separassem. Removendo seus óculos, encarou as íris cor de esmeralda, que cintilavam de excitação, revelando seus próprios orbes escuros e fitando-a de cima, já que, ainda que usasse sapatos de saltos altos, o jovem continuava medindo vários centímetros a mais que ela.

 

        – Acredite, docinho: Eu nem sei o que isso significa.

 

 

C O N T I N U A

 

 

~ : ~


Notas Finais


Sou suspeita pra falar, né, mas eu tô gamadona nessa versão bad boy platinado do Sehun *u*
Já quero!
Não é uma exigência, gente, mas eu gostaria muito de saber o que vocês acharam e, principalmente, se acreditam que valha a pena investir numa fanfic de alguns capítulos.
De qualquer forma, agradeço antecipadamente a quem se manifestar.
Obrigada!
Cheiro na bilota do ôi ;*


Links:

PROJECA - https://www.spiritfanfiction.com/jornais/novo-projeto-de-escrita-compulsiva--projeca-13481916

HISTÓRIA 1 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/sign-of-the-times-13495006

HISTÓRIA 2 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/untitled-13508337

HISTÓRIA 3 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/ode-13516230

HISTÓRIA 4 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/breathe-13533558

HISTÓRIA 5 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/um-conto-de-fadas-qualquer-13544612

HISTÓRIA 6 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/hope-13555071

HISTÓRIA 7 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/singular-13579222

HISTÓRIA 8 - https://www.spiritfanfiction.com/historia/deixa-eu-testar-um-negocio-13602502


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...