1. Spirit Fanfics >
  2. O último massacre quaternário >
  3. A minha primeira entrevista

História O último massacre quaternário - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - A minha primeira entrevista


Fanfic / Fanfiction O último massacre quaternário - Capítulo 7 - A minha primeira entrevista

Depois do desfile fomos conduzidos até uma outra sala onde acabaram por separar os sexos. Blaze e Peeta ficam do meu lado, era bom tê-los como aliados. Blaze era mais alto que eu e tinha uma certa confiança meio assustadora, quanto a Peeta ele era um pouco mais baixo que eu e claramente mais forte que minha pessoa. Peeta começa a observar os arredores e chama Blaze e eu:
-Tem alguma coisa errada. Há muitos Pacificadores para ser só as entrevistas.
Quando ele disse essas palavras Blaze e eu trocamos olhares e tivemos uma mini conversa telepática que foi mais ou menos assim:
M-Fudeu.
B-Você tá certo.
M-Em guarda?
B-Em guarda.
Mudamos nosso posicionamento e só de nos observar Peeta entendeu a nossa idéia e se posicionou conosco. Ficamos assim confusos sem respostas mais a postos, depois do que pareceu ser uma eternidade mais que deve ter sido uns 5 minutos em tempo real os Pacificadores foram embora e os estilistas com as equipes de preparação apareceram. De verdade onde eles ia procurar esse estilistas e escoltas, todos eles parecem ser iguais vai ser tão parecido assim no inferno. Enquanto reclamo mentalmente sobre todos eles serem iguais, falando sério eles não sabem o que é ser  normal não, Halsey chega em meio aos meus devaneios.
H-Vejo que você gostou da pulseira, Peeta é um prazer conhecê-lo. Marcus vamos, você precisa experimentar sua roupa para a primeira entrevista.
M-Ok, tchau vejo vocês amanhã no treino.

Halsey e eu fomos andando enquanto eles retribuiam a despedida, chegamos em uma porta e entramos. Reencontro Johanna completamente vestida. Ela usava um vestido marrom e verde com uma tiara de prata brilhantes e um material preto que não consigo identificar. Como sou uma pessoa extremamente curiosa tive que perguntar.
M-Ok, quem vai me explicar o que aconteceu lá. Porquê tivemos que esperar em uma sala cheia de pacificadores.
J-Eu acho que foi pra deixar as mulheres se vestirem em primeiro visto que os vestidos são muito difficeis de se colocarem, mais o que me incomoda são os pacificadores. Não é normal vocês terem sidos cercados.
H-Quer ver a roupa que eu fiz pra você?
M-Claro, não tenho muita opção.
H-Muito engraçado, vem ver seu terno. Escolhi esse terno marrom (imagem do capitulo) bem simples. Estava guardado no meu estoque pessoal, era uma encomenda do seu pai pra você. Só vou precisar fazer uns ajustes eu acho.
Resolvi experimentar logo o terno e impressionantemente era perfeito, ele coube que nem uma luva, como se fosse feito pra mim. Halsey ficou tão impressionada quanto eu, fiquei um tempo me olhando no espelho impressionado com o resultado quando finalmente resolvo botar os sapatos sociais pretos de cano alto (não me pergunte só botei o que separaam pra mim) e claro a minha pulseira. Johanna me chama e diz pra eu me preparar, me despeço de Halsey que vai pra plateia enquanto Johanna e eu vamos para a parte de tràs do palco junto com os outros tributos. Estavamos em fila por ordem de distrito obviamente, então passaríamos na metade das entrevistas. Começa a olhar ao redor e observo uma contagem regressiva e percebo que chegamos quase no começo do programa. Olho para a tela, pra frente procurando Blaze que retorna o olhar e acena com a cabeça, olho pra tràs e vejo a Rose que fez uma cara de preocupada eu faço um tudo bem com os meus lábios e atràs dela procuro o Peeta que me olha e fala pra eu me acalmar por fim volto os olhos para a tela e lá estava nosso apresentador:
-Obrigado, obrigado pela sua presença na nossa plateia e em casa. Bom tenho uma nóticia um pouco triste para vocês no assistindo, eu Ceaser Flickermann declaro que este será meu ultimo ano apresentando os Jogos Vorazes. Nessa edição muito especial de centésimo e 4 Massacre Quaternário dos Jogos Vorazes. Mas não vamos ficar chorando, com vocês os tributos dessa edição dos Jogos Vorazes, em primeiro ele diretamente do Distrito 1 marcou os espiritos acabando com o seu último adversário com uma pedra, Wade Rankine.

Depois que ele começou a anunciou as entrevistas eu desliguei por um tempo e só acordei com a Johanna me socando falando que era a vez dela. Recuperei a consciência e resolvi prestar atenção na entrevista da Johanna, e olhei para a tela.
CF-Entrando agora uma ganhadora que não cança de vir aqui, com sua terceira participação nos Jogos Vorazes do Distrito 7 Johanna Mason.Estranhamente a plateia foi a loucura.
J-Olha Ceaser se parassem de tentar me matar me chamando pra participar eu gostaria muito mais da sua presença
CF-Johanna eu não posso fazer nada por você, eu sinto muito mais o que você espera para essa edição?
J-A mesma coisa de sempre, eu vou sair viva e não me importa quem eu tenha que enfrentar.
CF-E dos outros tributos o que devemos esperar?
J-Olha Ceaser os carreiristas como sempre serão um problema, além dos carreistas o Distrito 4 está bem forte, o 8 também, o 10 será um grande problema. Mais eu acho que os mais perigosos são o 12 e o meu distrito.
CF-Uma afirmação bem confiante, porque você afirma isso?
J-O 12 tem o Peeta, um queridinho da Capital e que ganhou 2 vezes mais que agora não será surpreendido e de tanto treinar tributos ele está mais preparado agora, além disso a voluntária que eles tiveram é a filha de um caçador e foi muito bem preparada pelos 2. E eu reafirmo que o meu Distrito é o mais forte. E porque você não pergunta para o nosso voluntário?

Ela foi embora passa por mim de novo me abraça e me deseja boa sorte, tento me acalmar e ouço o Ceaser chamando meu nome"Marcus Willow" vou andando e chego no palco.
CF-Marcus tudo bem com você?
M-Mas é claro e com você.
CF-Confiante, gostei de você. Como você explica as declarações da Johanna?
M-Não tem muito o que explicar é a opinião dela, todos os tributos tem chance de ganhar, todos temos as mesmas chances que todos.
CF-Qual você diria que são as suas qualidades para sobreviver a arena?
M-Meu pai sempre me ensinou a caçar e sobreviver na selva, mas deixo muito a desejar usando arco e flecha e lanças então me especializei de uma certa forma em armadilhas. Meus pontos fortes são lançar facas e machados e usar machados ou espadas para combate corpo a corpo, mais sem dúvida eu diria que seria a velocidade minha principal caractéristica.
CF-E sua adaptação a esse périodo na Capital?
M-Olha até tá indo bem se tirar algumas pequenas coisas.
CF-E quais são essas coisas?
M-A cidade, tem cara de cidade; vocês não seguem padrões, são livres; os chuveiros são estranhos e é muito produto para se usar.
CF-Como assim os chuveiros são estranhos?
M-Olha Ceaser é que é meio inexplicável, tem que ser do 7 para entender.
CF-Tudo bem, e se você ganhar vai fazer o que quando voltar pro seu Distrito?
M-Ajudar o meu avô para que ele possa finalmente descansar de verdade.
CF-E seus pais?
M-Meu pai morreu em um acidente numa fábrica das fábricas que cortavam a madeira, no mesmo acidente meu avô perdeu o braço e ficou sem mobilidade no outro braço.Antes que eu possa perceber estou chorando muito, eu nunca tinha contado isso a ninguém, e acabo de contar para o país inteiro.E minha mãe morreu.
CF-Uau, depois desse instante triste e emocional que o Marcus nos proporcionou vou fazer a última pergunta.A plateia parecia desapontada com a nóticia.Marcus você tem uma namorada, porque um rapaz bonito como você não pode ser solteiro.
M-Ceaser vou retribuir o elogio, e sim eu sou solteiro.
CF-Para a alegria das nossas telespectadoras.Esse foi Marcus Willow.
Enquanto me dirigia para a saída fui muito aplaudido pela plateia, encontro com Johanna que me parabeniza e diz que eu inventei umq boq história, ouvindo isso só respondo:
-Eu não inventei nada, eu até aliviei a história se você soubesse do que realmente aconteceu me olharia de forma diferente!!!!Eu disse furioso.

Depois desse esporro fomos para o nosso andar e só tirei o terno tomei uma ducha, peguei um prato de comida e começei a comer, cheguei até a repetir o meu prato. É uma das coisas que eu faço quando estou completamente irritado, eu como de forma exagerada ou vou para a floresta e começo a socar um arvóre ou treinar ou cortar arvóres em troncos. Depois de terminar meu prato e de ver as entrevistas fui para o meu quarto dormir completamente irritado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...