1. Spirit Fanfics >
  2. O Último Mestre da Humanidade >
  3. Capítulo 12 - Caos em La Charité

História O Último Mestre da Humanidade - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Esse capítulo é infelizmente, muito menor do que os outros. E isso é culpa do FGO! Eu perdi uma semana da minha vida farmando a Saber Lily naquela droga de evento!

Eu duvido muito que eu perca tanto tempo em um evento de pontos acumulativos de novo se eu não tiver os personagens que o evento deu bônus...

Eu vou tentar um roll no banner de Saber agora dia 20. Só um, se não vier coisa boa, paciência. Eu vou guardar pro banner do Apocrypha que ganho mais.

A propósito, hoje temos uma omake para encher espaço...

Capítulo 12 - Capítulo 12 - Caos em La Charité


Fanfic / Fanfiction O Último Mestre da Humanidade - Capítulo 12 - Capítulo 12 - Caos em La Charité

Ruler estava confusa. Não, risque isso, ela está muito confusa graças a Issei e Ásia. Ambos os pequenos “Servants-Mas-Não-Servants” são incrivelmente difíceis de se compreender e isso provavelmente se deve devido a estranheza da situação atual.

 

Como um Espírito Heróico, Ruler deveria ter toda a experiência necessária para lidar com a maioria das situações devido aos anos de conhecimento, no entanto, isso serviria para um Espírito Heróico que realmente teve o tempo de se adaptar a sua situação.

 

Ela definitivamente não teve. Mal se passaram três dias desde sua morte na fogueira quando foi acusada de bruxaria pelo bispo corrupto Pierre Cauchon.

 

E agora a França estava sendo destruída por uma versão distorcida de si mesma junto de um exército de Wyverns e ela foi invocada como uma Servant sem experiência com suas novas habilidades sobre-humanas e com quase todos os seus privilégios de classe selados graças a presença de sua versão distorcida.

 

Sim, isso estava sendo uma semana estranha para a Servant Ruler, Jeanne d’Arc, a verdadeira Jeanne.

 

E o caso do complexo de identidade dos seus dois acompanhantes nem entrou nisso. Apesar de que que, mesmo com toda a dor de cabeça da situação, a Donzela de Orleans se afeiçoou rapidamente a eles.

 

Issei é um bom garoto com um futuro brilhante pela frente apesar da arma que carrega. Jeanne, mesmo não estando acostumada muito bem com a companhia masculina, poderia apreciar a presença reconfortante que estranhamente a lembrava de um Wyvern cem vezes mais poderoso.

 

Já a pequena Ásia a lembrava de si mesma quando jovem. Uma garota doce e ansiosa para ajudar se suas interações até o presente momento tivessem algo a dizer. Ela também parece ter uma forte aura sagrada ao redor que lembrou Jeanne das sensações que sentiu ao receber as revelações de Deus.

 

Foi bem fácil para a Ruler se acostumar com eles. E, se a cena que ela estava vendo agora tivesse algo a dizer, eles também se acostumaram com ela.

 

Eles estavam acampando com uma fogueira improvisada em uma clareira dentro de uma floresta que levaria a cidade de La Charité onde poderiam reunir informações antes de seguir em direção a cidade de Orleans.

 

A noite havia caído e todos concordaram em realizar uma pausa antes de acordar cedo e parti para continuar a viagem. A cena em questão, que trouxe um sentimento de ser bem-vindo para a Ruler, era a visão de um Issei dormindo sentado encostado contra uma árvore e a pequena Ásia enrolada abraçando o corpo do garoto mais velho. Parecia uma cena de uma irmã mais nova buscando o conforto do irmão mais velho e atoa Jeanne sorriu.

 

Ela os deixaria dormir um pouco mais antes de acordar Issei para tomar seu lugar como vigia do acampamento. Amanhã eles poderiam partir em busca de resolver esse caos.

 

[...]

 

Issei quase quis rosnar. Correção, ele está rosnando de raiva ao desviar do balanço da arma de um Undead e perfurar o cadáver ambulante com Gáe Bolg. em sua mente ele estava amaldiçoando totalmente sua sorte de Rank E pela situação.

 

E não foi surpreendente saber que ele teria o pior rank de sorte? Sua vida fazia tanto sentido agora. Ele fez um lembrete em sua mente de esfaquear Alrisha com Gáe Bolg depois de ajudar Ruler a consertar essa bagunça.

 

Ele realizou um balanço com a Gáe Bolg  criando uma onda de ar que derrubou os vários Undeads que ameaçavam cercá-lo antes de encarar a paisagem infernal do que um dia foi La Charité e estalar os dentes com raiva.

 

A cidade estava em chamas, casas destruídas, corpos em decomposição e cremados jaziam pelas ruas e era até possível ver wyverns devorando alguns cadáveres.

 

Essa não era uma visão que ele esperaria ver. Normalmente ele estaria passando mal e ele realmente queria vomitar, no entanto, a experiência de cú Chulainn que ele possuía o ajudou a frear essa reação e se concentrar no combate.

 

Ele ainda vomitava depois, mas o importante era destruir esses lagartos voadores!

 

O que o preocupava no entanto era Ásia. A pequena freira que foi injustamente excomungada ficou paralisada de horror ao ver a cena antes de um olhar sombrio surgir em seu rosto e ela estreitar com uma sensação de fúria que fez Issei se questionar que tipo de Espírito Heróico doou seus poderes e influência para a garota.

 

Ele deixou esses pensamentos de lado para se esquivar de ser empalado por estacas que surgiram do chão e encarou seu atual oponente que o encarava com um olhar análitico.

 

Um homem que poderia ser descrito como belo graças aos seus cabelos e cavanhaque loiros, olhos azulados e pele pálida com as tatuagens espalhadas pelo corpo e o traje nobre de cor preta que ele veste e acentua sua aura de nobreza.

 

“Realmente, és um oponente habilidoso, jovem.” - Lancer, convocado pela Jeanne Alter com o atributo de Berserker, comentou com um sorriso ansioso nos lábios antes de estreitar os olhos para uma direção ao lado e grunhir em desaprovação. - “Peço perdão que nossa batalha teve de ser travada em um estado tão lamentável, no entanto, as ordens da bruxa são impossíveis para mim superar.”

 

“Não peça perdão por atos fora de seu controle, Lancer.” - Issei respondeu deslizando Gáe Bolg entre as mãos em uma posição flexível e com um olhar sério no rosto. - “Esta batalha pode não ser a ideal, no entanto, nós não podemos realmente escolher o que queremos agora não?”

 

“Isso é certamente verdade.” - Lancer respondeu antes de seus olhos assumirem um brilho de loucura que alertou Issei para o fato do Madness Enchantment ter sido ativado novamente. - “Prepare-se jovem herói! Neste momento tu enfrentas o próprio demônio, eu sou Dracul, eu sou Vlad Tepes, e minhas estacas irão encerrar tua vida!”

 

“Venha com tudo, ó Lord Dracul.” - Issei murmurou e mesmo com todo o caos e nervosismo que corrói suas veias ele sorriu em antecipação.

 

Os dois lanceiros se encararam por um momento antes de avançarem tão rápido quanto um trovão, a poeira sendo levantada por seus salto em alta-velocidade, e suas lanças colidirem em uma batalha sangrenta nas ruas devastadas de La Charité.

 

[...]

 

“Parece que Lord Drácula está se divertindo.” - Assassin, uma bela mulher de cabelos prateados e olhos âmbar trajando um provocante vestido carmesim aberto para revelar sua lingerie preta com acessórios de ferro ao longo de sua roupa e sapatos de salto agulha, comentou ao observar Lancer e Issei entrando em conflito um pouco longe de sua localização atual. Assassin desviou o olhar para encarar a Ruler, Jeanne d’Arc, e a garotinha que a encaravam com um olhar de ferro e sorriu.

 

“Eu me pergunto se o sangue de duas belas jovens virgens pode ajudar a manter minha beleza…” - Assassin murmurou audivelmente com a intenção de irritar as garotas e seu sorriso aumentou ao ver Jeanne estreitar os olhos.

 

“Você não tem escrúpulos, Condessa do Sangue?” - A santa questionou e Assassin simplesmente piscou com a pergunta antes de rir suavemente.

 

“Você se pergunta se não me arrependo dos meus pecados? De assassinar aquelas jovens para manter minha bela aparência?” - Elizabeth Barthóry, ou Carmilla como esta versão prefere se chamar, questionou com um sorriso divertido antes de balançar a cabeça em negação. - “A resposta é Não!  A verdade é que se meu eu mais jovem soubesse do que fiz, ela entraria em choque e negação, no entanto, eu sou uma mulher totalmente diferente. Os tempos que vivi são sombrios por natureza Donzela de Orleans, eu certamente não me arrependo do momento de encerrar as vidas daquelas jovens e muito menos das minhas ações que me cimentaram como a minha próprio pessoa. Se eu me arrepender disso, seria o mesmo que se odiar, Jeanne d’Arc.”

 

“Você…” - A Donzela de Orleans realmente parecia não saber como responder a isso e, se o olhar conflitante que ela lançou para uma outra Jeanne que está assistindo o conflito dos Lancers com um sorriso fosse algo, ela estava passando por uma crise existencial no momento.

 

“Realmente, uma santa donzela...” - Carmilla sussurrou antes de agarrar seu cajado e convocar sua [Phantom Maiden] para o seu lado enquanto se erguia para encarar a dupla. - “Espero que estejam prontos, pois hoje, o meu nome como a Condessa do Sangue será honrado!”

 

[...]

“HAHAHA! Vocês vêem? Vêem isso? Aquela patética e tola versão pura de mim e seus amiguinhos pensam que podem vencer contra meus melhores generais!” - Jeanne Alter comentou rindo ao observar Issei sendo superado por Lancer e Assassin avançando contra as duas loiras.

 

“Parece que esta cidade será um ótimo palco para o derramamento de sangue.” - Saber comentou e suspirou em derrota. Eles realmente odeiam o Madness Enchantment e como estão colaborando com a bruxa.

 

“Assim parece.” - Rider comentou com uma expressão de desgosto bem visível ao examinar os arredores, no entanto, não havia nada que ela pudesse fazer para contrariar as ordens de Jeanne Alter ou superar o Madness Enchantment. Mesmo que ela pulasse para ajudar a verdadeira Jeanne e seus aliados, ela não seria nada mais do que uma bomba relógio esperando para explodir e atacá-los, ela realmente odeia o maldito encantamento agora.

 

“Agora, agora, vocês não são divertidos.” - Jeanne Alter comentou com o que quase parece um beicinho e Rider junto de Saber suspiraram em derrota ao ver isso.

 

[...]

 

“Bem, eles parecem estar tendo alguns problemas agora.” - Uma voz comentou em um tom neutro ao observar a cena de alguma distância.

 

“Mou, a minha bela França está sendo varrida do mapa e os únicos tentando alguma coisa estão sendo oprimidos e isso é tudo que você diz, Amadeus?” - Outra voz, desta vez feminina, respondeu em um tom levemente repreensivo e o homem riu.

 

“O que você esperava que eu dissesse, Marie? Para que pulassemos para ajudá-los e interromper uma batalha que não podemos ganhar?” - O homem chamado de Amadeus questionou em um tom divertido antes de perceber o olhar que apareceu no rosto de Marie.

 

“Essa é uma ótima ideia, Amadeus!” - Marie respondeu sorrindo brilhantemente e Amadeus soou.

 

“O que!? Nã-!” - ele tentou em vão impedir sua companheira apenas para ser agarrado pela mão quando ela saltou da colina onde estavam e um lindo cavalo de cristal se formou para qual ambos montaram e pleno ar.

 

“Vamos, vamos! Eu sou Marie Antoinette, convocada aqui como Rider, e meu povo não será exterminado! Viva La France ~~!” - A Rainha Francesa que governaria no futuro e foi invocada como Servant esta era declarou aos céus com um sorriso brilhante.

 

“Ó Deus…” - O Servant Caster, Wolfgang Amadeus Mozart, um famoso músico que foi rival de Antonio Salieri, comentou com um suspiro derrotado ao ter que lidar com a energia da mulher que já foi uma rainha.

 

[...]

 

Omake: A Quinta Guerra do Graal… Só que errada.

 

[...]

 

“O que diabos é isso?’’ - Illyasviel Von Einzbern questionou com a raiva clara em seu tom de voz ao ver que o ataque de seu Berserker para aniquilar Shirou foi impedido por uma parede de gelo.

 

“Hehe~~” - Uma nova voz soou na rua onde estavam e tanto Illya, quanto Shirou, a garota Tohsaka e a Saber, se viraram rapidamente para se depara com…

 

Isso era uma cópia de Illya vestindo um traje de frio e montando um urso!? 

 

“Saudações! Eu sou Sitonai!” - “Illya” declarou sorrindo e a verdadeira Illya tinha um tique nervoso na testa.

 

“Berserker, mate.”

 

ROAAAAARRR



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...