História O Universo Entre Nós - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Agents of S.H.I.E.L.D.
Personagens Bobbi Morse, Jemma Simmons, Lance Hunter, Leo Fitz, Skye
Tags Agents Of Shield, Drama, Fitzsimmons, Marvel, Romance, Shield
Visualizações 42
Palavras 1.388
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Jemma reflete acerca da busca por Fitz, de sua esperança em reavê-lo e de seu novo visual.

Capítulo 3 - Mudanças


Fitou a própria figura no espelho, já arrependida de sua decisão.

Ela queria mudar. Ser uma Jemma Simmons diferente daquela que havia deixado a Terra e, agora, seguia em uma missão de busca pelo espaço exterior. Queria ver alguém diferente no espelho.

Diferente daquela mulher ferida, emocionalmente devastada, fisicamente esgotada, que havia passado por tantas provações e cujo universo parecia constantemente lhe privar da felicidade.

Amaldiçoados, diria Fitz.

Ela apertou os olhos fortemente ao se lembrar dele.

Estava há meses à sua procura.

Tinha esperanças de que iria encontrá-lo. Ele não poderia permanecer à deriva no espaço por tanto tempo. E não estava só. Tinha o misterioso Enoch e Lance Hunter ao seu lado.

Sem falar que a equipe de busca, agora liderada por Mack, contava com a assistência de Barbara Morse. E sempre que Jemma sentia sua esperança de reaver Fitz fraquejar, bastava que Bobbi repetisse: “eu vou socar a cara do Hunter quando encontrá-lo. E nós vamos encontrá-lo porque eu tenho que socar a cara dele” para que ela retornasse com ainda mais força.

A inabalável certeza de Barbara sempre fazia surgir um sorriso, ainda que esquálido, no rosto de Jemma.

No fundo, a bioquímica sabia que Bobbi dizia isso para evitar que sua esperança vacilasse, mesmo que por um segundo. Alimentando-a constantemente, Jemma jamais deixaria que o sentimento de derrota se apoderasse dela.

Era ótimo contar com a presença de uma amiga cuja falta fora sentida por tanto tempo. Quase aliviava a tristeza pela ausência de May e Coulson.

A equipe nunca estava completa.

Eles tiveram um pouco de dificuldade em desvendar o paradeiro de Barbara. Mas, uma vez que Fitz havia lhes contado sobre a ajuda que recebeu de Hunter quando a equipe inteira tinha sido enviada para o futuro –  e ele ficado para trás, tendo passado seis meses na prisão –  o auxílio de Bobbi era imprescindível. Hunter chegou a mencionar para Fitz o que ele e Bobbi vinham fazendo agora que tinham se desvinculado da SHIELD. Fitz transmitira a informação para o restante da equipe após reencontrá-los. E Jemma, Daisy, Mack, Elena, Piper e Davis foram colhendo pistas.

Mas a verdade é que Bobbi se deixou ser encontrada quando se deu conta de quem estava atrás dela. Ela era extremamente inteligente e esperta. E não se deixaria pegar tão fácil se assim não o quisesse.

Bobbi, enfim, lhes contou sobre o bilhete que Hunter havia deixado antes de partir. O casal estava brigado. Hunter tinha mentido para a esposa. Assim que percebeu as mensagens ocultas nas cartas que Fitz mandara para uma publicação qualquer sobre futebol, não hesitou em partir para ajudar a livrar o amigo da prisão. Mas, o tempo todo, manteve isso em segredo, inventando uma desculpa qualquer para se afastar.

Após abandonar o farol, onde Fitz estava congelado em criogenia, voltou para casa e contou tudo para Bobbi. Ela ficou furiosa por ele ter mentido e se arriscado em uma missão de alta periculosidade. Pior ainda: por não ter pedido sua ajuda para salvar um amigo em comum. E como a briga acabou com uma frase contundente de Bobbi – “na próxima vez que fugir no meio da noite, espero que não volte nunca mais” – ele decidiu partir. Não era definitivo. Ele apenas queria dar uma lição na esposa, então voltou para o farol a tempo, antes que Enoch partisse com Fitz dentro de uma cápsula que orbitaria Júpiter durante setenta e quatro anos até que o engenheiro despertasse e salvasse seus amigos de um futuro aterrador.

Como Enoch recebera a notícia, era um mistério a ser desvendado. A equipe conhecera o misterioso ser. Barbara não. Mas, uma vez elucidada sua personalidade, estava surpresa que ele houvesse deixado Hunter permanecer na cápsula com eles, ao invés de enxotá-lo para fora do farol.

Jemma repassou os últimos acontecimentos em sua cabeça na ordem inversa. Do retorno da ex-agente da SHIELD, Barbara Morse, passando pelo adeus de Coulson no Tahiti – onde estaria vivendo seus últimos dias e uma suposta lua de mel com Melinda May – à quebra do loop temporal no qual estavam presos e à morte de Fitz.

Lembrou-se de como ela acreditou que não iria ser capaz de se manter em pé e seguir em frente ao tomar nota de que ele havia se sacrificado para salvar Robin, sendo atingido pelos destroços de um edifício. De que sua última preocupação era com o bem-estar da garotinha e não o seu próprio. De que seu corpo sem vida havia se reduzido a cinzas. De que, em um minuto, ela tinha a certeza de um futuro concretizo que implicava em uma vida sólida e estável ao lado de Fitz, de que teriam uma filha e até mesmo um neto. E, no minuto seguinte, tudo havia desaparecido. Seu marido estava morto e Deke, seu neto... Deke... Onde ele estava agora? Será que sua existência havia se esvanecido assim que Daisy conseguiu quebrar o loop temporal?

De qualquer forma, não hesitou em partir para o espaço, em busca da versão de Fitz do presente. Aquela que pretendia ficar congelada durante setenta e quatro anos. Mas, naquele momento, ele não era mais necessário no futuro. Não iria encontrar nenhum de seus amigos lá, uma vez que a linha do tempo havia sido alterada. Então tinham de despertá-lo o mais rápido possível.

Todos aqueles pensamentos a deixavam tonta e enjoada. Era tudo tão confuso de se explicar e compreender...

E, agora, que havia pedido ajuda à Daisy para cortar o cabelo de modo que não se parecesse mais com aquela que havia abandonado a Terra, sentia-se estranha, inadequada, pouco a vontade com seu reflexo. Elas dispunham de apenas uma tesoura e da parca experiência que possui toda garota que já fora adolescente um dia, e arriscou cortar a franja em frente a um espelho auxiliada por algum tutorial de revista teen –  isto é, praticamente nenhuma.

Sua franja estava desalinhada, assimétrica, como se tivesse sido cortada por um cabelereiro cego. Jemma estava frustrada com sua aparência, com sua falta de sorte, com a ausência de alguns amigos, com a ausência de Fitz em sua vida. Seu parceiro, seu amigo, seu amante, seu único e verdadeiro amor. Como ela mesma proferira em seus votos de casamento: sua vida, seu coração e seu lar.

Em pensar que até isso, seu casamento, havia sido roubado de si...

Cerrou os olhos, procurando conter as lágrimas, e foi tomada novamente por aquela sensação desagradável. O gosto amargo na boca, tudo que havia ingerido ameaçando retornar... Retirou o saco de papel que guardava no bolso da jaqueta e o abriu rapidamente, antes que acontecesse de novo.

Não sabia mais quanto tempo conseguiria enganar seus amigos, dizendo que os últimos acontecimentos e aquela viagem espacial não contribuíam para uma perfeita digestão, que aquilo tudo lhe causava um tremendo mal-estar.

Tão logo veio, felizmente, a sensação se foi. E, após inalar profundamente, procurando obter controle sobre o próprio organismo como se sua vida dependesse disso, permitiu olhar-se no espelho novamente. Desta vez, evitando a tenebrosa franja. Tirou a jaqueta e levantou um pouco a barra da blusa que vestia por baixo. Quase quatro meses, segundo seus cálculos. Mas sua barriga não parecia muito grande. Procurava dizer a si mesma que talvez fosse por conta de seu biótipo, que não havia nada de errado. Os corpos femininos são muito distintos uns dos outros. O fato de seu ventre ainda não estar tão protuberante não precisava significar que houvesse algum problema com sua filha.

Sobressaltada, ela abaixou a blusa ao ouvir os passos.

Com os braços cruzados, Daisy a encarou como se exigisse explicações ou um posicionamento.

- Já chega, Jemma. Você pode enganar a quem quiser, mas não a mim.

- Do que está falando...?

- Não tem nada para me dizer? – inquiriu.

Jemma encolheu os ombros, fazendo-se de desentendida.

- Há quanto tempo sabe que está grávida?

A bioquímica não respondeu, limitando-se a ficar boquiaberta e completamente sem ação. Daisy, por sua vez, chacoalhou a cabeça, inconformada. Massageou a ponte do nariz com as pontas do indicador e do polegar.

- Por que não me contou?

- Não me deixaria subir a bordo se soubesse.

- Claro que não, pois é uma atitude irresponsável!

- Daisy! – Jemma a cortou, as mãos espalmadas para a frente – Ninguém poderia me impedir de vir. Nem mesmo você! – disse, conclusiva.


Notas Finais


Tem mais FitzHunter e mais da equipe da SHIELD no próximo ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...