História O urso Kook - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Urso, Yaoi
Visualizações 34
Palavras 1.425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Comédia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E ai...
Mais uma grande idiotice para os que gostam de uma história bobinha!
Boa Leitura!

Capítulo 4 - Wally, um cão faz bagunça


Aquele rolo todo que havia ocorrido pelo final da tarde finalmente tinha terminado, e o pai de Masamune, Sr Osamu, ficou formidavelmente estupefado quando deu de cara com a loja mais limpinha do que nunca. Ficou tão orgulhoso do trabalho do filho que ofereceu até um pagamento justo de 50 dólares dizendo que se ele quisesse mais era só pedir.

Masamune não quiz perder a chance e aceitou super feliz.

— Ah muito obrigado Papai nem sei como agradecer ao senhor.

— Ora que isso meu filho sou eu quem devo agradecer-lhe.

                       *  *  *

Estava uma noite escura, Masamune tinha decidido fazer seu dever de casa naquela noite pra não ter que pensar nisso depois.

Acomodou-se em sua cama no quarto e apoiou seu caderno a sua frente pra começar. 

Ele averiguava aqueles exercícios de matemática sem compreende-los.

" Onde será que se meteu aquele urso bem quando preciso dele..." Pensou Masamune nervoso, que então bateu seu caderno em seu próprio rosto com intenção de ver se isso ajudava seu cérebro funcionar. Mas só o fez ficar mais lesado e ficar com a cara vermelha e dolorida.

— Aí...- lamentou enquanto uma lágrima minúscula formou de um dos olhos.

— Masamune-kun...? - um sussurro tranquilo transpassou seus ouvidos por trás de si.

O garoto virou-se para trás meio grog pelo golpe que dera em si mesmo e esperançoso de ser quem pensava, indagou:

— Sr Kook...?

Mas no momento que sua visão focou,se abalou ficando chocado de olhos estatalados e boquiaberto ao ver que atrás de si em sua cama estava um moço de 18 anos, supôs, dos cabelos rosas de mechas amarelas, orelhas de cachorro rosa, de olhos rosa cintilantes  que o encaravam excitado e o homem ainda por cima estava totalmente despido de roupas.

Masamune começou a suar demasiado, e não sabia nem o que dizer.

" Por que esse tipo de coisa só acontece comigo" - pensou ainda paralisado tentando assimilar a cena.

— Vai continuar parado aí ou vai dizer alguma coisa? - disse acenando sua mão na frente do garoto pra chamar atenção.

— Eu estou bem! - finalmente falou agarrando a mão do outro que o incomodava.

O rosado sorriu.

— Ainda bem! Hoje essa noite você se torna oficialmente meu escravo por duas semanas! - comemorou, e seu rabinho de cachorro abanou animado.

— M-mas eu preciso terminar minha tarefa! Eu não...

Sem deixar o outro encerrar sua fala, Wally empurrou o menino contra cama jogando-o sobre ela e seu caderno, ficando por cima dele de quatro.

— Deixa de ser bobo Masamune, acordos são acordos, você precisa cumprir não importa o que venha. - Disse rindo. - Agora vejamos..., O que eu devo pedir que faca primeiro, hum...

" Ele podia pensar seriamente em sair de cima de mim primeiro" pensou desconfortável.

Ter que fitar aquele peitoral não o agradava, e nem o resto. Wally era de pele branca e seu cabelo tinha comprimento médio, em tom de rosa Magneto, indo até o queixo, uma franja jogada pro lado, e de olhos grandes de rosa meio prateado o que dava uma certa fofura ao maior. Seus músculos tinham uma definição bem leve, que era de aparência dócil.

— Eu já sei! Como seu primeiro dia quero que você, meu fiel escravo, me lave com suas mãos macias e fofas. - Disse  Wally, entrelaçando seus dedos com os das mãos do garoto. - Você pode fazer isso por mim? - perguntou deitando seu corpo sobre o do outro confortando-se no garoto.

O menino estava vermelho como um tomate de tanta vergonha, ele sentia a pressão do corpo do maior contra si que o envolvia calorosamente com seus braços possantes, e cada vez seu corpo fervia mais por aquilo, conseguia perceber seu sangue subir inevitavelmente.

— E-eu... , N-não sei...

— Venha comigo para minha casa eu vou te mostrar como se deve fazer, para seu mestre se sentir bem com um banho bem quentinho. - afirmou em tom sensual murmurando as últimas palavras no ouvido de Masamune.

Então  selou seus lábios carinhosamente na nuca afável do menino, o fazendo arrepiar e gemer baixo. Provocar um garoto mais novo era extremamente delicioso para Wally, não era sua primeira vez cometendo esse ato.

Já estava loucamente desesperado para descobrir o corpo adorável que se escondia por trás das  roupas de Masamune, e sem mais delongas, começou a desabotoar a calça de Masamune velozmente. Quando terminou de retirá-la já dava pra notar o volume em sua cueca box azul revelando a excitação do garoto.

— Parece que alguém quer sair. - riu o mais velho.

Então no instante em que iria avançar uma das mãos para desnudar o genital do garoto, alguém ordenou de voz firme o parando:

— PARADO AÍ ! - Era Kook, em sua forma de urso, seus olhos estavam repletos de completo ódio.

— Sr Kook!!! - Masamune confirmou realmente aliviado dele ter chegado na hora certa.

— Quem te deu permissão pra colocar suas mãos sujas no MEU Masamune!! - berrou o urso emanado seu poder maligno formando sua aura vermelha.

— Fique fora disso - desafiou Wally - ele é MEU escravo hoje Kook.

O urso não aceitaria isso de jeito nenhum.

— Ah pois não será mais. - retrucou a pelúcia.

— Por quê? - quiz saber o outro.

— Talvez seja porque o seu mestre de merda estará morto!! - Gritou enquanto avançava fervorosamente para cima de Wally com um soco flamejante.

O homem cão deu evasiva do ataque pulando da cama onde se encontrava Masamune.

— Droga! - Então vai ter que ser assim.

O homem se transformou na sua forma de pelúcia. Um cãozinho de pelo rosa e remendadas amarelas cobertas de porpurina flutuante.

— Eu sou muito mais poderoso que você urso, não poderá me vencer nessa batalha! - dizendo isso, rodopiou subitamente espalhando purpurina que se transformou em pequenas agulhas, que se dirigiram velozmente na direção do ursinho.

Mas o urso veloz deu um mega salto para cima e as agulhas que se dirigiram a ele, se encravaram no piso do quarto.

Kook estava no teto, depois de esquivar-se do ataque, e então de lá de cima soltou da barriga um laser vermelho na direção de Wally.

Com sucesso o cãozinho saiu da rota do flash, indo para a esquerda do golpe, que acabou atingindo mesmo um pé da cama de Masamune que desabou pro lado.

— Você não vai conseguir me acertar! - provocou a pelúcia rosa.

Masamune só observava, sabia que seu quarto seria aniquilado mas que consertar depois não seria tão fácil.

— E se não notou vai acabar destruindo o quarto do seu amorzinho, BABACA ! - Continuou Wally a encher o saco. Porém esse estava certo. - E é claro que eu não vou arrumar nada desde que você não me deixe me aproveitar dele.

— De jeito nenhum!! - Esguelou Kook decidido e com raiva- Se são os bichicoins que você quer, eu vou os dar, mas jamais vou te vender o meu Masamune.

— Há há há - riu com desdenho- você sabe que não pode pagar.

E ele não tinha mesmo os bichicoins, mas tinha um plano para consegui-las de uma vez e pagar a dívida.

— Se você me der duas semanas, eu consigo o que você quer. - afirmou sincero.

O cãozinho refletiu um pouco e respondeu:

— Muito bem, te darei, mas não esqueça que se não me der até lá, diga adeus a o seu querido Masamune.

O urso gruniu de raiva, aquele cãozinho lhe dava nojo, certamente como havia comentado anteriormente.

— Estou partindo por enquanto. - a porpurina se fez presente e o cão sumiu magicamente.

Masamune e Sr Kook ficaram sozinhos no quarto, em silêncio, pensando em tudo que acabou de acontecer. Como Kook conseguiria os bichicoins? O destino de Masamune estava em suas mãos.

Depois de alguns minutos Kook se pôs a quebrar aquele silêncio:

— Me desculpe Masamune. - falou arrependido. - Eu deveria ter chegado antes daquele palerma.

— Tudo bem Sr kook - tentou o menino acalmar o seu bichinho - Mas afinal onde você estava? Eu senti sua falta.

O Sr kook sorriu, pois viu que aquele que amava sentia preocupação por si, e falta de sua presença por perto.

— Eu estava na ilha das pelúcias, precisava resolver alguns assuntos importantes.

O garoto se encolheu em sua cama envolvendo seus joelhos com os braços, encostando sei queixo dentre eles.

— Que ilha é essa? - perguntou o menino curioso.

Kook se transformou em homem, dessa vez usava uma roupa social comum. Então foi para a janela observar as estrelas e respondeu:

— Um dia vou te mostrar este lugar, um dia você saberá da verdade.

— É... Sr kook o que eu falo que aconteceu com a minha cama pra mamãe.

O de olhos mel corou e revirou os olhos.

— E eu lá vou saber.










Notas Finais


Obrigado por ler até aqui!
Bjs!!😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...