1. Spirit Fanfics >
  2. O Verão Que Mudou Minha Vida (adaptação N.U) >
  3. Capítulo 3

História O Verão Que Mudou Minha Vida (adaptação N.U) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei mais cheguei.
Espero que gostem!❤️

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction O Verão Que Mudou Minha Vida (adaptação N.U) - Capítulo 3 - Capítulo 3

Quando finalmente chegamos à casa, encontramos Noah e Josh sentados na varanda. Eu me debrucei por cima de Bailey e toquei a buzina duas vezes, o que, na nossa linguagem de verão, significava: Venham nos ajudar com as malas, câmbio.
        Josh acabara de completar dezoito anos. E estava mais alto do que no verão anterior, se é que era possível, com o cabelo curto e mais loiro do que nunca. Já Noah deixara o cabelo crescer e parecia um pouco desleixado — mas no bom sentido, tipo um joga- dor de tênis da década de 1970. Quando era pequeno Noah tinha o cabelo encaracolado e cor de mel. Teve uma época em que Josh o convenceu de que era a casca do pão que fazia o cabelo enrolar, e Noah passou a deixar todas as bordas dos sanduíches para o irmão. À medida que ele foi crescendo, o cabelo foi ficando menos encaracolado e mais ondulado. Ursula o chamava de príncipe encantado, e ele parecia mesmo um, com as bochechas rosadas e cabelo ao vento. Bem, ao menos ainda tinha as bochechas rosadas.                                                                                                                                                                 

Noah fez um megafone com as mãos e gritou:

— Maaaaaaaay!
          Fiquei sentada no carro, enquanto Bailey ia até eles num passo tranquilo e os três se abraçavam daquele jeito de garoto. O ar estava salgado e úmido, como se a qualquer momento fosse começar a chover água do mar. Fingi que amarrava o cadarço do tênis, mas na verdade só queria um tempo sozinha para admirar um pouco os meninos e a casa. Era uma construção grande, cinza e branca, igual a todas as outras da rua, só que melhor. Exatamente do jeito que eu achava que uma casa de praia deveria ser. Parecia um lar.
       Minha mãe também saiu do carro.
      — Oi, meninos. Cadê a mãe de vocês?
      — Oi, Pricila. Ah, ela está só tirando um cochilo — respondeu Noah.
         Ursula quase sempre vinha correndo nos cumprimentar assim que estacionávamos.
        Minha mãe os alcançou em três passos e deu abraços apertados nos dois garotos. O abraço dela era firme e vigoroso, assim como seu aperto de mão. Ela entrou, os óculos escuros no topo da cabeça.
        Saí do carro e pendurei a mochila no ombro. Eles não repararam que eu estava chegando, pelo menos a princípio. Até que me viram. E me viram de verdade. Josh deu uma olhada que costumo receber dos caras no shopping. Ele nunca tinha me olhado daquele jeito, e eu já sentia o rubor voltando. Noah precisou olhar duas vezes, como se não me reconhecesse. Isso tudo durou uns três segundos, mas pareceu muito mais tempo.
       Josh me abraçou primeiro; era um abraço frio e cauteloso, que mantinha distância. Tinha cortado o cabelo havia pouco tempo, e a pele ao redor da raiz e do pescoço estava rosada como a de um bebê. Ele tinha cheiro de mar. E cheiro de Joshua.
       — Prefiro você de óculos — comentou ele, com os lábios bem perto da minha orelha.
       Fiquei magoada. Eu o afastei e respondi:

— Bom, azar o seu. As lentes de contato vieram pra ficar.
        Ele sorriu para mim. E aquele sorriso... simplesmente me ganhou. O sorriso do Josh sempre me ganhava.
      — Acho que você arranjou umas espinhas — completou, encostando a ponta do dedo no meu nariz.
       Ele sabia que eu detestava minhas espinhas e sempre fazia questão de me provocar.
        Então Noah me abraçou, quase me levantando. — Nossa, a Gabizinha cresceu — cantarolou.
        Dei uma risada.
        — Me bota no chão! Você está com cecê!- Noah riu.
        — Ah, aí está a velha Any — retrucou ele, mas continuou me encarando como se não tivesse certeza de quem eu era. Inclinou a cabeça, comentando: — Tem alguma coisa diferente em você.
        Fiquei na defensiva.
        — O quê? Só estou usando lentes de contato.
       Eu também ainda não estava muito acostumada com minha aparência sem os óculos. Minha melhor amiga, Sina, tentava me convencer a usar lentes desde o sexto ano, e eu finalmente cedera.
        Noah sorriu.
        — Não é isso. Você está diferente.
      Voltei para o carro, e os garotos foram atrás. Tiramos as coisas do porta-malas; assim que terminamos, peguei minha mala e minha bolsa de livros e fui para meu antigo quarto. Aquele cômodo fora da Ursula quando ela era mais nova. O papel de parede estava desbotado, e o quarto tinha móveis brancos e uma caixinha de música que eu amava. Quando aberta, uma bailarina rodopiava ao som da música-tema do filme Romeu e Julieta (mas a versão antiga). Eu guardava minhas bijuterias ali. Tudo naquele quarto era velho e desbotado, mas eu o adorava. Parecia esconder segredos nas paredes, na cama com dossel e, principalmente, na caixinha de música.

Precisei fazer uma pausa para recuperar o fôlego depois de finalmente rever Josh, ainda mais depois daquela olhada que ele me deu. Abracei o urso-polar de pelúcia que ficava em cima da cômoda. O nome dele era Junior Mint, mas, para mim, era só Junior. Eu me sentei com o ursinho na cama de solteiro; meu coração batia tão alto que dava até para ouvir. Tudo estava igual, mas diferente. Os dois tinham me olhado como se eu fosse uma garota de verdade, não a irmã mais nova de um amigo.


Notas Finais


Até o próximo capítulo!
Bjs😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...