1. Spirit Fanfics >
  2. O verdadeiro Stark >
  3. Capítulo 20

História O verdadeiro Stark - Capítulo 20


Escrita por:


Capítulo 20 - Capítulo 20


 

Sirius tentou dormir na noite anterior, mas sua mente não se calou e ele passou a noite inteira jogando, virando e olhando para o teto. Toda vez que ele fechava os olhos, via o olhar no rosto de seu afilhado enquanto se afastava dele ... enquanto recusava qualquer tipo de conforto dele. Estava matando ele sabendo que Harry estava chateado com ele por deixá-lo após o torneio.

Esfregando os olhos cansados ​​e injetados de sangue, Sirius se serviu de outra xícara de café forte. Ele tinha que encontrar uma maneira de acertar com seu afilhado, provar a ele que o amava e o apoiaria, não importa o que ele decidisse. Ele não estava chateado por Harry não querer lutar com Voldemort. Inferno, ele não queria que Harry lutasse com Voldemort. Harry ainda não tinha quinze anos, seria suicídio ir contra um bruxo como Voldemort. Mesmo James, um auror altamente treinado, não durou cinco minutos contra o monstro.

Ao mesmo tempo, ele também não queria que Harry deixasse o Mundo Mágico. Harry era um mago, um mago muito poderoso nisso, ele pertencia ao Mundo Mágico com todas as outras bruxas e feiticeiros. Ele não queria que seu afilhado se mudasse para um país diferente e vivesse como trouxa. Ele não queria que seu afilhado, o afilhado por quem finalmente estava sendo padrinho, se afastasse dele quando o recuperasse.

"Pare com isso!"

"Parar o que?" Sirius murmurou sonolento.

"Carrancudo em sua caneca de café." Remus repreendeu. "A caneca de café não fez nada para Harry, Dumbledore fez."

"Maldito bastardo." Sirius cuspiu. Apenas ouvir o nome daquele homem fez seu sangue ferver. Ele nunca quis machucar alguém tanto quanto queria machucar o diretor. Ele sempre soube que Dumbledore era manipulador, mas nunca suspeitou que pudesse ser tão mau quanto o próprio Voldemort.

"Ele sabia, Remy. Aquele desgraçado sabia que Harry estava sendo abusado e ele não fez nada. Como ele pôde fazer isso? Como ele poderia simplesmente dar as costas a uma criança assustada e machucada?"

"Eu não sei." Remus suspirou pesadamente. "Quando Dumbledore veio à minha casa e me ofereceu a chance de frequentar Hogwarts, eu pensei que ele era o melhor homem vivo. Nenhum outro diretor jamais havia aceitado um lobisomem, independentemente de quão inteligentes eles fossem. Eu não entendo como ele poderia. me ajude, ainda condenar Harry. "

"Ele é um garoto tão bom, eu simplesmente não entendo como alguém poderia machucá-lo. Sinto que falhei com James e Lily, que falhei com meu afilhado".

Remus acenou com a cabeça em concordância. "Eu acredito que todos nós sentimos que falhámos com ele. Não podemos voltar no tempo, Sirius, mas podemos tentar estar lá para ele agora. Ele vai precisar de toda a ajuda que puder para lidar com Dumbledore e Voldemort."

Sirius afundou os ombros em derrota. "Por quê? Por que ele precisaria de nós quando ele tem um deus e o pai trouxa mais incrível do mundo?" Sirius não queria ser um bastardo ciumento, mas ele não podia evitar. Durante todos esses anos em Azkaban, ele passou a sonhar em ser um verdadeiro padrinho de Harry, mas agora não precisava dele. O que é pior, a última vez que Harry precisou dele, implorou para que ele ficasse ao seu lado, ele saiu para fazer as ordens de Dumbledore. Ele foi o pior padrinho de todos os tempos!

Remus pegou o jornal e deu um tapa na cabeça de Sirius. "Pare com isso. Harry tem amor suficiente por todos nós. Só porque ele tem Loki e um pai, não significa que ele não queira nada conosco."

"Nós o abandonamos."

Os lábios de Remus se franziram. "Conseguimos, mas tudo o que podemos fazer agora é pedir perdão." Não que ele pensasse que eles mereciam perdão. Eles abandonaram Harry depois que ele experimentou algo traumático, algo que a maioria dos adultos teria dificuldade em processar e lidar, eles não mereciam seu perdão.

"Vamos nos reunir e voltar para a escola." Sirius sugeriu. "Precisamos deixar Harry saber que ele pode depender de nós por enquanto. Ele precisa saber que teremos as costas dele. Foda-se Dumbledore e seu bem maior!"

*** HP

Severus não estava feliz, mas colocou o frasco cheio de líquido marrom na mesa do diretor. "Eu fiz a minha parte. Eu não quero nada com você administrá-lo a Potter e Loki. Isso vai explodir na sua cara."

Inclinando a cabeça, Dumbledore guardou a poção no bolso. "E você conseguiu verificar a afirmação de Harry de que o trouxa é o pai dele?"

Expirando alto, Severus fechou os olhos e contou até dez. Todos esses anos ele se ligou a Dumbledore pensando que estava ajudando o filho de Lily. Tantos anos desperdiçados. "É verdade. Lily não é a mãe do pirralho. Lily nem sequer é remotamente relacionada a ele."

Com os olhos perdendo o brilho, Dumbledore descansou na cadeira enquanto pensava. "Não podemos deixar isso voltar para Voldemort. Não precisamos que ele questione se Harry é a verdadeira profecia."

Severus balançou a cabeça em descrença. "E se ele não estiver? E se toda a maldita profecia não for senão divagações loucas de um bêbado que estava desesperado por um emprego?"

"As palavras eram reais. Conheço uma profecia real de uma farsa?"

"Diz você!" Severus cuspiu. "Por que você quer colocar Potter na frente do Lorde das Trevas tão malditamente?"

Levantando-se, Dumbledore foi até sua estante e pegou um livro velho e desgastado. Depois de folhear algumas páginas, ele entregou a Severus.

Severus examinou o livro, os olhos esbugalhados. "Então Harry Potter é o único descendente de Godric Gryffindor?"

Dumbledore apontou para um nome no livro. "Lembre-se deste nome." Pegando o livro de volta, ele virou mais algumas páginas antes de devolvê-lo.

Severus amaldiçoou baixinho. "Então o pirralho também é parente distante do Lorde das Trevas através dos irmãos Peverell?"

"Ele é." Dumbledore assentiu sombriamente. "Você não vê, não apenas a profecia, mas Harry e Tom são os últimos da linha da Grifinória e da Sonserina, e ambos são parentes. É o destino ... é o destino!"

Zombando, Severus fechou o livro com um estalo agudo. "É uma coincidência." Ele rosnou em frustração. "Nada disso prova que a profecia é real ou que Potter é o único que pode derrotar o Lorde das Trevas. Por que apenas uma pessoa seria capaz de derrotá-lo?"

"É assim que as coisas devem acontecer, receio. Harry deve ser o único a acabar com Voldemort."

Severus não pôde deixar de pensar que o velho estava louco. Bem, o velho estava um pouco louco, todo mundo sabia disso e apenas disse que ele era excêntrico, mas Albus Dumbledore estava fora de controle, louco pra caralho.

Albus Dumbledore iria matá-lo.

*** hp

Cruzando a perna esquerda sobre a direita, Loki puxou o cobertor debaixo dele com uma careta. "Estou entediado!" Ele lamentou petulantemente.

Harry acenou com a cabeça em concordância. Ele estava acordado há horas e estava cansado de olhar para as paredes de pedra da ala hospitalar. Tudo na sala estava muito branco e muito limpo, lembrou Petunia. A mulher intrometida, que felizmente não tinha nenhuma relação de sangue com ele, estava obcecada com a casa dela sendo limpa e hospitalar estéril.

"Quando você acha que meu pai vai chegar aqui?"

Loki piscou seu mago. "Logo, meu jovem aprendiz. O avião de Stark pousou uma hora atrás, eu só estou deixando que eles tentem encontrar esse castelo."

"Mas não existem feitiços repelentes de trouxas em Hogwarts?"

Fred bufou. "Se você tivesse lido Hogwarts a History, saberia a resposta para isso." Ele disse em sua melhor impressão de Hermione.

"Um bom." George riu. "Eu gosto da garota, mas caramba, ela é uma mandona sabe tudo".

"Alguém já viu esse livro?" Harry perguntou. "Ela está sempre falando sobre isso, mas é a única pessoa que eu já ouvi mencionar a existência desse livro."

Fred e George se entreolharam e depois deram de ombros. "Não sei!" Eles disseram ao mesmo tempo. "Nós não somos voluntários para ler livros que não precisamos".

Sentindo-se impaciente, Harry começou a coçar o braço. Ele queria que isso acabasse. Ele queria ver seu pai e Bruce e voltar para a torre. Ele sentia falta de todos, até de Jarvis.

Loki estreitou os olhos para o mago, sem sentir como as unhas do menino estavam afundando dolorosamente em seus braços. Harry estava lutando com seu desejo de cortar e ficar sentado sem fazer nada, não estava ajudando nada. "Não se preocupe com o time, Thor os levará até aqui. Meu irmão sempre foi capaz de me rastrear. Para mim, eu poderia ir buscá-los e trazê-los de volta, n aonde está a diversão nisso?"

Harry não pôde deixar de pensar que ele e Loki tinham idéias diferentes sobre o que era divertido. "Ficar sentado sem fazer nada e rezar para que Dumbledore nos deixe em paz não é minha idéia de diversão."

Balançando as pernas compridas para fora da cama, Loki se levantou. "Então, vamos explorar e agitar este velho castelo."

Harry olhou para Fred e George, que olhavam para ele com sorrisos maliciosos correspondentes. "Bem." Ele bufou. "Apenas Hogwarts não prejudicial ela mesma. Snape e Dumbledore são jogos grátis, no entanto."

*** HP

Harry estava aproveitando seu tempo em uma das vassouras emprestadas da escola, se exibindo para Loki com Fred e George, quando viu duas figuras andando em seu caminho. Ele não sabia como se sentia sobre Dumbledore se recuperar de um ataque cardíaco tão rapidamente. Ontem, ele mal conseguia andar, mas agora estava apenas encostado na bengala enquanto passeava pelo campo de quadribol. Não que ele realmente quisesse ver o velho morto ou sofrendo, não era justo que ele sofresse por mais de treze anos e Dumbledore mal sofresse por vinte e quatro horas. Ele apenas sentiu que Dumbledore merecia algum tipo de punição por deixá-lo com os Dursley e não ajudá-lo quando ele perguntou.

"Ah, Harry, meu garoto, se divertindo neste dia de verão mais bonito que eu vejo?"

Com um gemido alto, Harry relutantemente pousou sua vassoura ao lado do velho bastardo, mas ele não desmontou. Ele estava tão tentado a voar para longe, apenas para fugir para longe de Hogwarts, mas sabia que seu pai estava a caminho, então seria estúpido partir agora. "Diretor". Ele cumprimentou categoricamente.

Dumbledore não permitiu que seu sorriso vacilasse quando Loki e os gêmeos Weasley pousaram ao lado de Harry. Ele teria que entrar em contato com Molly e Arthur sobre eles colecionarem seus meninos. Ele gostava dos gêmeos o suficiente e, eles sempre eram bons para rir, mas Harry não precisava de distrações no momento. Ele também não precisava de mais pessoas do lado de Harry que o ajudassem a ficar contra ele.

"A vassoura está voando maravilhosa!" Loki sorriu enquanto girava a vassoura que estava montando em suas mãos. "Voei de muitas maneiras diferentes, mesmo martelando com meu irmão, mas este foi meu primeiro vôo de vassoura". Loki fez uma pequena trepidação e depois puxou a parte de trás da calça. "É um pouco desconfortável na parte de trás, não é? É por isso que vocês todos usam roupas, para esconder suas bundas?"

Bufando, Harry cobriu a boca e se virou. Houve momentos em que ele desejou ser mais parecido com Loki. Ele não tinha vontade de dominar o mundo ou ser a pessoa mais poderosa do universo, apenas desejava poder dizer e fazer o que queria e não dar a mínima.

"Bem, voar em uma vassoura pode levar algum tempo para se acostumar." Dumbledore respondeu jovialmente. "Felizmente, não é o nosso único meio de transporte."

"Todas as formas de viagens bruxas são péssimas." Harry resmungou. "Com exceção de voar."

Dumbledore sorriu com indulgência para o jovem aluno. "Harry, posso ter um momento do seu tempo. Gostaria de falar com você em particular."

Coração pulando uma batida, Harry deu um passo para trás. "Tudo o que você tem a dizer pode ser dito na frente de Loki e dos gêmeos. Eu terminei de guardar segredos daqueles com quem me preocupo."

Dumbledore inclinou a cabeça. "Eu concordo, segredos podem causar problemas, mas eu gostaria de falar com você sobre seu tio e tenho certeza que você não quer Fred e George por perto enquanto discutimos sobre ele."

Harry respirou fundo algumas vezes, seu sangue gelando. Ele sentiu o pico mágico de Loki ao seu lado, mas ele sacudiu sutilmente a cabeça. Ele precisava começar a lutar suas próprias batalhas. Recolhendo-se, ele relaxou um pouco quando a magia de Loki passou de perigosa para calmante. A magia do deus estava acariciando-o, oferecendo-lhe conforto e apoio. Ele entendeu agora por que ele sempre respondia positivamente à magia de Loki. Loki era da família e eles compartilhavam como mágica.

"Eu não tenho um tio." Harry rosnou. "Meu pai, James, era filho único, e também meu pai, Tony. Quanto a Fred e George descobrindo sobre meu passado, eles já sabem. Quem você acha que cuidou de mim todos esses anos? Quem você acha que a coruja me enviou poções de cura durante o verão, me curou todos os anos quando voltamos a Hogwarts, me confortou durante meus ataques de pânico e pesadelos? Fred e George salvaram minha vida inúmeras vezes. "

Dumbledore ficou chocado, ele não sabia que Harry estava tão perto dos gêmeos Weasley. Como ele sentiu falta disso? Ele pensou que Harry era o melhor amigo de Ronald. Ele gosta mais que Harry traga melhores amigos de Ronald, o garoto era o mais inteligente. Os gêmeos, apesar de serem brincalhões despreocupados do lado de fora, eram extremamente inteligentes, dois dos alunos mais inteligentes de sua escola. "Molly e Arthur fizeram um trabalho maravilhoso criando seus filhos. Estou tão feliz que você teve que recorrer a eles."

"Ele deveria ter você!" George rosnou violentamente. "Ele não deveria ter que confiar em outros estudantes para obter ajuda."

"Fiz o que pude." Dumbledore respondeu tristemente.

"Para alguém tão poderoso, você é muito inútil." Loki apontou maliciosamente. "Você poderia ter dado Harry a uma família amorosa, mas não o fez. Você poderia ter checado ele, mas não o fez. Você ignorou os sinais óbvios de abuso. Você não quis ouvir quando ele procurou por você. Agora você está dizendo que fez o que pôde? Você não passa de um desperdício de magia. Eu deveria te matar agora e fazer um favor ao mundo e ao meu mago."

"Por que você continua chamando Potter de mago?" Severus perguntou com um sorriso de escárnio. "Ele não passa de um bruxo abaixo da média."

"Tsk, tsk". Loki sorriu, seus olhos se iluminando. "Eu não avisei para você não falar dessa maneira sobre meu mago, sobre meu sangue? Estou realmente começando a pensar que seus magos são excepcionalmente estúpidos. Então, por que você não diz a ele como se sente realmente por ele?" Com um sorriso, Loki facilmente entrou na mente do homem.

Severus sempre se orgulhava de ser um mestre das artes da mente, mas o deus passou por suas barreiras como se não tivesse nenhuma. Ninguém jamais foi capaz de entrar em sua mente, nem mesmo o Lorde das Trevas.

"Eu acho que Potter é um garoto ótimo." Severus disse sob o controle de Loki. "Ele é inteligente, tem uma bela cabeça de cabelos não oleosos, o nariz é perfeitamente reto e é excepcionalmente poderoso. Se eu pudesse ser tão magnífico quanto ele. Infelizmente, sou apenas um pedaço de lixo ciumento que não teve sexo muito bem ... sempre! "

Fred e George estavam rindo tanto que precisavam se segurar. "Pare!" Fred chorou. "Eu vou me mijar."

"Eu já fiz!" George gargalhou.

Ofegando, Severus quase caiu de joelhos quando o deus deixou sua mente. Ter alguém tomando conta de sua mente dessa maneira foi uma das piores experiências de sua vida. Se Loki pudesse controlá-lo sem esforço assim, como ele era poderoso?

Dumbledore estendeu a mão para acalmar Severus. "Tudo bem?" Ele perguntou preocupado.

Severus estava tendo dificuldade para focar os olhos e ele podia sentir uma enxaqueca chegando. Ele precisaria de uma poção para dor em breve ... talvez até duas. "Se você fizer isso de novo." Ele ameaçou fracamente, ofegando para recuperar o fôlego. "Eu vou..."

"Você vai o que?" Loki riu. "Você é um mortal e eu sou um deus, o que você poderia fazer comigo? Talvez agora você pense duas vezes antes de intimidar meu mago."

Severus cerrou os dentes com tanta força que a dor passou por sua mandíbula e até sua cabeça. Ele não admitiu isso em voz alta, mas o deus estava certo. O que ele, um mago mortal, poderia fazer com um deus poderoso que também era um feiticeiro poderoso?

Sorrindo, Loki jogou o braço por cima do ombro de Harry. "Vejo que estamos na mesma página, usuário de magia mortal. Até agora, tenho me comportado porque quero ver o pai do meu mago destruí-lo e porque estou me divertindo brincando com você, mas minha paciência só vai tão longe Harry é meu e está sob minha proteção. "

Dumbledore pigarreou. "Na verdade, você está errado sobre isso. Eu aprecio você cuidar do Sr. Potter e salvar sua vida, mas como guardião mágico de Harry, ele é minha responsabilidade. Eu não poderia estar mais feliz porque Harry encontrou dois membros vivos e amorosos da família, mas sou seu tutor legal agora que sua tia e seu tio foram considerados impróprios ".

"Oh, Merlin!" Harry murmurou baixinho enquanto revirava os olhos exasperado. Dumbledore era incapaz de aprender? Ele honestamente pensou que poderia enfrentar Loki e vencer? Ele podia vê-lo subestimando seu pai, já que ele era apenas um trouxa, mas Loki era um deus doido. Dois meses atrás, descobrir que Dumbledore era seu guardião o teria aterrorizado, mas agora ele achava engraçado. Pela primeira vez em sua vida, ele tinha pessoas que cuidavam dele e estava disposto a lutar por ele. Pela primeira vez em sua vida, ele se sentiu verdadeiramente seguro.

Loki beliscou a ponta do nariz em frustração. "Ok, vamos deixar isso um pouco mais embaraçado para você." Loki apontou para si mesmo. "Eu, deus." Ele então apontou para Dumbledore. "Você, humano fraco." Ele apontou para si mesmo novamente. "Eu, príncipe." Ele apontou para Dumbledore novamente. "Você, humano fraco." Loki continuou apontando para frente e para trás. "Eu, o feiticeiro mais poderoso de todos os nove reinos. Você, humano fraco. Eu, muito inteligente. Você, velho louco. Eu, o sangue de Harry. Você, velho ainda louco."

Dumbledore estava realmente começando a não gostar do deus. Por que ele o estava questionando e desafiando a cada passo? Sim, ele cometera erros, mas ele só tinha o bem maior em mente. Ele era o mocinho.

"Bem, eu posso ver que não poderemos ter uma conversa adulta agora." Dumbledore repreendeu, dando ao grupo seu melhor visual de avô. "Por que todos nós não vamos jantar no Grande Salão. Os elfos da casa, empolgados com a visita de um deus, se superaram com um banquete".

"Agora, essa é a coisa mais inteligente que você disse desde que tive a infelicidade de conhecê-lo." Loki sorriu. - Os pequenos aprendizes sabem cozinhar. Nem mesmo os chefs pessoais do Grande Odin podem cozinhar como aquelas pequeninas criaturas. Eu realmente preciso me arranjar um elfo weenie.

Dumbledore bateu palmas, excitado. "Excelente, vamos todos para o Grande Salão."

Harry não pôde deixar de pensar que Dumbledore parecia muito feliz por apenas uma refeição.

"Não tema, meu sangue." Loki sussurrou com uma piscadela. "É claro que o velho tolo está tramando alguma coisa." Ele disse como se estivesse lendo os pensamentos de Harry. "Finalmente, mais um pouco de entretenimento. Você acha que ele tentará me enfeitiçar? É assim que os usuários de magia mortal chamam, correto? Eu quero tanto ser enfeitiçado."

Harry acenou com a cabeça. "Ele é estúpido o suficiente para tentar." Ele sussurrou de volta. "Gostaria que o pai chegasse aqui. Estou cansado dos jogos dele."

Loki fez um beicinho dramático. "Impressionante, mas os jogos são muito divertidos. Pessoalmente, mal posso esperar até que eles conheçam o grande cara verde".

Os olhos de Harry se arregalaram. "Você acha que Bruce vai deixar Hulk sair?" Por um lado, ele não queria que isso acontecesse, porque Bruce sempre se sentia culpado por perder o controle, mas, por outro lado, ele queria desesperadamente conhecer o Hulk. Ele não tinha medo dele, sabia que Bruce nunca o machucaria, e nem o Hulk.

"Oh, sem dúvida." Loki riu. "Bruce estava tendo dificuldade em manter o controle da última vez que o vi. Ele não só está chateado por eles te levarem, mas também está chateado por eles mexerem com a cabeça do namorado."

"O que?" Harry engasgou. "Meu pai e Bruce ... namorados?"

"Você não sabia?"

Sorrindo, Harry encolheu os ombros. "Suspeitei e ouvi algumas coisas, mas não sabia que era oficial".

"Ainda não é oficial, mas eles finalmente estão admitindo seus sentimentos. É apenas uma questão de tempo, meu mago, até você receber uma nova mamãe verde. E eu estou avisando você de uma experiência pessoal e dolorosa, não fique no lado ruim de sua nova mãe. "

*** HP

Tony não estava feliz. Ele sabia que Loki estava jogando, não se encontrando com eles e os levando diretamente para a escola de magia de Harry, e isso o fez querer tocar o maldito pescoço do deus. Ele só queria o filho de volta. Ele não queria ser uma fonte de entretenimento do deus.

"Você está bem?" Bruce perguntou, parando na frente do bilionário fervente.

"Me pergunte isso novamente depois que eu incinerar Loki." Tony rosnou.

"Eu me sinto da mesma maneira, mas olhe dessa maneira, pelo menos ele está ao lado de Harry. Com Loki lá, nenhum mal lhe acontecerá."

Tony relutantemente deu a Bruce isso. Era verdade, Loki protegeria Harry, ele não duvidava disso. Loki era mais poderoso que o velho e Moldwart. Ele só queria o filho de volta, era difícil para ele pensar além disso.

"Você pode rastrear sua dor no traseiro do irmão?" Tony perguntou, voltando sua atenção para Thor.

Inclinando a cabeça em direção ao esqui e fechando os olhos, Thor concentrou-se. "Meu irmão ainda está a muitas horas, acredito, mas a magia da escola está me atrapalhando um pouco. Mas não tenha medo, meu amigo, posso rastrear meu irmão. Se tudo se resume a isso, sempre posso perguntar a Heimdall para orientação."

"Eu sou o único assustado que haja um homem de outro reino nos vigiando?" Clint perguntou, olhando para o céu e acenando. "Fale sobre o último Tom espiando."

"Eu não conheço esse sujeito de Peeping Tom que você fala." Thor fez uma careta. "Mas Heimdall é um guerreiro e guardião muito habilidoso. É seu trabalho vigiar os outros reinos e proteger Asgard de ataques."

"Espionar todo mundo é apenas um bônus." Clint riu. "Ele pode ver dentro das casas? Tipo, ele pode ver quando as pessoas estão tomando banho ou fazendo sexo?"

Thor abriu a boca, depois de um momento de pensamento a fechou. "Não sei a resposta para isso, mas agora também estou curioso."

Steve olhou em volta com uma careta. "Estamos alugando um carro para andar?"

"Ah, inferno, não!" Tony estalou. "Fui paciente por tempo suficiente. Posso levar dois comigo de terno e Point Break pode levar dois. Quero meu filho de volta. Isso termina hoje."

*** HP

Harry balançou a cabeça quando se sentou na mesa principal entre Loki e Fred. Dumbledore não estava brincando, os elfos realmente tinham preparado um banquete para eles. A mesa estava quase quebrando sob o peso de todos os pratos.

Loki olhou em volta para todos os pratos de comida, com os olhos fixos na taça. Então é assim que o velho ia tocar? Com um sorriso, ele pegou sua taça e a tragou. Ele não perdeu o olhar triunfante no rosto do velho tolo.

Harry podia sentir a magia de Loki avisando-o sobre alguma coisa. Levou alguns segundos para entender o que a magia de Loki queria, o deus nunca havia tentado se comunicar com ele assim antes. Recebendo a mensagem, ele alcançou o prato de frango do outro lado da mesa, não derrubando acidentalmente sua taça. "Droga!" Ele chorou pulando de pé. "Desculpe por isso. Dobby!"

"Harry Potter, senhor, está chamando seu Dobby?"

"Nós não precisamos da sua ajuda." Dumbledore foi rápido em interromper. "Acidentes acontecem, Harry. Vou ter um elfo pessoal, Smalls, trazer para você um cálice novo."

Dobby estreitou os olhos para o diretor, seus ouvidos vibrando com agitação. "Dobby está sendo capaz de trazer para seu Harry Potter um cálice novo. Harry Potter está chamando seu Dobby, não Smalls."

Loki engasgou com o garfo de purê de batatas. "Esses pequenos elfos estão cada vez melhor. Dobby, posso ficar com você?"

"Não, você não está tendo Dobby." Dobby repreendeu, seu longo dedo torto cutucando o deus no peito. "O grande Harry Potter é o único a ter Dobby."

Dumbledore deu um puxão duro na barba para ajudar a não perder a paciência. Ele não conseguia acreditar que Harry havia derramado seu cálice de suco de abóbora. Pelo menos Loki bebeu, logo o deus estaria sob seu controle.

"Dobby, poderia me dar um copo de água?" Harry perguntou educadamente. Ele sabia que não confiava no elfo de Dumbledore, ele apenas lhe traria outro cálice com cravos.

Dobby fez uma grande reverência. "Qualquer coisa para o grande Harry Potter."

"Eu acho que o elfo louco é um pouco obcecado por você." Loki brincou depois que o elfo se afastou.

"Essa é uma boa maneira de dizer." Fred riu. "Dobby acha que o sol brilha na bunda de Harry".

Loki começou a encher o rosto, dando uma piscadela ao velho tolo quando o viu observando-o com fome. Ele podia sentir o que quer que a poção no cálice estivesse tentando trabalhar nele, mas ele era poderoso demais para poções e truques mortais. Ele havia alertado Harry contra isso, porém, Harry era mentalmente muito frágil para combater um ataque de dentro de seu corpo. Ele tinha certeza de que a poção deveria torná-lo leal a Dumbledore, pelo menos era o que parecia, e era uma poção muito poderosa ... mas não era tão poderosa quanto ele.

Dumbledore pigarreou. "Eu acho que é realmente uma boa ideia Harry permanecer aqui e começar a treinar. Você concorda, meu garoto?" Ele perguntou, olhando presunçosamente para o deus.

O canto da boca de Loki se contraiu. Ele podia sentir a poção tentando forçá-lo a concordar. Oh, isso seria muito divertido. "Treinando para quê? Como se tornar um bruxo inútil e covarde? Isso é tudo que vocês dois são."

Dumbledore olhou para Severus, silenciosamente questionando seus olhos. A poção não deveria ter começado a funcionar já? "

Cerrando os dentes, Severus ignorou seu mentor. Ele não queria participar disso. Ele avisou o velho que era um plano estúpido e que o mataria.

"Sinto muito que você se sinta assim sobre nós." Dumbledore disse, parecendo arrependido. "Nunca foi minha intenção começar com o pé errado. Entendo que o jovem Harry deseja voltar para casa com seu pai, mas é importante que ele termine a escola e derrote o Lorde das Trevas."

Harry revirou os olhos. "Eu não vou lutar com Voldemort."

"Sinto muito, meu garoto, mas você realmente não tem escolha. Você é o único que pode salvar, não apenas o Mundo Mágico, mas também o mundo trouxa. Você não concorda, Loki."

Loki assentiu vigorosamente com a cabeça. "Oh, eu concordo." Ele disse, sorrindo internamente quando os olhos do velho tolo se iluminaram com triunfo. "Se todos os bruxos são tão covardes e inúteis quanto vocês dois, então meu mago é o único poderoso o suficiente para derrotar seu bruxo das trevas. Mas ter o poder e o desejo são duas coisas diferentes. Harry não deseja para lutar sua batalha, e todos os cálices envenenados do mundo não mudarão de idéia, não comigo ao seu lado, protegendo-o. "

Dumbledore empalideceu. "Veneno! Eu não sei do que você está falando."

"Você honestamente pensou que poderia me enganar e inconscientemente beber um cálice com uma poção para me tornar leal a você? Você realmente acha que essa poção funcionaria em mim, um deus?"

Dumbledore bateu as mãos na mesa com raiva. "Eu não me importo que você seja um deus, estou cansada de sua atitude. Harry deve derrotar Voldemort, por que você não entende isso? Estou cuidando daquele garoto há mais de treze anos para se sacrificar voluntariamente por algo maior." bom e não vou permitir que você entre aqui e estrague tudo. "

Severus, que estava sentado ao lado do diretor, sabiamente se levantou e se afastou. Ele podia sentir a mágica perigosa do deus, como uma tempestade elétrica, e ele não queria estar perto de Dumbledore quando a tempestade atingiu.

Todos no Salão Principal se voltaram para Harry quando ele começou a rir. "Acredito que essa seja a primeira coisa honesta que você já me disse." Ele disse enxugando as lágrimas dos olhos. Ele não sabia se estava chorando de raiva, mágoa ou porque estava perdendo a cabeça e começando a achar tudo engraçado, ele simplesmente não sabia mais.

Fred pegou a mão de Harry que estava sobre a mesa e deu um aperto reconfortante. Ele podia sentir como Harry estava confuso e confuso por dentro. Havia muita raiva e mágoa, mas havia também auto-aversão, medo e confusão.

"Acho que estou enlouquecendo." Harry riu enquanto enxugava ainda mais lágrimas dos olhos.

Loki inclinou a cabeça para o lado. "Sim, isso ocorre na família." Ele sorriu.

Comida deliciosa esquecida, Harry se levantou. "Juro pela minha magia agora, Dumbledore, não lutarei com Voldemort por você. Os dias em que você é um mestre de marionetes terminaram. Esta não é a minha guerra."

Dumbledore se levantou, sua complacência branca como um fantasma. Ele sentiu a magia do juramento de Harry se encaixar, destruindo anos de planos e manipulações. "Retire isso de volta!" Ele rugiu. "Voldemort matou seus pais, ele os levou para longe de você. Por causa dele, você foi criado por trouxas abusivos. Tudo o que você sofreu é por causa dele. É seu dever derrotá-lo. Você é o escolhido, o filho da profecia. , o único que pode nos salvar do Lorde das Trevas. "

Harry ficou sem palavras, esse homem era de verdade? Sim, Voldemort matou seu pai e Lily, mas Voldemort não foi quem o deixou na porta da magia conhecida que odeia trouxas. Voldemort não foi quem não o verificou ou o ignorou quando pediu ajuda. Voldemort também não foi quem apagou as memórias de seu pai e o drogou aqui contra sua vontade.

"Acho que o louco também corre no lado dele da família." Fred bufou.

"Isso não é loucura, meu irmão." George acrescentou, encarando seu diretor. "Isso é absurdo, merda de morcego. Acho que ele é mais louco do que a cara feia de uma cobra."

"Suficiente!" Dumbledore rugiu. "Eu trabalhei muito e por muito tempo para você estragar tudo. Sinto muito por ter sido abusada, desculpe por ter sido molestada, mas sacrifícios tiveram que ser feitos para o bem maior. Você enfrentará Voldemort e, quando vencer ele, e somente quando você derrotá-lo, você pode se mudar para a América e brincar de casinha com seu maldito pai trouxa. Fim da discussão! "

Um sorriso enorme surgiu no rosto de Loki quando ele se virou para uma das grandes janelas. "Oh, meu Deus, eles estão aqui." Ele disse certo quando uma faixa vermelha e dourada passou correndo pela janela. "Por mais divertida que tenha sido essa visita, ouvir você falar em círculos e divagar sobre o grande bem e seu senhor das trevas, e provar o quão absolutamente inútil você é, tornou-se terrivelmente chata. Agora que o pai do meu mago está aqui, junto com meu irmão e o resto do time, a verdadeira diversão e jogos podem começar ".

*** HP



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...