1. Spirit Fanfics >
  2. O vermelho da meia noite >
  3. Capítulo 2

História O vermelho da meia noite - Capítulo 3


Escrita por: e Scarpelly


Notas do Autor


Oii gente aqui é a autora Scarpelly espero que vcs gostem desse capítulo e peço que prestem muita atenção ele, pois será necessário para que vocês entendam tudo que irá acontecer no longo da fic, mais uma vez espero que gostem

E última coisa, eu e @Daya estamos com um projeto para mais uma fic juntas, tenho certeza que vocês vão amar, então fiquem de olho


Obrigada

Capítulo 3 - Capítulo 2





Eu estava surtando naquele lugar mal havia chegado e já queria ir embora tudo naquele lugar a deixava com raiva, se não bastasse saber a apenas algumas semanas que era um monstro ainda tinha que aturar essas lobas que se acham a última bolacha do pacote, ela tinha tanta raiva disso, aquele reformatório ainda era um lugar medonho ninguém teria coragem de morar ali.



“A não ser que fossem a família Adams aí eu ate entenderia” Pensei.



Hinata disse pra ficar longe de uns de garotos, da família Uchiha pra ser mais específica, e eu nem sei quem são mas como não quero problemas vou ficar na minha.


E para começar nesse maldito lugar, mal cheguei e já me proíbem de fazer as coisas, odeio isso ser mandada, ninguém manda em mim sou dona no meu próprio caminho e destino, e vieram com todas essas regras e horários que tenho que seguir, como se fossem donos de mim.



“ Clichê eu sei mas ignorem sou a rainha do drama!”




O quarto é até aceitável tive sorte de não ter que dividi-lo com mais ninguém, porque aí sim ninguém ia aguentar Sakura Haruno, mas enfim ele é bem arrumado pelo menos de um tamanho razoável e a cama parece ser confortável, mas é nesse exato momento o que sinto e a falta da minha mãe e dos meus amigos, poxa, descobri a alguns dias que era uma vampira Isso não acontece todo dia, e a morte de Sai não para de me atormentar sei que sou culpada mas eu não sabia que aquilo iria acontece, eu nunca o machucaria.



Jamais.



“É claro que não o machucaria se pudesse escolher você tinha um belo tombo desgraçado por ele."




A única coisa que eu queria realmente era poder deitar e dormir sem ninguém para me acordar, perturbar ou amolar, eu só queria que tudo voltasse a ser como era antes, queria minha antiga vida de antes, mas agora, cada segundo que se passava parecia mais difícil isso acontecer, esse lugar é minha nova realidade então terei que me adaptar, ou melhor talvez esse lugar tenha que se adaptar a mim, Vou sair daqui de um jeito ou de outro, se não querem me deixar ficar com minha mãe eu mesma Sakura Haruno darei um jeito de ser expulsa para sair daqui, esse reformatório que me aguarde irei trazer mudança pra ele.



Depois de tomar um banho no minúsculo banheiro desse muquifo, aqui nos não poderíamos usar nada que tivesse tecnologia ou seja ficaria muito tempo sem meu celular, sem contato com o mundo la fora, sem saber da minha mãe e se ela estava bem, aquilo me deixava extremamente irritada.



E muito preocupada e se existia mais como eu la fora provavelmente ela estaria em perigo.



E eu não poderia a defender.



So de pensar em algo ruim acontece com ela um medo me atingia em cheio.



Estava cansada da viajem então apenas me deitei na cama e esperei o sono vir.



Teria que arranjar um jeito de sair daqui.

O mais rápido possível.




* * *


Não sabia a onde estava, parecia estar em algum tipo de Palácio ou algo do tipo.


Andei por alguns corredores que não parecia não ter fim.


Passei por algumas salas, é cheguei a um grande salão, havia algum tipo de salão para baile, no chão tinha um desenho estranho parecia algo como feitiçaria.



Um arrepio sinistro subiu minha espinha.

Mas que droga era aquela?



Do nada uma mulher com um longo vestido negro apareceu no salão, mas não dava para ver ser rosto. Seus cabelos eram negros, mas seu rosto eu não conseguia ver.



“ Você pertence a ele.

Ele pertence a você.

Dua alma pertence a ele.

Assim como a dele.

Vocês pertencem um ao outro.



Serão ligados para sempre, quando o olhar do alfa se cruzar com o seu, mas doce garota tome cuidado com suas escolhas, esse é amor amaldiçoado a mais tempo do que a sua existência.



Uma bruxa

Uma maldição.

Uma herança.



Doce Sakura cuidado com as criaturas da noite, você pertence a ele, o herdeiro de sangue"


 

Acorde criança!

Não precisa ter medo!

Acorde! Você pode me escutar? Ele pode!

Acorde!

Acorde!

ACORDE!



— NÃO!— O que foi isso? Essa voz, eu já ouvi essa voz antes o que significa tudo isso que ela dizia? Acordei assustada com o pesadelo horrível que tive, já era de manhã e a luz entrava por uma fresta da janela o que estava me incomodando, desci da cama devagar não estava com vontade de sair daquele quarto, mas uma voz na minha mente dizia que era melhor sair talvez aconteceria algo de bom.



Andei até a janela para poder abri-la, senti os raios quente do Sol daquela manhã tocarem minha pele, olhei a floresta escura que tinha ali, era tão bonita e tão clichê ao mesmo tempo.



Derrepente um sentimento de ansiedade me tomou, mas aquele sentimento não era meu. Coloquei as mãos em meu coração tentando aliviar aquilo.



Deus, o que era aquilo?

Fechei os olhos e respirei fundo até aquilo passar.




Mas depois tudo isso parou a como se nada estivesse acontecido eu estava bem de novo.

Sai da janela, precisava me alimentar isso sim.




Tomei um banho no banheiro que tinha no quarto coloquei uma roupa qualquer, dei uma olhada em meu reflexo antes de sair do quarto aquela ainda era eu, mas ao mesmo tempo não era, era como se tudo que tivesse vivido todos aqueles anos fosse uma mentira, mas eu vou voltar pra casa custe o que custar sabia que precisava proteger minha mae.



Antes de abrir a porta do quarto alguém bateu nela e eu logo abrir para ver quem era, Hinata mantinha um sorriso doce nos lábios, usava suas roupas de gótica e em sua boca tinha um batom vermelho vinho dando contraste com seus olhos esfumados em negro, era uma maquiagem bem forte para começar o dia.



— Bom dia vampira, dormiu bem?— A voz doce de Hinata me fez despertar de meu transe aquela voz era parecida com a do meu pesadelo, mas decidi ignorar esse fato não elas não eram a mesma pessoa, até não faria o menor sentindo.



— Bom dia, o que tem de bom pra fazer aqui?— Perguntei sem me importar muito com a pergunta da bruxa não queria ser mal educada, mas também não queria falar do pesadelo então decidi mudar de assunto. Até porque aquilo não era problema dela.



— Temos aula agora mocinha e não adianta fugir, Tsunade vai ficar na sua cola por um bom tempo então vamos!



— Hinata disse e sua maneira calma deixava me dava nos nervos ela até parecia gostar daquele lugar. Parecia aceitar que ficaria ali por muito tempo.



— Ótimo se não bastasse ficar aqui ainda tenho que estudar, que lugar mais deprimente de se ficar. — Respondi em um tom baixo a passei a caminhar seguindo a bruxa de olhos perolados, mas parei ao sentir a boca seca e logo o cheiro de sangue começou a entrar em minhas narinas, Hinata parou e passou a me encarar, logo viu Kurenai se aproximando com duas bolsas de sangue.



Que merda, minhas presas já eram evidentes.



Sentiu o controle sair do meu corpo, eu não queria aquilo, me entregar ao instinto animal e beber aquele sangue, eu sabia que aquela era minha nova realidade, mas as lembranças de Sai entraram em minha mente me deuxando assustada meus olhos se tornaram vermelhos minha garganta secou a eu levei as mãos para meu pescoço tentando evitar a sede pelo maldito sangue, as presas saíram e Hinata me olhou sem entender, Kurenai tentava se aproximar.



Eu soube que que os recém criados eram incontroláveis, mas aquilo era horrível, simplesmente fiz a primeira coisa que veio em minha mente e sai correndo daquele lugar sem me importar para onde ia.



A única coisa que eu queria era realmente sair daquele lugar o cheiro daquele sangue fazia com que minha garganta clamasse por ele, mas ela sabia que era ruim.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...