História O Vigarista - Min Yoongi e Park Jimin (yoonmin) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bangtan Boys, Bts, Chim Chim, Gêmeos, Hyung, Jiminie, Min Yoongi, O Perigo, Park Jimin, Suga
Visualizações 275
Palavras 2.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meu amores, estou começando uma fanfic nova e espero de coração que gostem.
Essa é minha primeira fanfic yaoi e prometo dar o meu melhor para tornar a fic interessante.

Por favor, não desistam da fanfic. ❤

Capítulo 1 - EP:1- O namorado da minha irmã.


Fanfic / Fanfiction O Vigarista - Min Yoongi e Park Jimin (yoonmin) - Capítulo 1 - EP:1- O namorado da minha irmã.

5 mesês atrás.... 


Dia 01 de maio de 2017 - Domingo.

Cidade de seul - coréia do sul.

Por: Park Jimin - 15:33p.m.

Até que enfim cheguei em seul, onde minha mãe e minha irmã moram, e eu também vou morar aqui. Minha vontade? 0% por que? Simples, eu deixei minha namorada nos E.U.A, minha cidade natal, que droga! Agora ficarei longe dela, eu até pensei em terminar por conta de ser chato namoro a distância, mas vou dar mais um tempinho e se der tudo certo, eu continuo namorando com ela.

Kim Hyori, minha namorada. Se conhecemos no colégio, eu estava no segundo ano do ensino médio, ela caiu em minha sala, praticamente ela era aluna nova pois nunca a tinha visto na escola. Quando eu a vi pela primeira vez meu coração se acelerou, até parecia que eu ira ter um infarto ali mesmo. Nossos olhares se encontraram por minutos até ela se tocar que estava-mos nos olhando por um bom tempo, e pra melhorar minha vida ela se sentou na carteira atrás de mim, que por incrivél que pareça, estava vázia, por que? Meus amigos não eram da mesma sala que eu e tipo, eu era o solitário da sala.

Des daquele dia começamos a ser amigos, ela confessou seus sentimentos por mim e eu fiz o mesmo me confessando pra ela, e foi dai que começamos a namorar, faz um ano e dois mêses que estamos em um relacionamento sério, sinceramente espero que isso dure para sempre, pois eu realmente a amo muito.

Bato na porta da casa da minha mãe que logo é aperta pela sana minha irmã de 15 anos, dois anos mais nova que eu.

--você chegou! --grita animada e logo me abraça fazendo eu me sentir desconfortável.

--é, eu cheguei --digo sem expressão.

--aah me desculpe pelo o que aco... --interrompo ela, não deixando que ela termine a frase.

--não me lembre disso sana! --aperto os meus olhos impedindo que as lágrimas desça.

--me perdoe, a mãmãe está na cozinha fazendo sua comida preferida --um sorriso sincero se forma em seus lábios.

--ótimo, estou morrendo de fome --ela da espaço para eu entrar, que logo faço deixando minhas malas ao lado do sofá.

--depois eu te levo ao ser quarto jiminie, você ainda não conhece a casa --diz me seguindo até a cozinha.

--tudo bem --digo entrando na cozinha que logo avisto minha omma servindo o almoço.

--cheguei omma! --digo chamando atenção da mesma que no mesmo segundo se vira e me abraça.

--que saudades meu filho --diz me apertando entre o abraço.

--tá... --respondo afastando ela de mim.

Ela me olha com o cenho franzido e um sinal de interrogação em cima da sua cabeça, parecendo estranhar o meu comportamento, mas logo levanta as duas sombracelhas paracendo entender o porquê de eu estar assim.

--você ainda está frágil, me perdoe --ela suspira fundo e aperta os seus lábios.

--sabe omma, eu estou com fome, muita fome --forço um sorriso sem graça.

--há, é claro. Seu almoço já está servido, espero que goste --sorri largo me fazendo sorrir também.

Me sento na mesa e fito minha comida preferida; macarrão com salsisha.não perco muito tempo e saboreio o mesmo me fazendo inspirar fundo de tão gostoso que está. incrivel como minha mãe consegue fazer comidas tão boas, fico ingrédulo por ela ser tão boa na cozinha.

--esse macarrão está perfeito como sempre --digo saboreando mais e mais.

--filho não se fala com a boca cheia, isso é nojento! --diz rindo de mim.

--aish omma, não estou com a boca cheia --olho pra ela com minha boca suja por conta do molho.

--sua boca está toda suja jimin --diz entre risos.

--eu sei --sorrio e continuo comendo.

Amanhã será meu primeiro dia colégio sogang business, confesso que eu estou um pouco nervoso, pois não gosto de ser aluno novo de um colégio famoso ou popular. Sempre tem aqueles alunos metidos que amam zoar ou humilhar aqueles que eles acham que são de classe baixa --eu odeio isso-- sinceramente, se algum deles vierem mecher comigo eu não vou deixar quieto de jeito nenhum.

Depois de ter arrumado minhas coisas em meu quarto, tomo um banho bem relaxante para aliviar um pouco minha mente e me preparar para amanhã. Minha mãe já comprou o uniforme do colégio e amanhã ela me levara de carro ao mesmo para que eu possa reconhecer o caminho e passar a ir sozinho ao colégio.

--ai, merda! --reclamo ao bater meu dedinho na porta do box.

Me seco e visto um dos meus pijamas bem confortáveis. 

Olho no relógio e vejo que já são 18:50p.m, irei ler um dos meus livros preferidos online --cem anos de solidão-- gosto bastante de ler, então será bem possivel que no colégio irei ler mais que estudar, isso eu tenho certeza.

                        [...]

Dia seguinte...

Cidade de seul - coréia do sul

Segunda feira - 06:50a.m.

Depois te ter me arrumado, saio de casa e encontro minha omma em seu carro pronta para me levar pra escola, como está frio eu pus uma das minhas jaquetas, invés da jaqueta da escola que não esquenta muito.

--bom dia omma --digo me sentando no banco dos passageiros, ao seu lado.

--bom dia filho, está pronto? --diz ligando o carro e me olha de lado.

--não muito, mas tentarei me adaptar nesse colégio, prometo! --digo firme.

--você vai conseguir filho. A sua irmã só não estuda nesse colégio por alguns problemas, e tive que muda-la para outro --diz e da partida ao colégio.

--espero não arrumar problemas nesse novo colégio --suspiro fundo.


Finalmente chegamos ao meu novo colégio, ele é grande e bonito, parece com o meu lá dos estados unidos da américa, a diferença é que esse novo colégio é mais... como eu posso dizer? Mais... aish, deixa pra lá.

--tchau omma --me despeço dela e saio do seu carro.

Olho o colégio em minha frente e mordo os meus lábios de nervosismo, percebo algumas meninas olhando pra mim e reviro os olhos, que maravilha, agora vai ter essas vádias querendo dar em cima de mim. Dou de ombros e entro no colégio recebendo olhares dos alunos e das alunas.

Odeio que me encarem, dar pra vocês parar?

Como eu não conheço ninguém apenas sigo a sala do diretor que eu não sei bem onde é, mas vou tentar achar, tenho um pouco de certeza que sua sala e nos corredores de baixo, pois não teria nenhum sentido ser dos corredores de cima, certo?

Ando no corredor em procura da sala do diretor e percebo alguns alunos me olhando com inveja, acho que é por eu ser bonito, ou eles são assim mesmo; debochados.

--olá, está procurando a sala do diretor? --um menino alto surge ao meu lado.

--estou, mas como eu sou aluno novo não sei aonde fica --digo e olho pra ele.

--vem, eu te mostro --ele me pega pelo braço e me puxa a sala do diretor.

Chegando na mesma eu bato na porta que logo é aberta por um homem um pouco mais alto que eu, seus cabelos são da cor cinza escuro e veste um terno preto com uma gravata branca.

--você é o aluno novo certo? --pergunta e eu assinto com a cabeça-- ótimo, entre.

Entro em sua sala ficando de pé atrás da cadeira a sua frente, ele se senta em sua cadeira e pega um papél e me entrega.

--sua sala é a 15 do segundo corredor, bem vindo ao seu novo colégio, espero que se de bem com todos --ele sorri enquanto eu continuo sério.

--okay --apenas isso sai da minha boca.

--agora pode ir, são seis aulas por dia, não vai ser tão tedioso, vocês irão sair sempre ás 12:00 em ponto --diz e eu assinto.

Saio da sua sala e o corredor já estava vázio, o menino que me acompanhou até aqui já foi pra sua sala, depois eu agradeço a ele.

Ando em passos rápidos a minha sala para não chegar tão atrasado na aula, vai saber que professor ou professora está dando aula.

Bato algumas vezes na porta que logo é aberta por um professor do mesmo tamanho que eu, e aparenta ter uns 50 anos.

--você é o aluno novo? --pergunta o mais velho.

--sim.

--entre --faço o que pede adentrando a sala.

Os olhares de todos os alunos caem sobre mim, e isso acaba me deixando com um pouco de vergonha. Fico ao lado do professor e entrego o meu papel para ele.

--se apresente --pede me olhando.

--bom dia a todos, me chamo park jimin e sou o aluno novo desse colégio. Eu morava nos estados unidos, mas como algo de ruim aconteceu eu tive que me mudar aqui pra coréia, e agora estou morando com minha mãe e minha irmã. Espero fazer novas amizades, é isso... --falo um pouco alto para que eles ouça.

Alguns alunos cochicham sobre mim e eu olho para cada aluno da sala, meu olhar para em um menino da pele pálida e do cabelo azul, ele olha profundamente em meus olhos, seu olhar e intimidador, ele não pisca se quer uma vez, isso acaba me deixando um pouco desconfortável.

Olho cada detalhe do seu rosto, principalmente seus lábios rosados e molhados. 

--vai ficar ai parado, ou vai sentar em seu lugar? --diz o professor me tirando do mundo da lua.

--me perdoe --abaixo um pouco o olhar e procuro um lugar para sentar.

Os únicos que tem é na carteira ao lado do menino pálido e o outro é na frente, e claro que eu não irei sentar na frente, isso seria péssimo para eu ler o meu livro online, então me sento na carteira ao lado do menino pálido que fica no fundo da sala.

--bom, me chamo rafael, sou o professor de história, park jimin espero que se de bem com a sua sala --diz se sentando em seu lugar.

Eu não respondo nada, apenas tiro o meu celular do bolso e começo a mecher nele.

--ei park jimin? --ouço um menino me chamar e me viro pra trás me dando de cara com o menino que me levou na sala do diretor.

--uou, você é da minha sala --sorrio olhando pra ele.

--sim, me chamo kim namjoon, mas pode me chamar de rapmon ou rm, você que decide --sorri mostrando suas covinhas.

--suas covinhas são fofas --digo ainda sorrindo.

Olho pro lado e me assusto ao perceber que o menino pálido não tira os olhos de nós.

--esse é o Min Yoongi, ele gosta de encarar as pessoas --diz rapmon um pouco baixo.

--eu percebi... --sussurro com cuidado para que ele não ouça.

--cala a boca namjoon! Eu que me apresento --olha mortalmente para rapmon-- então, me chamo min yoongi mas pode me chamar de suga --diz e revira os olhos.

Eu não respondo nada, meu coração acelera ao ouvir sua voz grossa e amendrontadora, ele me olha com uma de suas sombrancelhas erguidas esperando alguma resposta, mas infelizmente nada sai da minha boca.

Ele revira os olhos novamente e volta a sua posição normal, se virando para frente.


Narrado por Min Yoongi.

Esse tal de park jimin é bonito, seu corpo é malhado e tals, mas que saco! Ele nem me responde.

Não sei se é normal, mas quando ele atravessou aquela porta, meu coração se acelerou do nada, e ainda ficamos nos encarando por um tempo até o professor se pronúnciar fazendo ele cair na realidade, os meus olhos estavam consentrados em seus lábios grosos e rosados, em quanto eu me perguntava no que ele estava pensando.

Aish, por que eu estou pensando nesse energúmeno?

Narrado por park jimin.

O sinal do intervalo toca e todos os alunos do primeiro, segundo e terceira série do ensino médio, saem de suas salas. O namjoon disse que guardaria nosso lugar em um banco enquanto eu compro lanche pra mim e pra ele.

Minha sorte é que a cantina não estava cheia, tinha poucas pessoas.

--pode me ver dois lanches? --peço entregando o dinheiro pra ela.

--claro, quer de qual? --pergunta e entrega o meu troco.

--qualquer um --digo simpático e ela assente.

Apoio meus braços no balcão esperando ela fazer os lanches que eu pedi, olhei para os lados e já tinham mais pessoas, fiquei com um pouquinho de medo e constrangido, pois penso que uma pevertida passe a mão em minha bunda. Isso seria ridículo.

Do nada sinto alguém aperta o lado direito da minha cintura, meu coração se acelera na hora e fico intacto sem mecher nenhum músculo. Minha respiração fica rápida e pra piorar essa pessoa meche sua mão pra cima e pra baixo, como se estivesse me acariciando, imediatamente os pelos da minha nuca se arrepia.

--dá pra dar licença, jimin?! --escuto a voz grossa do suga e me viro na hora.

Tento falar alguma coisa mais nada saia da minha boca, ele estava um pouco próximo de mim e isso me deixava desconfortavel.

--oque? Vai ficar ai me olhando ou vai me dar licença! --ergue uma sombrancelha e na hora dou espaço pra ele, mas volto ao meu lugar ficando em sua frente.

--e se eu não quiser te dar licença? Vai fazer o que? --cruzo os meus braços e ergo um sombrancelha.

--eu acho outro lugar! --fala em um tom ignorante e sai de perto de mim.

Idiota!

Quando as aulas acabou, eu fiquei um tempo na frente do colégio conversando com o namjoon, ele falou um pouco sobre si e fiquei surpreendido por ele ser gay, seu namorado está viajando e volta pra escola logo logo. 

Eu não falei muito sobre minha vida, não gosto de falar muito sobre ela pra ninguém, acho isso totalmente disnecessário pois pra que eu vou falar dos meus problemas, se as pessoas nem se importa comigo?


--cheguei! --digo alto entrando em minha casa.

--tem almoço pronto filho --diz minha mãe da cozinha. 

Eu ando até a mesma mas paro na porta ao ver o yoongi e a sana se abraçando.

--o que ele está fazendo aqui? --pergunto apontando pro suga.

Os três olham pra mim, mas o yoongi não parece surpreendido por me ver aqui.

--me desculpe, esqueci de te falar --minha irmã sorri sem graça-- esse é o min yoongi, meu namorado.

Que maravilha! Agora vou ter que aturar o namorado da minha irmã

Não sei o porquê, mas isso me deixou um pouco triste.

--omma, vou me trocar e depois venho comer --digo ignorando o yoongi.

Aish, por que o namorado da minha irmã tinha que ser logo ele? 

Por que agora estou sentindo o seu olhar sobre meu corpo?

Por que eu estou me preocupando com isso? 



Notas Finais


Outra fic nova? Como consegue?
Então... também não sei.

Espero que tenha gostado amores❤
Me diz o que ACHARAM por favor♥
E me desculpe por qualquer erro ortográfico. ❤

Não desistem da fic por favorzinho 😊

VIGARISTA- aquele que, através de um ato de má-fé, tenta ou consegue lesar ou ludibriar outrem, com o intuito de obter para si uma vantagem; embusteiro, trapaceiro, velhaco.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...